Toda e qualquer resposta simplista sobre suicídios tem grande possibilidade de erro

Suicídios: o que ainda precisa ser dito

Redação Vya Estelar

Por Maria J. Kovács

Suicídio é tema tabu, mesmo sendo um evento presente na história da humanidade desde a Antiguidade. O ato suicida pode ser visto como liberdade, domínio, autonomia e controle. Mas ainda é frequentemente julgado e condenado, visto como fraqueza ou covardia.

Toda e qualquer resposta simplista sobre suicídios tem grande possibilidade de erro. Nos últimos anos, observamos mudança na mentalidade de que o suicídio precisa ser ocultado. Não falar sobre suicídio não diminuiu seus índices, pelo contrário, eles têm aumentado. A perspectiva atual é falar sobre o tema, trazendo números e porcentagens, quais são as pessoas em risco, diferenças de gênero e, no extremo, chega-se a falar do número de tentativas de suicídio em minutos, dias, meses ou anos.

Tão importante quanto a prevenção, é a posvenção; entenda

Os dados epidemiológicos servem como alerta e fomentam programas de intervenção. Os índices de suicídio nos convocam a prestar atenção nas pessoas ao nosso redor. Junto com programas de prevenção temos que desenvolver, em nosso meio, também programas de posvenção (termo ainda pouco conhecido no Brasil), que têm como objetivo principal cuidar do sofrimento de pessoas com ideação e tentativa de suicídio e familiares enlutados, oferecendo acolhimento e psicoterapia.

Levando-se em conta o que foi apresentado acima, vamos trazer outras questões para reflexão, agora considerando as pessoas já atingidas pelo fenômeno do suicídio, por ideação ou atos suicidas e pelos familiares que perderam pessoas queridas por esse evento. Essas pessoas necessitam de escuta, apoio, acolhimento e cuidados em longo prazo, não querem saber de números, estatísticas ou porcentagens. Precisam falar de seu sofrimento existencial.

Estatísticas apontam tendências, dados epidemiológicos, estatísticas, fundamentando programas de saúde mental. Pessoas afetadas pelo suicídio precisam de particularização, singularidade, respeito pela sua história que tem um início e que ainda não foi finalizada. Pessoas com ideação, tentativa de suicídio e familiares enlutados demandam atendimento de qualidade com profissionais capacitados, psicólogos, psiquiatras, psicoterapeutas, que possam acolher o sofrimento humano, cujo objetivo principal não deve ser evitar o suicídio a todo custo. Exemplificando, a atenção só voltada para impedir o suicídio pode restringir o sujeito, restringindo sua autonomia e liberdade.

Em casos extremos, pessoas podem ser amarradas no leito para que não realizem qualquer ação que possa colocar sua vida em risco. Essas ações podem resultar na diminuição do número de suicídios, mas o que podemos falar sobre a dor, falta de opção ou sofrimento dessa pessoa? Como profissionais de saúde mental nunca incentivaremos o suicídio, mas será que o impedir a todo custo não aumenta o sofrimento e a dor?

Temos poucas opções de cuidados contínuos em hospitais, Centros de Atenção Psicossocial e nas Unidades Básicas de Saúde. Entre as ONGS, cabe destacar o Centro de Valorização da Vida, que realiza de maneira exemplar o trabalho de atendimento em crise e o acolhimento. É fundamental que o “Setembro Amarelo”, além de programas de prevenção proponha também a contratação e capacitação de profissionais especializados para atender em continuidade pessoas em sofrimento existencial, que buscam a morte para aplacar a profunda dor psíquica que estão vivendo. Alertamos que o atendimento psicoterápico e psiquiátrico deve ser realizado por profissionais competentes e especializados e não por estagiários ou voluntários.

É preciso diferenciar acolhimento em crise realizado pelo Centro de Valorização da Vida, que é muito importante, por ser, em muitos casos, o primeiro passo para o atendimento de pessoas com ideação ou tentativa de suicídio de um atendimento especializado, como por exemplo, o atendimento psicoterápico e medicamentoso. Em muitos casos é necessário o atendimento psicológico e psiquiátrico especializado para lidar com a difícil tarefa de compreender emoções intensas, a ambivalência entre o desejo de viver e morrer, ampliar a visão estreita que considera a morte como única solução para o sofrimento. Sentir-se aceito, compreendido e não julgado, ter o sofrimento respeitado podem ser caminhos importantes para pessoas encontrarem sentido para continuar vivendo.

Fonte: Maria J. Kovács é professora do Depto. de Psicologia da Aprendizagem, do Desenvolvimento e da Personalidade do Instituto de Psicologia da USP

ELEIÇÕES 2018: Candidato a deputado Estadual Isaac Dias Filho cumpre agenda na cidade de Brejo

No último sábado, 18, o candidato a deputado estadual, Isaac Dias Filho, cumpriu agenda no povoado Jenipapo, no município de Brejo-MA. Na ocasião estava sendo realizado o aniversário de 97 anos da matriarca da família Diniz, uma das maiores e mais tradicionais famílias da região.

Isaac que já foi vice-prefeito da cidade de São Bento, é filho do ex-prefeito e ex-deputado Isaac Dias. Com bastante gabarito e volume político, principalmente na região da Baixada Maranhense, é um dos pretensos a Assembléia Legislativa.

Isaac Filho destacou a longevidade da aniversariante, senhora Euzébia Diniz, falando da importância de seus ensinamentos e valores que influenciam nas gerações de toda sua família.

(Fonte: Blog do Neto Pimentel)

CULTURA DO FAZER: Roberto Rocha e Graça Paz apresentam plano de governo do PSDB para o Maranhão

A ideia do tucano é adotar novas práticas na gestão pública que sirvam, inclusive, como referência aos municípios maranhenses. O foco é na eficiência e nos resultados administrativos sem a ideologização do governo, que acaba atravancando o desenvolvimento do estado.

Nesta terça-feira, 21, candidato ao Governo do Estado do Maranhão, Roberto Rocha, e a vice, Graça Paz (PSDB), vão apresentar nas diretrizes gerais do seu Plano de Governo. O evento vai acontecer às 18h, no Palácio Luís XIII, localizado na Avenida Jerônimo de Albuquerque, 22- Alto do Calhau, em São Luís.

O documento intitulado “Caderno de Boas Ideias”, é a síntese das principais propostas básicas que o senador Roberto Rocha desenvolveu em todos os municípios do estado, ao longo de suas atividades parlamentares. A proposta deriva de uma concepção de governo que já vem norteando as ações, projetos e ideias do mandato do senador maranhense e definem uma visão geral que, segundo ele, “devem estar clara para a população maranhense”, no momento em que o ele oferece seu nome para ocupar o mais alto cargo de comando no estado.

Cultura do fazer

Nas visitas que tem feito pelo interior do Maranhão, o candidato Roberto Rocha tem dito que uma vez eleito governador deseja inaugurar uma “cultura do fazer” no estado.

A ideia do tucano é adotar novas práticas na gestão pública que sirvam, inclusive, como referência aos municípios maranhenses. O foco é na eficiência e nos resultados administrativos sem a ideologização do governo, que acaba atravancando o desenvolvimento do estado.

É um pouco dessa “cultura do fazer” que Roberto Rocha apresentará amanhã  para a imprensa e a sociedade em geral ao lado da sua vice Graça Paz e demais aliados da coligação “União e Coragem para fazer um Maranhão melhor”.

Lula lidera com 37,3% das intenções de voto, diz pesquisa 4

Caso petista seja impedido de concorrer, Haddad herdaria 17,3% de seus votos; mesmo preso, petista cresceu cinco pontos em relação ao levantamento anterior

O candidato do PT à Presidência nas eleições 2018, Luiz Inácio Lula da Silva, alcançou, nesta segunda-feira, 37,3% das intenções de voto, segundo pesquisa do instituto MDA em parceria com a Confederação Nacional do Transporte (CNT). Mesmo condenado no âmbito da Operação Lava Jato e preso, o petista continua crescendo na preferência eleitoral e saltou de 32,4%, em maio, para 37,5% em agosto. Atrás do petista aparecem Jair Bolsonaro (PSL), com 18,8%, e Marina Silva (Rede), com 5,6%.

O candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, está em 4º lugar no levantamento, com 4,9% das intenções. Ciro Gomes, do PDT, aparece atrás do tucano, com 4,1%. Depois deles, a pesquisa ainda registra Alvaro Dias (PODE), com 2,7%, e Guilherme Boulos (PSOL), com 0,9%. O candidato do Novo, João Amôedo, tem 0,8%, mesmo porcentual de Henrique Meirelles (MDB). Já o candidato do Patriota, Cabo Daciolo, teve 0,4%, seguido de Vera, do PSTU, com 0,3%, João Goulart Filho (PPL), com 0,1%, e José Maria Eymael (DC), com 0,0%.

O número de pessoas que mostraram intenção de votar branco ou nulo está em 14,3%. Os indecisos representam 8,8% dos entrevistados. A pesquisa não considerou um cenário sem a participação do ex-presidente Lula.

Se substituir Lula na chapa do PT, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad herdaria 17,3% dos votos do ex-presidente. A candidata Marina ficaria com 11,9%. Ciro é o terceiro a receber mais votos do petista, com 9,6%. Bolsonaro teria 6,2% e Alckmin, 3,7%. Um terço dos eleitores de Lula anulariam o voto sem ele na disputa e 16,6% não saberiam em quem votar.

Na pesquisa espontânea, na qual os entrevistados não recebem os nomes dos candidatos previamente, Lula também lidera, com 20,7%; Bolsonaro segue em segundo, com 15,1%, e Alckmin aparece em terceiro, com 1,7%. Neste cenário, aparecem ainda Alvaro Dias, com 1,3%, e Marina Silva, com 1,1%. Ainda houve o registro de 1,4% de intenções em “outros”. Brancos e nulos têm 18,1% e indecisos alcançam 39%.

Esta edição da pesquisa da CNT/MDA está registrada no Tribunal Superior Eleitora (TSE) sob o número BR-09086/2018. Foram realizadas 2.002 entrevistas em 137 municípios de 25 Unidades da Federação entre os dias de 15 e 18 de agosto. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, considerando o nível de confiança de 95%.

(Renan Truffi e Julia Lindner, O Estado de S.Paulo)

Dr. Leonardo Sá participa de encontro político ao lado do Governador Flavio Dino em Pindaré-Mirim

Na tarde do último sábado (18), aconteceu em Pindaré-Mirim um encontro de lideranças políticas organizado pelo Dr. Alexandre Colares (PSDB), líder político da região, que foi candidato a Prefeito do município nas eleições passadas. O evento aconteceu na residência do próprio Dr. Alexandre, que tinha como foco no evento apresentar aos Pindaremirenses os candidatos as eleições de 2018 que terão o seu apoio na região do Vale do Pindaré.

O evento contou com a presença do Governador do Estado Flávio Dino (PCdoB), que também apresentou os candidatos que terão o apoio do Governo, um dos candidatos apresentados na ocasião foi o jovem médico da região da Baixada Maranhense o Dr. Leonardo Sá (PRTB), que é candidato a Deputado Estadual e terá o apoio do Dr. Alexandre Colares e do Governador Flávio Dino, tanto na região do Vale do Pindaré como na Baixada Maranhense.

Em discurso o Governador Flavio Dino falou da sua vontade em que Leonardo seja Deputado eleito e contou sobre a trajetória política deles: Meu amigo Leonardo, desejo que você seja Deputado, você é uma pessoa que sempre me ajudou, sempre esteve ao meu lado, o conheci vindo de um plantão após ter passado a noite toda trabalhando, e ainda sim fomos nos reunir em Pinheiro, o conheci ainda bem jovem, um menino, e desde então eu disse, vai ser um grande político, vai ser Deputado no Maranhão, vai estar na Assembleia Legislativa e agora com o apoio de Pindaré-Mirim do Governo do Estado. Afirmou Flavio Dino.

ELEIÇÕES 2018: Campanha do senhor Flávio Dino começa muito mal (OU AINDA: Imagens que valem por mil palavras) 14

Começou muito mal campanha de reeleição do senhor Flávio Dino (PCdoB).

Primeiro foi a bem fundamentada decretação de inelegibilidade do comunista feita pela juíza Anelise Nogueira Reginato, que deixou o homem louco. Aliás, comenta-se que o Procurador Geral do Estado, Rodrigo Maia, ouviu cobras e lagartos do chefão.

Depois do pedido de inelegibilidade, o senhor Flávio Dino aparece em fotos no mínimo curiosas. Senão vejamos.

Imagem 1:

Senhor Flávio Dino escoltado por deputado militar Cabo Campos acusado de agressão física contra a esposa.

Imagem 2:

Senhor Flávio Dino desfilando de mãos dadas com o seu mais novo pupilo, o candidato a senador Weverton Rocha. Márcio Jerry e Carlos Lupi não curtiram.

Imagem 3:

Depois de tudo, o senhor Flávio Dino foi se abraçar com o jovem deputado André Fufuca.

Imagens que valem por mil palavras.

Realmente começou muito mal a campanha do candidato à reeleição, o senhor Flávio Dino…

Ser humano ou ter humano, qual o estado em que você se encontra? 2

Ter implica em criar vínculos com o tempo

Por Ricardo J.A. Leme, via Vya Estelar

É possível ser livre de tudo que se tem e, também, por incrível que pareça, ser escravo de tudo que não se tem. Posso ser possuído pelo que não possuo!

Ter e Ser, duas dimensões que eventualmente se tocam, apenas se tocam. Ser humano ou ter humano, qual o estado em que você se encontra?

Eu sou!

Ter é estado claro aos cinco sentidos, mas ilusório ao tempo. O tempo flui e ensina que tudo relacionado ao ter sofre degaste. Ou seja, ter implica em criar vínculos com o tempo. Ter é temporário, não é bom nem ruim, temporário apenas. Aqueles que entendem a passagem terrena baseada na leitura de princípio e fim, são de algum modo reféns ou comparsas do tempo. Temos tempo? Quanto tempo de vida terei? Quando tinha sua idade… Se eu tivesse escolhido diferente… Quando eu crescer… Quando eu me aposentar… Enfim, nuances de expressão de teres humanos, humanos que passam.

Ter um nome, uma cidade onde se reside, um bairro, uma profissão, uma família, propriedades e afins, não me define enquanto ser! São apêndices circunstanciais da essencialidade do ser.

Ser mãe ou ter um filho não soa como realidades distintas a você?

A maternidade é experiência única a ilustrar com clareza a tensão que reside entre ser e ter. Conheço mães que nunca geraram filhos. Há mulheres que não tiveram filhos e têm o dom da maternagem, que é o cuidar. Também conheço mulheres que geraram filhos e nunca alcançaram o status de mães. Percebe a diferença? É sutil e grosseira simultaneamente.

O ser é inefável e se manifesta em presente e presença que não passa, permanece. Ele é uma veste do eterno e da eternidade, sem princípio ou fim, quando *eles descem à terra, esse maravilhoso espaço onde os sentidos imperam. Mas, se os sentidos me permitem ter experiências, dificultam que eu seja; enquanto sou, fluo, passo, me solto, comungo o mundo à minha volta, não me sinto apegado ao que sinto, visto que não tenho a experiência, senão sou a própria! Ora, sendo a experiência, ela acontece em mim, assim como simultaneamente eu aconteço nela, **ela me aprende enquanto eu a aprendo.

Confuso? Não se fores ser! Mas se a opção foi pelo ter, talvez esteja estranhando. ***São as entranhas que estranham.

Ser não é superior ao ter, apesar de maior. Ser é apenas diferente. Ter, são os dois lados da moeda, ser é a moeda. O ser é vertical, é antigravitacional e aspira, já o ter é horizontal e inspira, moldado pela gravidade. Pela gravidade do que tive, do que tenho e do que terei e pelo desespero do que poderia ter tido e do que poderia ter sido. Tudo se torna grave quando o ter asfixia o ser. Uma gravidade que força o corpo a se curvar fisicamente em reverência à terra, pois que a alma se recusou a reverenciá-la e assim ser liberta.

O ter humano é biológico, tem DNA, mapa celular, tem predisposição; o ser humano é biográfico, tem mapa celeste, é campo de possibilidades.

Ter não é menos que ser, senão diferente, aliás a própria diferença. Agora, problema é não se saber enquanto ser humano ou ter humano, aí sim é o princípio do equívoco na aventura da vida, que é temporal para o ter e atemporal ao Ser.

Assim sendo, quem sabe na próxima, se a vida permitir, possamos pensar juntos como sermos humanos?

* O eterno e a eternidade: quando eles descem à terra – uma metáfora do tempo presente.

** Perceba que aprender é solto, mais leve e sugere uma experiência de SER e TRANSFORMAR-SE. Quando aprendo algo deixo de ser, ou renovo meu ser. Quando apreendo algo aumento meu ser. Sutilezas que geralmente passam despercebidas, não é mesmo? De qualquer modo deixo aqui minhas desculpas pela liberdade poética.

*** É nas entranhas e no profundo de nosso ser que habitam nossos saberes mais consolidados, mais entranhados. A pessoa que vive ancorada no modo ter, tem as entranhas endurecidas, aprende por acúmulo, construindo torres. Alimentos novos podem causar estranheza, devido ao costume habitual de alimentos e informações formatados. Informações que a pessoa está habituada. A pessoa que vive no modo ser é livre e com entranhas porosas e desobstruídas a novos saberes, pensares e possibilidades de trocas. O modo ser minimiza a sensação de estranhamento comum ao modo ter. Mais uma vez me desculpo pela liberdade poética que entendo às vezes transcende o rigor e a formatação da prosa.

ELEIÇÕES 2018: O abuso do poder político de Flávio Dino 32

A maior prova desse abuso é o que ocorre nos grupos de WhatsApp das secretarias de governo onde os funcionários comissionados são convocados para participarem dos atos de campanha do governador candidato à releição – tem prints desses grupos chegando.

Que Flávio Dino (PCdoB) é autoritário, mitômano, um farsa política já sabemos. E pior: um perseguidor contumaz!

O comunista está inelegível após decisão da juíza Anelise Reginato, da zona eleitoral de Coroatá. Isto é, Flávio Dino concorre às eleições de 2018 sub judice!

Pois bem. A magistrada tem toda a razão em decretar a inelegibilidade do comunista!

Flávio Dino é um marginal, no sentido de percorrer à margem da lei.

A maior prova disso é o que ocorre nos grupos de WhatsApp das secretarias de governo onde os funcionários comissionados são convocados a participarem dos atos de campanha do governador candidato à releição – tem prints desses grupos chegando.

Enquanto os prints não chegam, pois a galera tem medo da “KGB” maranhense, que o Ministério Público Eleitoral fique de olho nas marginalidades do candidato do PCdoB.

E não adianta processar o Blog do Robert Lobato na tentativa de querer cercear nossa liberdade de expressão!

Podem vir mil processos.

Carlos Lula pode ganhar dinheiro nas duas pontas: como secretário de governo e como advogado de Flávio Dino.

A lei não é e não pode ser apenas para o “bucho grande”.

E vamos que vamos!