MERECIDA HOMENAGEM: Eliziane Gama indica a ex-deputada Helena Heluy para o prêmio Bertha Lutz 2

A premiação promovida pelo Senado, ocorre anualmente e já homenageou 79 mulheres de ­várias áreas de atuação

A senadora Eliziane Gama (PPS) indicou a promotora aposentada, ex-vereadora por São Luis, ex-deputada estadual pelo PT e militante social Helena Barros Heluy, para recebimento do 18° Prêmio Bertha Lutz em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, a ser celebrado no dia 8 de março de 2019 no plenário do Senado Federal.

“Indicamos hoje, com muita honra, o nome de nossa tão querida e admirada Helena Barros Heluy para o prêmio Bertha Lutz aqui no Senado. Helena é uma mulher que nos enche de orgulho por ter nascido em nosso Maranhao”, tuitou a senadora que foi  colega de Helena no parlamento maranhense.

A premiação promovida pelo Senado, ocorre anualmente e já homenageou 79 mulheres de ­várias áreas de atuação. Até hoje, apenas um homem, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Mello, recebeu o diploma.  O Conselho do Diploma, presidido pela senadora Simone Tebet (PMDB-MS), é responsável pela escolha dos nomes.

Bertha Lutz
Zoóloga de profissão, Bertha Maria Júlia Lutz é conhecida como a maior líder na luta pelos direitos políticos das mulheres brasileiras. Ela se empenhou pela aprovação da legislação que outorgou o direito às mulheres de votar e de serem votadas.

SANTA RITA: Prefeito Hilton Gonçalo discute a produção de mandioca com representantes da AMBEV

O prefeito Hilton Gonçalo participou na última quinta-feira (14), de uma reunião com representante da AMBEV e membros da Federação da Agricultura e Pecuária do Maranhão, para discutir o aumento do plantio da mandioca que serve como matéria-prima para a produção da cerveja Magnífica.

Hilton Gonçalo acredita que o potencial agrícola do Maranhão, especialmente do município de Santa Rita, no plantio de mandioca deve ser melhor aproveitado pela AMBEV, que atualmente compra o produto agrícola, mas envia para Pernambuco para transformá-lo em fécula e aí sim ocorrer a produção da cerveja.

O prefeito de Santa Rita inclusive sugeriu que possa ser discutida a construção de uma fecularia no Maranhão, afinal assim existiria geração de emprego e renda no estado, além de deixar o custo da produção da Magnífica mais barato.

Atualmente a Ambev está produzindo duas cervejas à base de mandioca, a Magnífica no Maranhão e a Nossa em Pernambuco, ambas são vendidas de forma exclusiva somente nos dois estados.

Durante a reunião que contou com a participação do presidente da FAEMA e do Sebrae, Raimundo Coelho, assim como do vice-presidente do Sebrae, Celso Gonçalo, foi abordado o assunto da distribuição da cerveja que ainda não está presente nos grandes supermercados do Maranhão.

O representante da AMBEV explicou que isso decorre por conta da produção, que ainda não atende toda a demanda. Diante desse fato, mais uma vez foi sugerida a ampliação e o incentivo à produção da mandioca no estado.

Hilton Gonçalo é um incentivador do desenvolvimento agrícola de Santa Rita, e por isso ele defende que a mandioca não deve ser usada apenas para a produção de farinha. “Acabou aquela história que Santa Rita era conhecida por ser a terra da farinha, hoje nós produzimos muito mais, claro que mantemos a tradição da nossa deliciosa farinha, mas atualmente somos produtores de outras culturas agrícolas, assim como temos um grande potencial na piscicultura”, declarou.

Empresa familiar: profissionalização, sucessão e conflitos

A questão da sucessão é importantíssima e tem uma posição ambígua, pois nesta fase as empresas podem encerrar suas atividades ou até mesmo caminharem para um novo nascimento

Armando Lourenzo, via Administradores.com

A sobrevivência é hoje uma das maiores preocupações dos dirigentes de empresas familiares, em especial dos dirigentes das firmas de pequeno porte. Para este setor pode-se observar que várias empresas enfrentam problemas operacionais ou estratégicos, isto é, dificuldades relacionadas à inadequação, tanto na utilização quanto na escolha dos recursos disponíveis para o alcance de diferenciais de mercado.

Dentre esses problemas a questão da sucessão é importantíssima e tem uma posição ambígua, pois nesta fase as empresas podem encerrar suas atividades ou até mesmo caminharem para um novo nascimento. Aliada ao problema da falta de profissionalização, atinge cerca de 80% das empresas desse segmento da economia.

A empresa familiar, atualmente representa uma parte significativa no conjunto das empresas privadas existentes no país e no mundo. Pesquisas mais conservadoras apontam para o percentual de 75% aproximadamente em termos mundiais. Seus problemas são muito conhecidos: dificuldades para a transferência do comando (sucessão) e a falta de profissionalização.

Na tentativa de orientar a empresa familiar para o seu prolongamento, apresentam-se dois instrumentos básicos de gestão: programa de profissionalização e planejamento da sucessão.

O primeiro é a profissionalização, a qual pode-se entender em seu sentido mais amplo como uma administração onde a propriedade está separada da gestão, ou seja, família é família e empresa é empresa. É claro que a profissionalização na prática, não quer dizer substituição total dos parentes por pessoas de fora, pois podem existir membros da família que sejam qualificados e competentes para o exercício da gerência.

Neste sentido o caminho é estabelecer os critérios de ingresso e permanência na empresa e a partir disto escolher as pessoas. Outra questão a ser resolvida é a estruturação formal da empresa, pois em algumas situações a “bagunça organizacional” já tomou conta, dificultando assim o funcionamento das atividades da firma. Deve-se ressaltar que não se está propondo um engessamento a tal ponto que a agilidade seja absorvida por esta nova estrutura, mas sim o aparecimento de regras para que a empresa possa caminhar de forma a não depender apenas da cabeça de uma única pessoa.

O segundo instrumento é o planejamento da sucessão empresarial. A escolha do sucessor deve ser orientada por critérios claros e apoiada pela família. Dependendo do caso outros agentes podem influenciar indiretamente na escolha, como clientes ou fornecedores. Esta situação vai estar relacionada ao tipo de influência destes agentes na atuação da firma.

Os pontos mais críticos da sucessão podem ser apresentados por:

• falta de vocação e dificuldades no treinamento e na escolha dos sucessores,
• diferenças entre as visões estratégicas do fundador e do sucessor,
• falta de conscientização por parte do fundador que deve fazer o planejamento da sucessão,
• dificuldade na aceitação do sucessor escolhido, por parte do resto da família.
• conflitos entre os membros da família.

Para minimizar os pontos críticos, a sucessão deve ser planejada desde o início da empresa, sendo muito importante que o próprio fundador ajude a coordenar e planejar o programa de ação.

Esses instrumentos podem estar planejados e organizados, porém se as pessoas não colaborarem, tudo não passará de uma relação de desejos. Conflitos entre sócios, parentes e funcionários são constantes, porém apesar da dificuldade em reduzi-los totalmente, estes devem ser gerenciados. Além dos conflitos existentes entre o fundador e seus funcionários, existem aqueles resultantes da relação entre os membros da família (mesmo os que não trabalham) e a empresa. Para estes problemas recomendam-se atividades de treinamento e comunicação para os familiares, com o objetivo de buscar um equilíbrio interno de conhecimentos e a elaboração de um conjunto de regras de convivência com a participação de todos os membros na sua confecção, visando um maior comprometimento.

Os instrumentos apresentados não têm o objetivo de resolver todos os problemas relativos às empresas familiares, mas sim orientar o pensamento dos dirigentes na geração de programas que visem aumentar a longevidade da empresa familiar, de modo que esteja adequada ao ambiente, integrada as expectativas da família e gerando os resultados necessários.

BEQUIMÃO: Em nota bem fundamentada, prefeito Zé Martins lança por terra factoide sobre ‘abandono’ do Parque Expocapril

Com documentos e fotos, o gestor bequimãoense prova o exagero do Ministério Público e a injustiça cometida por falta de informações.

Salão de palestras e reuniões do Parque Expocapril construído em 2014.

Após o Ministério Público do Estado do Maranhão (MPE) publicar uma matéria sem argumentação apontando uma série de irregularidades e acusar o prefeito de Bequimão, Zé Martins de abandonar a obra do Parque Expocapril e alega ausência de prestação de contas dos valores recebidos por meio do convênio com o Governo do Estado, através da Secretaria de Agricultura (Sagrima), o prefeito Zé Martins emitiu nota de esclarecimento desmontando o verdadeiro factoide do MP de Bequimão. Com documentos e fotos, o gestor bequimãoense prova o exagero do Ministério Público e a injustiça cometida por falta de informações.

Salão onde são realizadas reuniões e palestras construído no Parque Expocapril em 2014 em Bequimão. Fotos: Rodrigo Martins.

A seguir a íntegra da nota assinada pelo prefeito Zé Martins, reconhecidamente um dos prefeitos mais sérios e competentes do Maranhão. Confira.

O prefeito de Bequimão, Zé Martins, em respeito à opinião pública, e em atenção às matérias jornalísticas diversas dando conta da propositura de Ação Civil por ato de Improbidade Administrativa proposta pelo Ministério Público Estadual através de sua Promotoria instalada na Comarca de Bequimão, vem esclarecer o que segue:

1 – Inicialmente devemos reconhecer e louvar o zelo do Ministério Público na defesa do patrimônio público e da probidade administrativa, iniciativas que por vezes, devido ao excesso de zelo, acaba por cometer algumas injustiças, como foi no presente caso;

2 – Com efeito, o Município de Bequimão assinou convênio com o Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Agricultura, ainda no ano de 2014, cujo objeto era a construção da infraestrutura do Parque de Exposição do município, no valor de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais);

Prédio construído em 2014 pela prefeitura de Bequimão e Sagrima onde funcionará o Restaurante durante a Expocapril em Bequimão-MA

3 – Do total contratado, o governo estadual repassou apenas R$ 100.000,00 (cem mil reais), tendo o Município de Bequimão executado bem além deste valor, prova disso é que nunca cessou as exposições no mencionado parque como mostram as fotografias que seguem em anexo a esta nota;

4 – Embora tenha recebido somente o valor da primeira parcela, apesar de reiterados pedidos de medições para receber o restante do convênio e concluir a obra, o Município de Bequimão, fez sim, a prestação de contas do valor recebido em 26 de dezembro de 2014, conforme protocolo da SAGRIMA, tendo sido a mesma autuada com o Processo 0244876/2014 (SAGRIMA), falecendo de qualquer sentido a acusação da parte do MPE de que não houve a prestação de contas;

Documento mostra a prestação de contas do convênio com a Sagrima em dezembro de 2014, conforme acima citado.

5 – Com relação à ilação de que teria havido “irregularidades no processo”, trata-se de uma acusação totalmente sem sentido. O processo licitatório obedeceu todas as etapas previstas em lei e o objeto foi executado. Não tendo sido concluído até o final, devido à ruptura unilateral do convênio por parte do atual governo estadual.

A foto mostra que a obra só não foi concluída 100% por falta de pagamento do atual Governo do Estado da última parcela do convênio.

6 – Por fim, conclamamos, não apenas o Ministério Público, mas, também, a imprensa e toda a sociedade a se manterem vigilantes quanto à fiscalização dos recursos públicos, pois da parte deste gestor tais iniciativas sempre terão todo o apoio necessário, uma vez que a fiscalização e vigilância apenas atestarão a lisura dos nossos procedimentos.

Atenciosamente,

Zé Martins
Prefeito de Bequimão.

GESTÃO DE CONDOMÍNIOS: O exemplo que vem do Village dos Pássaros I 2

Há 3 anos, o jovem Jordão Reis se candidatou ao cargo de síndico a fim de lutar pelo condomínio e sua organização. Atualmente, com muito esforço e dedicação, tornou o condomínio referência em segurança e organização ganhando o reconhecimento dos condôminos na sua imensa maioria.

João Reis à frente das famílias do Condomínio Village dos Pássaros I.

Se há ima função que exige alta responsabilidade e demonstração de competência é a de síndico de condomínios.

Função tão importante que está no Código Civil a lista dos diversos deveres do síndico, como cuidar da área comum e sua manutenção, seguir e fazer seguir as decisões das assembleias, manter o seguro do condomínio em dia, entre muitas outras obrigações.

De condomínios luxuosos aos mais modestos, as funções do síndicos são exatamente as mesmas, logo não é o padrão de determinado condomínio que vai mostrar ou não a competência do síndico.

Um condomínio localizado na região metropolitana de São Luís, mas precisamente no município de São José de Ribamar é bom exemplo do que estamos falando.

Trata-se do Village dos Pássaros I, uma comunidade habitada por 509 famílias com diferentes culturas e comportamentos. Ou seja, um condomínio grande como esse certamente traz muitos desafios quanto a sua gestão, tanto na ordem administrativa, financeira, estrutural e de pessoal.

Há 3 anos, o jovem Jordão Reis se candidatou ao cargo de síndico a fim de lutar pelo condomínio e sua organização. Atualmente, com muito esforço e dedicação, tornou o condomínio referência em segurança e organização ganhando o reconhecimento dos condôminos na sua imensa maioria.

Suas principais ferramentas de trabalho são honestidade, integridade e transparência, conquistando assim, a confiança e credibilidade necessária para que a cada dia seja realizado o melhor.

Nesse sentido, o Blog do Robert Lobato parabeniza Jordão Reis pela excelência de gestão apresentada no Condomínio Village dos Pássaros I e deseja ainda mais sucesso nessa que é, repito, uma função que requer enormes responsabilidades, até porque estamos falando de cuidar de pessoas e suas famílias.

É isso aí!

Água de coco “Aja Coco” agora em São Luís

O empresário e publicitário Mauro Prazeres comercializa com exclusividade em São Luís/MA e região a água de coco ‘Aja Coco’ (www.ajacoco.com.br). A venda em conveniências e unidades do Mateus Supermercados, o produto conquistou os desportistas, proprietários, clientes de bares, restaurantes, academias e consumidores em geral. A bebida é um hidratante e reidratante, rica em vitaminas e sais minerais. Ajuda na proteção e renovação das células responsáveis pelo envelhecimento, regulação do sistema digestivo e equilíbrio do sal e da água do corpo. Recomendo! Pedidos pelo número: 98 99134 3079.

MEIO AMBIENTE: Projeto ‘Praia Limpa’ mobiliza voluntários para ação de limpeza na Praia do Meio em São Luís

Um mutirão de limpeza e coleta seletiva de lixo está programado para acontecer nos próximos dias 26 e 27, na Praia do Meio, uma das mais movimentadas de São Luís. A iniciativa integra o projeto “Praia Limpa”, uma das ações do programa SOS Águas do Maranhão, idealizado pelo senador Roberto Rocha, em parceria com o Instituto Cidade Solidária (ICS). As ações estão previstas para acontecerem em todas as praias da capital maranhense.

Praia Limpa: Mais um projeto em defesa do meio ambiente idealizado pelo senador Roberto Rocha.

Além de realizar a coleta do lixo, o objetivo do projeto, também, é conscientizar e sensibilizar os turistas, frequentadores e trabalhadores do comércio como donos de bares, restaurantes e barracas quanto ao uso do descarte irregular de resíduos sólidos e limpeza do litoral ludovicense.

Durante os dois dias do evento, além da distribuição de panfletos educativos, o Praia Limpa vai contar com lixeiras e sacos de material biodegradável para a coleta de lixo no local. Todos os resíduos sólidos recolhidos serão separados, pesados e doados para cooperativas e oficinas de reciclagem que trabalham com a confecção de artesanatos.

As atividades serão executadas por monitores voluntários do curso de Biologia da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), que conversarão com os banhistas sobre como agir corretamente com o lixo que é gerado nas praias.

Quem quiser se voluntariar para o projeto, a concentração vai ser às 10h, na Praia do Meio. Todos os monitores voluntários irão receber um kit contendo protetor solar, camisa e boné com a identificação da ação.

Liderança e cultura organizacional

Os líderes do século 21 precisam entender o impacto de suas atitudes na construção de uma cultura conectada ao espírito do nosso tempo.

por Kaio Serrate, via administradores.com.br

A liderança no século 21 está cada vez menos fundamentada em poderes formais derivados da posição que o líder ocupa na cadeia de comando e controle.

A liderança exercida a partir da capacidade de articular uma visão de futuro por meio de relacionamentos significativos tende a ser cada vez mais valiosa. Em um contexto como esse, a execução está acima dos cargos; ser reconhecido como referência pelo time vale mais que autoridade; e, liderança circunstancial se sobrepõe à hierarquia.

A cultura organizacional, entendida como a ordem social invisível que molda comportamentos e atitudes de um grupo, é uma variável de importância crescente para as organizações que operam em uma lógica pós-digital.

Os líderes, mais do que nunca, precisam construir culturas que façam sentido no mundo de hoje, além de atuar como embaixadores dessas culturas em múltiplos níveis.

De acordo com um artigo publicado no início de 2018 pela Harvard Business Review, líderes que entendem profundamente os padrões complexos de comportamento em uma organização têm mais possibilidade de:

Avaliar a cultura da organização e seus efeitos intencionais e não intencionais.

Avaliar a consistência da visão dos funcionários sobre a cultura.

Identificar subculturas que expliquem desempenhos melhores e piores entre diferentes equipes.

Localizar diferenças culturais herdadas de fusões e aquisições.

Orientar os novos executivos sobre a cultura em que eles estão ingressando e ajudá-los a encontrar a melhor forma de liderar.

Perceber o grau de alinhamento entre estilos pessoais de liderança e a cultura organizacional para entender o impacto que cada líder pode ter.

Criar uma cultura aspiracional, traduzir e comunicar as mudanças necessárias para chegar lá.

Obviamente estas não são as únicas vantagens de um líder que chama para si o papel de articulador da cultura organizacional. O melhor é sempre considerar peculiaridades de cada organização e estar aberto às constantes transformações. Contudo, entender que a cultura é uma alavanca para os objetivos estratégicos ajuda a explicar o desempenho das empresas normalmente citadas como referências em inovação.

Dentre outros motivos, uma cultura alinhada ao espírito do nosso tempo libera energia criativa (que seria gasta com processos gerenciais inúteis e controles excessivos) para a construção da visão de futuro compartilhada.

Se você é ou deseja ser líder deveria entender que a cultura é o código-fonte das estratégias empresariais.

Ou, como disse Peter Drucker:

Cultura come estratégia no café da manhã.

VÍDEO: Por que é tão difícil mudar?

Muito interessante o vídeo do doutor em Ciências em Psiquiatria e Psicologia Médica, Pedro Calabrez, sobre o poder do cérebro. É um pouco longo, mas vale a pena assistir até o final. Confira

“Quando você tem a plena consciência que cada segundo da vida é precioso, não volta e é um investimento, você começa a valorizar aquilo que há de melhor na vida e para cada um de vocês é diferente…”

MARANHÃO PRESENTE: Dr. Léo Castro lança o livro “Tratamento Cirúrgico do Câncer Gastrointestinal”

Dr. Leonaldson dos Santos Castro: de Pinheiro, Maranhão para todo o mundo.

Sempre é motivo de orgulho para nós, maranhenses, quando vemos conterrâneos brilhar fora do nosso estado, enfrentando desafios e até mesmo preconceitos.

Há talentos maranhenses espalhados pelos quatro cantos do país fazendo sucesso em várias áreas, como é o caso do médico Leonaldson dos Santos Castro, ilustre baixadeiro natural da bela cidade de Pinheiro.

Um dos mais renomados médicos oncologistas do país, Dr. Léo, como é carinhosamente chamado por parentes e amigos, lançou na última sexta-feira, 11, o livro Tratamento Cirúrgico do Câncer Gastrointestinal” (edição II). A concorrida sessão de autógrafos aconteceu no auditório do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, capital.

A obra cientifico-literária, que seguramente enriquecerá ainda mais os ensinamentos medicinais, é assinada a quatro mãos com o também médico oncologista José Humberto Simões Corrêa. O evento reuniu a classe médica paulista e contou com convidados especiais de vários pontos do país.

Dr. Léo é integrante da cúpula médica do Instituto Nacional do Câncer (INCA), no Rio de Janeiro. Ele também é membro de diversas instituições da medicina e detentor de vários prêmios em níveis nacional e internacional.

Dono de um carisma marcante, Dr. Léo sempre dedicou-se à profissão que escolheu ainda na adolescência, aos 16 anos de idade. Filho de ‘Dona’ Maritite (in memorian) e Seu Nadico, tendo como irmãos o advogado Donaldson Castro, o publicitário Eri Castro, o servidor Ivonaldson Castro e o saudoso Ronaldson dos Santos Castro.

Portanto, a cidade de Pinheiro e o estado do Maranhão podem sim, se orgulhar deste ilustre filho, afinal de contas, trata-se de um “produto humano tipo exportação”, cuja prescrição dispensa comentários.

Que Dr. Léo continue brilhando no mundo acadêmico e na área de medicina dentro e fora do país.

Os maranhenses, orgulhosos, agradecem.