EMAP: Wellington fala em “caixa-preta”. E está correto!

A Emap é considerada uma “mãe” por tudo que pode oferecer para ajeitar aliados políticos e resolver questões práticas: uma despesa aqui, um pagamento acolá, uma tenebrosa transação mais adiante e por vai.

O deputado estadual Wellington do Curso (PSDB) trouxe à tona uma questão de fundamental importância envolvendo a EMAP (Empresa Maranhense de Administração Portuária).

O parlamentar tucano questionou ao governador Flávio Dino sobre o destino dos R$ 80 milhões e cobrou uma justificativa para essa transferência financeira sem qualquer motivo aparente.

“De acordo com as denúncias que recebemos, o Estado do Maranhão, jamais repassou recursos à sua estatal administradora do Porto do Itaqui. Todas as suas instalações e seus empreendimentos foram executados com recursos federais ou sob o modelo de arrendamentos privados. Como é que agora Flávio Dino vem exigir que R$80 milhões sejam repassados para o Tesouro Estadual? A população quer saber para onde foram os R$80 milhões que Flávio Dino pegou da EMAP. Respeite a população do nosso Estado, Governador! Aprenda que os recursos públicos não são seus e não podem ser alterados por sua única vontade. Respeite a lei. Respeite os maranhenses”, disse Wellington.

A Emap é considerada uma “mãe” por tudo que pode oferecer para ajeitar aliados políticos e resolver questões práticas: uma despesa aqui, um acerto acolá, uma tenebrosa transação mais adiante e por vai.

Trata-se realmente de uma verdadeira “caixa-preta” que ao longo dos tempos os gestores têm feito o que bem entendem por lá. Virou uma espécie de “Emapoduto”!

E parece que a coisa ficou mais escabrosa no atual governo comunista do senhor Flávio Dino…