ASSEMBLEIA LEGISLATIVA: Eleição da mesa já movimenta deputados eleitos e reeleitos 2

Ao menos quatro nomes podem ser dados como certos num primeiro momento, dois deles reeleitos no último domingo, 7, e outros dois que voltam ao parlamento depois de ficaram sem mandato, entre eles um que retorna trazendo na bagagem a condição de quem já presidiu o Legislativo maranhense

Consolidada a apuração dos votos e consequentemente o resultado eleitoral de quem conseguiu se eleger deputado estadual nas eleições de 2018, as atenções agora estão todas voltadas para a eleição da nova mesa diretora da Assembleia Legislativa do Maranhão.

Ao menos quatro nomes podem ser dados como certos num primeiro momento, dois deles reeleitos no último domingo, 7, e outros dois que voltam ao parlamento depois de ficaram sem madanto, entre eles um que retorna trazendo na bagagem a condição de quem já presidiu o Legislativo maranhense. Vejamos.

Othelino Neto (PCdoB) – É o atual presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão e, ao em tese, leva vantagem sobre os demais pretendentes. O fato de ser do mesmo partido do governador pode ajudar e ao mesmo tempo atrapalhar os planos de Othelino em continuar no comando do Poder Legislativo estadual. Ajuda na medida que não se trata apenas de um correligionário de Flávio Dino, mas de um aliado pra lá de leal e totalmente afinado com o Palácio dos Leões. Mas, paradoxalmente, o fato de ser do PCdoB pode servir de argumento para os concorrentes no sentido de ser muita pretensão dos comunistas comandarem ao mesmo tempo o executivo e legislativo. A favor de Othelino Neto está também a forma de como vem conduzindo a casa, sempre com muita habilidade e tratando de forma igualitária deputados governistas e oposicionista. Não é por acaso que já conta com declaração de voto de alguns parlamentares.

Marcelo Tavares (PSB) – Com a experiência de quem já presidiu o parlamento maranhense, nos bastidores políticos comenta-se que há um acordo entre o deputado e o governador Flávio Dino para que ele seja alçado à condição de presidente  da casa mais uma vez. Claro que ambos vão negar se perguntados sobre tal acordo, mas o assunto é corrente na Assembleia Legislativa. Marcelo Tavares não deixou muita saudades entre os seus antigos pares, pois ficou com a fama de “pão-duro” e de péssimo trato político. Com a vitória de Dino em 2014, Marcelo virou secretário da Casa Civil meio que figurativo, pois nunca teve autonomia para resolver algo de relevância no âmbito do governo. A ser verdade que existe esse “acordo de gaveta” entre ele e o governador reeleito tem chances. E muitas!

Cleide Coutinho (PDT) – Deputada experiente, Cleide Coutinho conhece bem como funciona a engrenagem política, em particular as disputas no parlamento. Viúva do ex-deputado estadual e ex-prefeito Humberto Coutinho, Cleide é um nome que surge como opção para “equilibrar” a disputa na base governista. É verdade que se o marido ainda estivesse em vida, a história da próxima eleição da mesa diretora da Assembleia Legislativa seria outra, posto que Humberto Coutinho estaria reeleito deputado e se tornaria um candidato fortíssimo, o que não se pode afirmar o mesmo em relação à viúva, mas ainda assim Cleide Coutinho não pode ser subestimada de modo algum.

Neto Evangelista (DEM) – O mais jovem entre os quatros nomes elencados pelo Blog do Robert Lobato, a candidatura de Neto Evangelista a presidente da Assembleia Legislativa pode representar a onda de renovação dos quadros na política maranhense que está em curso no estado, já que é um quadro que integra a nova geração de políticos que tem emergido das urnas nas últimas eleições no Maranhão, com a ressalva de não ser um “meliante”. A marcante passagem do jovem parlamentar pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) o credencia como gestor, logo não teria lá muitas dificuldades de administrar uma instituição como a Assembleia Legislativa do Maranhão. Sem falar que é bem articulado entre os demais deputados, tanto com os veteranos reeleitos, quanto os novatos que assumirão em fevereiro de 2019. Se contará com o apoio do governador, a quem serviu com lealdade e competência todo o tempo que atuou na Sedes, é uma outra história.

Enfim, são esses os quatro nomes que hoje estão postos para disputar a presidência do Poder Legislativo do Maranhão. Podem surgir outros? Claro que sim!

Até porque se há uma eleição marcada por fortes emoções, sem qualquer dúvida é a eleição para a mesa diretora da Casa do Povo.

É aguardar e conferir.

ELEIÇÕES 2018: Wellington do Curso merece voltar à Assembleia Legislativa

É pelo conjunto da obra que representa o seu mandato, que o deputado Wellington do Curso, sem a menor sombra de dúvida, merece o voto de confiança dos eleitores para fazê-lo voltá-lo à Assembleia Legislativa a partir de fevereiro de 2019.

O Blog do Robert Lobato dá início à série “Quem merece voltar à Assembleia Legislativa e à Câmara Federal”, onde será feita uma análise sobre a performance dos mandatos dos atuais deputados estaduais e federais à luz da produtividade e do perfil de cada parlamentar, bem como de alguns candidatos proporcionais que ao juízo desta pagina merece um assento no Assembleia Legislativa ou na Câmara Federal, conforme o caso.

O blogueiro fará as análises alternando da seguinte forma: um dia é um estadual e no outro um federal. Após o término das análises de cada deputado, passaremos para os candidatos proporcionais sem mandato.

E para inaugurar a série apresentamos o deputado estadual Wellington do Curso-45111.

Pode-se afirmar que Wellington é parlamentar por natureza!

Talvez seja o deputado estadual que mais apresentou PEC’s, projetos, indicações, proposições, emendas, audiências públicas, enfim, tudo que é possível a um deputado fazer no âmbito do parlamento, Wellington faz uso.

Entre os principais projetos apresentados pelo parlamentar tucano, e aprovados no plenário da Assembleia Legislativa, está o Projeto de Lei 60/2017 que concede gratuidade de entrada nos estádios, ginásios esportivos e parques aquáticos do Maranhão, em todas as competições que se realizarem, às pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e seu acompanhante; Projeto “Sim, eu posso!”, encaminhado pelo deputado por meio da Indicação 777/2015, solicitando que ao governador implantasse o programa que visa combater o analfabetismo no Maranhão, o que foi feito mas sem o devido reconhecimento do Palácio dos Leões sobre de quem é a autoria do projeto; O teleagendamento como uma nova modalidade de marcação de consultas, já utilizado em unidades como o Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos, entre tantos outros que não chegaram ser aprovados por perseguição política do Governo do Estado.

Isso sem falar na assiduidade e pontualidade com que Wellington se apresenta nas sessões da Assembleia Legislativa do Maranhão, e ainda o número de vezes que ocupa a tribuna para apresentar seus ideia, fazer denúncias, cobrar e fiscalizar os atos do poder executivo.

Wellington se destaca também por um parlamentar que aborda múltiplas temáticas, não se limitando a apenas um tema, embora o carro chefe do seu mandato seja a educação. Mas o deputado atua ainda na defesa dos servidores públicos civis e militares, saúde, direitos humanos, defesa do consumidor e ainda na defesa dos direitos dos animais.

É pelo conjunto da obra que representa o seu mandato, que o deputado Wellington do Curso, sem a menor sombra de dúvida, merece o voto de confiança dos eleitores para fazê-lo voltá-lo à Assembleia Legislativa com mais um mandato na sua biografia, a partir de fevereiro de 2019.

ELEIÇÕES 2018: Quem merece renovar o mandato na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal e quais candidatos proporcionais merecem eleger-se 6

A partir de amanhã, segunda-feira, 26, o Blog do Robert Lobato inciará uma série de postagens analisando quais os deputados estadual e os federais que merecem renovar os seus mandatos, bem como quais os candidatos que merecem uma vaga na Assembleia Legislativa do Maranhão e na Câmara Federal.

As análises serão feitas a partir do perfil e atuação/produtividade dos atuais parlamentares estaduais e federais, assim como de alguns candidatos que estão de olho em um mandato.

É a partir de amanhã.

Não percam!

ELEIÇÕES 2018: Vem aí, um nome “Nobre” da cultura para a Assembleia Legislativa do MA 14

O petista Armando Nobre quer oferecer os seus 26 anos dedicados à causa da cultura como músico, professor, pesquisador, ao julgamento popular e assim concorrer a uma vaga de deputado estadual nas eleições de 2018.

As eleições de 2018 no Maranhão terá presença de uma opção para os amantes e militantes da cultura, principalmente da cultura popular.

Trata-se de Armando Nobre, que está colocando o seu nome como pré-candidato a deputado estadual pelo PT.

Ex-presidente do Conselho Estadual de Cultura e do Fórum Nacional de Conselhos de Cultura, Armando Nobre, 38 anos, é assíduo militante das causas da cultura do Maranhão. Um típico caso de quem carrega o DNA cultural nas veias!

Armando afirma que, a princípio, não tinha pretensões de entrar na política, mas a decisão de disputar uma vaga no Legislativo Maranhense nasceu pelo sentimento de que a sociedade anseia por mudança da cena política atual, e que todos os valores que aprendeu no movimento cultural, com a experiência como músico, professor, pesquisador, e de todos esses 26 anos dedicados à causa da cultura, devem ser convertidos em trabalhos na vida pública.

“Quero fazer política para contribuir, não para dilapidar. Quem milita na cultura o faz por paixão, porque acredita que a cultura é transformadora, pois ela mexe não apenas com a mente das pessoas, mas principalmente com o coração”, assegura.

Armando Nobre durante reunião com a equipe de coordenação da pre-campanha.

O pré-candidato petista diz ainda que a política atual precisa de novas práticas e que estaria forçando a algo positivo e pedagógico, caso eleito deputado estadual, já que não é filho de político e que não ostenta alto patrimônio financeiro.

“Não venho de uma família de políticos e nem sou rico. O que me move é a carência do povo por novas práticas e conceitos políticas, além da necessidade do movimento cultural precisar de um legítimo representante na Assembleia Legislativa do Maranhão”, afirma.

Projetos

Armando Nobre acredita na reeleição de Flávio Dino. O jovem petista diz que está preparado e cheio de energia para contribuir na base de sustentação do governo no parlamento a favor de projetos voltados para a valorização da cultura maranhense, dos projetos de transversalidade entre cultura e educação (que não podem ser dissociadas), da descentralização dos equipamentos culturais (a maioria estão na capital de São Luís), como Teatros, Espaços Multiculturais, Escolas de Música com ensino Técnico, e maior aporte financeiro para o fomento que alcance o maior número de municípios.

O petista aposta no diálogo com os movimentos sociais e culturais para conseguir os votos necessários para sua eleição ao parlamento maranhense.

Um dos projetos que o mesmo pretende defender é a criação das Superintendências Regionais de Cultura. Armando Nobre explica:

“Temos um estado de dimensões imensas, onde vários de nossos municípios estão bem distantes da nossa capital onde está fixada a nossa secretaria de cultura, com a criação das Superintendências Regionais de Cultura teremos uma aproximação maior com os fazedores de cultura, e dessa forma, deixá-los mais próximos e informados das políticas públicas desenvolvidas pelo Governo do Estado, e auxiliando-os em buscar e/ou apresentar projetos por meio de editais ou outros mecanismos que estão disponíveis como a lei de incentivo à cultura”.

Armando Nobre é formado em Administração Pública, Pós-Graduando em Gestão Cultural e também formando no curso de Música da Universidade Estadual do Maranhão – UEMA.

Com certeza está credenciado a disputar uma das 42 cadeiras do parlamento maranhense.

Leonardo Sá demonstra habilidade ao segue construindo alianças políticas e eleitorais

Leonardo Sá demonstra habilidade e constrói alianças políticas Pré-candidato a deputado estadual Leonardo Sá , confirmou na última sexta-feira (6), sua filiação ao PRTB.

Porém, antes foi convidado pelo PSDB, PDT, PTB, PPS, PODEMOS e mais uma dezena de partidos para se filiar, os quais tiveram atenção e respeito do médico que ouviu a proposta de todos, mas foi o PRTB aquele melhor reúne as condições eleitorais para a eleição do jovem médico adotado pela cidade e pelo povo de Pinheiro.

Não obstante ter optado pelo PRTB, Leonardo Sá vem construindo importantes alianças políticas com diversos deputados federais e pré-candidatos ao cargo. Além de estar afinado com o próprio presidente Márcio Coutinho, o médico de Pinheiro vem somando diversas adesões nos quatro cantos do Maranhão.

Na política, o diálogo se faz necessário e para a construção de um Maranhão melhor, representantes de diversas cores partidárias podem estar unidos em torno de único propósito discutir de forma objetiva o estado.

Portanto, Leonardo Sá segue avançando e vai garantindo importantes apoios para a disputa que deve levá-lo a Assembleia Legislativa do Maranhão.

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA: Fábio Macedo jogando pesado para presidente 6

O deputado pedetista está em campanha aberta e usando de meios heterodoxo para conquistar voto dos seus pares

O Blog do Robert Lobato foi o primeiro a comentar sobre as movimentações de bastidores na Assembleia Legislativa do Maranhão depois do agravamento do estado de saúde do presidente da casa, deputado Humberto Coutinho (PDT).

Pois bem. Essas movimentações têm se intensificado nos últimos dias e aos poucos vão saindo das “sombras” e ganhando conotações mais explícitas.

O deputado Fábio Macedo (PDT), por exemplo, está em campanha aberta e usando de meios, digamos, heterodoxos para conquistar o voto dos seus pares.

O nome de Fábio está longe de agradar o Palácio dos Leões, que já demonstra preocupação com a campanha do pedetista. Aliás, o pai do parlamentar, o empresário Dedé Macedo, há tempos está querendo ver o diabo mas não quer ver a “lata” do governador Flávio Dino. Agora deve estar preparando a vingança.

O fato é que estão a todo vapor as articulações em torno da eleição do futuro presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão.

Resta saber se nesse processo a política vai falar mais alto do que…

Melhor deixar pra lá.