Palácio do Leões ainda não assimilou a perda do PSDB para o Roberto Rocha 12

Vários textos produzidos nas masmorras dos Leões dão uma narrativa catastrófica para o presente e futuro do PSDB no estado. “Debandada de prefeitos”, “revoada de lideranças”, saída em massa de filiados” etc., são alguns dos prognósticos

Pelo que tem produzido em termos de releases e divulgado nos blogs de “aluguéis camaradas”, dá para concluir que o Palácio dos Leões ainda não assimilou a baixa do PSDB, que saiu da órbita do vice-governador Carlos Brandão, onde o partido servia tão somente enquanto “satélite” do PCdoB, e passou para o comando do senador Roberto Rocha que, agora, sim, passará a ser um partido digno da grandeza que o é, independente de gostar-se ou não da sigla.

Vários textos produzidos nas masmorras dos Leões dão uma narrativa catastrófica para o presente e futuro do PSDB no estado. “Debandada de prefeitos”, “revoada de lideranças” “saída em massa de filiados” etc., são alguns dos prognósticos dados ao partido sob o comando de Roberto Rocha. Aos blogs de “aluguéis camaradas”, lógico, cabem reproduzir a mentira na melhor tática nazista de que “uma mentira repetida mil vezes se torna verdade”.

Ocorre que os mesmos releases oficiais repassados aos tais “blogs camaradas” não conseguem citar quem são as dezenas, centenas, milhares, quem sabe milhões de tucanos que irão deixar o PSDB a partir da chegada de Roberto Rocha no partido.

Contrariando essas perspectivas, o que observar-se é o desejo de muitos continuarem no tucanato local e outros tantos filiarem à legenda a exemplo de quadros como ex-primeira-dama Clay Lago, o vice-prefeito Paulo Marinho Júnior, o ex-deputado Rubem Brito, o ex-prefeito Léo Costa, deputada Graça Paz, prefeito Hilton Gonçalo, vereador Estevão Aragão, entre outras filiações de quadros e lideranças do Sul do Maranhão que estão sendo coordenadas pelo ex-prefeito Sebastião Madeira.

O desespero do grupo governista é tamanho que tenta, por exemplo, associar a ação do senador Roberto Rocha em prol aos municípios cortados pela Ferrovia Carajás, e associados ao Consórcio Intermunicipal Multimodal (CIN), à filiação dos seus respectivos prefeitos ao PSDB e os mesmos teriam recusado. Coisa de maluco beleza!

Uma análise minimamente honesta seria suficiente para chegar à conclusão de que o senador Roberto Rocha ajuda vários municípios administrados por prefeito de diferentes partidos, inclusive muitos deles que têm compromisso de votar na reeleição de Flávio Dino (PCdoB).

Porém, pedir uma análise honesta para os “blogs camaradas” parece que é pedir muito!

Ainda mais quando algumas senhas ficam sob a posse de gente grande da Secom, segundo comenta-se…