As invasões bárbaras 12

Por Eden Jr.*

Quando na tarde da última quinta-feira, dia seis, chegaram as primeiras informações acerca do ataque sofrido pelo candidato à Presidência da República do Partido Social Liberal (PSL), Jair Bolsonaro, uma parte da população estava entre a incredulidade e a perplexidade. Uma outra – lamentavelmente hipnotizada por teorias conspiratórias nonsenses – fez chacota da tentativa de assassinato e até mesmo cogitou algum tipo de complô perpetrado pelos grandes grupos de comunicação, sob comando de forças americanas, para vitimizar Bolsonaro e assim selar sua vitória na corrida presidencial.

Pelo menos não se pode reclamar de falta de coerência, pois quem acredita que auditores, policiais, promotores, juízes, desembargadores e ministros de tribunais superiores se mancomunam para perseguir um “inocente” ex-presidente da República, também admite que policiais, enfermeiros e médicos – de três hospitais distintos – podem engendrar um embuste para beneficiar um irascível candidato a presidente.

Entretanto a realidade é que Adélio Bispo de Oliveira, que engrossa o contingente de mais de 13 milhões de desempregados do país, tentou tirar a vida do candidato do PSL com um golpe de faca durante ato de campanha realizado em Juiz de Fora/MG. A insanidade cometida por Adélio – que foi filiado ao Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) entre 2007 e 2014 – foi mais um lance brutal da escalada inconsequente, sem regras e sem limites, em que se converteu a disputa política.

Em realidade, chegamos ao paroxismo, porque sucessivas circunstâncias de agressividade, de natureza e gravidade variadas, em nossa contenda política, foram toleradas ou mesmo menosprezadas, o que acabou descambando nesses abomináveis lances de violência física. A crítica, a benevolência ou o desdém para com os atos de selvageria passaram a depender da corrente política seguida por agressores ou agredidos. Falta uma mínima dose de serenidade.

É simbólico que muitos tenham tratado como molecagem o incidente da “inofensiva bola de papel” arremessada em outubro de 2010 contra a cabeça do então presidenciável do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), José Serra, em evento de campanha no bairro de Campo Grande na cidade do Rio de Janeiro. Aí o que valeu não foi a intensidade, mas o gesto em si de descaso e de fúria para com o adversário – que para tantos se transformou em inimigo.

Outros episódios – que foram agravados ou desprezados, a depender da simpatia partidária de quem os analisava, mas que na realidade deveriam ter sido todos repudiados contundentemente, isso se estivéssemos em um ambiente político civilizado – podem ser facilmente recordados. A bomba arremessada no diretório regional do Partido dos Trabalhadores (PT) no centro de São Paulo em 2015. A hostilidade cometida neste ano pelos petistas, Manoel Marinho e Leandro Marinho, contra o empresário Carlos Alberto Bettoni, no momento em que ele participava de manifestação contra o PT em frente do Instituto Lula, em São Paulo, e que resultou em traumatismo craniano. Os tiros disparados, em maio último, em ônibus da caravana do ex-presidente Lula, no Paraná – isso depois desse mesmo comboio ter sido alvo de ovos e pedras em Santa Catarina. A agressão ao professor aposentado José Carlos Pithan, de 71 anos, quando participava de manifestação contra o ex-presidente petista na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no Rio Grande do Sul, em março deste ano.

Em uma democracia há certos princípios, como o absoluto respeito às decisões judiciais e à liberdade de imprensa, que são inarredáveis, mas que vêm, com certa frequência, sendo flexibilizados neste infame contexto político que vivemos. Foi o caso da Mesa Diretora do Senado, quando desobedeceu à sentença de dezembro de 2016 do ministro do STF Marco Aurélio Mello, que afastava provisoriamente Renan Calheiros da presidência da Casa. Episódio semelhante foi o descumprimento da determinação – diga-se tresloucada – de mandar soltar o ex-presidente Lula, expedida pelo desembargador Rogério Favreto, que atuava como plantonista do Tribunal Regional da 4ª Região (TRF-4). O constrangimento a que foi submetida a jornalista da Globo, Míriam Leitão, que durante um voo entre Brasília e Rio de Janeiro foi hostilizada por militantes petistas. Ou mesmo a ofensa desferida neste ano por esquerdistas contra a repórter da TV Band, Joana Treptow, durante a cobertura da prisão do ex-presidente Lula no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo/SP.

Não há de se justificar, nem de longe, o ataque covarde sofrido por Bolsonaro em razão do perfil belicoso e autoritário do candidato. No primeiro dia de setembro, Bolsonaro afirmou que iria “fuzilar a petralhada do Acre”, durante sua passagem pela capital acreana, Rio Branco. Uma declaração ignóbil, sem a menor dúvida. A situação está no STF, como deveria ser, e o candidato terá que se explicar pela fala e poderá ser punido pelo que disse.

É prematuro prognosticar as repercussões do ocorrido para o certame eleitoral. A última pesquisa Ibope/Estado/TV Globo divulgada na quarta-feira, dia cinco, dava vantagem para Bolsonaro, com 22% das intenções de votos, seguido por Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT) com 12%, Geraldo Alckmin (PSDB) com 9% e Fernando Haddad (PT) com 6%. Esse levantamento pouco captou a influência do recém iniciado horário eleitoral gratuito na TV e no rádio, bem como do indeferimento, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), da candidatura de Lula.

É necessário esperar que os fatos sejam depurados e aguardar como a sociedade vai absorver o sucedido. Porém, se tem como certo que qualquer presidente que seja eleito, só terá capacidade de remover o país da grave crise econômica e social em que está mergulhado, se conseguir, minimamente, conciliar a nação, superar o clima de conflagração e seguir as regras democráticas, sem surtos de autoritarismos e violência.

*Doutorando em Administração, Mestre em Economia e Economista (edenjr@edenjr.com.br)

SANTA RITA: Prefeitura inicia afastalmento da estrada de Nova Vida

A Prefeitura de Santa Rita, através da Secretaria Municipal de Infraestrutura, iniciou na manhã desta quarta-feira (5), o asfaltamento da estrada que liga as comunidades Cai Coco a Nova Vida. A obra que beneficia 1500 metros de pavimentação está sendo executada com recursos próprios do município.

A urbanização do trecho é uma antiga reivindicação dos moradores da região, e muito cobrada pelo secretário de Infraestrutura, Antonio de Felipe, no período em que exerceu mandato de vereador, e foi atendida pelo prefeito Dr Hilton Gonçalo.

De acordo com Antonio de Felipe, o governo municipal tem investido maciçamente em toda cidade. Segundo ele, outros serviços devem ser intensificados, exemplo da ampliação asfáltica nas comunidades Marengo, Outero dos Pires, Sitio do Meio e Olhos D’água.

O trabalho visa garantir mais conforto e segurança aos moradores.

VITÓRIA DO MEARIM: A tradição da Semana da Pátria

Para a prefeita de Vitória do Mearim é de suma importância a celebração da Semana da Pátria, visto que é oportunidade para acender nas mentes e corações de cada cidadão o desejo de se dedicar a uma complexa tarefa: qualificar a cultura cidadã. “Todos nós devemos está unidos na busca sempre o bem e a justiça para essa pátria, que precisa, de verdade, ser mais amada”, afirmou a prefeita.

Buscando dá prosseguimento a tradição da Semana da Pátria, a Prefeitura de Vitória do Mearim busca inspirar o compromisso civilizatório entre todos os vitorinenses. Para isso, dar prosseguimento as comemorações durante a Semana da Pátria.

“O termo civismo refere-se a atitudes e comportamentos que no dia-a-dia manifestam os cidadãos na defesa de valores e nas práticas assumidas como os deveres fundamentais para a vida coletiva, visando a preservar a sua harmonia e melhorar o bem-estar de todos”, acrescentou Dídima Coêlho.

IMPERATRIZ: Coisa feia, meu caro Assis Ramos 6

Será que pelo fato de Roberto Rocha ser candidato ao Governo do Maranhão fez com que o prefeito Assis Ramos “esquecesse” dos serviços prestados pelo senador não somente a sua gestão, mas principalmente ao povo imperatrizense?

O prefeito de Imperatriz, Assim Ramos (MDB), digamos, pisou na bola.

O emedebista ir para as suas redes sociais agradecer a quem ajuda o município de Imperatriz não é apenas um gesto de reconhecimento como de gratidão, já que a situação das cidades maranhenses está muito ruim do ponto de vista financeiro, ainda mais quando administradas por maus gestores.

Pois bem. Pela rede social do Instagram, nosso prefeito-delegado agradeceu alguns deputados e senadores que teriam ajudado o município de Imperatriz. Há paramentares tanto do seu campo político, quanto ligados a Flávio Dino, como é o caso deputado federal Cleber Verde (PRB). Bonito o gesto do prefeito, não é mesmo?

O que ficou, muito feio, é que Assis Ramos simplesmente “esqueceu” de citar o parlamentar que mais tem ajudado a cidade de Imperatriz com recursos e equipamentos públicos: o senador Roberto Rocha (45).

Foram milhões e milhões de reais em emendas e projetos que o senador viabilizou para a “Princesa do Tocantins”, conforme tabela abaixo:

Pergunta-se: será que o fato de Roberto Rocha ser candidato ao Governo do Maranhão fez com que o prefeito Assis Ramos tivesse um surto de amnésia a ponto de fazê-lo esquecer dos serviços prestados pelo senador não somente a sua gestão, mas principalmente ao povo imperatrizense?

Mas, para não parecer que o Blog do Robert Lobato está sendo injusto com Assis Ramos, vamos ver o que ele achava da ação parlamentar de Roberto Rocha em prol de Imperatriz pouco tempo antes das eleições.

É com você, prefeito.

Denúncia: Há possibilidade de governo perdoar dívidas das distribuidoras Eletrobras vendidas 2

Em entrevista ao programa à Rádio Folha AM 1020 (Boa Vista – RR), no domingo (2/9), o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Urbanitários do Estado de Roraima (Stiu-RR), Gissélio Cunha (foto), disse que as dívidas da Boa Vista Energia e demais distribuidoras da Eletrobras que foram vendidas, serão transferidas para a União, caso o Projeto de Lei Complementar nº 77/2018, que já foi aprovado na Câmara dos Deputados, passe no Senado Federal.

“Estamos indo nessa semana para Brasília para fazer um corpo a corpo com os senadores, para tentar barrar o PLC 77. E fazemos um apelo ao Ministério Público para que atue na nossa causa que é de toda a sociedade roraimense. Parte da dívida da Boa Vista Energia com a Eletronorte que chega perto dos R$ 900 milhões, vai ser transferida para a União, ou seja, para o nosso bolso”, alerta o sindicalista.

Gissélio lembra que a empresa que comprou a Boa Vista Energia comprou também a concessão. “A população vai ficar sujeita ao monopólio de uma única empresa, inclusive comunidades indígenas, ribeirinhas. A venda pode resultar em um aumento inicial na tarifa de energia de 19,03 % a partir de primeiro de novembro”, alertou.

“Somos um sistema isolado da Federação, a solução para Roraima é interligar ao sistema nacional. E a gente faz um apelo à sociedade para que acompanhe a situação do sistema energético de nosso estado, já que falta compromisso político”, completa.

Venda
O consórcio Oliveira-Atem arrematou por R$ 50 mil a Boa Vista Energia uma das distribuidoras da Eletrobras, realizado na quinta-feira, 30 de agosto, na Bolsa de Valores de São Paulo. O consórcio foi o único a oferecer proposta pela distribuidora de Roraima e venceu o leilão pelo lance mínimo.

A Oliveira Energia é sediada em Manaus e opera na geração energia termelétrica, administrando cerca de quarenta usinas termoelétricas no Amazonas e em Roraima. A Atem é uma distribuidora de combustíveis. (fonte: Folha BV)

Nossa luta não tem trégua! Agora toda a pressão junto aos senadores para não aprovarem o projeto sobre as distribuidoras, uma vez que, em liminar, o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), proibiu o governo de privatizar empresas estatais sem prévia autorização do Congresso

(Fonte: Federação Nacional dos Urbanitários-FNU)

VILA NOVA DOS MARTÍRIOS: Prefeitura lança programa Criança Feliz

Prefeita Karla Batista apresenta o programa Criança Feliz em evento bastante concorrido.

Secretaria Municipal de Assistência Social de Vila Nova dos Martírios, realizou evento ontem referente ao programa Criança Feliz, mas uma social de cidadania que tem os seguintes objetivos:

• Promover o desenvolvimento humano a partir do apoio e do acompanhamento do desenvolvimento infantil integral na primeira infância;
• Apoiar a gestante e a família na preparação para o nascimen- to e nos cuidados perinatais;
• Colaborar no exercício da parentalidade, fortalecendo os vínculos e o papel das famílias para o desempenho da função de cuidado, proteção e educação de crianças na faixa etária de até seis anos de idade;
• Mediar o acesso da gestante, de crianças na primeira infân- cia e de suas famílias a políticas e serviços públicos de que necessitem;
• Integrar, ampliar e fortalecer ações de políticas públicas voltadas para as gestantes, crianças na primeira infância e suas famílias.

Foi ofertado as famílias usuárias do Criança Feliz um seminário sobre os cuidados com a primeira infância onde varias questões que envolvem o desenvolvimento das crianças foram abordadas e esclarecidas.

Estiveram presentes no evento a prefeita Karla Batista, vice-prefeita e secretária de Assistência Social Vanusa Cunha, presidente da Câmara Dorisel Lopes, Secretária de Educação Linda Maria, Secretária de Saúde Jane Cruz, Secretário de Meio Ambiente Ancelmo Santos, destaque especial para a presença e o trabalho de toda a equipe técnica da SMAS.

Na sua fala a prefeita Karla Batista parabenizou a todos os envolvidos no programa e destacou a importância de a sua gestão “estar contribuindo para que as políticas públicas cheguem até as famílias do município, colaborando desta forma para o fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários”.

A gestora municipal destacou ainda “o grande trabalho de Comitê formado pelas Secretarias de Assistência Social, Saúde e Educação para acompanhamento do programa, comprovando que a intersetorialidade é um instrumento muito eficaz na gestão pública”.

Por que você precisa ser um bom negociador?

Para alcançar o sucesso, é preciso dominar a arte da negociação

Redação, Administradores.com

Engana-se quem acredita que saber negociar é uma preocupação apenas daqueles que ocupam grandes cargos, lidam diariamente com transações extraordinárias ou precisam vender algo. A arte da negociação está sempre presente no nosso cotidiano, norteando nossas decisões. E, para alcançar o sucesso, é preciso dominar essa arte. É o que afirma o especialista em negociação Jaime Jimenez. Para ele, a importância da negociação é independente do ambiente de trabalho. “Crianças negociam, pais negociam, professores negociam, casais negociam, líderes negociam. A negociação é um recurso do ser humano para pleitear, conquistar e até mesmo para se posicionar”, afirma.

Foi pensando nisso tudo que construímos aqui o curso intensivo “Negociação & Influência”, que já está disponível no pay per view do Administradores Premium. Apresentado pelo professor Jaime Jimenez, que tem uma experiência de mais de 20 anos na área, com serviços prestados para boa parte das maiores empresas do Brasil, o curso é organizado de maneira objetiva, com foco total na aplicabilidade do conteúdo em sua rotina profissional.

Durante o curso, Jaime explica alguns dos fatores que entram em jogo na hora da negociação: a forma como as pessoas enxergam você, o quanto você é capaz de influenciar outras pessoas, como você se comunica e como se relaciona. O professor atenta para algumas questões que são essenciais na hora de negociar:

O processo de negociação

A negociação não é um evento que acontece apenas em um encontro ou reunião. É um processo que transcende o que está no papel, no orçamento, no projeto. “Na prática, algumas negociações não se dão em uma mesa de reunião. A mesa é o local onde se consagram ou não as ações que foram feitas antes. É o momento de “provar” não apenas tecnicamente o que se está vendendo, mas também de “tangibilizar” o porquê do que está sendo apresentado. Dessa forma, a negociação começa bem antes. No dia a dia, em função da sua legitimidade, da sua imagem, do seu relacionamento, da sua performance”, explica o professor. Por isso, é preciso saber gerenciar as percepções que as pessoas têm a seu respeito.

A importância da imagem

Em qualquer processo de influência e persuasão, é fundamental ficar atento às reações do interlocutor. Na negociação, não importa apenas o quê ou como você disse algo, e sim o que o outro entendeu. O professor Jaime explica que é necessário entender de que forma deixamos de “vender” nossas ideias, nossa imagem, nosso trabalho, não por quem somos, mas sim pelo que transparecemos aos demais, seja nossa situação, seja o papel que assumimos. “Muito negociadores falham porque se atém apenas aos aspectos técnicos, benefícios, valores e especificidades, e se esquecem que também precisam representar o que estão vendendo”, afirma.

Criar relações de confiança

Alguns indivíduos são tidos como “negociadores natos”, com grande facilidade para negociação e liderança. De acordo com Jaime, essas pessoas tendem a construir, naturalmente, relações de confiança com seus interlocutores. Isso acontece quando as pessoas percebem um padrão em sua postura e se identificam. São momentos em que é possível escutar coisas como “Ele (a) é assim com todos!”, “Ele (a) fala minha língua!”, “Ele (a) atua como eu atuaria!”.

De acordo com Jaime Jimenez, isso se deve a uma questão de legitimidade: as pessoas tendem a se relacionar e confiar em pessoas parecidas com elas mesmas ou que demonstrem interesse genuíno por aquilo que está sendo apresentado. “Na prática, quando acompanhamos isso no dia a dia, nos deparamos com comportamentos ou atitudes que são percebidas como legítimas com as pessoas que nos relacionamos. E que para isso ocorra, não se trata apenas de ‘química’ mas da junção de elementos de comunicação verbal, não verbal e, principalmente, da forma como nos adaptamos aos nossos interlocutores. No decorrer do curso “Negociação & Influência nos aprofundamos em cada um destes itens para facilitar a compreensão do processo”, explica.

SANTA HELENA: Com apoio do vereador Valdir do Magazine, Posto de Saúde é reaparelhado pela Prefeitura

O programa de reestruturação de postos de saúde, implementado pela Prefeitura de Santa Helena alcançou mais uma comunidade da zona rural do município. Desta vez, o benefício logístico reequipou o Posto de Saúde do Povoado São Pedro e contou com o apoio incondicional do vereador Valdir do Magazine.

Estudantes do povoado São Pedro, em Santa Helena, com o vereador Valdir do Magazine

O projeto, colocado em prática na gestão do prefeito Zezildo Almeida, tem como finalidade revitalizar unidades de saúde da rede municipal de Santa Helena. Além da reforma dos prédios, móveis e utensílios como freezers, climatizadores de ar, armários e estantes, aparelhos médico-hospitalares são distribuídos de forma planejada, para melhorar o atendimento da população nestas casas de saúde.

No povoado São Pedro os equipamentos foram entregues nesta quinta-feira (30) e o vereador Valdir do Magazine fez questão de acompanhar tudo de perto. “São ações como esta, realizadas pelo prefeito Zezildo que contribuem diretamente com a melhoria na qualidade de vida das pessoas, especialmente de quem mora fora da sede de Santa Helena. Tenho de agradecer ao nosso prefeito Zezildo e dizer, em nome da comunidade, que a sintonia entre os poderes constituídos promove melhoria na vida das pessoas. E esse é um dos papéis do parlamentar; trabalhar em parceria e harmonia com o prefeito em benefício da população”, disse o vereador Valdir.

O prefeito Zezildo Almeida reforçou que sua administração sempre foi e sempre será voltada para o bem estar dos helenenses, com atenção especial para as áreas da saúde, educação, saneamento básico, produção e infraestrutura. “Temos que agradecer a Deus por mais esse benefício que chega aos moradores da comunidade São Pedro. Estamos atuando em todo o município para o bem de todos”, enfatizou o prefeito.

Vale destacar que esse programa, voltado para reaparelhamento dos postos de saúde de Santa Helena, é fruto de
emendas parlamentares do deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) e de parcerias institucionais da Prefeitura com o deputado federal Victor Mendes (PSD).

 

Você pode se considerar democrático mas não sê-lo

Muitos não conseguem mais conviver com uma opinião que as desagrada sem transformar isso em ódio.

Blenda de Oliveira, via Vya Estelar

Hoje participei de uma cena que julgo deplorável. Estava num café e, ao meu lado, três amigos discutindo política. Dois eram petistas, mas irão votar em Marina. Um outro, simplesmente, declarou o voto em Bolsonaro.
Quase a terceira guerra instalada! Os rapazes da “esquerda” atacavam o suposto amigo de burro, ignorante, fascista e falavam alto:

“Cara, você é inteligente! Que aconteceu? Ficou burro de uma hora para outra?”

Cada vez em que o eleitor de Bolsonaro tentava se justificar, os outros dois falavam mais alto e conseguiam calar o “amigo”. O curioso é que defendiam a democracia e espumavam de ódio, porque o amigo não comungava das mesmas ideias.

É da democracia espumar de ódio, se quiser, mas é da democracia também o direito legítimo de cada um dar o seu voto para quem queira. Goste ou não!

Já vi muitos intelectuais do Facebook tratar pessoas que vão votar em Bolsonaro como cidadãos de segunda categoria. Pessoalmente, acho péssimo. Será que não é possível discordar e discutir ideias? Precisa depreciar a pessoa? Constranger?

Se incomodar tanto, deleta do seu grupo, esquece. Isso também é democrático.

As pessoas não conseguem mais conviver com uma opinião que as desagrada sem transformar isso em ódio, sarcasmo, lição de moral barata e depreciação.

Há pessoas excelentes e inteligentes que votam no PT, PSDB, Bolsonaro, Ciro, Boulos, no orangotango… Qualquer coisa que queira!

Há os que anulam, votam em branco ou não saem de casa para votar. Isso É UM DIREITO! Não é crime, ok?

Basta de tanto ódio.

VILA NOVA DOS MARTÍRIOS: Prefeitura inaugura sistema de abastecimento de água do Bairro da Paz 2

A Prefeitura Municipal de Vila Nova dos Martírios inaugurou neste sábado, 25, o sistema de abastecimento de água do Bairro da Paz, o projeto foi realizado, pelo Município, através do CIM- Consórcio Intermunicipal Multimodal em parceria com a Empresa Vale S. A.

O sistema contém mais de 10 mil metros de rede, reservatório de 100 mil litros de água e poço com 250 metros, e foi um compromisso feito pela Prefeita Karla Batista com a comunidade daquele bairro, onde beneficiará mais de 2000 mil pessoas que até o momento não tinham água em suas casas.

Prestigiaram o evento de inauguração da obra, além da prefeita Karla Batista, a vice-prefeita Vanusa Cunha, os vereadores Dorisel Lopes, Badeba, Radiola e Denir, os representantes da Vale Sr João Coral, Sra. Giselle Pinto, Sr. Saulo e Sr Adriano, varias lideranças políticas e comunitárias, os Secretários e Secretárias municipais e a população em geral.

Em seu pronunciamento o representante da Vale Sr. João Coral parabenizou o trabalho da prefeita Karla Batista a frente do Município e do CIM e reafirmou que a empresa Vale é parceira do Consórcio e dos Municípios e que está sempre aberta ao diálogo. A prefeita, em sua fala, fez questão de agradecer primeiro a Deus pela importante obra ali inaugurada, agradeceu a todos os colaboradores do projeto e enfatizou a grande importância que tem a parceria realizada entre a Vale e os Municípios através do Consórcio, disse da sua alegria em presidir relevante instituição e que encara esta tarefa como muito desafiadora e com muita responsabilidade.

#otrabalhocontinua
#patrimoniopublicomerececuidadodetodos