Ao invés de sair em solidariedade a Carlos Lula, Flávio Dino deveria pedir desculpas ao secretário da Saúde 10

O senhor, governador, ao invés de sair em solidariedade ao secretário Carlos Lula deveria, sim!, é pedir desculpas ao advogado por tê-lo metido numa grande enrascada ao nomeá-lo para auxiliar um governo que foi tomado por esquemas de corrupção numa área tão sensível como é da Saúde.

A morte do médico Mariano de Castro segue assombrando o governo e governador Flávio Dino (PCdoB).

Rodeada por muito mistérios, o suposto suicídio do operador dos esquemas de corrupção no âmbito da Secretaria de Estado da Saúde (SES) atormenta o Palácio dos Leões que a cada vez que mexe no assunto mais se complica e mais fede.

Pela rede social do Facebook, Flávio Dino resolveu sair em “solideriedade” ao secretário Calos Lula. Disse o comunista:

“Minha solidariedade ao secretário Carlos Lula. Todos sabem que é um jurista sério, honrado, dedicado. Está sendo vítima de vil perseguição pelo coronelismo, por conta do desvario de retornar ao poder de qualquer forma, a qualquer preço. Ainda estamos em abril e essa gente já está nesse desespero, agindo com crueldade, sem respeitar nenhuma lei, sem respeitar ninguém. Acho que vou ter que aumentar minhas cautelas pessoais contra essa máfia sedenta de poder e dinheiro”.

Ora, governador, me compre um bode!

Se há máfia, e realmente há!, é no seu governo e a morte do médico Mariano de Castro é produto dessa máfia! Não tente responsabilizar seus adversários políticos por lamentável tragédia.

Quem tem que aumentar cautelas pessoais contra essa máfia sedenta de poder e dinheiro” são os demais envolvidos no “esquema Dino” dentro da SES como, por exemplo, a ex-secretária-adjunta da Saúde, Rosângela Curado, que corre o risco de ser a próxima vítima dessa história escabrosa e criminosa.

O senhor, governador, ao invés de sair em solidariedade ao secretário Carlos Lula deveria, sim!, é pedir desculpas ao jovem e talentoso advogado por tê-lo metido numa grande enrascada ao nomeá-lo para auxiliar um governo que foi tomado por esquemas de corrupção numa área tão sensível como é da Saúde.

Saia daí, Carlos Lula, enquanto é tempo.

Vá cuidar da sua vida profissional de advogado.

Dá mais futuro!

Roberto Rocha quer Ministério da Justiça no caso Mariano de Castro

Com a entrada da PF no caso é possível que sejam elucidadas as causas e as circunstâncias que levaram à morte do médico apontado como o operador dos esquema de corrupção na pasta da saúde do governo Flávio Dino.

O senador Roberto Rocha quer que o suposto suicídio do médico Mariano de Castro seja acompanhado pelo Ministério da Justiça (MJ), através da Polícia Federal. O parlamentar tucano protocolou ofício no MJ nesta sexta-feira, 13.

Mariano foi encontrado encontrado morto na noite desta quinta-feira, 12, em seu apartamento, em Teresina (PI) e está cercada de mistérios.

O médico era apontando como principal operador do esquema de corrupção que se instalou na Secretaria de Saúde do governo Flávio Dino, comandada pelo advogado Carlos Lula, que jura não saber de nada do que acontecia nos porões da SES.

Com a entrada da PF no caso é possível que sejam elucidadas as causas e as circunstâncias que levaram à morte de Mariano de Castro.

 

PEGADORES: Saiba que são os secretários que Flávio Flávio já deveria ter afastado 12

Segundo a humilde e despretensiosa opinião do Blog do Robert Lobato, alguns secretário de Estado deveriam ser afastados pelo governador Flávio Dino para o bem da imagem do seu governo

Não adianta o governador Flávio Dino (PCdoB) espernear, zangar, xingar, atacar a Polícia Federal etc. A Operação Pegadores é uma realidade posta que deve encarada e enfrentada de frente, pois expôs um lado necrosado do governo.

Se tivesse a altivez de reconhecer os erros, sacudir a poeira e dar a volta por cima, Flávio Dino deveria afastar alguns dos seus secretários pelo até o momento em que tudo fosse esclarecido, pois a rede corrupção que veio à tona com a Pegadores envolve algumas pastas que não somente a Secretaria de Estado da Saúde (SES).

“Então quais os secretários que deveriam ser afastados na tua opinião, blogueiro?”, pegunta o leitor agoniado para saber que são os cabras.

Então vamos lá, por ordem alfabética.

Carlos Lula (Saúde) – O advogado Carlos Lula está no olho do furação nesse caso até porque todo o rolo se desenvolveu operacionalmente no âmbito da SES. Ainda que tenha chegado ao cargo para “pôr ordem na casa”, está claro que não conseguiu, pelo contrário, do que se viu a partir das investigações, Lula sabia de tudo e, ao que parece, não teve força política e autoridade administrativa suficientes para dar um basta na bandalheira. Sem falar que também é tido como “pegador”. Portanto, deve ser afastado.

Marcelo Tavares (Casa Civil) – Ainda que não seja um secretário forte, ou seja, um autêntico Secretário-chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares assina todos os atos do governo e provavelmente assinou alguns que têm a ver com as maracutaias reveladas pelo Operação Pegadores, mesmo que indiretamente. Por sinal, há um parente do secretário que foi preso pela Polícia Federal por estar envolvido na tal “Lista dos 400”. Embora não seja considerado um “pegador”, pelo contrário, é conhecido como “ferrolho”, Marcelo Tavares é um dos secretários que o governador deveria afastar, podendo até aproveitar o fato de que o Marcelo será candidato nas eleições de 2018.

Márcio Jerry (Comunicação e Articulação Política) – Até o maranhensezinho que acabou de nascer pelas mãos de alguma parteira nos rincões deste Maranhão sabe que nada, nada, nada, acontece no governo de Flávio Dino sem o conhecimento do supersecretário Márcio Jerry. Corre até a brincadeira de que o Maranhão é o único estado brasileiro “parlamentarista”, onde tem-se Flávio Dino como chefe de Estado e Márcio Jerry como primeiro-ministro. Ora, é de imaginar que não tinha como um sofisticado esquema de corrupção como esse revelado pela Operação Pegadores não tivesse o conhecimento do “primeiro-ministro”. E se efetivamente ele não soubesse, aí mesmo que deve ser afastado, pois como é que o principal homem do governador deixa um troço desse correr frouxo no governo? Márcio Jerry, outro reconhecido “pegador”, deveria ser afastado também.

Rodrigo Lago (Transparência e Controle) – Igualmente advogado como o seu colega da Saúde, Rodrigo Lago era para ser o “vigia estratégico” do governo e o alarme para gritar “pega ladrão, pega!”, quando identificasse malversação dos recursos públicos. Contudo, contentou-se em ser uma espécie de “chefe de captura” focado tão somente no que aconteceu nos governos anteriores, perseguindo ex-gestores escolhidos a dedo pelo núcleo duro do Palácio dos Leões. E outro que possui a fama de “pegador”. Deveria ser afastado.

Estes são os secretários de Estado, segundo a humilde e despretensiosa opinião do Blog do Robert Lobato, que deveriam ser afastados pelo governador Flávio Dino para o bem da imagem do seu próprio governo.

E se não os afasta é porque sabe que é tão ou mais responsável pelos malfeitos quanto eles.

Vida e luta que seguem!

PEGADORES: A delicada situação do secretário Carlos Lula 14

Se permanecer no cargo apenas por lealdade ao governo e ao governador, Lula corre o sério de risco de ver a sua reputação de homem sério e probo ir por água abaixo e ficar somente a fama de “pegador”

Não se tem notícias de que o secretário Carlos Lula (Saúde) é uma pessoa dada a malfeitos, pelo contrário, pode onde se anda e com quem se conversa o advogado é colocado em boa conta. E, paradoxalmente, é aí que pode residir o perigo.Explica-se.

É que a postura ética e retilínea do comandante da SES pode ser usada justamente para encobrir eventuais maracutaias na pasta sob o seu comando. Aliás, a Operação Pegadores mostra isso na medida que o esquema de desvios de recursos continuou na gestão Carlos Lula que, ao que parece, não teve força política para estancar a sangria com “sorvetes”.

Advogado pessoal do governador Flávio Dino, ao assumir o cargo de secretário de Saúde, Carlos Lula, um dos principais “pegadores” do governo (rsrsrs), passou à condição de “empregado” do seu cliente. Ou seja, se resolver deixar o governo na atual conjuntura é possível que também perca o cliente, um ótimo cliente, diga-se.

Na verdade, o Blog do Robert Lobato já escutou de vários amigos de Carlos Lula que o secretário teria entregado o cargo pelo menos em duas circunstâncias, mas Flávio Dino não aceitou.

O fato é que a situação do secretário Carlos Lula não é nada confortável. Se permanecer no cargo apenas por lealdade ao governo e ao governador, corre o sério de risco de ver a sua reputação de homem sério e probo ir por água abaixo e ficar somente a fama de “pegador”, que não é todo ruim, mas muito pouco para o advogado.

E olha que ainda tem o caso da sonegação de dados de óbitos no âmbito do Hospital do Câncer e denúncias de trabalhadores estarem em atividade nessa unidade hospitalar sem as mínimas garantias previstas na legislação trabalhista.

Certo mesmo fez o também competente e sério Marcos Pacheco, ex-secretário da SES, que entre ser leal ao governo comunista e ser leal a sua biografia, preferiu a segunda opção e caiu fora.

PEGADORES: Flávio Dino é o “pegador-mor” 2

Não adianta culpar o coitado do secretário Carlos Lula, a coitada da Rosângela Curado, o ex-secretário Ricardo Murad e muito menos a ex-governadora Roseana Sarney. O comunista é o “pegador-mor” do cabaré em que transformaram o Palácio dos Leões

Não adianta o governador Flávio Dino (PCdoB) querer dizer nas redes sociais que está “esperando a lista dos alegados 400 fantasmas, para verificar se isso procede, quem foi o responsável, em qual época e por qual motivo”.

O responsável por tudo que acontece nesse governo de bom e ruim tem nome e sobrenome: Flávio Dino de Castro e Costa, vulgo Flávio Dino.

O “esquema do sorvete” descoberto pela Polícia Federal no âmbito do Secretaria de Estado da Saúde (SES) é de exclusiva responsabilidade do governador comunista.

“Como assim, Bob Lobato, você quer dizer que o governador é obrigado a saber de tudo que acontece no seu governo?”, pode questionar um leitor governista. A resposta é sim e digo o porquê.

Ora, é notório o fato do governador Flávio Dino ser extremamente centralizador. São poucos, se é que tem algum de fato, os secretários que têm a autonomia para tocar as suas pastas sem interferência direta ou indireta do patrão.

Portanto, nenhum esquema ou malfeitos que eventualmente ocorrem no âmbito do governo comunista pode ou poderia fluir sem o conhecimento de Flávio Dino e “dos seus olhos e ouvidos”, o secretário Márcio Jerry.

Enfim, não adianta culpar o coitado do secretário Carlos Lula, a coitada da Rosângela Curado, o ex-secretário Ricardo Murad e muito menos a ex-governadora Roseana Sarney.

Esse governo é cara e a personalidade do senhor governador Flávio Dino.

O comunista é o “pegador-mor” do cabaré em que transformaram o Palácio dos Leões.

Simples assim, como diria meu amigo Marco D´Eça.

SAÚDE DA “MUDANÇA”: Hospital do Câncer está proibido de divulgar dados sobre óbitos, segundo denúncia 2

Segundo denúncia, a ordem para o não fornecimento de dados sobre óbitos no Hospital do Câncer seria determinação da senhora Juliana Guerra, chefe de Enfermagem da unidade, mas quem de fato manda na referida unidade hospitalar.

O Blog do Robert Lobato recebeu a seguinte denúncia de um leitor. Volto em seguida.

Boa tarde meu amigo.
Veja se procede a informação de recebi agora de um servidor do Hospital Geral [Hospital do Câncer], mês passado foram 82 óbitos na unidade, muitos por falta de equipamentos e medicação.
Os servidores foram proibidos de divulgar esses dados.
Tenta confirmar

Comigo de novo
Pois bem. Para que não passasse a ideia de que o titular do Blog tem implicância ou faça oposição irresponsável a esse governo, foi encaminhado o seguinte e-mail para a Secretaria de Saúde (SES) com cópia para a poderosa Secretaria de Comunicação e Articulação Política (SECAP), conforme orientação da Assessoria de Imprensa da SES:

Caros, boa tarde
O Blog do Robert Lobato (www.blogdorobertlobato.com.br) recebeu a seguinte denúncia de um leitor:

Boa tarde meu amigo.
Veja se procede a informação de recebi agora de um servidor do Hospital Geral, mês passado foram 82 óbitos na unidade, muitos por falta de equipamentos e medicação.
Os servidores foram proibidos de divulgar esses dados.
Tenta confirmar

Para efeito de esclarecimento sobre o assunto, gostaria de saber da Secretaria de Estado da Saúde:
1. Há divulgação de óbitos no Hospital Geral? Em caso positivo como é feito e qual a frequência?
2. É possível fazer uma comparativo do número de óbitos nos últimos 3 anos em relação ao governo anterior?
3. Procede a informação de que maioria dos funcionários trabalha sem carteira assinada e sem os direitos trabalhistas 100% garantidos?
4. Procede ainda informação sobre falta de materiais hospitalares básicos e também de medicação para tratamento de vários tipos de câncer?

Grato pela atenção.

Não fiquei surpreso pelo feedback da SES, pois tinha certeza que o secretário Carlos Lula não se negaria a dar um posicionamento.

De fato foi enviado uma nota da SES ao Blog do Robert Lobato (veja abaixo) mas, infelizmente, ela não responde a absolutamente nada do que foi questionado com base nas denúncias feitas pelo leitor.

Nenhuma linha sobre o números de óbitos no Hospital Geral/Hospital do Câncer; nada sobre o porquê do hospital não divulgar esses números; completo silêncio sobre a falta de equipamentos, medicamentos e materiais hospitalares, enfim, é uma decepção total a nota da SES.

Em verdade, a nota apenas afirma que Hospital de Câncer do Maranhão é referência no tratamento de pacientes oncológicos, tem sido reconhecido no cenário nacional e internacional… blá blá blá, e que zela pela garantia da qualidade dos seus profissionais, sendo leviana a informação sobre não assegurar os direitos trabalhistas destes servidores.

O fato é que continua a suspeita de que o Hospital de Câncer do Maranhão sonega/omite dados sobre números de óbitos ocorridos na unidade e que isso seria uma determinação da senhora Juliana Guerra, chefe de Enfermagem do hospital e quem de fato dá as ordens por lá, segundo informações que não param de chegar ao Blog do Robert Lobato.

E assim segue a saúde da “mudança” no governo Flávio Dino.

Sai daí enquanto é tempo, Calos Lula!

Vaja a nota insossa da SES: