ESPAÇO FEMININO: Lorena Bobbitt e a história da mulher que castrou o marido virou série

Ela ficou famosa em 1993 ao cortar o pênis do marido com uma faca e jogar fora. 26 anos depois, Lorena Bobbitt conta seu lado da história.

(Amazon Prime Video/Divulgação)

Por Ligia Helena, via MdeMulher

Foi em 23 de junho de 1993, na cidade de Manassas, nos Estados Unidos, que Lorena Bobbitt, 24 anos, tomou a decisão que mudaria sua vida para sempre. Com uma faca de 30 centímetros, foi até o quarto, levantou o lençol sob o qual John Wayne Bobbitt, 26 anos, dormia, e cortou fora o pênis dele, com quem era casada havia quatro anos.
Com uma mão no volante e a outra segurando o pênis ensanguentado, Lorena tentava fugir. Para poder dirigir melhor, atirou o membro pela janela, e seguiu até o salão de beleza onde trabalhava como manicure.

Depois dessa noite, Lorena virou manchete em todo o mundo. Enquanto a imprensa estava preocupada em falar sobre a cirurgia que restaurou o pênis de John, e acompanhava a trajetória dele como ator pornô (sim!), a questão da violência doméstica contra ela nunca foi central.

Agora, 26 anos depois, a história dela – não mais Bobbitt, mas Lorena Gallo – será contada mais uma vez, em uma série documental de 4 episódios produzida por Jordan Peele (“Corra!”; “Infiltrado na Klan”; “Nós”) e dirigida por Joshua Rofé. A série estreia na sexta (15) na plataforma Amazon Prime Vídeo.

Foi Rofé quem procurou Lorena, com a ideia de contar a história dela, mas dessa vez focando nos abusos sofridos e que culminaram na castração do marido.

A história de Lorena e John Bobbitt

Nascida no Equador e criada na Venezuela, Lorena realizou em 1987 o sonho que tinha de se mudar para os Estados Unidos. Com um visto de estudante, aos 18 anos ela se matriculou em uma faculdade e foi morar na Virgínia. Lá, estudava e trabalhava em um salão de beleza.

Quando conheceu John, ele era um soldado da Marinha norte-americana. Ela conta ter se apaixonado pelo homem no uniforme, lindo e de olhos azuis. Em 1989, quando John tinha 22 anos, e Lorena 20, eles se casaram.

Não demorou muito para Lorena descobrir que de sonho havia pouco no casamento dela. Ela afirma que John batia nela, a estuprava e a ameaçava de deportação. Eles brigavam muito, e chegaram e se separar, mas depois se reconciliaram.

Na noite de 23 de junho de 1993, John voltou para casa depois de uma noite bebendo com um amigo. De acordo com Lorena, John a estuprou mais uma vez naquela noite. Quando ela foi à cozinha, viu uma faca. Segundo ela, a ideia não era ensinar uma lição ao marido, mas sim uma questão de sobrevivência: ela não suportava mais viver daquele jeito.

Lorena Bobbitt em 1994, durante seu julgamento. (Jeffrey Markowitz/Sygma/Getty Images)

Tanto John quanto Lorena foram a júri popular após o ocorrido. Ele foi absolvido das acusações de violência sexual. Ela foi absolvida das acusações de ferimento intencional devido à insanidade temporária. Mas o fato é que, após o julgamento, em 1994 John foi preso por bater em Kristina Elliott, uma ex-stripper de 21 anos, e em 2003 e 2004 por bater na então esposa Joanna Ferrell.

Lorena, por sua vez, fugiu dos holofotes, e voltou a trabalhar como manicure. Na faculdade, conheceu David Bellinger, que depois se tornou seu marido. Juntos eles tiveram uma filha, Olivia, que hoje tem 14 anos. Deu algumas entrevistas pontuais, como à Oprah Winfrey, em 2009 e a Steve Harvey, em 2015. Em 2007 fundou uma organização de apoio a mulheres e crianças vítimas de violência doméstica, chamada Lorena’s Red Wagon.

Com uma vida tranquila, por que voltar a falar sobre o caso ocorrido há 26 anos? Lorena disse em entrevista ao The New York Times que com o tempo percebeu que muitas mulheres eram vítimas de abuso e violência doméstica. E que, como tantas outras mulheres na época, foi vitimada também pela mídia.

Em 2019, o clima parece mais favorável para as mulheres do que era nos anos 1990. E, depois de ter virado piada por tantos anos, ela acreditou que valia a pena colocar luz nessa história novamente – com o objetivo de enfrentar o problema da violência contra a mulher.

Horóscopo 2019: as previsões para a carreira de cada signo 3

É preciso trabalhar com compaixão e respeito, pois diferenças constantes no dia a dia serão encontradas.

Júpiter em Sagitário quer que você vá além dos seus horizontes, e Saturno e Plutão em Capricórnio lembram que, para tanto, é preciso ser responsável e ter um objetivo bem claro a perseguir. Parece bastante coisa para apenas 12 meses, não é?

Confira o que os astros reservam para a sua carreira:

Áries
21/3 a 20/4
Trabalho será tema central neste ano, e você poderá viver situações decisivas. Construir seu futuro tijolinho por tijolinho fará toda a diferença. Tente deixar a rotina mais organizada para ter tempo de exercer suas várias funções e cuidar de seus interesses. Lembre-se de que qualidade é mais importante do que quantidade e que bons resultados geram frutos e recompensas. Sua criatividade ficará mais evidente. Alguma quantia de dinheiro deve entrar no começo do ano. Mas não saia gastando tudo de uma vez. Procure economizar e administrar os seus bens. Essa é uma lição que vai além. Saber poupar é garantia de renda para investir em sonhos maiores e ter um futuro mais tranquilo.

Touro
21/4 a 20/5
Para conquistar o sucesso merecido, você precisa saber o que quer. Estudar, além de enriquecer o currículo, pode lhe dar uma luz. Seja mais ousada e divulgue seu trabalho. Mostre aos outros como você pode ser criativa. Dedique-se a trabalhar em equipe, aproveitando o melhor de cada pessoa e absorvendo as lições que vão deixá-la mais sábia na área. O crescimento bem fundamentado e estável é sempre a melhor alternativa.

Gêmeos
21/5 a 20/6
Os astros prometem sucesso. As pessoas estão acompanhando o seu trabalho e esforço e valorizando cada vez mais os resultados. A criatividade ajudará nesse sentido, abrindo oportunidades em lugares que ninguém enxerga mais nada. Esse reconhecimento será merecido. Aproveite para fazer cursos e viagens, que são estimulantes naturais, e absorva os aprendizados onde menos espera. Uma dica importante: faça um planejamento a longo prazo e organize suas finanças, pois este é o ano ideal para plantar as sementes dos seus sonhos e, em breve, colher deliciosos frutos.

Cancer
21/6 a 21/7
O crescimento no trabalho é certo. Então, concentre-se no seu objetivo e coloque energia naquilo que quer ver prosperar. Quando você se dedica dessa maneira, as portas se abrem sem esforço e a rotina flui. De repente, você nota quão eficiente tem sido e aceita as recompensas sabendo que é merecedora. Ao aprender a confiar em si mesma, mostra-se disponível e apta a chefiar uma equipe ou assumir um cargo de mais responsabilidade. Em algum momento, a família pode reclamar de receber pouca atenção. Explique com calma quais são seus limites e objetivos.

Leão
22/7 a 22/8
Não se engane. A rotina de trabalho tende a ficar mais difícil, pois você vem acumulando responsabilidades. Com tanta coisa para fazer, aprenda a pedir ajuda e a dividir tarefas. É um momento especial para trabalhar em equipe, compartilhar conhecimento e ouvir outras opiniões. Se deseja empreender, observe o mercado e dê os primeiros passos em direção ao que almeja. O importante é construir tudo com segurança, com fundações firmes. Saiba conciliar a estabilidade com o lado sonhador.

Virgem
23/8 a 22/9
Você precisa superar a timidez e expor mais as ideias criativas que tem. Ao falar o que pensa, você fortalece vínculos e ganha aliados. Também mostra às pessoas que sabe bem o que está fazendo, que tem domínio sobre sua área. Invista em bons contatos e abra-se a parcerias. Uma sociedade talvez a faça crescer bem mais do que uma empreitada solo. Há, em você, uma veia empreendedora. Ative-a e veja no que isso vai dar. No entanto, estabeleça limites e não se deixe levar pelas sucessivas realizações. Esse resultado só se mantém a longo prazo se você souber equilibrar com a vida pessoal e manter a cabeça funcionando.

Libra
23/9 a 22/10
Sua criatividade lhe garantirá mais espaço no escritório ou, então, abrirá portas para você empreender em uma área nova. De todo modo, o lado profissional tem muito a ganhar neste ano. Evite cair na tentação das distrações, pois elas interromperão ritmos fluidos de pensamento. Mantenha a agenda organizada e anote compromissos e tarefas. Aprenda a identificar em quem você pode confiar. A dica é escutar sua intuição sempre e não expor sua vida pessoal sem necessidade. Outro setor que deve receber atenção são as finanças. A ansiedade com o trabalho não é motivo para sair por aí gastando tudo o que ganha em vez de focar em um futuro mais satisfatório.

Escorpião
23/10 a 21/11
A promessa é de estabilidade na vida profissional. As coisas tendem a continuar mais ou menos como estão, mas, claro, se você colocar energia no que quer, melhor ainda. Vale a pena ir tocando o que já está dando certo e, se você quiser mesmo mudar, vá construindo o novo cenário aos poucos, com segurança. As parcerias serão garantia de bons resultados este ano. Esteja aberta a ouvir as pessoas e adote essa postura também no trabalho. Negocie a possibilidade de trabalhar em casa alguns dias, pois, no seu refúgio, o rendimento deverá ser maior. É uma maneira de se preservar das relações tóxicas que acabam ocorrendo no escritório.

Sagitário

22/11 a 21/12
Você tem tudo para crescer e se desenvolver, alcançando sucesso e concretizando projetos nos quais vem trabalhando há tempos. O astral também é positivo para quem quer começar algo. Pode ser uma mudança de emprego ou um novo negócio. Aliás, se quer ser dona da própria empresa, a hora não poderia ser mais perfeita. Só preste atenção nas finanças, pois não é indicado arriscar tudo que você vem guardando. Separe uma parte para o futuro – parece distante, mas chegará o momento em que vai querer uma vida mais tranquila. Rever seus valores será fundamental para ter clareza sobre suas prioridades e poder investir tempo e energia nas coisas certas. Até porque o Universo promete bons resultados, mas vai exigir que você faça sua parte. Mãos à obra!

Capricórnio
22/12 a 20/1
Você estará mais criativa e inspirada. Entretanto, isso não quer dizer que deixará as responsabilidades e datas de entrega de lado. Você deverá unir o melhor de cada uma dessas características. Tente juntar forças e prefira trabalhar em equipe. Converse com seus colegas ou amigos, pois daí virão as ideias que irão ajudá-la. É provável que você seja reconhecida pelo seu trabalho e receba uma promoção ou bonificação financeira. Isso será o suficiente para estimulá-la e enchê-la de energia. As pessoas também devem elogiá-la, e os chefes deixarão claro que estão satisfeitos com o que você vem fazendo.

Aquário
21/1 a 19/2
Esqueça essa pressa de alcançar resultados, pois o que importa é estar na direção certa. Entenda que, se você planejar direitinho e se dedicar, o crescimento virá. A carreira deve trazer satisfação e alegria. Caso ande mais chateada do que feliz ultimamente, talvez seja a hora de pensar em algo diferente, em fazer uma transição. Organize seu tempo de maneira que possa refletir e avaliar tudo isso. Não tome nenhuma atitude por impulso e aproveite com moderação o dinheiro que ganhar. Muitas vezes, sem perceber, nos perdemos com os pequenos gastos, que, ao final, levam ao prejuízo. Invista somente no que for um plano próspero e guarde o restante.

Peixes
20/2 a 20/3
Este será o ano da virada. Se não está satisfeita com o trabalho atual e quiser experimentar algo novo, chegou a hora de fazer essa movimentação. Vale correr atrás da posição dos sonhos, se candidatar para uma empresa com benefícios melhores ou até abrir o próprio negócio. É possível que você precise manter atividades em paralelo até que a nova função seja definitiva. Aguente firme essa situação, pois ela é temporária e valerá a pena posteriormente. Resgate sua inspiração e criatividade e aprimore a comunicação para expor melhor as ideias e fazer contatos. Para o seu sucesso profissional, também são importantes a organização e a escolha das parcerias. Ter ao seu lado as pessoas certas é o jeito de garantir o melhor resultado.

(Fonte: Revista Claudia)

O carisma da primeira-dama Michelle Bolsonaro 2

Se é verdade que o Brasil está sob comando de um governo conservador nos costumes, não é menos verdade que ontem, durante a cerimônia de posse presidencial, Michelle Bolsonaro roubou a cena e mandou um recado para a nação brasileira de que não será uma mera primeira-dama e muitos menos fará o estilo “recatada e do lar”

Entre os principais momentos da posse do presidente Jair Bolsonaro, não há como deixar de mencionar o discurso da primeira-dama Michelle Bolsonaro feito em libras, que é linguagem brasileira de sinais para comunicação com deficientes auditivos.

Para além de quebra de protocolos, o gesto protagonizado pela esposa do novo presidente, além de inédito, sinaliza que a Michelle poderá ter um papel de destaque no novo governo pelo seu engamento em causas sociais, como a da inclusão de portadores de deficiência física e, claro, pelo carisma marcante da primeira-dama.

Em tempos de narrativas sobre empoderamento feminino, o que se viu ontem em Brasilia foi um gesto que dá força a tal narrativa, hoje quase um monopólio das esquerdas. Aliás, uma das posturas arrogantes das esquerdas é exatamente achar que o processo de emancipação da mulher só pode ser dado em governos situados no espectro político-ideológico esquerdista. Ledo engano.

Se é verdade que o Brasil está sob comando de um governo conservador nos costumes, não é menos verdade que ontem, durante a cerimônia de posse presidencial, Michelle Bolsonaro roubou a cena e mandou um recado para a nação brasileira de que não será uma mera primeira-dama e muitos menos fará o estilo “recatada e do lar”. É aguardar e conferir.

A seguir, o discurso em libras de Michelle Bolsonaro.

DIREITOS DE PERSONALIDADE: Mulher é condenada por acessar rede social de ex e publicar texto autodepreciativo

Por Jomar Martins, via ConJur

Acessar o perfil de ex-cônjuge em rede social, publicando mensagem como se fosse o titular da conta, viola direitos de personalidade assegurados no inciso X do artigo 5º da Constituição. Caracterizado o ato ilícito, há a obrigação de reparar a parte ofendida, como dispõe o artigo 927 do Código Civil.

Por isso, a 9ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul acolheu apelação de um homem que teve a sua conta no Facebook invadida pela ex-companheira, revoltada por não receber a pensão alimentícia da filha. O colegiado reformou a sentença de improcedência, arbitrando a indenização por danos morais em módicos R$ 300, considerando as razões da ré e o pouco caso do autor com a segurança de sua senha.

Fazendo-se passar pelo ex-cônjuge, a ré postou na página dele uma mensagem em tom autodepreciativo: “eu sou pessoa sem caráter, vagabundo” e “deixei minha filha passar fome e estou me divertindo’’. O homem então ajuizou ação indenizatória contra a ex-companheira, já que a postagem atraiu vários comentários questionando o seu caráter. Pediu 20 salários mínimos pelos danos morais causados.

À 2ª Vara Cível da Comarca de Santa Cruz do Sul, a ré admitiu ter utilizado a senha do ex-companheiro para publicar a mensagem. Disse que estava em ‘‘estado de desespero’’, pois este não pagava a pensão alimentícia para a filha, mesmo sendo cobrado há vários meses. Afirmou ter acessado a conta para descobrir no que ele gastava o salário. Admitiu que foi acometida de ‘‘um surto de descontrole’’ ao descobrir que o salário do autor era gasto todo em festas, enquanto ela passava dificuldades. Por fim, sustentou que ‘‘estava no direito’’ de extravasar suas angústias e preocupações.

Questões conjugais
O juiz André Luís de Moraes Pinto reconheceu que a postagem tinha nítida potencialidade para violar os direitos de personalidade da parte autora, pois excedeu a mera crítica pessoal, dando indícios de ato ilícito. Entretanto, ponderou que a conjuntura em que se deu a manifestação trouxe à tona questões conjugais que descambaram para ações judiciais, exigindo solução diversa da condenação por responsabilidade civil.

Em consulta ao sistema eletrônico do TJ-RS, o julgador verificou a existência de várias ações entre as partes litigantes, incluindo revisão de guarda da filha, pensionamento e medidas protetivas, além de dois processos-crime contra a honra. Além disso, ressaltou que a parte autora não comprovou ter pagado, no prazo certo, a obrigação alimentar.

Para o julgador, esse quadro oferece ‘‘justificativa razoável’’ para elidir a responsabilidade da ré, pressionada pela situação vivenciada e inconformada com o fato de o pai não pagar a pensão.

‘‘O ato, tal como praticado, desvela o desespero pelo qual foi tomada. Contudo, esta decisão não significa um salvo-conduto para autora no futuro, devendo extrair aprendizado do que se sucedeu e procurar conter seus impulsos, optando por buscar caminhos adequados, por meio dos quais irão transitar seus reclames. É o que entendo mais justo na situação em liça. Pelo fio do exposto, julgo improcedente a pretensão civil’’, escreveu na sentença.

Conduta reprovável
A sentença acabou reformada pelos integrantes da 9ª Câmara Cível do TJ-RS, por entenderem que as eventuais condutas reprováveis do autor não excluem a responsabilidade da demandada, podendo, apenas, atenuá-la. Ou seja, essas condutas podem ser ponderadas no momento de quantificar o quantum indenizatório.

O relator da apelação, desembargador Eugênio Facchini Neto, observou que há meios de as pessoas resolverem os seus problemas, mas certamente invadir o Facebook de ex-companheiro, para depreciá-lo, não está entre eles. Assim, os atos praticados pela ré são suficientes para levar ao reconhecimento do dever de reparação moral.

‘‘Afinal, reafirmo, a circunstância de a ré estar alegadamente desesperada em razão de o autor não estar pagando a pensão alimentícia da filha — fato que a teria feito ter um dito ‘surto de descontrole’ ao descobrir, por meio do acesso desautorizado ao Facebook, que o demandante estaria gastando dinheiro em festas —, não consiste em excludente de ilicitude’’, explicou no acórdão.

Após analisar o caso concreto, Facchini Neto arbitrou o valor da indenização por danos morais em R$ 300, valor a ser corrigido desde 1º de setembro de 2015 — data da postagem na rede social. O relator destacou a falta de cuidado do autor na administração de sua conta na rede social, já que a ré conseguiu acesso ao perfil porque ele não tomou a cautela de trocar a senha.

‘‘Sopeso, também, a ausência de demonstração do alcance que as mensagens tiveram; ou seja, das reais repercussões que elas tenham tido perante terceiros e dos efeitos negativos provocados ao requerente’’, concluiu no voto.

Clique aqui para ler a sentença.
Clique aqui para ler o acórdão.
Processo 026/1.16.0004965-0 (Comarca de Santa Cruz do Sul)

NATAL: Uma bela e emocionante dica da ex-deputada Helena Heluy para esta noite da Natividade

Recebi este vídeo de um parente muito querido.

Achei por bem compartilhá-lo, neste Natal, entre os amigos e amigas do Facebook, com meus votos de muita saúde, paz, bom humor, esperança em um mundo melhor e mais igual, onde homens e mulheres caminhem juntos no combate à violência, ao ódio, à discriminação, à inveja e ao preconceito.

Que todos e todas possam, efetivamente, viver a proposta do Pai porque lhes serão assegurados, em plenitude, moradia digna, educação de qualidade, segurança cidadã, saúde, trabalho com justo salário, aposentadoria decente, respeito aos direitos adquiridos, aos atos jurídicos perfeitos e à coisa julgada.

Enfim, “QUE TODAS E TODOS TENHAM VIDA E VIDA EM ABUNDÂNCIA”. Eis o desafio que temos, permanentemente, encarnado no verdadeiro espírito do Natal.

Chamar mulher de bonita e gostosa é ofensa ou elogio? Claudia Ohana sente falta 2

por Ricardo Kotscho

Está na capa do UOL: “Cláudia Ohana fica triste por não ser chamada de `gostosa´ na rua”.

Ela explica: “Acho que o momento está mais careta porque está radical demais, que é talvez para melhorar, ter um equilíbrio (…). É uma pena, antigamente você andava na rua e várias pessoas assoviavam e chamavam de gostosa. Hoje não pode mais, você fica triste”.

A matéria da repórter Marcela Ribeiro, que não pode ser chamada de machista e misógina, justifica a tristeza de Cláudia, a eterna Natasha de “Vamp”:

“Aos 55 anos e avó de dois netos, Cláudia Ohana está com tudo em cima”.

Por coincidência, causou polêmica um post que publiquei outro dia no meu Face chamando Tatá Werneck de “bonita e gostosa”, por ter recebido um prêmio de melhor do ano do mesmo UOL.

Para mim, é a maior revelação de atriz dos últimos anos, além de ser uma belíssima mulher, cheia de talento e energia.

“Gostosa?????”, reagiu uma leitora com várias pontos de interrogação. Sim, eu acho, mas é questão de gosto, ninguém é obrigado a concordar comigo.

Mas teve gente, algumas mulheres queridas, que ficaram chocadas com os adjetivos que usei para elogiar a atriz.

“Você está perdendo o senso do ridículo, cuidado. Como é que você escreve uma coisa dessas?”

Fiquei tão assustado com a reação, que acabei excluindo o post para evitar mais mal entendidos.

Pratiquei pela primeira vez a autocensura, antes que volte e censura.

Tudo que você precisa explicar depois é complicado, como bem sabem os Bolsonaro, após as revelações sobre o caixa eletrônico do ex-motorista da família.

Como costumo usar este espaço para comentar assuntos menos amenos e saborosos ligados à política nacional, fiquei com receio de queimar meu filme com as leitoras por bobagem.

Achei estranha a reação porque tinha certeza de ter ouvido recentemente “As Frenéticas” _ um antigo grupo vocal formado por mulheres, obviamente _, cantando alguma coisa parecida na televisão, acho que no programa do Pedro Bial.

Fui ao Google para pesquisar e era isso mesmo, não estava enganado.

Digitei “bonita e gostosa” e logo apareceu a letra de “Perigosa” (até rimou…), música de Nelsinho Motta, Rita Lee e Roberto Oliveira:

Sei que eu sou

Bonita e gostosa

E sei que você

Me olha e me quer

Eu sou uma fera

De pele macia

Cuidado, garoto,

Eu sou perigosa!

Lembram-se?, foi trilha de novela e fez muito sucesso lá pelos anos 70, em plena ditadura militar, quando o mundo ainda não era tão careta, por incrível que pareça.

Estes três compositores também não podem ser catalogados como machistas inveterados que não respeitam as mulheres, penso eu.

Será que até nisso estamos andando para trás?

Sou do tempo em que era impossível não arriscar ao menos um olho ao ver mulher bonita, e as mulheres faziam o mesmo ao ver um homem bonito.

Hoje, é tudo perigoso, você tem que tomar mil cuidados ao falar e escrever.

Nelsinho, Rita e Roberto fizeram belos versos de amor, de alegria, de festa, de loucura.

Eu tenho uma faca

No brilho dos olhos

Eu tenho uma louca

Dentro de mim…

Por outra dessas ironias da vida, “As Frenéticas” cantaram isso numa época em que ainda havia censura e tortura, e nem por isso se intimidaram.

Como lembra Cláudia Ohana, outra bonita e gostosa de respeito, sem medo de ser feliz:

“Sinto saudade da liberdade de expressão, das pessoas falarem o que quiserem, de ser quem você quiser”.

A gente tinha medo de ir em cana por qualquer motivo, mas não por elogiar mulheres que nos dessem motivos.

Daqui a pouco, a seguir nesta marcha, vamos ter que pedir licença para fazer o que os antigos chamavam de paquera:

“Se a senhorita me permite, com todo respeito, posso lhe fazer um gracejo? Vai ser bonita e gostosa assim na casa do chapéu. Não olha para mim desse jeito porque eu posso não resistir… É melhor tomar cuidado”.

É capaz da Rita Lee (de quem fui colega no colegial do Liceu Pasteur, nos longínquos anos 60 do século passado), compor uma nova música com sinais invertidos: “Eu sou recatada e do lar”.

Seria engraçado… Só não podemos perder o bom humor.

Tempos estranhos, como diz aquele ministro do STF.

Só falta agora criarem uma polícia dos costumes neo-pentecostais fundamentalistas.

Vida que segue.

ESPAÇO FEMININO: O sexo segundo o zodíaco

O que seria desse mundo, cada vez mais cruel, sem algumas bobagens para a gente acreditar, ainda mais bobagens românticas que envolvem paixão, amor e sexo, não é mesmo?

Há pessoas que ignoram, outras simplesmente não acreditam.

Contudo, a quem não abre de saber o que o seu signo diz para cada dia e, claro, sobre o que os atros tem a revelar quando o assunto é relação afetiva, paixão e… sexo!

É quando o zodíaco sai do plano meramente das superstições e miticismo e passa para o território da libido.

Enquanto aquariano, desde a juventude nutro um fascínio pelo que os signos dizem, revelam, recomendam etc. Aliás, gosto muito de ser aquariano, até porque muito que leio sobre esse signo consigo ver reflexo na minha personalidade.

Bobagem? Pode ser, mas o que seria desse mundo, cada vez mais cruel, sem algumas bobagens para a gente acreditar, ainda mais bobagens românticas que envolvem paixão, amor e sexo, não é mesmo?

Pois bem. Em artigo para o site Vila Mulher, a astróloga Fátima Gomes conta o que cada signo procura na cama e as diferenças entre cada astro. Achei interessante a abordagem da especialista a resolvi reproduzir aqui no Espaço Feminino.

Espero leitores e leitoras gostem de OS SEGREDOS SEXUAIS DE CADA SIGNO, da astróloga Fátima Gomes. Confiram.

Cada signo tem seu jeitinho especial, seja na vida profissional, nas amizades, no amor ou no sexo. A personalidade sexual de cada signo expressa as peculiaridades de cada um e mostra o que de fato essas pessoas procuram na cama. Veja a seguir os segredinhos sexuais que mexem com a cabeça de cada astro.

Áries:
Não tem medo de mostrar os seus desejos na cama, e a sua impetuosidade pode até por vezes assustar o seu par. Gosta de assumir o papel de comando, de ousar e experimentar coisas novas. A adrenalina de uma “rapidinha” pode ser um poderoso afrodisíaco para este signo tão sexual. A emoção do perigo e o contato com a Natureza excitam a sua libido. Carícias na nuca levam-no ao êxtase.

Touro:
Não se mostra facilmente, mas quando sente confiança no seu par o nativo deste signo demonstra uma forte sensualidade é um vigor sexual difícil de acompanhar. Aprecia preliminar carinhoso e demorado, gosta de fazer amor sem pressa e num ambiente seguro e confortável. Incluir chocolate, leite condensado, gelo ou outro alimento apetitoso na relação sexual deixa-o literalmente com água na boca.

Gémeos:
A criatividade é o mais poderoso afrodisíaco para quem nasceu sob este signo. Precisa variar de posição e de local e que espicacem a sua libido, pois a rotina aborrece-o, tornando-o frio e indiferente. Tem particular sensibilidade nas mãos, nas costas e nas orelhas. Sussurrar palavras picantes ao seu ouvido deixa-o quase sempre em brasa.

Câncer:
Precisa ter segurança para se entregar sexualmente, mas quando sente que é amado o nativo de Câncer mostra uma faceta capaz de surpreender verdadeiramente, entregando-se de corpo e alma à relação sexual. Precisa, no entanto, de mimo constante, pois se sente que o par não retribui na mesmo medida sente-se muito magoado e triste. O peito e a barriga são zonas particularmente erógenas, e as carícias nestas partes do corpo fazem-no estremecer por completo.

Leão:
O domínio excita-o, e sentir que o seu par está completamente rendido a seus pés é uma das fantasias eróticas mais recorrentes do nativo de Leão. Os elogios estimulam-no, fazendo com que se empenhe ao máximo para deixar uma impressão inesquecível. Embora esbanje sensualidade e erotismo, não dispensa o romantismo. Um quarto cheio de espelhos, lençóis de cetim ou uma banheira com espuma perfumada e duas flûtes de champanhe são capazes de levá-lo ao sétimo céu.

Virgem:
Sob a sua postura tranquila e discreta, Virgem esconde um poderoso vulcão sexual, que entra em erupção quando sente segurança na relação e confia na pessoa com quem se relaciona. Derrubar as barreiras que a sua personalidade cria pode levar tempo e exigir dedicação do seu par, mas sem dúvida que vale a pena pois Virgem é capaz de se revelar um amante extremamente sensual e intenso. Nem sempre tem coragem, contudo, de revelar as suas fantasias, mas mantém o secreto desejo de experimentar as loucuras mais improváveis. Uma cama perfumada com lençóis recém-lavados inebria os seus sentidos, e um banho partilhado a dois deixa-o exalta as suas emoções.

Libra:
O romantismo e a delicadeza fazem parte do charme inconfundível do nativo de Balança. Embora seja sensual por natureza, precisa de se sentir envolvido emocionalmente para se envolver a nível sexual, e não se entrega com facilidade. Aprecia longos preliminares cheios de requinte e atenção. Todos os jogos de sedução e conquista são poderosos afrodisíacos, desde que sejam refinados e elegantes. Um hotel de cinco estrelas ou um quarto com vista sobre o mar é local que o podem fazer sentir-se no paraíso.

Escorpião:
Sob a influência de Plutão, este é um dos signos mais eróticos do Zodíaco. Intenso, provocador e ousado, encara a relação sexual como uma experiência metafísica, na qual procura sempre ultrapassar os seus próprios limites. Com uma mente ardilosa, capaz de incendiar o desejo do mais gélido dos parceiros amorosos, Escorpião mostra-se impetuoso e nunca aceita um “não” como resposta. Experimentar tudo, fazer tudo, em toda e qualquer parte – para ele, não há limites para o prazer.

Sagitário:
Para Sagitário, a variedade é sem duvida o sal da relação. Gosta de experimentar todas as posições, mas tem certo fraquinho por sexo ao ar livre, em locais inesperados ou proibidos, e gosta particularmente de fazer amor em pé. Tem um fôlego aparentemente inesgotável, mas se sente que a relação está morna é capaz de se mostrar frio e desprendido. A adrenalina é um dos mais potentes combustíveis para alimentar o seu desejo – fazer amor numa situação que envolva certo risco incendeia-o.

Capricórnio:
Dentro de quatro paredes, num local confortável e afastado dos olhares indiscretos, Capricórnio despe a sua postura séria e recatada e revela a fera que existe dentro de si. Gosta de assumir o comando na relação sexual, e sente-se inebriado pelos ambientes luxuosos, pelos fetiches com pormenores requintados e quando sente o fascínio que exerce sobre o seu par. Nem sempre se sente à vontade para revelar as suas fantasias, mas não hesita em dar forma às ideias que o parceiro lhe sugere.

Aquário:
A originalidade característica dos nativos deste signo é também bem explícita entre lençóis, onde se aborrece com a rotina e procura explorar sempre novas posições, novos locais e horas – para Aquário a espontaneidade é a lei do desejo, e procura que o seu par acompanhe o seu ritmo imprevisível, direto, sem tabus nem rodeios. Beijos nas orelhas e no pescoço fazem as suas delícias.

Peixes:
Para a apurada sensibilidade deste signo é inconcebível haver sexo sem amor. O envolvimento afetivo com a outra pessoa é a própria essência do seu prazer, pois para este nativo o sexo é visto como uma experiência quase transcendental, de comunhão com o outro. Anseia encontrar a sua alma-gémea e viver um verdadeiro conto-de-fadas. Fazer amor num local com água – piscina, rio, lago – inunda o seu coração de prazer e traz mil sensações aos seus sentidos.

Fátima Gomes – Baronesa da Itália e Mestre em Ciências Místicas, especialista em Feng – Shui, Tarô, Astrologia, Angeologia e Numerologia.

Homicídio de funcionária do Magazine Luiza leva Luiza Trajano à luta contra abuso

“Eu sabia há muito tempo que uma mulher é morta no Brasil a cada duas horas, mas confesso que achei que era uma questão muito distante de nós”

(InfoMoneyTV)

(Bloomberg, via Infomoney) — Luiza Helena Trajano, presidente do conselho da varejista brasileira Magazine Luiza SA, tinha acabado de concluir uma palestra, no ano passado, quando recebeu telefonemas do time de segurança da empresa: a gerente de loja de Campinas Denise Neves dos Anjos, 37 anos, havia sido esfaqueada até a morte em seu quarto. O marido de Denise, o principal suspeito, tinha sido encontrado morto em seu carro.
O assassinato violento – o corpo de Denise estava amarrado e seu pescoço cortado – chocou Trajano, filha única que cresceu no Estado mais rico do Brasil e nunca enfrentou atos de brutalidade.

“Eu fiquei muito mal”, disse Luiza em entrevista na sede do Magazine Luiza, em São Paulo. “Eu sabia há muito tempo que uma mulher é morta no Brasil a cada duas horas, mas confesso que achei que era uma questão muito distante de nós”.

O choque se transformou em determinação. Após o assassinato, Luiza criou uma linha telefônica na qual os funcionários podem denunciar violência ou atividades suspeitas. A empresa já recebeu 180 chamadas, incluindo de homens, segundo ela. As vítimas recebem ajuda legal e psicológica e conselhos sobre como denunciar crimes às autoridades.

O Magazine Luiza também estabeleceu cotas: as mulheres abusadas agora devem representar pelo menos 2 porcento dos funcionários nas empresas terceirizadas, pois ter um emprego traz independência financeira e pode ser o primeiro passo para uma mulher ter os meios para deixar um marido abusivo, disse Luiza. A empresa também criou campanhas de vendas para arrecadar fundos para organizações não-governamentais que apoiam as mulheres.

A mais famosa dessas campanhas foi a venda de 30.000 colheres em dois dias, ao preço de R$ 1,80 por colher, no Dia das Mulheres deste ano, sob o lema: “Vamos meter a colher sim,” uma referência ao ditado popular “Em briga de marido e mulher ninguém mete a colher.”

Ranking de bilionários

Luiza transformou a Magazine Luiza de uma pequena firma criada em 1957 por sua tia e tio, Luiza Trajano Donato e Pelegrino José Donato, em uma empresa com valor de mercado de R$ 28,8 bilhões (US$ 7,8 bilhões). As ações da varejista subiram 88 porcento este ano, em comparação com 13 porcento do Ibovespa. A valorização empurrou Luiza para as ricas fileiras dos bilionários brasileiros. Sua participação de quase 19 porcento, principalmente por meio de holdings com controle acionário, vale R$ 5,47 bilhões.

Luiza atribui parte desse sucesso ao fato de ser mulher, trazendo uma perspectiva que está faltando no topo de algumas empresas brasileiras.

Invista melhor seu dinheiro. Abra uma conta gratuita na maior corretora do Brasil.

“Tenho reuniões em que sou só eu de mulher, mas eu tenho a minha intuição, a perspicácia de ser feminina, uma maneira feminina de administrar”, disse ela. “Eu não tenho nada contra os homens; acredito na união de forças masculina e feminina.”

Um exemplo: Luiza é conhecida por chorar em reuniões de trabalho. Enquanto esse tipo de emoção é reprimida em um ambiente de gestão dominado pelos homens, Luiza considera que ela humaniza a cultura corporativa.

“Se eu tivesse de chorar, eu chorava”, disse ela.

No mês passado, Luiza esteve à frente de uma platéia de 200 pessoas, incluindo presidentes-executivos e presidentes de conselho, na inauguração do laboratório de inovação remodelado da varejista, uma operação com mais de 450 engenheiros e especialistas dedicados à criação de produtos e serviços com novas tecnologias. Ela falou sobre as medidas que as empresas poderiam adotar para enfrentar o problema da violência contra as mulheres no Brasil.

Alguns dos fatos preocupantes: mais de 500 mulheres são vítimas de agressão a cada hora no Brasil, e uma mulher é estuprada a cada 11 minutos. Um estudo da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais estimou que um terço das mulheres brasileiras assassinadas em 2013 foram mortas por um parceiro ou ex-parceiro afetivo.

Enquanto as mulheres representam mais da metade da população, elas passarão a ocupar apenas 15 porcento dos assentos nas duas casas do Congresso após pequenos ganhos nas eleições de domingo. A votação trouxe uma retumbante vitória no primeiro turno para Jair Bolsonaro, que chegou a dizer que não pagaria o mesmo salário para mulheres e homens, e afirmou a uma congressista que ela não “merecia” ser estuprada.

“Vou enviar meu diretor de recursos humanos aqui imediatamente”, disse Romeu Domingues, presidente do conselho da Diagnosticos da América SA, que participou do evento da Magazine Luiza. “Cerca de 75 porcento dos nossos funcionários são mulheres, assim como 75 porcento dos nossos clientes. Sempre soubemos que a violência era um problema, mas não pensávamos em como poderíamos agir.”

Outro participante, Fabio Coelho, presidente do Google para o Brasil, chamou Luiza de “uma das grandes embaixadoras dos direitos das mulheres no Brasil neste momento”.

Entre os outros empreendimentos de Luiza está o grupo Mulheres do Brasil, que apóia a igualdade de renda e gênero, bem como cotas para levar mais mulheres ao mercado de trabalho. Fundada em 2013 com 40 executivas, a organização conta atualmente com mais de 19.000 membros.

Como líder do grupo, Luiza tem falado com juízas, promotoras, chefes de polícia e outras mulheres em cargos de autoridade para incentivar políticas como mais delegacias de polícia abertas nos finais de semana e a contratação de psicólogos para ajudar mulheres vítimas de abuso. Ela também apóia iniciativas para levar programas de assistência para mulheres a mais centros de saúde pública. Na arena corporativa, o grupo está fazendo campanha por uma regra que estabeleça uma cota de 30 porcento para as mulheres nos conselhos de administração das empresas brasileiras.

Luiza, que diz que sua família lhe ajudou a ter uma “boa auto-estima”, sempre foi uma inovadora. A Magazine Luiza foi pioneira em 1991 quando criou um dos primeiros negócios on-line do Brasil, a chamada loja do ano 2000.

“Ninguém entendeu o que isso significava naquela época”, disse ela.

Enfrentando a controvérsia

À frente da varejista de 1991 a 2015, Luiza também se deparou com a pressão de analistas que pediam que a empresa separasse suas lojas físicas da plataforma digital. A empresa chegou ao valor de apenas R$ 174,2 milhões em dezembro de 2015 com a controvérsia.

“Não acreditávamos nessa separação, porque pensávamos que isso somente aumentaria nossos custos”, disse Luiza.

A empresa investiu em um centro de distribuição e de transporte integrado, em laboratórios de digitalização e inovação. “Hoje, somos uma empresa de tecnologia, visitada por pessoas de todo o mundo”, disse ela. O mercado acabou se rendendo ao modelo integrado e agora, enquanto os concorrentes tentam recuperar o atraso, a Magazine Luiza prospera, com mais de 900 lojas, 25.000 funcionários e um terço de suas vendas pelo comércio eletrônico.

Trajano não quis falar sobre seu candidato preferido na eleição presidencial deste mês. Mas deixou claro apenas um ponto: “Não gostamos de nenhuma declaração, de político ou não, que menospreze qualquer tipo de diversidade, de raça, gênero, que menospreze a mulher.”

–Com a colaboração de Julia Leite.

Repórteres da matéria original: Fabiola Moura em São Paulo, fdemoura@bloomberg.net;Felipe Marques em São Paulo, fmarques10@bloomberg.net;Cristiane Lucchesi em São Paulo, clucchesi5@bloomberg.net

Para entrar em contato com os editores responsáveis: Michael J. Moore, mmoore55@bloomberg.net, Steve Dickson, Dan Reichl

RELACIONAMENTOS: A incrível história de Paolo Mendes e suas duas “buchudinhas” 2

Paolo Mendes* é um jovem tranquilo, fala mansa, o tipo de cara que se pode chamar de “gente boa”. Além de tudo, trabalhador, tanto que nas horas vagas faz bico pelo aplicativo Pop 99, um concorrente do Uber.

E não é à toa que o Paolo Mendes tem mesmo que se “virar nos trinta”, pois ele protagoniza uma história digna de reportagem para grandes emissoras de tevê.

O caso é um seguinte.

Paolo casou-se três vezes. Com a sua primeira esposa teve um garoto. Com a segunda separou-se sem ter feito filho na moça – não sei por qual milagre.

Agora, com a sua terceira companheira, o danado já encomendou um “bacuri” e a jovem está grávida de três meses. Até aqui nada demais, não é mesmo? Mas…

É no “mas” que moram os detalhes.

Paolo conta que durante esse seu terceiro relacionamento, teve uma “recaída” pela primeira esposa. E numa dessas “recaídas”, imaginem vocês: ela fica grávida novamente do motorista do 99.

A história poderia acabar por aqui.

Ocorre que quando a terceira mulher, já grávida de três meses, soube pelo próprio Paolo sobre a nova gravidez da primeira esposa, além de ter ficada “revoltada” com a situação, ela disse que não abriria mão dele.

Ao contar para a primeira mulher, agora grávida novamente, não esqueçam, ela teve a mesma reação da terceira e disse que não ia deixar que “a outra” ficassem com seu marido, pois eles ainda eram casados “no papel” – Paolo não chegou a se separar oficialmente do primeiro casamento.

O resultado de toda essa confusão é que Paolo reuniu as suas duas companheiras grávidas e sugeriu que morassem juntos. Isso mesmo! Amor a três, aliás, a três não, a cinco, já que há dois filhos a por vir no meio disso tudo.

Lógico que perguntei como ele enfrentava essa situação; e na sua simplicidade ao falar, respondeu: “Elas não deram escolha. Nenhuma delas aceitaram abrir mão do relacionamento comigo, apenas xingavam uma a outra. Então fiz a proposta para a gente juntos e elas toparam”.

Eu de novo: “E como você vira com a duas dentro da mesma casa”?

Ele: “Cada dia durmo como uma, a gente vai alternando”.

Ao chegar no meu destino, parabenizei o Paolo pela sua história e fiz uma última pergunta:

“Há muita briga entre as suas duas mulheres debaixo de mesmo teto?”

“Muitas, mas coisas de mulher”, minimizou a confusão com um sorriso maroto.

E depois completou: “Mas, minha preocupação maior agora não é com elas, mas com os dois moleques quem estão vindo aí, por isso que estou trabalhando até essa hora” – eram 2h30 da madrugada quando o Paolo me deixou em casa vindo do aeroporto.

Sorrimos juntos e desejei boa sorte ao Paolo.

E para os dois filhos que vão chegar e, claro, para as suas duas “buchudinhas” (Rsrsrs).

Paolo Mendes* é um nome de fantasia, já que não pedi autorização ao motorista do 99 para relatar essa história. Porém, o Blog do Robert Lobato vai entrar em contato com o “Paolo” para saber se esse “herói” topa, pessoalmente, contar essa façanha digna de séries globais.

COISAS DO CORAÇÃO: Sobre “fake love”

Para se defender deles e não cair nas armadinhas, tem-se que ficar vigilante e não ficar preso a uma relação que machuca, que não é saudável.

 

Nunca se falou em tanto em fake news como neste ano de 2018, principalmente por conta do processo eleitoral.

Como se sabe, a expressão inglesa significa “notícias falsas” ou “falsas informações”.

Mas não é apenas no mundo do jornalismo onde a prática de “fakes” ocorrem. Aliás, fakes estão por toda parte, em todas as relações humanas, inclusive no amor. Isso mesmo, no amor!

Os exemplos estão por aí aos montes e muitos deles acabam, desgraçadamente, em tragédias onde “pombinhos” apaixonados matam “por amor”. Nada mais fake, não é mesmo?

Contudo, um amor não precisa acabar em sangue para ser fake. Basta tão somente não haver sinceridade, cumplicidade, carinho, paixão e, claro, sexo, para uma relação afetiva ser considerada um “fake love”.

Não adianta também prevalecer o sentimento de posse, aquela coisa sufocante, pegajosa, que não respeita o espaço, a privacidade e a intimidade do parceiro/parceira. Amor verdadeiro é tranquilo e confiante. Sabem aquela história de “confiar no seu taco”? Pois é.

Enfim, o mundo em que vivemos é cercado a cada dia mais por mais e mais “fakes” de todas as espécies e naturezas.

Para se defender deles e não cair nas suas armadinhas, tem-se que ficar vigilante e não ficar preso a uma relação que machuca, que não é saudável.

Não há nada que mais arrasa um coração humano do que um “fake love”.

Por isso, todo o cuido é pouco.

Até a próxima.