ELEIÇÕES 2018: “Sou candidato do Flávio Dino”, diz Waldir Maranhão sobre disputa pelo Senado

Aliados do deputado avaliam que setores do Palácio dos Leões ligados ao PCdoB, não tendo a coragem de romper com o pré-candidato a senador, partem para a utilização de blogs alugados pelo governo para desestabilizar o projeto “Waldir Maranhão senador”

O deputado federal Waldir Maranhão (Avante) voltou a reafirmar que sua disposição de disputar a eleição de senador em 2018 é irreversível e que não está brincado de fazer política.

Em conversa com o Blog do Robert Lobato, por telefone, na tarde desta quarta-feira, 13, o ex-presidente da Câmara dos Deputados disse ainda ser o candidato do governador Flávio Dino.

“Há uma tentativa sistemática de quererem me tirar da disputa para o Senado Federal, mas reafirmo que a minha candidatura é irreversível. Não estou brincando de fazer política, sei das minhas chances e as pesquisas mostram a viabilidade desse projeto que não é apenas do Waldir Maranhão, mas de um conjunto de forças políticas progressistas e democrática. Não adianta plantar falsas notícias achando que isso enfraquece um projeto que será vitorioso. Sou candidato a senador do governador Flávio Dino”, disse.

Aliados políticos do deputado avaliam que setores do Palácio dos Leões ligados ao PCdoB, não tendo a coragem de romper com o pré-candidato a senador, partem para a utilização de blogs alugados pelo governo para desestabilizar o projeto “Waldir Maranhão senador”.

Nesse caso, surge uma pergunta inevitável: o governador Flávio Dino concorda com essa “desestabilização” da candidatura do “camarada” Waldir Maranhão ao Senado Federal via blogs governistas?

Com a palavra, o “camarada-mor”.

BARRA DO CORDA: Da tragédia ao medo

Pessoas próximas à família do finado Nenzin estão preocupados com o que pode acontecer tanto com o Junior preso quanto se ele for solto

Não bastasse a tragédia que abateu a família do ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano, o Nenzin, executado a sangue frio naquela fatídica quarta-feira, 6 de dezembro de 2017, outra sequência de fatos dramáticos rodam a vida da cidade localizada na Região Central do Maranhão.

Segundo informações que chegam ao Blog do Robert Lobato, a prisão de Junior do Nenzin, filho do ex-prefeito assassinado e principal suspeito de ter cometido tão absurdo crime, “criou um ambiente de verdadeiro pânico no seio da família” do ex-prefeito morto.

É que Júnior do Nenzin estaria mandando recados de que não pretende ficar muito tempo na prisão e, dessa forma, pressionando a família para que dê um jeito de libertá-lo, sob pena dele ser obrigado a se defender revelando “possíveis coisas” ocorridas no passado envolvendo os seus familiares.

Pessoas próximas à família do finado Nenzin estão preocupadas com o que pode acontecer tanto com o Júnior preso quanto se ele for solto.

A continuar preso corre o risco de causar estragos inimagináveis no seio da sua família, já que pode “jogar merda no ventilador”. E é tudo o que o poderoso clã barracordense não deseja, pois teme perder o poder político mais do qualquer coisa.

Do contrário, ou seja, se for solto de forma suspeita como uma espécie de “cala boca” cria-se um ambiente de extrema sensação de impunidade num município que já tem a má fama de que o crime compensa e que a pistolagem é mais forte do que lei.

Em 2012, por exemplo, o vereador Aldo Andrade foi vítima dessa pistolagem e acabou morto faltando menos de 15 dias para as eleições daquele ano. Até hoje a morte do edil é um caso em aberto e com os supostos mandantes andando pela cidade livres, leves e soltos. É esse histórico de impunidade que faz com que Barra do Corda continue manchada de sangue mesmo sendo um dos mais belos pedaços de chão deste estado.

O fato é que está longe de acabar esse drama na qual passa a cidade do Barra do Corda com o assassinato de ex-prefeito Nenzin.

E não só o drama da cidade, mas da própria família do senhor Manoel Mariano, o Nenzin, que ainda não conseguiu descansar em paz.

SISTEMA ITALUÍS: Ao invés de admitir incompetência, Flávio Dino vê “conspiração” em rompimento da nova adutora 2

Governador vira motivo de chacota ao sugerir que rompimento na nova adutora do Sistema Italuís é conspiração e sabotagem.

O governador Flávio Dino (PCdoB) não cansa de surpreender os maranhenses quando o assunto é “gogó”.

Agora o comunista resolveu achar que o seu governo é rondado por conspirações e sabotagens de todo que é jeito.

É que deu tudo errado nas obras da nova adutora do Sistema Italuís, obra, diga-se, iniciada no governo Roseana Sarney (PMDB) sob responsabilidade do então secretário de Saúde, Ricardo Murad, que na época era quem comandava também a Caema.

Ora, problemas do tipo que aconteceu com a nova adutora do Sistema Italuís são normais e podem ser resolvidos tecnicamente pelas empresas responsáveis.

Agora, ver conspiração e sabotagem nas tais obras é como se o governo e o governador emitissem um atestado da sua própria incompetência.

Isso mesmo! Imaginar que Sarney, Roseana ou Ricardo Murad tivessem força para fazer com as empresas responsáveis pelas obras tramassem contra o governo é de um surrealismo que só mesmo nesse governo de Flávio Dino para acontecer. E o comunista ainda anuncia que a Polícia Civil será acionada para investigar possíveis tramas obscuras como se ela não tivesse coisa mais séria para fazer e se preocupar. Brincadeira, siô!

Chega a ser algo doentio o governador sugerir conspiração em algo que tem mais a ver com competência de gestão, coisa que passa longe desse governo.

É por essas e outras que cada vez aumenta minha admiração pelo prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva (PSDB), que profetizou que o governo Flávio Dino seria “um governo de gogó”.

Bingo!

BARRA DO CORDA: Duas tragédias que abalaram uma cidade marcada pela violência 8

Em menos de dois meses a cidade de Barra do Corda virou palco de dois acontecimentos trágicos e violentos.

Barra do Corda, município localizado na Região Central do Maranhão, foi palco de dois trágicos acontecimentos que já fazem parte da crônica policial não somente do estado, mas, quiçá, do país!

No dia 9 de outubro, o comerciante Francisco Edinei Lima Silva, de 40 anos, morreu após ficar preso por cerca de 18 horas em uma jaula a céu aberto nos fundos de uma delegacia da Polícia Civil na cidade. O fato ganhou repercussão na imprensa nacional e expôs a fragilidade que persiste no sistema prisional do Maranhão.

Dois meses depois, mais precisamente na última quarta-feira, 4, Barra do Corda volta às páginas policiais desta feita com a execução do senhor Manoel Mariano de Sousa, conhecido também como Nenzim, ex-prefeito da cidade e destaca liderança política da região.

O ex-prefeito foi alvejado covardemente por Júnior de Nenzim, seu filho.

O motivo do filho executar o pai pode ser resumido em uma única palavra: dinheiro.

O filho assassino disputou a eleição de prefeito de Barra do Corda em 2016 e teria acumulado muitas dívidas de campanha. Então a forma nada engenhosa e honesta que encontrou para saldar os débitos foi roubar o pai, que, ao descobrir que estava sendo subtraindo nos seus bens pelo rebento, o confrontou e acabou pagando com a própria vida.

Essa história é trágica em todos os aspectos.

Em primeiro lugar, trata-se de algo que ocorre ao longo da história, ou seja, filhos matarem os pais e vice-versa. Lembram-se do “até tu, Brutus, meu filho?”, da Roma Antiga? Ou mesmo o caso da Suzane Richthofen, que planejou a morte dos próprios pais com os irmãos Daniel e Christian Cravinhos em outubro de 2002? Pois é.

Em segundo lugar, estamos falando de uma família que sempre esteve envolvida com casos de violência onde problemas incômodos podem, se fosse o caso, ser resolvidos à bala.

Depois, é mais um caso onde um filho que sempre teve tudo e todos a sua disposição não aceitar ser contrariado nem mesmo pelos país.

Comenta-se que Júnior de Nenzim era um dos filhos mais próximo do pai. E ainda que não fosse, o senhor Nenzim jamais temeria dar às costas para quaisquer um dos filhos com medo de levar um “balaço” na cabeça, mas, desgraçadamente, foi o que ocorreu.

Por fim, essa cara não é só calculista, covarde e um assassino frio. Júnior de Nenzim é sobretudo um burro, um tremendo idiota narcisista.

Acabou com a vida do pai, da mãe – dona Santinha -, dos seis irmãos, incluindo o deputado estadual Rigo Teles, enfim, acabou com toda a família.

Que presente de Natal esse Júnior de Nenzim resolveu dar aos seus e ao povo de Barra do Corda…

Você tem medo de desagradar os outros?

Saiba como fortalecer sua autoconfiança

Thaís Petroff, via Vya Estelar

Não é incomum conhecermos pessoas que sentem necessidade de agradar outras ou medo de desagradá-las.

Há a necessidade de se sentir aceito e a opinião do outro tem um peso muito grande sobre como a própria pessoa se percebe.

Se você se identifica com essa descrição, já parou para pensar o que te faz sentir assim?

Com que muitas vezes se torna mais importante agradar ao outro do que a si mesmo ou até abrir mão de coisas importantes para você em prol de não desagradar outra pessoa?

Talvez você tenha respondido que se sente inseguro(a) ou tem baixa autoestima. Se foi isso que pensou você acertou.

Para podermos ser assertivos e lidarmos com a possibilidade de desagradar o próximo (e ligado a isso o medo da rejeição) precisamos ter autoconfiança.

Nosso valor como pessoa nada tem a ver com a opinião dos outros

Saber do nosso valor como pessoa e que este nada tem a ver com a opinião dos outros a nosso respeito, ou seja, que se alguém discordar de nós ou mesmo não gostar de alguma escolha ou comportamento nosso, que isso não diminui o seu valor ou te torna alguém pior.

Como fazer isso?

Para poder ter mais autoconfiança e não depender tanto da opinião dos outros, primeiro é preciso saber o que você pensa e deseja. Sem autoconhecimento isso é impossível.

Portanto, o primeiro passo é ir percebendo cada vez mais o que você pensa e/ou sente diante das diversas situações que te aparecem.

Uma maneira bastante fácil de fazer isso é se perguntar sempre que te fazem um convite, que você precisa tomar uma decisão, que você precisa ter uma ação, o que você realmente pensa sobre isso ou como gostaria de proceder.

Mesmo que no início seja difícil de fazer o que você realmente gostaria (por medo de desagradar o outro) isso já te auxiliará a ir tomando mais consciência das suas opiniões e desejos.

Conforme você for percebendo isso melhor, vá aos poucos testando em uma situação ou outra colocar sua opinião e/ou vontade. Se for necessário comunique ao outro que isso é algo importante para você.

Boas relações são aquelas onde há respeito e cuidado. Se o outro não demonstra atenção ou abertura para suas vontades e opiniões, cabe uma reflexão sobre a funcionalidade e qualidade dessa pessoa em sua vida.

Conforme você for praticando isso aos poucos, perceberá que a insegurança vai diminuindo e paralelamente sua autoconfiança estará crescendo.

O mais difícil é começar, como um carro que precisa de muito mais força para sair da inércia (por isso a primeira marcha e a ré são as marchas mais potentes do carro) mas, após começar a andar, a força a ser despendida vai diminuindo pouco a pouco.

Permita-se!

Roberto Rocha conta com o respeito do PDT autêntico, o de Jackson, Neiva, Bezerra.. 10

O senador tem mais com que se preocupar do que ficar respondendo agressões de gente que, por vassalagem, têm que agradar o chefão do Palácio dos Leões

Não é de causar espanto quando o senador Roberto Rocha (PSDB) vai para as redes sociais e reage, com indignação, aos ataques que sofre quase que diariamente dos adversários políticos.

Foi o que aconteceu ontem, sábado, 2, quando o tucano usou o seu Twitter para rebater as agressões que sofreu do deputado federal Weverton Rocha e do fanfarrão do Carlos Lupi, presidente nacional do PDT, durante um ato de apoio à candidatura do “Maragato” ao Senado Federal.

“Não entendo o motivo dos constantes ataques que me fazem os pedetistas, Lupi e Weverton. Logo eu que sempre torci pela felicidade do casal”, tuitou o senador.

O tucano pode ter exagerado na provocação, mas é compreensível a sua indignação uma vez que se tem um político maranhense que mais esteve ao lado do PDT foi Roberto Rocha.

Se hoje o PDT da dupla Weverton/Lupi parte para ofensas a Roberto em todos os atos políticos que o partido promove ou participa, não está ofendendo somente o senador, mas a memória de pedetistas históricos como Jackson Lago, Neiva Moreira, Mauro Bezerra e tantos outro que foram companheiros de jornada e de luta por um Maranhão melhor e mais justo ao lado de Roberto Rocha.

Não é por acaso que pedetistas de coração como Léo Costa, Rubem Brito e mesmo a dona Clay Lago, eterna companheira do nosso saudoso Jackson Lago, estão com o Roberto Rocha e apoiam a sua pré-candidatura a governador. E tantos outros trabalhistas começam, igualmente, a se aproximar do projeto “Roberto Rocha govenador-45”.

Para quem não sabe, se dependesse somente do desejo de Roberto o seu primeiro suplente seria o ex-prefeito de Porto Franco, Deoclides Macedo, outro amigo pedetista do senador. Foi convidado, mas preferiu disputar o mandato de deputado federal em 2014.

Enfim, se gente como Weverton Rocha e Carlos Lupi partem pra cima de Roberto Rocha, fosse eu o senador não somente ignoraria os ataques e ofensa como receberia enquanto elogios.

O fato é que Roberto tem mais com que se preocupar do que ficar respondendo agressões de gente que, por vassalagem, têm que agradar o chefão do Palácio dos Leões.

Fique na sua, senador.

O PDT autêntico está do seu lado!

ELEIÇÕES 2018: A esperteza de Flávio Dino em relação ao projeto “Werverton senador” 14

Caso Weverton venha a ter complicações com Justiça e a Polícia Federal, o gesto de Flávio Dino, ontem, servirá para o governador continuar tendo o PDT do seu palanque, pois terá o crédito pra dizer: “Fiz a minha parte, se não deu, não é culpa minha”.

O governador Flávio Dino (PCdoB) é esperto pra caramba!

E ontem, sábado, 2, deu mais uma demonstração dessa sua esperteza.

Ao aparecer no ato do PDT para declarar apoio à pré-candidatura do deputado Weverton Rocha ao Senado Federal, mais do que um gesto de companheirismo e lealdade ao “dono” da legenda trabalhista no Maranhão, Flávio apresentou, digamos assim, uma “carta de seguro”. Explico.

É que o governador comunista sabe que o “Maragato” pode se ferrar lá frente e sequer ser candidato à reeleição de deputado e muito menos a senador. Tem muito rolo de Weverton Rocha e isso pode tirá-lo das eleições de 2018 como candidato a qualquer cargo.

Ou seja, caso realmente Weverton venha a ter complicações com Justiça e a Polícia Federal, o gesto de Flávio Dino, ontem, servirá para o governador continuar tendo o PDT no seu palanque, pois terá o crédito pra dizer: “Fiz a minha parte, se não deu, não é culpa minha”.

É ou não é esperto o governador?

Após sete anos, Racionais MC’s faz show São Luís 2

O grupo de rap paulista estará em São Luis, nesta sexta-feira, dia primeiro, no Ceprama, com clássicos e muito visual no seu retorno após sete anos.

O público que for ao CEPRAMA terá três opções de ingressos, pista comum no valor de R$50,00, pista Premium por R$120,00 e camarote open bar por R$150,00.

A produção pede para o público comprar os ingressos nos pontos de vendas oficiais para evitar transtornos, informa ainda que os ingressos são chipados e à prova de falsificação, e na entrada, passarão por leitura digital.

Mais informações na página do Fanzine Rock Bar.

 

O governo Flávio Dino virou um caso de polícia 10

Se antes o Palácio dos Leões gastava milhões em variedades como lagostas, filés, peixes finos e bebidas nobres, no atual governo os milhões foram desembolsados para um único gênero: “sorvete”!

Querendo ou não o governador Flávio Dino (PCdoB), o seu governo virou um caso de polícia. É uma gestão que está nas páginas policiais, inclusive com vários gestores importantes que foram ou continuam presos.

Se isso fere o ego do governador não é problema ou culpa do ex-presidente José Sarney e muito menos da imprensa, que está no seu papel de informar a sociedade e analisar fatos em cima de documentos e relatos que chegaram ao conhecimento público através dos responsáveis da Operação Pegadores, deflagrada pela Polícia Federal em colaboração com o Ministério Público Federal, Justiça Federal e Controladoria Geral da República, inclusive por meio de entrevista coletiva.

Pode ser arrasador para Flávio Dino ter que encarar o fato de auxiliares de sua relação íntima no governo estarem metidos em esquemas de corrupção que desviaram alguns milhões de reais de um setor governamental tão sensível como é o caso da saúde, mas o fato é que essa “sorveteria” escandalizou o Maranhão.

Se tempos atrás o Palácio dos Leões gastava milhões em variedades como lagostas, filés, peixes finos e bebidas nobres, no atual governo os milhões foram desembolsados para um único gênero: “sorvete”! Que, aliás, é tão calórico quanto os demais gêneros citados anteriormente, daí, quem sabe, a explicação para tantos comunistas estarem acima do peso, inclusive o governador e o seu principal homem.

Não anima o Blog do Robert Lobato fazer a lamentável constatação de que o governo Flávio Dino virou caso de polícia.

E a tendência é coisa ficar mais punk nos próximos dias…