MAIS MÉDICOS MARANHÃO: Yglésio Moyses gera constrangimento ao governo Dino 2

A proposta foi recebida muito mal pelo Palácio dos Leões e contestada, por exemplo, pelo próprio secretário de Saúde, o advogado Carlos Lula.

Há semanas o Governo do Maranhão vem tentando desfazer um factoide produzido pelo deputado estadual eleito Yglésio Moyses (PDT).

Ocorre o seguinte.

No afã de jogar para a plateia, Yglésio Moyses sugeriu, nas redes sociais, e depois repercutido em blogs, que o governador Flávio Dino (PCdoB) criasse o “Mais Médicos Maranhão”.

No que poderia ser considerado um gol de placa do “Dr. Maluquinho”, como Yglésio é carinhosamente chamado entre os mais chegados, acabou virando um tremendo “tiro no pé”, “tiro pela culatra” ou mesmo um “gol contra”. Contra o governo e a ele mesmo!

A proposta foi recebida muito mal pelo Palácio dos Leões e contestada, por exemplo, pelo próprio secretário de Saúde, o advogado Carlos Lula, que pela rede social do Twitter postou:

“Nos últimos dias viralizou (mais uma) notícia fake sobre a contratação de médicos cubanos pelo Governo do Maranhão. Isso é juridicamente IMPOSSÍVEL de ocorrer porque só a União tem tal prerrogativa. Os mesmos de sempre querendo criar pânico e transtorno à rede de saúde.”

O secretário só errou no “mesmos de sempre”, já que não foram os “mesmos de sempre” que saíram com essa ideia do Governo do Estado contratar médicos cubanos. Aliás, o ainda líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Rogério Cafeteira, também meio que desautorizou Yglésio Moyses afirmado, igualmente pelas redes sociais, que o deputado eleito “já começou mal”, numa alusão do que pode ser o mandato do jovem médico na Assembleia Legislativa.

O fato é que Yglésio Moyses começou combatendo o “Mais Médicos” quando foi lançado pela presidente Dilma em 2013, associando-se, assim, à classe médica que praticamente ficou contra o programa quase na sua totalidade. Aliás, Yglésio Moyses sequer votou em Dilma em 2014 quando ele ainda era filiado ao PT. Eleito deputado estadual, o agora pedetista passou a defender os médicos cubanos. Oportunismo?

Enfim, um deputado estadual governista, ouvido pelo Blog do Robert Lobato, resumiu bem o que se pode esperar do futuro parlamentar Yglésio Moyses. Assim:

“Com Yglésio Moyses como aliado, Flávio Dino não vai precisar de Wellington do Curso na oposição para dar trabalho”.

Bingo!

A seguir o post do “Dr. Maluquinho” propondo o “Mais Médicos Maranhão”. Diga aí, Yglésio:

CARLOS LULA: “OAB com cara de paisagem eternamente” 4

De certa forma o secretário tem razão em criticar a OAB, mas poderia ter feito o mesmo quando a Polícia Federal revelou esquemas milionários de corrupção da pasta da Saúde do Maranhão através da Operação Pegadores.

O secretário de Saúde do governo Flávio, advogado Carlos Lula, criticou a OAB na sua rede social do Twitter.

Diante a uma “viagem” de uma tuiteira e professora filosofia que postou uma crítica a uma suposta utilização do aplicativo Whatsapp pela campanha do candidato Jair Bolsonaro “chamando para uma guerra”, Carlos Lula retuitou comentando: “Isso é GRAVÍSSIMO. E a OAB fazendo cara de paisagem eternamente…”.

De certa forma o secretário tem razão em criticar a OAB, mas poderia ter feito o mesmo quando a Polícia Federal revelou esquemas milionários de corrupção da pasta da Saúde do Maranhão através da Operação Pegadores.

Na época, a OAB nem “tchum” para o escândalo que pouco não levou o secretário “anti-Bolso” para o xilindró.

Santa hipocrisia, Batman…

ABUSO DE PODER: Secretário arregimenta funcionários comissionados da Saúde para o comício de Flávio Dino 20

O secretário de Estado da Saúde, o advogado Carlos Lula, arregimentou os funcionários comissionados da sua pasta para o comício realizado ontem, sábado dia 22, para Flávio Dino, na Beira Mar. “Precisamos botar 10 mil pessoas lá”, diz Lula.

Do Blog do Luis Cardoso

O advogado adverte os funcionários através do seu grupo nas redes sociais para a necessidade de lotar “e fazer um comício bem bonito para Flávio Dino 65”. Além de convidar os funcionários para o lançamento do livro “O Sus em Nós”, realizado na sexta-feira, dia 21, o secretário apela para que levem os vizinhos, parentes, papagaios, periquitos, cachorros.

E só da Saúde espera o comparecimento de ao menos mil funcionários. Confira nos dois áudios abaixo:

ELEIÇÕES 2018: O abuso do poder político de Flávio Dino 32

A maior prova desse abuso é o que ocorre nos grupos de WhatsApp das secretarias de governo onde os funcionários comissionados são convocados para participarem dos atos de campanha do governador candidato à releição – tem prints desses grupos chegando.

Que Flávio Dino (PCdoB) é autoritário, mitômano, um farsa política já sabemos. E pior: um perseguidor contumaz!

O comunista está inelegível após decisão da juíza Anelise Reginato, da zona eleitoral de Coroatá. Isto é, Flávio Dino concorre às eleições de 2018 sub judice!

Pois bem. A magistrada tem toda a razão em decretar a inelegibilidade do comunista!

Flávio Dino é um marginal, no sentido de percorrer à margem da lei.

A maior prova disso é o que ocorre nos grupos de WhatsApp das secretarias de governo onde os funcionários comissionados são convocados a participarem dos atos de campanha do governador candidato à releição – tem prints desses grupos chegando.

Enquanto os prints não chegam, pois a galera tem medo da “KGB” maranhense, que o Ministério Público Eleitoral fique de olho nas marginalidades do candidato do PCdoB.

E não adianta processar o Blog do Robert Lobato na tentativa de querer cercear nossa liberdade de expressão!

Podem vir mil processos.

Carlos Lula pode ganhar dinheiro nas duas pontas: como secretário de governo e como advogado de Flávio Dino.

A lei não é e não pode ser apenas para o “bucho grande”.

E vamos que vamos!

ATO DE SOLIDARIEDADE: E Rosângela Curado? E Mariano de Castro? 12

O que chama atenção é que os governistas são deveras seletivos quando se trata de atos de solidariedade. Sim, porque não é possível que tão nobre sentimento servem para uns e não para outros

Depois do vexame de serem rejeitados pelo Conselho Regional de Medicina e pela Ordem dos Advogados do Brasil, os governistas operaram o Grand Hotel São Luís, que já virou quase um patrimônio do PCdoB e do governo, para promoção de um tal ato em solidariedade ao secretário Carlos Lula (Saúde), realizado na segunda-feira, 23.

O espaço estava lotado de comissionados da Secretaria comandada por Lula e os aliados políticos de sempre. Um verdadeiro ato “chapa branca”.

Mas, o que chama atenção é que os governistas são deveras seletivos quando se trata de atos de solidariedade. Sim, porque não é possível que tão nobre sentimento sirva para uns e para outros não.

Tudo bem que o Carlos Lula é o chefe de tudo lá na SES e que Flávio Dino é o chefe de Carlos Lula e de todos os presentes no ato de solidariedade, mas ficou feio promover todo aquele repertório de elogios e reconhecimentos ao secretário e não organizar sequer um café com cuscuz ideal em solidariedade à ex-adjunta de Lula, a odontóloga Rosângela Curado.

E o que falar então da falta de consideração com o finado Mariano de Castro? O médico pagou com a própria vida por tudo o que fez na saúde e nenhuma solidariedade póstuma ao servidor da SES, que era subordinado do secretário Carlos Lula. Talvez nem a família tenha recebido um telefonema de conforto por parte de Lula e muito menos de Flávio Dino.

Rosângela Curado, coitada, foi colocada no ostracismo e hoje luta para dar a volta por cima na sua vida profissional, já que a trajetória política pode ter terminado naquele fatídico dia em que foi detida pela Operação Pegadores.

Quanto ao médico Mariano de Castro, bom, resta pedir a Deus que guarde a sua alma em bom lugar e o perdoe pelos pecados cometidos neste plano.

Vida e luta que seguem.

CASO MARIANO DE CASTRO: Carlos Lula pode ser preso? Veja a opinião de um jurista maranhense

O Blog do Robert Lobato procurou saber de um jurista maranhense muito competente e com serviços prestados em várias localidades do país, inclusive em Brasilia, sobre o que pode acontecer de fato com o secretário Carlos Lula (Saúde|) à luz dos escândalos na sua pasta e do suposto suicídio do médico Mariano de Castro e da negativa do Superior Tribunal de Justiça (STJ) a um habeas corpus impetrado pelo secretário, ontem 18.

Sobre a possibilidade de Carlos Lula ser preso a qualquer momento em decorrência do STF lhe ter negado o habeas corpus, o advogado respondeu:

Não , ele apenas pediu para que parassem de investigá-lo . Muita pretensão dele haja vista que já foram comprovados vários atos de corrupção, inclusive com prisões de alguns agentes. Então não tem como ele se blindar , estancando essa investigação pois ela já ganhou corpo . Há farta materialidade e algumas autorias identificadas . Mas de investigado para ser preso ainda há um longo caminho.

O Blog do Robert Lobato quis saber ainda se há possibilidade de vazamento de possível pedido de prisão para a imprensa. No que o jurista devolveu:

Não temos como saber antecipadamente pois geralmente os pedidos cautelares de prisão preventiva são sigilosos . Ninguém sabe além da Polícia Federal , Ministério Público, e a Justiça Federal. Acontece assim pois caso o investigado ou qualquer pessoa tivesse conhecimento antecipado poderia frustrar tanto a prisão, quanto a busca e apreensão. Sem o elemento surpresa (sigilo) o investigado poderia tanto fugir, evitando a prisão , quanto destruir e ocultar as provas frustando a busca e apreensão . Logo , não há como sabermos antes.

O STF negou o habeas corpus a Carlos Lula, segundo o nosso jurista em questão, por ser muito raro o Judiciário trancar um inquérito. Veja:

É muito raro o judiciário trancar um inquérito. Principalmente em instâncias superiores. É como se pensassem: “se não tem nada errado não tem pq ter medo”. Ou seja, investiga , investiga e se não tiver nada errado , ninguém se prejudica”.

E assim Carlos Lula vai levando a vida em meio ao inferno astral que enfrenta.

Ao invés de sair em solidariedade a Carlos Lula, Flávio Dino deveria pedir desculpas ao secretário da Saúde 10

O senhor, governador, ao invés de sair em solidariedade ao secretário Carlos Lula deveria, sim!, é pedir desculpas ao advogado por tê-lo metido numa grande enrascada ao nomeá-lo para auxiliar um governo que foi tomado por esquemas de corrupção numa área tão sensível como é da Saúde.

A morte do médico Mariano de Castro segue assombrando o governo e governador Flávio Dino (PCdoB).

Rodeada por muito mistérios, o suposto suicídio do operador dos esquemas de corrupção no âmbito da Secretaria de Estado da Saúde (SES) atormenta o Palácio dos Leões que a cada vez que mexe no assunto mais se complica e mais fede.

Pela rede social do Facebook, Flávio Dino resolveu sair em “solideriedade” ao secretário Calos Lula. Disse o comunista:

“Minha solidariedade ao secretário Carlos Lula. Todos sabem que é um jurista sério, honrado, dedicado. Está sendo vítima de vil perseguição pelo coronelismo, por conta do desvario de retornar ao poder de qualquer forma, a qualquer preço. Ainda estamos em abril e essa gente já está nesse desespero, agindo com crueldade, sem respeitar nenhuma lei, sem respeitar ninguém. Acho que vou ter que aumentar minhas cautelas pessoais contra essa máfia sedenta de poder e dinheiro”.

Ora, governador, me compre um bode!

Se há máfia, e realmente há!, é no seu governo e a morte do médico Mariano de Castro é produto dessa máfia! Não tente responsabilizar seus adversários políticos por lamentável tragédia.

Quem tem que aumentar cautelas pessoais contra essa máfia sedenta de poder e dinheiro” são os demais envolvidos no “esquema Dino” dentro da SES como, por exemplo, a ex-secretária-adjunta da Saúde, Rosângela Curado, que corre o risco de ser a próxima vítima dessa história escabrosa e criminosa.

O senhor, governador, ao invés de sair em solidariedade ao secretário Carlos Lula deveria, sim!, é pedir desculpas ao jovem e talentoso advogado por tê-lo metido numa grande enrascada ao nomeá-lo para auxiliar um governo que foi tomado por esquemas de corrupção numa área tão sensível como é da Saúde.

Saia daí, Carlos Lula, enquanto é tempo.

Vá cuidar da sua vida profissional de advogado.

Dá mais futuro!

Roberto Rocha quer Ministério da Justiça no caso Mariano de Castro

Com a entrada da PF no caso é possível que sejam elucidadas as causas e as circunstâncias que levaram à morte do médico apontado como o operador dos esquema de corrupção na pasta da saúde do governo Flávio Dino.

O senador Roberto Rocha quer que o suposto suicídio do médico Mariano de Castro seja acompanhado pelo Ministério da Justiça (MJ), através da Polícia Federal. O parlamentar tucano protocolou ofício no MJ nesta sexta-feira, 13.

Mariano foi encontrado encontrado morto na noite desta quinta-feira, 12, em seu apartamento, em Teresina (PI) e está cercada de mistérios.

O médico era apontando como principal operador do esquema de corrupção que se instalou na Secretaria de Saúde do governo Flávio Dino, comandada pelo advogado Carlos Lula, que jura não saber de nada do que acontecia nos porões da SES.

Com a entrada da PF no caso é possível que sejam elucidadas as causas e as circunstâncias que levaram à morte de Mariano de Castro.

 

PEGADORES: Saiba que são os secretários que Flávio Flávio já deveria ter afastado 12

Segundo a humilde e despretensiosa opinião do Blog do Robert Lobato, alguns secretário de Estado deveriam ser afastados pelo governador Flávio Dino para o bem da imagem do seu governo

Não adianta o governador Flávio Dino (PCdoB) espernear, zangar, xingar, atacar a Polícia Federal etc. A Operação Pegadores é uma realidade posta que deve encarada e enfrentada de frente, pois expôs um lado necrosado do governo.

Se tivesse a altivez de reconhecer os erros, sacudir a poeira e dar a volta por cima, Flávio Dino deveria afastar alguns dos seus secretários pelo até o momento em que tudo fosse esclarecido, pois a rede corrupção que veio à tona com a Pegadores envolve algumas pastas que não somente a Secretaria de Estado da Saúde (SES).

“Então quais os secretários que deveriam ser afastados na tua opinião, blogueiro?”, pegunta o leitor agoniado para saber que são os cabras.

Então vamos lá, por ordem alfabética.

Carlos Lula (Saúde) – O advogado Carlos Lula está no olho do furação nesse caso até porque todo o rolo se desenvolveu operacionalmente no âmbito da SES. Ainda que tenha chegado ao cargo para “pôr ordem na casa”, está claro que não conseguiu, pelo contrário, do que se viu a partir das investigações, Lula sabia de tudo e, ao que parece, não teve força política e autoridade administrativa suficientes para dar um basta na bandalheira. Sem falar que também é tido como “pegador”. Portanto, deve ser afastado.

Marcelo Tavares (Casa Civil) – Ainda que não seja um secretário forte, ou seja, um autêntico Secretário-chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares assina todos os atos do governo e provavelmente assinou alguns que têm a ver com as maracutaias reveladas pelo Operação Pegadores, mesmo que indiretamente. Por sinal, há um parente do secretário que foi preso pela Polícia Federal por estar envolvido na tal “Lista dos 400”. Embora não seja considerado um “pegador”, pelo contrário, é conhecido como “ferrolho”, Marcelo Tavares é um dos secretários que o governador deveria afastar, podendo até aproveitar o fato de que o Marcelo será candidato nas eleições de 2018.

Márcio Jerry (Comunicação e Articulação Política) – Até o maranhensezinho que acabou de nascer pelas mãos de alguma parteira nos rincões deste Maranhão sabe que nada, nada, nada, acontece no governo de Flávio Dino sem o conhecimento do supersecretário Márcio Jerry. Corre até a brincadeira de que o Maranhão é o único estado brasileiro “parlamentarista”, onde tem-se Flávio Dino como chefe de Estado e Márcio Jerry como primeiro-ministro. Ora, é de imaginar que não tinha como um sofisticado esquema de corrupção como esse revelado pela Operação Pegadores não tivesse o conhecimento do “primeiro-ministro”. E se efetivamente ele não soubesse, aí mesmo que deve ser afastado, pois como é que o principal homem do governador deixa um troço desse correr frouxo no governo? Márcio Jerry, outro reconhecido “pegador”, deveria ser afastado também.

Rodrigo Lago (Transparência e Controle) – Igualmente advogado como o seu colega da Saúde, Rodrigo Lago era para ser o “vigia estratégico” do governo e o alarme para gritar “pega ladrão, pega!”, quando identificasse malversação dos recursos públicos. Contudo, contentou-se em ser uma espécie de “chefe de captura” focado tão somente no que aconteceu nos governos anteriores, perseguindo ex-gestores escolhidos a dedo pelo núcleo duro do Palácio dos Leões. E outro que possui a fama de “pegador”. Deveria ser afastado.

Estes são os secretários de Estado, segundo a humilde e despretensiosa opinião do Blog do Robert Lobato, que deveriam ser afastados pelo governador Flávio Dino para o bem da imagem do seu próprio governo.

E se não os afasta é porque sabe que é tão ou mais responsável pelos malfeitos quanto eles.

Vida e luta que seguem!

PEGADORES: A delicada situação do secretário Carlos Lula 14

Se permanecer no cargo apenas por lealdade ao governo e ao governador, Lula corre o sério de risco de ver a sua reputação de homem sério e probo ir por água abaixo e ficar somente a fama de “pegador”

Não se tem notícias de que o secretário Carlos Lula (Saúde) é uma pessoa dada a malfeitos, pelo contrário, pode onde se anda e com quem se conversa o advogado é colocado em boa conta. E, paradoxalmente, é aí que pode residir o perigo.Explica-se.

É que a postura ética e retilínea do comandante da SES pode ser usada justamente para encobrir eventuais maracutaias na pasta sob o seu comando. Aliás, a Operação Pegadores mostra isso na medida que o esquema de desvios de recursos continuou na gestão Carlos Lula que, ao que parece, não teve força política para estancar a sangria com “sorvetes”.

Advogado pessoal do governador Flávio Dino, ao assumir o cargo de secretário de Saúde, Carlos Lula, um dos principais “pegadores” do governo (rsrsrs), passou à condição de “empregado” do seu cliente. Ou seja, se resolver deixar o governo na atual conjuntura é possível que também perca o cliente, um ótimo cliente, diga-se.

Na verdade, o Blog do Robert Lobato já escutou de vários amigos de Carlos Lula que o secretário teria entregado o cargo pelo menos em duas circunstâncias, mas Flávio Dino não aceitou.

O fato é que a situação do secretário Carlos Lula não é nada confortável. Se permanecer no cargo apenas por lealdade ao governo e ao governador, corre o sério de risco de ver a sua reputação de homem sério e probo ir por água abaixo e ficar somente a fama de “pegador”, que não é todo ruim, mas muito pouco para o advogado.

E olha que ainda tem o caso da sonegação de dados de óbitos no âmbito do Hospital do Câncer e denúncias de trabalhadores estarem em atividade nessa unidade hospitalar sem as mínimas garantias previstas na legislação trabalhista.

Certo mesmo fez o também competente e sério Marcos Pacheco, ex-secretário da SES, que entre ser leal ao governo comunista e ser leal a sua biografia, preferiu a segunda opção e caiu fora.