Em artigo, Lula questiona seus algozes: “Por que vocês têm medo que eu fale” 2

“Aqueles que não querem que eu fale, o que vocês temem que eu diga? O que está acontecendo hoje com o povo? Não querem que eu discuta soluções para este país? Depois de anos me caluniando, não querem que eu tenha o direito de falar em minha defesa? Fizeram tudo isso porque têm medo de eu dar entrevistas?”, indaga o ex-presidente Lula em artigo publicado nesta quinta-feira

247 – “Aqueles que não querem que eu fale, o que vocês temem que eu diga? O que está acontecendo hoje com o povo? Não querem que eu discuta soluções para este país? Depois de anos me caluniando, não querem que eu tenha o direito de falar em minha defesa? (…) É para isso que vocês, os poderosos sem votos e sem ideias, derrubaram uma presidente eleita, humilharam o país internacionalmente e me prenderam com uma condenação sem provas, em uma sentença que me envia para a prisão por ‘atos indeterminados’, após quatro anos de investigação contra mim e minha família? Fizeram tudo isso porque têm medo de eu dar entrevistas?”. Indaga o ex-presidente Lula em artigo publicado nesta quinta-feira no jornal Folha de São Paulo.

Leia a íntegra do artigo do ex-presidente Lula:

“Estou preso há mais de cem dias. Lá fora o desemprego aumenta, mais pais e mães não têm como sustentar suas famílias, e uma política absurda de preço dos combustíveis causou uma greve de caminhoneiros que desabasteceu as cidades brasileiras. Aumenta o número de pessoas queimadas ao cozinhar com álcool devido ao preço alto do gás de cozinha para as famílias pobres. A pobreza cresce, e as perspectivas econômicas do país pioram a cada dia

Crianças brasileiras são presas separadas de suas famílias nos EUA, enquanto nosso governo se humilha para o vice-presidente americano. A Embraer, empresa de alta tecnologia construída ao longo de décadas, é vendida por um valor tão baixo que espanta até o mercado.

Um governo ilegítimo corre nos seus últimos meses para liquidar o máximo possível do patrimônio e soberania nacional que conseguir —reservas do pré-sal, gasodutos, distribuidoras de energia, petroquímica—, além de abrir a Amazônia para tropas estrangeiras. Enquanto a fome volta, a vacinação de crianças cai, parte do Judiciário luta para manter seu auxílio-moradia e, quem sabe, ganhar um aumento salarial.

Semana passada, a juíza Carolina Lebbos decidiu que não posso dar entrevistas ou gravar vídeos como pré-candidato do Partido dos Trabalhadores, o maior deste país, que me indicou para ser seu candidato à Presidência. Parece que não bastou me prender. Querem me calar.

Aqueles que não querem que eu fale, o que vocês temem que eu diga? O que está acontecendo hoje com o povo? Não querem que eu discuta soluções para este país? Depois de anos me caluniando, não querem que eu tenha o direito de falar em minha defesa?

É para isso que vocês, os poderosos sem votos e sem ideias, derrubaram uma presidente eleita, humilharam o país internacionalmente e me prenderam com uma condenação sem provas, em uma sentença que me envia para a prisão por “atos indeterminados”, após quatro anos de investigação contra mim e minha família? Fizeram tudo isso porque têm medo de eu dar entrevistas?

Lembro-me da presidente do Supremo Tribunal Federal que dizia “cala boca já morreu”. Lembro-me do Grupo Globo, que não está preocupado com esse impedimento à liberdade de imprensa —ao contrário, o comemora.

Juristas, ex-chefes de Estado de vários países do mundo e até adversários políticos reconhecem o absurdo do processo que me condenou. Eu posso estar fisicamente em uma cela, mas são os que me condenaram que estão presos à mentira que armaram. Interesses poderosos querem transformar essa situação absurda em um fato político consumado, me impedindo de disputar as eleições, contra a recomendação do Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas.

Eu já perdi três disputas presidenciais —em 1989, 1994 e 1998— e sempre respeitei os resultados, me preparando para a próxima eleição.

Eu sou candidato porque não cometi nenhum crime. Desafio os que me acusam a mostrar provas do que foi que eu fiz para estar nesta cela. Por que falam em “atos de ofício indeterminados” no lugar de apontar o que eu fiz de errado? Por que falam em apartamento “atribuído” em vez de apresentar provas de propriedade do apartamento de Guarujá, que era de uma empresa, dado como garantia bancária? Vão impedir o curso da democracia no Brasil com absurdos como esse?

Falo isso com a mesma seriedade com que disse para Michel Temer que ele não deveria embarcar em uma aventura para derrubar a presidente Dilma Rousseff, que ele iria se arrepender disso. Os maiores interessados em que eu dispute as eleições deveriam ser aqueles que não querem que eu seja presidente.

Querem me derrotar? Façam isso de forma limpa, nas urnas. Discutam propostas para o país e tenham responsabilidade, ainda mais neste momento em que as elites brasileiras namoram propostas autoritárias de gente que defende a céu aberto assassinato de seres humanos.

Todos sabem que, como presidente, exerci o diálogo. Não busquei um terceiro mandato quando tinha de rejeição só o que Temer tem hoje de aprovação. Trabalhei para que a inclusão social fosse o motor da economia e para que todos os brasileiros tivessem direito real, não só no papel, de comer, estudar e ter moradia.

Querem que as pessoas se esqueçam de que o Brasil já teve dias melhores? Querem impedir que o povo brasileiro —de quem todo o poder emana, segundo a Constituição— possa escolher em quem quer votar nas eleições de 7 de outubro?

O que temem? A volta do diálogo, do desenvolvimento, do tempo em que menos teve conflito social neste país? Quando a inclusão dos pobres fez as empresas brasileiras crescerem?

O Brasil precisa restaurar sua democracia e se libertar dos ódios que plantaram para tirar o PT do governo, implantar uma agenda de retirada dos direitos dos trabalhadores e dos aposentados e trazer de volta a exploração desenfreada dos mais pobres. O Brasil precisa se reencontrar consigo mesmo e ser feliz de novo.

Podem me prender. Podem tentar me calar. Mas eu não vou mudar esta minha fé nos brasileiros, na esperança de milhões em um futuro melhor. E eu tenho certeza de que esta fé em nós mesmos contra o complexo de vira-lata é a solução para a crise que vivemos.”

Luiz Inácio Lula da Silva – Ex-presidente da República (2003-2010)

Em defesa de Gleisi Hofmmann 6

O jornalista Ricardo Noblat vai morrer louco, doido, varrido e não entenderá nada sobre as coisas que realmente dão sentindo à vida.

A senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, foi chamada de “Maria Louca” pelo jornalista e blogueiro Ricardo Noblat no post intitulado “Gleisi Maria Louca” (leia aqui).

Noblat tem a má-fama de escrever e ofender a soldo. Não sei se foi esse caso em relação à petista, cuja “loucura” cometida por ela foi tão somente defender o ex-presidente Lula e afirmar, com a firmeza que lhe é peculiar, que se não vingar “Lula livre”, voltará à cena “Eleição sem Lula é fraude”. Como é sabido de todos, a presidente do PT é uma guerreira na defesa da liberdade e candidatura de Lula a presidente da República.

Com serenidade e sensibilidade femininas de quem se sentiu ofendida na sua condição de mulher, Gleisi respondeu a Noblat pela rede social do Twitter com as seguintes palavras:

“Como mulher, na minha caminhada de lutas, não foram poucas as vezes em que me deparei com situação semelhante. Quando perdem o argumento, partem para a desqualificação. Homem branco, machista e com poder de fala pública contribuindo para intolerância e preconceito!”

É verdade que tenho minhas diferenças políticas com a presidente do PT, principalmente se tratando da situação do Maranhão.

Porém, senti-me na obrigação de sair em sua defesa depois que li as grosserias de Noblat contra a companheira. Aliás, um dos piores textos já escrito pelo “moralista” que, em 2009, foi pego com a boca na botija ao ser revelado que possuía contrato “secreto” com o Senado Federal no valor de cerca de 50 mil reais para apresentar um programa de jazz na Rádio Senado.

O jornalista Ricardo Noblat sim, deve ser uma espécie de “Maria Louca”, mas a sua “loucura” é diferente da presidente do PT certamente, posto que Gleisi Hoffmann é motivada por outros tipos de “loucuras”, entre elas a justiça social, equidade econômica, soberania nacional e democracia.

Noblat vai morrer louco, doido, varrido e não entenderá nada sobre as coisas que realmente dão sentindo à vida.

À Gleisi Hoffmann a solidariedade do Blog do Robert Lobato.

ELEIÇÕES 2018: A decisão de Ricardo Murad foi de um homem de grupo 12

Além de precisar de um mandato na Câmara Federal para representar o povo maranhense, o Maranhão também precisa de um deputado da qualidade política de Ricardo Murad para fazer o debate democrático sobre o nosso estado.

A desistência do ex-secretário de saúde e ex-deputado Ricardo Murad (PRP) de concorrer ao Governo do Estado em favor da pré-candidata Roseana Sarney (MDB) não pode ser vista de outra forma que não como uma decisão de homem de grupo.

Claro que os seus desafetos, adversários e inimigos têm que criar toda espécie de narrativa para desqualificar o ex-comandante da saúde do Governo do Estado, mas a sua decisão foi de uma dignidade incontestável!

Ricardo Murad sempre foi um homem de posições claras, até quando errou em determinado momento da sua trajetória política e ele tem consciência disso.

Lembro de uma episódio ocorrido nas eleições de 2014 quando fui procurado por um amigo do PCdoB que queria ajuda para uma certa candidatura proporcional do partido e me perguntou se eu conseguiria com o “pessoal do grupo Sarney”.

Na época, disse que ia ver com Ricardo Murad e perguntei se teria algum problema da candidatura comunista fazer uma “dobradinha” com então candidata Andrea, filha do então secretário. O “camarada” assegurou que não!

Pois bem. Levei a demanda para Ricardo Murad.

Sua posição foi clara: “Robert, Andrea não dobrará com nenhum candidato ligado a Flávio Dino, mas se essa pessoa declarar apoio a Lobão Filho pra governador eu dou uma ajuda”. O interlocutor comunista “amarelou” e desistiu.

Conto essa história para mostrar que Ricardo Murad de fato é um homem de grupo. Aliás, outro momento que ele deu prova disso foi quando da decisão do grupo Sarney pelo nome de Luis Fernando para governador na sucessão de Roseana. Ricardo não era lá simpático ao agora prefeito de São José de Ribamar, mas quando o grupo bateu o martelo que seria ele o candidato, pronto: estava lá Ricardo Murad como um dos maiores defensores e entusiastas daquela candidatura que infelizmente não prosperou.

Depois veio a mudança de candidato com Lobão Filho no lugar de Luis Fernando e mais uma vez Ricardo deu prova de ser homem de grupo e fez de tudo para tentar eleger o candidato do 15.

Enfim, pode-se gostar ou não de Ricardo Murad, mas não tem como desconhecer a sua personalidade política forte, postura correta quando o assunto é grupo e que sabe jogar o jogo político.

Além de precisar de um mandato na Câmara Federal para representar o povo maranhense, o Maranhão também precisa de um deputado da qualidade política de Ricardo Murad para fazer o debate democrático sobre o nosso estado.

É a opinião de Blog do Robert Lobato.

ACUSARAM O GOLPE: Palácio dos Leões usa o PDT para tentar proibir gabinete móvel do senador Roberto Rocha 12

A ação na Justiça era para ser impetrada pelo PCdoB, mas ficaria muito evidente o incômodo dos comunistas com o projeto Roberto Rocha governador-45. Foi aí que acionaram o PDT de Weverton Rocha que passou a fazer qualquer coisa para agradar o comuna-mor em nome da sua improvável eleição de senador.

Estrutura show do senador Roberto Rocha que incomodou a corriola “comuno-maragatista”.

O Partido Democrático Trabalhista (PDT), presidido pelo deputado federal e pré-candidato a senador Weverton Rocha, foi atendido, liminarmente, em representação formulada pela sigla do Maragato que pede a retirada do gabinete móvel do senador Roberto Rocha (PSDB) das estradas maranhenses.

O desembargador que tem nome de personagem do desenho animado Backyardigans, Tyrone José Silva, foi quem concedeu a liminar para o PDT –  a sigla sustentou que o gabinete móvel caracteriza propaganda eleitoral antecipada, já que o senador Roberto Rocha é pré-candidato ao governo do estado.

Através de um governista bem posicionado no grupo de Flávio Dino, O Blog do Robert Lobato soube que a ação era para ser impetrada pelo PCdoB, mas ficaria muito evidente o incômodo dos comunistas com o projeto Roberto Rocha governador-45. Foi aí que acionaram o PDT de Weverton Rocha que passou a fazer qualquer coisa para agradar o comuna-mor em nome da sua improvável eleição de senador.

O senador Roberto Rocha já recorreu da decisão do juiz Tyrone e deve ter, em breve, o seu gabinete móvel liberado para levar os serviços prestados pelo seu mandato a todos cantos e recantos do estado.

Em tempo: O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), em decisão de 08/2017 diante um caso parecido com esse que o PDT alega, sustentou o seguinte:

“Ademais, como explicou a recorrente, o material em comento não se trata de um outdoor, mas sim de painel móvel, com sua fotografia, utilizado como fundo para as apresentações, nunca superior a trinta minutos, nos deslocamentos efetivados pela cidade” .

“Das premissas fáticas delineadas no decisum regional, verifico que na publicidade impugnada não constaram elementos capazes de configurar a existência de propaganda eleitoral extemporânea. Isso porque não houve pedido expresso de votos no teor da mensagem divulgada do artefato publicitário, mas sim informação que está albergada pelas liberdades de expressão e informação, que ostentam uma posição preferencial (preferred position) dentro do arquétipo constitucional das liberdades.”

Tudo indica, portanto, que o factoide jurídico do partido do Maragato vai parar no aquivo morto da Justiça maranhense.

É aguardar e conferir.

CONTRA PRIVATIZAÇÃO: Ex-presidente Sarney recebe sindicalistas do setor elétrico 8

Sarney recebeu os sindicalistas na sua residência no Calhau, conversou bastante sobre as ações do seu governo em benefício do setor elétrico e voltou a se colocar à disposição da luta dos eletricitários contra a privatização do sistema Eletrobras

Ex-presidente José Sarney ladeado pelo diretor Jurídico Wellington Diniz (esq.) e diretor de Energia da FRUNE, Fernando Neves (dir.).

O ex-presidente José Sarney (MDB) recebeu na tarde de ontem, terça-feira, 17, sindicalistas do setor elétrica que foram agradecer o empenho do líder emedebistas para tirar o projeto de privatização de sistema Eletrobras que tramitava no Congresso Nacional.

O Coletivo Nacional dos Eletricitários recebido por Sarney esteve representado por dois dos seus dirigentes: Fernando Neves (Diretor de Energia da Federação Regional dos Eletricitários do Nordeste – FRUNE) e Wellington A. Diniz (Diretor Jurídico do Sindicato dos Urbanitários do Maranhão – STIU/MA).

Na opinião de Fernando Neves, o presidente Sarney “foi fundamental para que a ofensiva conservadora contra o sistema Eletrobras fosse barrada no Congresso Nacional e sua interlocução com os trabalhadores do setor ajudou, inclusive, para que vários governistas se convencessem do erro que é privatizar um setor estratégico para o país, principalmente para as regiões mais pobres do país, como os estado do Norte e Nordeste”.

O diretor Jurídico do STIU/MA, Wellington Diniz, afirmou por sua vez que “o Coletivo Nacional dos Eletricitários, não poderia deixar de fazer esse reconhecimento ao presidente de José Sarney, que foi muito importante não apenas para estancar o processo de privatização do setor elétrico no âmbito do Congresso Nacional, mas também defender os serviços que empresas como a Eletronorte prestam ao país e ao Maranhão, e que o presidente já se posicionou claramente contra a privatização da estatal”.

Sarney recebeu os sindicalistas na sua residência no Calhau, conversou bastante sobre as ações do seu governo em benefício do setor elétrico e voltou a se colocar à disposição da luta dos eletricitários contra a privatização do sistema Eletrobras.

São posturas como essa que fazem do Sarney o que ele é…

IMAGEM DO DIA: Fanfarrões, Ciro Gomes e Carlos Lupi mais próximos dos comunistas do PCdoB 2

O presidenciável Ciro Gomes (PDT) usou a sua rede social do Twitter para comunicar que, junto com Carlos Lupi, presidente nacional do partido,  procurou a direção nacional do PCdoB na manhã desta terça-feira, 17, em Recife (PE). Na pauta um eventual apoio dos comunistas ao candidato pedetista. Ciro Gomes e Carlos Lupi são dois fanfarrões, como todo brasileiro sabe. Ciro quando esquece de tomar o seu Gardenal fica doidão e genioso, Já Lupi não tem remédio que dê jeito.

Para saber mais sobre o encontro comuno-trabalhista acesse AQUI.

ELEIÇÕES 2018: Os registros das pré-candidaturas petistas (OU: Saudações a quem tem coragem) 2

No próximo dia 27 deste mês será o encontro do PT que decidirá qual o rumo que o partido irá tomar no estado. Isso se a direção nacional não emitir alguma resolução política sobre a situação do Maranhão até antes do encontro

O pré-candidato a governador Aníbal Lins registra o acolhimento das assinaturas dos demais pré-candidatos. Ao fundo a pré-candidata a senadora Adriana Oliveira. Márcio Jardim também teve sua pré-candidatura ao Senado oficializada.

Na noite de ontem, segunda-feira, 16, os pré-candidatos Aníbal Lins, Márcio Jardim e Adriana Oliveira tiveram as suas pré-candidaturas oficialmente registradas na sede estadual do PT.

Aníbal Lins pré-candidato ao Governo do Estado, Márcio Jardim e Adriana Oliveira pré-candidatos ao Senado Federal.

O registro dessas pré-candidaturas é uma dura derrota para o presidente estadual do PT, Augusto Lobato e do secretário Francisco Gonçalves (Direitos Humanos), ambos trabalharam arduamente para impedir os registros que não interessam ao Palácio dos Leões.

Contudo, os pré-candidatos estavam convencidos da importância do processo e conseguiram o número de assinaturas suficiente para garantir o direito de ao menos sonhar com um PT mais forte e unido no Maranhão.

Gesto solidário de Márcio Jardim

Além da determinação do sindicalista Aníbal Lins, que foi um herói ao lado de outros companheiros seus que se dedicaram de corpo e alma na busca das assinaturas, um gesto solidário marcou o dia de ontem nesse processo de registro das pré-candidaturas petistas.

Márcio Jardim assinou o documento de registro da pré-candidatura da presidente da CUT-MA, Adriana Oliveira. No que pode algo de pouca importância, na verdade representa muito para o PT no Maranhão, um partido acostumado com a conflagração entre companheiros, com um canibalismo interno constante.

Ao assinar o registro da pré-candidatura de Adriana Oliveira, o professor Márcio Jardim dá demonstração que nem tudo ainda está perdido no PT maranhense e que é possível, sim!, construir um partido minimante solidário e unido.

No próximo dia 27 deste mês será o encontro do PT que decidirá qual o rumo que o partido irá tomar no estado. Isso se a direção nacional não emitir alguma resolução política sobre a situação do Maranhão até antes do encontro.

O fato é que os três pré-candidatos, Aníbal Lins, Márcio Jardim e Adriana Oliveira estão de parabéns!

Agora é aguardar as próximas etapas do processo interno do PT.

No mais, “Saudações a quem tem coragem”.

SARNEY: “Voto em Lula se ele for candidato” 5

A declaração do emedebista foi dada na tarde desta segunda-feira, 17, quando recebeu sindicalistas do setor elétrico que foram agradecer o esforço do ex-presidente contra a privatização do sistema Eletrobras.

O ex-presidente José Sarney (MDB) afirmou que votará em Lula para presidente caso o petista consiga mesmo ser candidato.

A declaração do emedebista foi dada na tarde desta segunda-feira, 17, quando recebeu sindicalistas do setor elétrico que foram agradecer o esforço do ex-presidente contra a privatização do sistema Eletrobras.

Sarney disse ainda que considera uma injustiça a prisão de Lula e que tudo não passa de orquestração política, apesar de não apontar quem seriam os carrascos do petista.

“Se Lula for candidato a presidente será o meu candidato. Voto nele. Somos amigos, falávamos constantemente e na véspera da sua prisão liguei para me solidarizar com ele. Acho isso uma injustiça e tudo não passa de orquestração política”, disse.

O ex-presidente Sarney, um dos mais experientes e inteligentes políticos do país, lembrou que quando Lula deixou o Palácio do Planalto fez questão de acompanhá-lo até a sua residência em São Bernado do Campo (SP).

A relação de Sarney com Lula realmente é de compadrio.

MALA?: Márcio Jerry boicota ato de Weverton Rocha e vaza para Colinas 8

Para não criar constrangimentos, inclusive para o seu chefe Flávio Dino, Márcio Jerry preferiu vazar para Colinas onde fez um grande ato de lançamento da sua corrida à Câmara Federal

O presidente estadual do PCdoB, Márcio Jerry, deu um zignal no pré-candidato a senador Weverton Rocha (PDT).

O comunista simplesmente boicotou o ato de lançamento da pré-candidatura ao Senado do nosso querido Maragato, realizada, ontem, segunda-feira, 16, no Multicenter Sabrae.

Márcio Jerry achou por bem lançar a sua pré-candidatura a deputado federal em Colinas, sua cidade natal, no mesmo dia e horário do ato do PDT de Ciro Gomes.

Na verdade, o homem forte do governo Flávio Dino não quis se misturar com Ciro Gomes, que é pré-candidato a presidente da República, crítico da candidatura de Lula e que conta com a simpatia do atual comandante do Palácio dos Leões.

Para não criar constrangimentos, inclusive para o seu chefe Flávio Dino, Márcio Jerry preferiu vazar para Colinas onde fez um grande ato de lançamento da sua corrida à Câmara Federal. Ato que em nada deixou a desejar ao de Weverton Rocha, cuja plateia foi formada praticamente pelo folha de pagamento da Prefeitura de São Luis, há décadas comanda pelo PDT do nosso querido Maragato.

O fato é que Márcio Jerry deu um zignal não somente em Weverton Rocha, mas principalmente em Ciro Gomes e, claro, em Flávio Dino. Tudo combinado? Pode ser, mas…

E pensar que ainda teve petista com a coragem de mostrar a “lata” lá no ato do Maragato…

Valeu por essa, Márcio Jerry!

ELEIÇÕES 2018: Acomunado com Márcio Jerry, Astro de Ogum conspira contra Pedro Lucas Fernandes

Não adianta Astro de Ogum e Márcio Jerry fazerem macumba para Pedro Lucas Fernandes. O jovem e promissor político maranhense deve ter uma grande votação no estado e principalmente na capital

O presidente de Câmara de Vereadores de São Luis, o babalorixá Astro de Ogum (PR), resolveu conspirar contra o vereador Pedro Lucas Fernandes (PTB) em conluio com o ex-secretário de Comunicação e Articulação Política, Márcio Jerry (PCdoB).

Assim como Márcio Jerry, o vereador Pedro Lucas é pré-candidato a deputado federal, ambos com grandes chances de elegerem-se.

Ocorre que Astro de Ogum, que é chamado de “Astro Rei” pelos aliados da blogosfera que estão pendurados na Câmara de São Luis, declarou apoio a Márcio Jerry, mas é sabido por qualquer criança até 5 anos idade que o homem forte do governo Flávio Dino não terá mais votos do que Pedro Lucas em São Luis nem aqui e nem na China!

Por isso deram início a uma tática para tentar queimar o jovem vereador com insinuações e invencionices de toda forma plantadas em blogs ligados ao presidente estadual do PCdoB.

Pedro Lucas Fernandes é uma grata surpresa dessa nova geração de políticos que surgem no estado.

Não obstante de ser filho de um político tradicional que é deputado federal Pedro Fernandes (PTB), Pedro Lucas tem personalidade própria, coragem e talento que o tornam praticamente independe do pai, mas, claro, o velho “Pedrão” ajuda e aconselha o filho com toda a sua experiência adquirida em anos de vida pública.

O fato é que não adianta Astro de Ogum e Márcio Jerry fazerem macumba para Pedro Lucas Fernandes. O jovem e promissor político maranhense deve ter uma grande votação no estado e principalmente na capital.

E com menos da metade dos recursos que Márcio Jerry terá.

É aguardar e conferir.