ESPIONAGEM DO GOVERNO: Coronel “espoca urna” do PCdoB é um dos cabeças do escândalo na PM-MA 2

O oficial da “KGB dinista” foi citado pelos tenentes Juarez Martins Coelho e Josué Alves Aguiar. Ambos deram a mesma versão: Heron cobrava pessoalmente a compilação dos dados/fichamentos dos opositores

Vai ganhando contorno da vez mais escandaloso o caso de arapongagem do governo Flávio Dino (PCdoB) contra adversários políticos.

A TV Mirante revelou, na noite desta quinta-feira, 26, que pelo menos dois policiais militares confirmaram que um oficial filiado ao PCdoB era quem dava o comando para seus subordinados da corporação levantassem dados sobre opositores do governo para fins políticos e eleitorais.

O elemento seria o coronel Heron Santos, filiado ao PCdoB e ex-comandante de Policiamento do Interior.

O oficial da “KGB dinista” foi citado pelos tenentes Juarez Martins Coelho e Josué Alves Aguiar. Ambos deram a mesma versão: Heron cobrava pessoalmente a compilação dos dados/fichamentos de opositores ao Palácio dos Leões –  está tudo no blog do Gilberto Léda.

Heron Santos pode ser um hábil araponga comunista, mas quando o assunto é “voto”, o coronel do PCdoB é uma tragédia tanto quanto o governo a qual serve.

Candidato a deputado estadual nas eleições de 2014, Heron obteve surpreendentes 28 votos. Um “espoca urna” emérito!

Veja abaixo a reportagem da TV Mirante.

SEGURANÇA: A coerência do deputado Raimundo Cutrim no sarneísmo e no comunismo 7

Se agora o deputado Raimundo Cutrim não serve mais aos interesses do governo comunista, se deixou de ter valor porque põe o dedo nas mazelas que persistem no setor da segurança, resta mesmo descartá-lo e carimbá-lo como “ventríloquo da oligarquia”.

O Blog do Robert Lobato não vai entrar no mérito da contenda entre o deputado estadual Raimundo Cutrim (PCdoB) e o secretário Jefferson Portela, igualmente filiado ao comunismo do Brasil.

O Blog também não está disposto a sair em defesa de nenhum dos dois desafetos, mas há de reconhecer a coerência do deputado Cutrim no que diz respeito às críticas que tem feito ao sistema de segurança e que não são de agora.

O hoje parlamentar comunista passou a maior parte do governo Roseana Sarney (MDB) criticando ferozmente o então secretário Aloísio Mendes. A cada vez que subia na tribuna da Assembleia Legislativa, Raimundo Cutrim ia na goela do secretário e era comum a gente ouvir dizer que se os dois se barrassem numa dessas esquinas da vida poderia acontecer uma tragédia.

Foi nesse contexto de hostilidades que Cutrim rompeu com o grupo Sarney, a quem historicamente foi ligado, e virou quadro do PCdoB. Daí que não justo, por parte do secretário Jefferson Portela, afirmar que o deputado “virou um ventríloquo da oligarquia, a quem sempre serviu”.

Não virou não! Ele continua com as suas mesmas convicções e tem mantido as mesmas críticas que fazia na gestão da segurança do governo Roseana Sarney. O que pode ter acontecido é que Raimundo Cutrim acabou descobrindo que mudar de lado não valeu a pena porque “está tudo como dantes no quartel de Abrantes”.

Enfim, se agora o deputado Cutrim não serve mais aos interesses do governo comunista, se deixou de ter valor porque põe o dedo nas mazelas que persistem no setor da segurança, resta mesmo descartá-lo e carimbá-lo como “ventríloquo da oligarquia”.

Só que a história já registrou que o parlamentar teve o seu momento de “ventrículo do comunismo”.

Mas sempre defendo que acredita e criticando o que repudia.

ESPIONAGEM DO GOVERNO: Flávio Dino sugere que deputados maranhenses são mafiosos 7

A continuar com esse festival de declarações estapafúrdias, a oposição terá que pedir não a intervenção federal no Maranhão, mas a intervenção psiquiátrica e psicológica do governador do Maranhão.

Em mais um surto de arroubos, o governador Flávio Dino (PCdoB) sugeriu que deputados maranhenses de oposição são “mafiosos”. Isso mesmo!

Pelas redes sociais, o comunista escreveu que a oposição quer ganhar a eleição no “tapetão” e classificou de “esdrúxula” o pedido de intervenção federal feito por parlamentares com base em denúncias de que o Governo estaria usando a Polícia Militar para espionar, monitorar e perseguir adversários políticos.

Contudo, foi tom agressivo, autoritário e sem precedentes na história política do Maranhão de chamar de “máfia” os deputados que defendem a intervenção federal no estado, que assusta nas declarações do senhor Flávio Dino.

A máfia maranhense agora quer intervenção federal no Maranhão, com base em um papel assinado por um oficial do 5º escalão da PM. Não querem eleições, querem “tapetão”. Deve ser saudade do tempo da ditadura militar, quando mandavam sem ter votos. No esdrúxulo pedido de intervenção federal, a máfia demonstra insatisfação contra a Polícia que tirou São Luís das 50 cidades mais violentas do mundo, acabou com o caos em Pedrinhas, reduziu os crimes violentos. Sarney não deve gostar desses êxitos, postou.

A continuar com esse festival de declarações estapafúrdias, a oposição terá que pedir não a intervenção federal no Maranhão, mas intervenção psiquiátrica e psicológica do governador do Maranhão.

“Ô, louco meu!”, como diria o Faustão!

ELEIÇÕES 2018: Dr. Leonardo Sá visita Povoados e incentiva o esporte na Baixada

Na tarde de sábado, 21, o pré-candidato a deputado estadual Dr. Leonardo Sá acompanhado dos vereadores de Pinheiro, Edinildo (PCdoB), Sandro Lima (PCdoB), Riba do Bom Viver (PDT), Capadinho (PMDB) e também do ex-vereador Jaelson prestigiaram a Copa do Ribeirão 2018 que aconteceu no povoado Ribeirão.

O pré-candidato a deputado estadual e os vereadores também visitaram os povoados Porãozinho e Juratão, incentivando o esporte, a saúde e o lazer. Dr. Leonardo Já foi vereador em Pinheiro por duas oportunidades, sendo o mais votado e também disputou o pleito passado como candidato a Prefeito em Pinheiro.

Ao falar com o grande público que também prestigiava o evento esportivo, Dr. Leonardo Sá ratificou a importância do esporte e do lazer para a vida dos cidadãos: “Poder usufruir de um momento como este é muito importante para a população, parabenizo os organizadores deste evento, pelo trabalho bem feito e espero que este campeonato nunca morra, que ele venha ser realizado todos os anos, pois todos os jovens que estão jogando aqui na disputa deste campeonato tem 80% de chance de jamais entrarem para o mundo da criminalização e das drogas, isso, além de ser importante para a saúde física de cada um, é importante também para a saúde pública e social do nosso município, quanto mais jovens no esporte, menos jovens no mundo do crime”, declarou.Dr. Leonardo Sá também falou sobre sua pré-candidatura: “Aproveito para ratificar a minha pré-candidatura a deputado estadual, nós venceremos as perseguições, as mentiras, as falácias, e seguiremos firmes e fortes até as eleições sem abalar um só segundo a minha intenção de fazer o melhor pelo meu Maranhão, minha Pinheiro e minha Baixada Maranhense”, disse Dr. Leonardo.

ESPIONAGEM DO GOVERNO: Há motivos para intervenção no estado do MA? 6

Caso não venha uma intervenção federal, que venham observadores de fora do Maranhão para acompanhar o processo eleitoral por estas terras

Setores da oposição ao governo Flávio Dino (PCdoB) entendem que uma intervenção federal no estado do Maranhão se faz necessária tendo em vista os últimos acontecimentos que dão conta do aparelhamento da Polícia Militar para espionar e perseguir adversários políticos.

O fato ganhou repercussão nacional expondo para o país uma faceta até então do conhecimento apenas dos maranhenses, ou seja, que não é de agora que o Palácio dos Leões usa as autoridades policiais para espionar/monitorar opositores.

É verdade que uma intervenção federal poderia dar maior segurança e lisura no processo eleitoral, mas caso não ela não ocorra, é de bom alvitre pelo menos a participação de observadores externos para acompanhar as eleições de 2018 no Maranhão.

A mídia governista, claro, tenta desqualificar uma eventual intervenção com a narrativa fajuta de que se trataria de colocar a polícia de Temer nas ruas maranhenses. Balela!

Uma intervenção seria cirúrgica, apenas na Secretaria de Segurança Pública, que hoje está sob suspeição ampla, geral e irrestrita.

Portanto, há, sim!, razões mais do que necessárias para uma intervenção federal no estado.

E se ela não vier, que venham observadores de fora do Maranhão para acompanhar o processo eleitoral nestas terras.

Caso contrário é possível que tenhamos apenas o governador Flávio Dino como candidato, uma vez que os demais candidatos podem desistir de disputar um pleito marcado pelo medo, pela perseguição e por vícios mais diversos.

É aguardar e conferir.

Os “demônios” de Flávio Dino 18

Tecnicamente o governo Flávio Dino acabou! E acabou de forma mais vexatória possível, com um governador metido moralista, a vestal, sendo comparado a um “Demóstenes Torres”.

Desesperado pelo inferno astral que enfrenta, o governador Flávio Dino (PCdoB) agora tratou de classificar como “demônios” a imprensa e seu adversários políticos.

Endiabrado, Flávio Dino não consegue observar que os tais “demônios”, se existirem, estão abrigados no seu próprio governo, que, ao que tudo indica, foi tomado pelo inferno da corrupção e da incompetência.

A verdade é que esse governo foi consumido pelo enxofre dos quintos dos infernos. Fede à podridão da mentira, demagogia, hipocrisia, populismo e maracutaias de toda forma.

Tecnicamente o governo Flávio Dino acabou! E acabou de forma mais vexatória possível, com um governador metido moralista, a vestal, sendo comparado a um “Demóstenes Torres”.

Não vai ser de admirar se aparecer “presos políticos” no Maranhão por conta do escândalo das espionagens da Polícia Militar ordenadas pelo Palácio dos Leões.

Informações que chegam do ao Blog do Robert Lobato dão conta de que oficiais da PM/MA correm risco de serem presos ou colocados arbitrariamente na reserva.

Enfim, o governador Flávio Dino transformou o estado do Maranhão em um caldeirão desgraçadamente diabólico.

E os demônios estão estão instalados na sede do Governo.

Ou desgoverno, se preferirem.

Igor Lago sobre o governo Flávio Dino: “Uma farsa política e administrativa” 10

O médico Igor Matos Lago, filho do saudoso governador Jackson Lago, publicou um contundente artigo no sua rede social do Facebook onde não poupa críticas ao governador Flávio Dino (PCdoB).

Igor escreveu à luz dos recentes escândalos que o governo comunista está envolto, em particular o suposto uso das Polícia Militar para espionar de adversários políticos no estado.

“Estamos todos atônitos ao tomarmos conhecimento do mais recente escândalo: o da suposta ação de vigilância política de oposicionistas por parte da Polícia Militar. Nas eleições de 2016, esta já teria sido utilizada para coibir as ações eleitorais de adversários políticos do atual governo em, pelo menos, duas cidades do interior”, diz trecho do artigo que o Blog do Robert Lobato reproduz na íntegra. Confira.

MARANHÃO REFÉM

Não são boas as notícias do nosso querido estado. O atual governo não tem conseguido deixar uma marca que o diferencie dos anteriores e, em muitos aspectos, tem obtido um desempenho ainda pior.

É que além de não ter um projeto ou plano de governo, o atual governador tem se revelado um político e administrador autoritário desde o primeiro dia de mandato e com boa parte de suas ações feitas de improviso.

A forma como entrou na política, quando ainda de toga e com a garantia de seu padrinho político (hoje traído!), de cima pra baixo; o exercício do mandato de deputado federal com toda a pompa e circunstância por ter convivido com seus pares jurídicos influentes de Brasília; a postura de sua candidatura ao governo em 2010, na qual não fazia parte o respeito pelos que lutaram de verdade na política por um estado livre e verdadeiramente democrático; e, por fim, a sua fácil vitória em 2014 pelo fato de não ter tido de enfrentar um adversário situacionista à altura do momento, tornou o estado refém de uma lógica oriunda de um exercício de poder semelhante ao dos tempos do vitorinismo.

É frustrante para quem votou e/ou torceu para que este governo fosse a retomada para a transição de uma nova era em nossa história, a da alternância política, já que um outro governo recente que tinha esta expectativa fora interrompido.

Propaganda em demasia e resultados pífios, o estado vive às turras com mais escândalos que assaltam (além da má gestão!) o dinheiro público, inclusive com a perda de vida de um dos envolvidos no da área da saúde, bem como a deterioração da qualidade dos serviços públicos prestados a nossa população.

Agora estamos todos atônitos ao tomarmos conhecimento do mais recente escândalo: o da suposta ação de vigilância política de oposicionistas por parte da Polícia Militar. Nas eleições de 2016, esta já teria sido utilizada para coibir as ações eleitorais de adversários políticos do atual governo em, pelo menos, duas cidades do interior.

Se confirmado será o fato político mais grave que um governo tenha produzido nos últimos anos.

Eis o governo da mudança que revela a real caraterística de seu mandatário: uma farsa política e administrativa!

CONGUARÁS: Isaac Dias Filho pede que Governo faça convênio com municípios

Em reunião realizada em Pinheiro do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Regional da Baixada Ocidental Floresta do Guarás (Conguarás), o advogado e pré-candidato a deputado estadual Isaac Dias Filho (MDB), falou da importância do Governo do Estado realizar convênio com os municipios, possibilitando a realização de obras de infraestrutura, além de garantir a geração de emprego e renda. Na oportunidade, o pré-candidato a deputado estadual ainda falou do pacto federativo, que é necessário melhorar os repasses as Prefeituras.

O ConGuarás reúne dez municípios maranhenses e na oportunidade do encontro participaram representantes do governo, como o secretário Ednaldo Neves e o deputado federal Weverton Rocha (PDT). Porém, Isaac Dias Filho que já foi vice-prefeito de São Bento, também fez questão de fazer uma fala em defesa do municipalismo.

Isaac Dias Filho é pré-candidato a deputado estadual e tem forte influência na Baixada Maranhense, além de ser um legítimo representante da região que carece de presença na Assembleia Legislativa do Maranhão.

No registro Isaac Dias Filho ao centro aparece com o prefeito Zé Martins prefeito de Bequimão, prefeito de Peri-Mirim Dr. Geraldo e com o prefeito de Apicum Açu Cláudio Cunha, que também é presidente do ConGuarás.

Governador das milícias 12

por Marcos Lobo, via blog Por Mim

Você acreditou nas alegações do governador do Maranhão de que foi um erro, um absurdo, que não sabia, que não concorda com a estratégia adotada pelo comando da PMMA de catalogar/fichar adversários políticos e autoridades? Se sim, pare a leitura do post por aqui e vá ler contos de fada.

Vamos conversar com os descrentes, os desse mundo real, da concretude do que são capazes os camaradas.

Com efeito, a vida/costumes de uma pessoa não se resume a um momento. É preciso buscar a facticidade, a historicidade, a tradição.

Este momento ora vivido pelo governador do Maranhão não pode, não deve e nem é o espelho do que ele, efetivamente, é.

Não obstante, e em contradição ao que eu disse, no caso concreto, é.

Para dizer que é, a primeira assertiva necessária é que, não tivesse vazado o estratagema, não teria havido nenhuma contraordem ou desdizer do governador. Basta atentar para o fato de que o primeiro documento com ordem para o fichamento foi produzido em 06 de abril, ou seja, o fichamento de adversários e autoridades públicas já ocorria por 14 dias quando vazaram alguns documentos.

Aí surge uma primeira indagação: onde estão estes documentos/relatórios já produzidos? Já foram repassados ao comando geral ou ao governador? Quantos foram os fichados?

A segunda assertiva, absolutamente verdadeira, é que essa é uma prática comum do governador do Maranhão, a bastar recuperar o passado de como ele se conduz. Façamos um pequeno apanhado do que ele faz nas eleições:

– utilização de milícia de militares, o denominado “Serviço de Inteligência do 36”, na campanha de prefeito de São Luís no ano de 2012. Para mais informações vejam o que disse, na época, Reinaldo Azevedo (https://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/escandalo-no-maranhao-8211-atencao-policia-federal-atencao-tre-atencao-tse-grupo-que-conta-com-o-apoio-do-comunista-flavio-dino-presidente-da-embratur-organiza-uma-milicia-de-militares-em-sao-luis-par/) ou façam busca na internet. Os áudios, vídeos e fotografias são bem reveladores;

– utilização da sede da EMBRATUR para reunião com militares do Maranhão para montar e organizar os “comitês militares” para a campanha de 2014 e, como dito pelo post do Reinaldo Azevedo acima, já imaginado em 2012. Na reunião houve até proposta de mudar a bandeira do Maranhão. Há uma fala de um policial, nessa reunião na Embratur, que bem representada o estratagema: “(…) É claro que a gente fez essa aproximação com o senhor com a maior timidez. Mas nós vamos nos mobilizar. Essa equipe que tá aqui vai se mobilizar para dar apoio para o que for de melhor para nós (…)”;

– utilização de policiais militares e civis para sitiar cidades do Maranhão, nas eleições em 2016, em favor dos seus correligionários.

Como se percebe, há uma perfeita sintonia com o que ora ocorre com o que foi a prática em eleições passadas.

O que é lastimável é que esses fatos nunca foram devidamente punidos e em razão disso, quiçá, tem alimentado a continuidade, impune, das práticas.

Deve ser registrado que além do fichamento de adversários e autoridades (prefeito, juiz, promotor etc.) foi determinado a feitura de um “levantamento eleitoral” de quantidade de eleitores, locais de votação fora da sede, quantidade de seções no município etc, informações estas que, por meios lícitos e para fins lícitos, podem facilmente ser obtidas na Justiça Eleitoral.

A última assertiva a fazer é que o fato concretamente ocorreu, com plena ciência do chefe maior, e, pior, continuará, agora na clandestinidade.

A última indagação é: as autoridades fichadas e os órgãos e poderes a que pertencem irão ficar silenciar também desse vez, já que agora também viraram alvo da milicia?