ELEIÇÕES 2018: Alexandre Almeida “apimenta” a disputa para o Senado Federal 8

Não se sabe ao certo qual a estratégia de Alexandre Almeida em radicalizar no tom da sua campanha, mas o fato é que em dois programas, ao longo dessa semana, o tucano partiu pra cima de dois dos seus concorrentes.

Diante de uma eleição um tanto quanto sem sal para o governo do estado, o deputado estadual Alexandre Almeida (PSDB) resolveu “apimentar” a campanha para o Senado Federal, cargo que disputa na condição de mais jovem candidato do Brasil à Câmara Alta.

Não se sabe ao certo qual a estratégia de Alexandre Almeida em radicalizar no tom da sua campanha, mas o fato é que em dois programas, ao longo dessa semana, o tucano partiu pra cima de dois dos seus concorrentes.

A primeira vítima foi o atual senador e candidato a mais um mandato Edison Lobão (MDB), apontado por Alexandre como sendo investigado pela Lava Jato; logo em seguida foi a vez do deputado federal Weverton Rocha (PDT), quando tucano lembrou que o nosso querido “Maragato” responde à denúncias de corrupção feitas pelo Ministério Público Federal.

Lobão e Weverton, claro, reagiram às provocações de Alexandre Almeida. O primeiro foi defendido pelo filho e suplente Edinho Lobão que, através de um áudio, afirmou que o jovem candidato ganhou “um inimigo para a vida inteira”. O caso, de política, virou de polícia, já que Alexandre registrou na Polícia Federal o que considera uma “ameaça” a sua vida.

Já o Weverton Rocha foi mais político e considerou que as investidas de Alexandre Almeida como estando a serviço de terceiros e que possui “a nossa militância para responder por nós. Sei apanhar, mas também sei bater.”.

De qualquer forma, e sabe-se lá o porquê, Alexandre Almeida deu um pouco mais de emoção para uma eleição que já pode ser considerada como a mais esquisita da história…

Zé Inácio mostra sua força política rumo à reeleição na região Tocantina

O deputado Zé Inácio entre os dias 13 a 16/09, cumpriu agenda política na região Tocantina nos municípios de João Lisboa, Sítio Novo, Itinga, São Pedro da Água Branca, Amarante e Davinópolis com lideranças e moradores do municípios.

Em João Lisboa, Zé Inácio reafirmou seu compromisso com o grupo político, que conta com o apoio do Prefeito Jairo Madeira e da vice-prefeita Maria do Nilson. E falou de grandes ações que já realizou por João Lisboa como: seu apoio em eventos culturais da cidade e a revitalização da Praça Cidade Nova, que em breve iniciará a obra.

“Essas visitas estão sendo fruto do trabalho árduo que semeamos em vários municípios melhorando a vida das pessoas, e que agora nestas visitas estamos revendo como tudo foi investido pelo desenvolvimento destes municípios”, disse Zé Inácio.

No município de Sítio Novo, Zé Inácio na companhia do Prefeito João Piquiá visitou e realizou reuniõe nos povoados Paciência, Patis e Santa Maria.

O deputado já contribuiu com o desenvolvimento do povoado desde quando era superintendente do Incra, com a melhoria da estrada que dar acesso ao assentamento Nossa Senhora da Conceição. Em seu mandato, destinou recurso para: 2,5 km de asfalto para as ruas de Sítio Novo e recurso para manter o hospital Municipal Frei Alberto Bereta. Uma solicitação das comunidades ao deputado é para estadualizar a estrada que liga o posto Santana na BR 226 até São Pedro dos Crentes; continuar lutando pela titulação das moradias junto ao Incra, e por uma escola que ofereça o ensino médio aos alunos do assentamento Patis.

Em Itinga, com a ex-prefeita Vete Botelho, Zé Inácio prestigiou uma cavalgada no assentamento Água Fria, e também visitou o povoado Vila Bandeirante.

Em São Pedro da Água Branca, foi realizada uma reunião com lideranças, o Prefeito Pelezinho, e os vereadores do Partido dos Trabalhadores-PT Raquel, Francildo e Zé Lima. O deputado falou do trabalho que já vem realizando pelo município com a destinação de recursos para contrução de ruas com bloquetes. E também se prontificou a lutar pelos direitos das quebradeiras de côco, e apoiar a cultura local, o esporte e o lazer._

Encerrando a agenda, em Davinópolis onde foi realizada reunião com a vereadora Lane (PT), e dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Zé Inácio reforçou seu apoio ao município e que irá lutar por mais benefícios aos assentamentos Alegria e Água Viva.

VÍDEO DO DIA: Alexandre Almeida alerta eleitores sobre o voto em Weverton Rocha 8

Com discurso que é o mais novo candidato a senador do país, o que é verdade, o deputado estadual Alexandre Almeida (PSDB) apresentou no seu programa eleitoral o lado polêmico e controverso do também candidato a senador Weverton Rocha (PDT), além de revelar que o deputado federal é alvo de investigação por corrupção pelo Ministério Público Federal.

Na peça publicitária do tucano, supostos eleitores de Weverton Rocha desistem de votar no candidato pedetista após tomarem conhecimento do lado, digamos, nada admirável do nosso querido Maragato.

Confira.

Afinal, as urnas eletrônicas são ou não confiáveis? 6

É possível que em todo o processo eleitoral, as urnas eletrônicas sejam exatamente as maiores merecedoras de confiança dos brasileiros.

Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil.

Não surge com presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) a desconfiança com as urnas eletrônicas. Quem primeiro colou dúvidas sobre a confiabilidade dessa novidade genuinamente brasileira foi o saudoso Leonel Brizola, líder e fundador do PDT.

Brizola morreu duvidando da lisura eleitoral das famosas maquininhas, sob o argumento principal de que nenhuma democracia moderna no mundo utiliza dessa nossa tecnologia.

Vários testes já foram realizados para colocar à prova a confiabilidade das urnas eletrônicas e, até onde se sabe, todos conseguiram mostrar que elas são, sim!, confiáveis. Sem falar que são auditáveis!

De repente, que não sejam lá muito dignos de confiança são alguns políticos, que prometem, mentem, abusam do poder político e econômico, vendem lotes na lua, xingam adversários, batem em jornalistas que perguntam sobre o que não gostam, agridem mulheres e por aí vai.

Ou ainda os próprios eleitores que vendem o voto, que dizem condenar a corrupção mas votam em corruptos, que deixam para votar na última hora da eleição a espera de uma grana para o chope, que só vai em carreata se tiver um combustível etc., etc., etc.

Enfim, é possível que em todo o processo que envolve os pleitos no país, as urnas eletrônicas sejam exatamente as maiores merecedoras da confiança dos brasileiros.

Até mais do que candidatos, eleitores e eleitos.

Com as devidas exceções, claro!

ELEIÇÕES 2018: As mulheres podem salvar o Brasil do “Bozo” 6

A resposta ao risco Bolsonaro para o país vem desse movimento de milhões de mulheres que já entenderam que o candidato do PSL é incompatível não apenas para a democracia brasileira, mas para o próprio processo civilizatório.

Jair Bolsonaro deve estar sentindo na pele o movimento de milhões de mulheres brasileira contra a sua candidatura fascista mais do que sentiu ao ser esfaqueado por um delinquente em Juiz de Fora (MG), semanas atrás. Aliás, até hoje a ocorrência desse esfaqueamento está rodeada de versões e teorias da conspiração para tudo que é gosto.

Já o levante das mulheres sob o lema “#eleNão Mulheres contra Bozo” é uma “facada” democrática que pode ferir de morte a pretensão do simulacro de Mussolini em subir a rampa do Planalto.

A grande virtude da democracia é justamente permitir que figuras como Bolsonaro possa ser candidato a presidente, ainda que ele conspire abertamente contra o regime democrático ao não respeitar diferenças, incitar o discurso de ódio e da intolerância, até para pessoas de bem, inclusive pessoas religiosas, que se deixam levar inocentemente pelas suas ideias conversadoras e em muitos casos reacionárias.

Não há menor sombra de dúvidas que se o Brasil estivesse com um ambiente de estabilidade econômica, política e institucional minimante seguro e tranquilo jamais existiria o “mito Bozo”. Ele é fruto balbúrdia que se transformou o país desde o impeachment de Dilma. Só que da balbúrdia para a barbárie é um passo!

Contudo, a resposta ao risco Bolsonaro para o país vem desse movimento de milhões de mulheres que já entenderam que o candidato do PSL é incompatível não apenas com a democracia brasileira, mas com o próprio processo civilizatório.

Que o restante do país, inclusive a macharada que pensa, mire e siga o exemplo dessas bravas mulheres.

#eleNão!

Principalmente na mulher: ‘doenças da beleza’ são reais e cruéis

Em uma sociedade tão estimulada por imagens, é possível que sejamos todos cúmplices desta construção de valores

Redação Vya Estelar

Ao passar os olhos pelos noticiários, além das negativas manchetes sobre política, crise e violência, também é possível notar muitos casos sobre erros em procedimentos estéticos, por vezes realizados por pessoas sem qualificação. E, surpreendentemente, em um mesmo telejornal convivem notícias sobre a prisão do médico Denis César Barros Furtado que realizava bioplastias em seu apartamento (o Dr. Bumbum) e, “dicas de saúde e beleza”. Estas últimas, promovendo mudanças na alimentação, treinamentos físicos intensos e cuidados embelezadores diversos em corpos esbeltos e bem torneados, com forte valorização da concepção de beleza vigente em nossa sociedade. Um curioso ciclo de estímulos, referenciais e consequências, que se repete sem muita reflexão sobre causas e efeitos.

Diante dos casos de pessoas que perderam as suas vidas, ao se submeterem a alterações estéticas em clínicas clandestinas, é necessário resistir à tentação de julgamento antecipado. As “doenças da beleza” são reais e cruéis, em especial com as mulheres. E em uma sociedade tão estimulada por imagens, é possível que sejamos todos cúmplices desta construção de valores, que para algumas pessoas, podem representar motivação convincente para justificar qualquer sacrifício.

Os Transtornos Dismórficos Corporais, ou TDC, que até podem estar relacionados a outras patologias e vivências subjetivas de cada indivíduo, em grande parte dos casos poderão ser classificados também como um transtorno obsessivo compulsivo (TOC). E mesmo que nem sempre contemplem uma rígida restrição alimentar, em muitos sintomas, revelam características similares às da bulimia e da anorexia (veja aqui), e às das não tão comentadas, porém atuais, ortorexia (saiba mais) e vigorexia (saiba mais). No TDC a preocupação com um ou mais defeitos da aparência, que podem ser sutis ou até inexistentes, causa angústia e, em muitos casos, afeta a capacidade funcional da pessoa. Ou seja, o que pode começar, por exemplo, como o hábito de verificar a silhueta no espelho e conferir um ou outro detalhe, algumas vezes ao dia, evolui para uma insatisfação tão intensa com o tamanho dos seios, que a pessoa deixa de participar em situações sociais com receio de expor a sua “deformidade”.

TDC é doença silenciosa, que começa e evolui através de pequenas “manias”, normalmente relacionadas à preocupação com saúde e beleza – atenção socialmente valorizada. Um sentimento de ansiedade pelo horário do treino na academia ou por “queimar as calorias ingeridas no jantar”, e que com o tempo, se transforma em angústia. A pessoa sofre por não dedicar ainda mais que as longas horas aos exercícios, ou à rigidez com que a dieta é empreendida, ou à recorrência com que cirurgias estéticas são realizadas, entre muitos exemplos. Quem padece de TDC precisa de auxílio médico especializado.

A aceitação social sempre será relevante para os seres humanos. Porém, na sociedade interconectada digitalmente, as palavras estão notadamente perdendo espaço para as imagens. E nesse contexto, as inocentes “selfies” adquirem função de construção identitária, e indicam a aceitação do indivíduo em seus grupos de afinidade. Aquela “vaidade imatura” começa a ganhar relevância e, por vezes, a se tornar perigosa.

Fonte: José Toufic Thomé é Médico pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Psiquiatra e Psicoterapeuta Psicodinâmico

ELEIÇÕES 2018: A coerência de Roberto Rocha 12

Além de um gesto de lealdade, essa coerência política e partidária do tucano maranhense também é uma demonstração de que Roberto Rocha não é covarde para abandonar amigos e aliados pelo meio do caminho.

Se tem um candidato majoritário coerente nestas eleições no Maranhão chama-se Roberto Rocha, principalmente quando o assunto é lealdade ao projeto nacional do seu partido, o PSDB.

Ao contrário dos que escondem o candidato a presidente do partido a qual pertencem, outros omitem e alguns até pulam do barco partidário, o senador e candidato a governador Roberto Rocha tem orgulho de pedir votos para o presidenciável do PSDB Gerado Alckmin.

E olhem que no Maranhão a onda é colar a imagem no Lula/Haddad, muitas vezes por puro oportunismo eleitoreiro, como parece ser o caso do “pulo” dado pelo nosso querido “Maragato” Weverton Rocha (PDT), candidato a senador, que abandonou o seu correligionário Ciro Gomes, candidato a presidente, e agora é Lula e Haddad desde quando era uma criança pobre lá pras bandas de Imperatriz.

Roberto Rocha, pelo contrário, mantém-se firme ao lado do Geraldo Alckmin e não perde uma oportunidade de pedir voto ao seu candidato a presidente onde estiver.

Além de um gesto de lealdade, essa coerência política e partidária do tucano maranhense também é uma demonstração de que Roberto Rocha não é covarde para abandonar amigos, aliados e correlegionários pelo meio do caminho.

Que os eleitores façam o seu julgamento.

Globo define Haddad como seu inimigo 10

As organizações Globo, da família Marinho, rapidamente alçaram Fernando Haddad à condição de inimigo do grupo, depois que ele assumiu a candidatura pelo PT em lugar de Lula. Não está havendo apenas transferência de intenções de voto de Lula para Haddad; está havendo transferência do ódio e da perseguição dos Marinho e seus executivos-jornalistas

247 – O primeiro sinal foi a pseudo-entrevista de Haddad no Jornal Nacional na última sexta (14): o candidato do PT foi interrompido nada menos que 62 vezes, mais que o triplo de interrupções sofridas por Alckmin, que foi cortado 17 vezes; Bolsonaro foi o segundo mais interrompido: 36 vezes. Haddad era o entrevistado, mas os executivos-jornalistas William Bonner e Renata Vasconcellos falaram por 16 minutos, cabendo a Haddad, o entrevistado, meros 11 minutos.

Nesta segunda, outro ataque aberto a Haddad. Em reportagem que ocupou uma das páginas mais nobres de O Globo, a 4, procurou-se “demonstrar” como Haddad seria algo como um fantoche de Lula. “Da cadeia, Lula dá as cartas na campanha de Haddad”, estampou o título. A matéria tentou criar uma ficção segundo a qual Lula, mesmo preso, teria controle sobre cada detalhe da campanha e da vida de Haddad. “Decisões feitas pelo ex-presidente vão dos locais a serem visitados até a postura em debates do candidato petista”, asseverou o texto logo abaixo do título, num português mal cosido.

A reportagem tentar criar um clima de verdadeira conspiração mafiosa na relação entre Lula e Haddad, reafirmando todo o tempo que o candidato recebe ordens de seu “padrinho” diretamente da cadeira. O texto tenta criar um clima como se fosse a descrição de uma cena do clássico “The Godfather” (palavra inglesa que significa padrinho, traduzido no Brasil para “O Poderoso Chefão”), filme de 1972 dirigido por  Francis Ford Coppola, baseado no livro homônimo escrito por Mario Puzo.

Não que Lula tenha deixado de ser um alvo para os Marinho. Mas agora a artilharia da organização será dividida entre ele e Haddad.