ELEIÇÕES 2018: Roberto Rocha vence debate da TV Mirante e mostrou que está preparado para governar o MA 15

O debate da TV Mirante, como já sustentado pelo Blog do Robert Lobato em outros posts, pode ser um divisor de águas nesta reta final das eleições e consolidar a realização de segundo turno para o governo do Maranhão.

Quem assistiu o debate da TV Mirante entre os candidatos ao governo do Maranhão na noite de ontem, terça-feira, 2, saiu convencido de Roberto Rocha teve melhor desempenho.

Pelas redes sociais, opiniões na sociedade e a maioria dos blogs, alguns até hostis ao candidato do “45” reconhecem que o tucano venceu a peleja televisa na Mirante e mostrou  que está preparado para governar o Maranhão.

O Blog do Robert Lobato faz uma rápida e desprendida análise do que foi o debate do TV Mirante. Vamos lá.

Flávio Dino (PCdoB) – O candidato comunista iniciou o debate com a mesma arrogância e empáfia de costume (até água mineral importada levou para não tomar água da Caema), além de achar que era o mesmo Flávio Dino candidato oposicionista de 2014. Logo de início foi confrontado com a candidata Maura Jorge (PSL) que o chamou de “machista” em alusão à forma como foi tratada em ato do Governo do Estado realizado em Lago da Pedra, em julho do ano passado, quando o comunista não deixou que a então prefeita tivesse a franquia da palavra na própria cidade que administrava. Mentiu, desviou de conversa, não respondeu a uma pergunta da candidata de Roseana Sarney (MDB) que queria saber ao menos três obras marcantes feitas nesses quatro anos de governo, enfim, em nada lembrou o Flávio Dino do debate da TV Mirante de 2014 quando deitou e rolou. Desta vez, não foi apenas massacrado como desmascarado pelos seus concorrentes. E para piorar, acumulou ao seu seu perfil pessoal a condição de debochado. Haja “Kriptonita” pela madrugada a dentro.

Maura Jorge (PSL) – Para quem não tinha experiência com debates do tipo, a candidata do “17” saiu-se muito bem. Maura Jorge percebeu que num debate como o da TV Mirante não dá tempo, até pelas regras, para que os candidatos aprofundem nas suas propostas. Ao perceber essa realidade, a brava candidata aproveitou para ir na “papada” de Flávio Dino em diversos momentos e ainda fez com que o candidato comunista saísse com a fama de “Pinóquio”. Além de, claro, fazer propaganda para o seu candidato a presidente Jair Bolsonaro, que lidera as pesquisas na corrida ao Palácio do Planalto.

Odívio Neto (PSOL) – Outro candidato que não tinha experiência em debates do nível daquele de ontem. Odívio Neto foi sereno durante a maioria do tempo do debate, mas soube ser duro,quando preciso, ao confrontar todos os candidatos com perguntas e respostas inteligentes. Tal como os demais candidatos oposicionistas, o candidato do “50” foi pra cima do candidato à reeleição Flávio Dino, com destaque para os questionamentos sobre a falta de concurso públicos, principalmente na área de saúde e de educação. Ao fim, Odívio Neto saiu com um saldo muito positivo do debate.

Roberto Rocha (PSDB) – O tucano venceu o debate. Experiente nesse tipo de evento, Roberto Rocha (45) fez o que deve ser feito em um debate entre candidatos a governador quando se está na oposição: mostrar por que deseja governar o estado, apresentar propostas e desconstruir quem está no exercício do cargo de chefe do executivo estadual ao confrontar o que é fato e o que mentira na gestão do mesmo. Pois foi exatamente o que Roberto Rocha fez. Deixou claro que é o candidato na medida certa para governar o Maranhão, apresentou propostas, em especial a implantação da Zona de Exportação do Maranhão (ZEMA) e “lacrou” quando desmontou mais uma mentira Flávio Dino desafiá-lo para tomar um banho na Lagoa da Jansen, já que o comunista havia afirmado que ela está “completamente despoluída”. O tucano também desmontou o candidato à reeleição ao perguntar se o fim das blitzen e dos confiscos de motos e carros dos cidadãos foi por conta do calendário eleitoral. Para sacramentar o massacre, Roberto Rocha lembrou que Flávio Dino já gastou milhões em contratos com aviões e helicópteros, enquanto o estado enfrenta grave situação financeira e fiscal.

Roseana Sarney (MDB) – Quatro vezes governadora do Maranhão, Roseana Sarney teve um desempenho razoável, mas não foi um “fracasso” como tentam fazer crer os seus desafetos, principalmente os asseclas de Flávio Dino. A candidata do “15” fez questão de deixar claro aos eleitores que o governo Flávio Dino é praticamente a continuação do seu e o deixou completamente sem resposta quando pediu para que o candidato comunista apresentasse ao menos três obras que marcassem a sua gestão. Flávio Dino, sem ter como responder a emedebista, foi em Marte mas não revelou as obras. Roseana Sarney pecou em não revelar as obras que fez em São Luis, obras que lhes dão o título de “melhor prefeita” que a capital já teve.

Resumindo: O debate da TV Mirante, como já sustentado pelo Blog do Robert Lobato em outros posts, pode ser um divisor de águas nesta reta final das eleições e consolidar a realização de segundo turno para o governo do Maranhão.

ELEIÇÕES 2018: Quem merece renovar o mandato na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal e quais candidatos proporcionais merecem eleger-se 6

A partir de amanhã, segunda-feira, 26, o Blog do Robert Lobato inciará uma série de postagens analisando quais os deputados estadual e os federais que merecem renovar os seus mandatos, bem como quais os candidatos que merecem uma vaga na Assembleia Legislativa do Maranhão e na Câmara Federal.

As análises serão feitas a partir do perfil e atuação/produtividade dos atuais parlamentares estaduais e federais, assim como de alguns candidatos que estão de olho em um mandato.

É a partir de amanhã.

Não percam!

Por que algumas pessoas bem conceituadas resistem em disputar eleição? 14

Muitos quadros qualificados que poderiam sair candidatos nas eleições de 2018 e qualificar o debate político local resistem a essa ideia sempre dizendo: “Deus me livre”

Há um fenômeno interessante em curso na sociedade.

Com o desgaste amplo, geral e irrestrito de partidos e políticos no Brasil, aflorou movimentos que tentam lançar candidatos de fora do mundo da política tradicional como forma de dar uma, digamos, “repaginada” na classe política nacional.

No Maranhão é diferente.

Contudo, percebe-se que muitas personalidades públicas resistem à ideia de candidaturas num momento em que o povo brasileiro clama por nomes novos e novos nomes nas eleições deste ano.

Chega a impressionar como algumas pessoas qualificadas, sérias, éticas e fichas limpas “pulam fora” quando são desafiadas a lançarem-se num projeto de candidatura a esse ou aquele eletivo.

O Blog do Robert Lobato pode citar alguns, tipo: Natalino Salgado (ex-reitor da Ufma); Flávio Braga (advogado e técnico do TRE-MA/TCE-MA); Pedro Maranhão (economista e empresário); Eden Júnior (técnico da CGU); Zé Antônio Heluy (turismólogo e ex-secretário de Estado); Francisco Soares “Chicão” (engenheiro); José Linhares (jornalista) e mesmo o Carlos Lula (advogado e atual secretário de Saúde).

Já outros até tentaram entrar na disputa, mas foram impedidos pelo governador Flávio Dino, entre eles Clayton Noleto e Jefferson Portela, ambos do PCdoB.

O fato é que muitos quadros qualificados que poderiam sair candidatos nas eleições de 2018 e qualificar o debate político local resistem a essa ideia sempre dizendo: “Deus me livre”.

É aquela história: “O mal triunfa sempre que os bons se omitem”.