Adesão do MDB ao governo Flávio Dino pode provocar muitas baixas no partido 8

Um dos maiores entusiastas da “pcdobezação” do MDB é o deputado estadual Roberto Costa, que desde o primeiro mandato de Flávio Dino sempre se comportou como uma espécie de “comunista branco” na Assembleia Legislativa.

A ser confirmado o apoio politico do MDB ao governo Flávio Dino (PCdoB) uma coisa é certa: haverá muitas baixas no partido que ainda abriga personalidades do porte de Roseana Sarney, Lobão, Hildo Rocha e o próprio ex-presidente José Sarney, todos opositores ao governo comunista no Maranhão.

Não é possível, ainda, avaliar com precisão o estrago que pode ser feito no MDB maranhense com essa provável adesão ao Palácio dos Leões, mas, segundo apurou o Blog do Robert Lobato, deputados e prefeitos leais à trajetória do partido de ser oposição ao governo Flávio Dino não aceitarão ficar tutelados ao PCdoB, um partido considerado nanico em relação ao tamanho do MDB no estado e no país.

Um dos maiores entusiastas da “pcdobezação” do MDB é o deputado estadual Roberto Costa, que desde o primeiro mandato de Flávio Dino sempre se comportou como uma espécie de “comunista branco” na Assembleia Legislativa.

Com o possível apoio oficial do MDB ao governo Flávio Dino, o deputado Roberto Costa pode até se credenciar para ser líder da base governista no parlamento maranhense.

Mas o custo poderá ser muito alto e o MDB poderá definhar no estado.

É aguardar e conferir.

Corregedor do Senado pede apoio de Moro e da PF para apurar suspeitas na votação 2

O corregedor do Senado, senador Roberto Rocha (PSDB-MA), afirmou neste domingo (17) que pediu apoio da Polícia Federal para apurar uma eventual fraude na eleição para a presidência da Casa. O pedido foi feito ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e será formalizado amanhã. A decisão foi tomada em conjunto com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), pela manhã.

“Hoje, no café da manhã em minha casa, me reuni com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, para tratar de assuntos internos da Casa. Sobre o trabalho da corregedoria, na investigação da fraude do dia da eleição, atualizamos as informações e decidimos pedir a Polícia Federal que apoiasse a Polícia Federal Legislativa na perícia das imagens de todos os 81 senadores”, disse Roberto Rocha, em nota.

No texto, Rocha informou que ele e Alcolumbre já conversaram com o ministro Sérgio Moro para acompanhar esse trabalho e “não permitir exploração política”. “Não queremos espetacularização do caso”, afirmou Rocha.

Na semana passada, Roberto Rocha solicitou um perito para auxiliar na investigação, porém, as imagens analisadas não foram conclusivas. Nas gravações do circuito interno de TV da Casa, haveria ao menos seis parlamentares suspeitos de participação no escândalo da 82ª cédula surgida na eleição para presidente do Senado. Na votação que acabou anulada, foram computados 82 votos, mas o Senado tem apenas 81 membros.

(Fonte: Estadão Conteúdo)

O “novo homem forte do Governo Flávio Dino” vai fazer algo por Zé Reinaldo, meu caro Jorge Aragão? 4

Se tiver essa “fortaleza” toda, Marcelo Tavares poderia, por exemplo, fazer de Zé Reinaldo o secretário da Representação do Maranhão em Brasília.

Li no blog do meu amigo Jorge Aragão o seguinte: “Desde o início do Governo Flávio Dino, em 1º de janeiro de 2015, o posto de “homem forte” da gestão comunista era de Márcio Jerry. Só que ficou vago por pouquíssimo tempo, já que o deputado estadual e chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares já o ocupou.”

Bom, se realmente Marcelo Tavares for no “O novo homem forte do Governo Flávio Dino”, como analisa Jorge Aragão, o sobrinho do ex-governador José Reinaldo, criador de Flávio Dino, diga-se, terá a obrigação de posicionar o tio em algum posto no âmbito do governo do Estado, sob pena de não parecer ser tão forte assim e pior: ingrato!

Se tiver essa “fortaleza” toda, Marcelo Tavares poderia, por exemplo, fazer de Zé Reinaldo o secretário da Representação do Maranhão em Brasília.

Mas, Flávio Dino aceita?

Com a palavra Marcelo Tavares.

Ou mesmo meu amigo Jorge Aragão.

MDB em disputa faz Hildo Rocha virar alvo de fogo amigo 2

O deputado federal insiste na candidatura de presidente do MDB maranhense, mas a depender do nível da disputada interna e da forma como Hildo Rocha for tratado pelos seus “companheiros”, ficará difícil a permanência do deputado nos quadros do partido.

O deputado federal Hildo Rocha virou alvo de fogo amigo desde que colocou o seu nome para presidir o seu partido MDB no Maranhão. atualmente comandado com mão de ferro pelo ex-senador João Alberto.

O parlamentar foi reeleito em outubro de 2018 com 77.661 votos para mais um mandato na Câmara dos Deputados e foi o primeiro emedebista a colocar o seu nome à disposição para presidir o partido.

Deputado atuante, Hildo Rocha tem sido uma voz dura de oposição ao governo Flávio Dino no âmbito do parlamento brasileiro em Brasília, além de ter uma produtividade legislativa bastante considerável com várias proposições apresentadas e aprovadas na Câmara dos Deputados.

Em nota à imprensa encaminhada nesta segunda-feira, 11, Hildo Rocha (MDB) negou que tenha mantido conversas com o presidente do Solidariedade, Paulinho da Força. A notícia foi dada pelo jornalista Gilberto Léda em seu blog.

Informo que a postagem do blog do jornalista Gilberto Léda, referente a suposta conversa com o presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força, para tentar assumir a legenda no Maranhão é falsa, infundada. 
 
Quanto à tese de que eu estaria sem forças, dentro do MDB, irei mostrar que também se trata de uma opinião errônea pois a minha candidatura está mantida, tenho recebido fortes manifestações de apoio e irei ganhar a disputa.”, diz a nota do deputado

De qualquer forma, a depender do nível da disputa interna no MDB e da forma como Hildo Rocha for tratado pelos “companheiros”, ficará difícil a permanência do deputado nos quadros do partido.

É aguardar e conferir.

“Em 30 dias, família Bolsonaro está mais enrolada que PT em 39 anos”, diz Haddad 5

Declaração do ex-candidato à Presidência da República foi dada neste sábado, durante um ato de comemoração ao aniversário do partido.

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) aproveitou o ato de aniversário de 39 anos do PT para criticar publicamente o presidente da República, Jair Bolsonaro, na noite deste sábado (9). Haddad afirmou que a família Bolsonaro está “mais enrolada” em 30 dias de governo do que o PT esteve em toda a sua história.

“Colocaram uma família no poder que está mais enrolada em 30 dias que esse partido em 39 anos. Não conseguem explicar nada e vão surgindo escândalos. Vão fugindo dos debates, fazendo o que fizeram na campanha”, disse Haddad, sobre a família Bolsonaro . “Eles fogem porque não têm o que explicar”, atacou.

A declaração do ex-candidato petista à Presidência da República faz referência ao caso do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente eleito, que é investigado após o relatório da Coaf apresentar movimentações suspeitas em suas contas bancárias, o chamado caso Queiroz.

Para o petista, Jair Bolsonaro só o derrotou nas eleições de outubro por causa da disseminação de “fake news” nas redes sociais. “Ganharam na mão grande para apresentar projetos que não correspondem aos anseios populares”, afirmou Haddad, que prometeu um PT forte nas próximas disputas eleitorais.

“Eles que nos aguardem em 2022 e, antes disso, em 2020, vamos para a disputa, e para vencer”, afirmou, dizendo que todos os projetos de Bolsonaro “jogam o Brasil 30, 40, 100 anos para trás.”

Ainda em seu discurso, o ex-prefeito de São Paulo criticou a segunda condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que recebeu, nesta semana, um acréscimo em sua sentença, de 12 anos 11 meses por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do sítio em Atibaia, em São Paulo.

Para Haddad, a Justiça ainda não conseguiu demonstrar que houve qualquer crime cometido por Lula. “Se você não disser qual foi o ato cometido pelo Lula que tenha contrariado o interesse do povo brasileiro, você não pode condenar nem o Lula nem nenhum servidor público”, disse.

“Todo mundo presta atenção em tudo o que o Lula faz e fala, e assina, tudo passou por exame. Eles não conseguiram, em anos de investigação, mostrar um ato, um único ato do Lula que tivesse contrariado interesse do povo”, afirmou, comparando o tempo em que o líder petista foi alvo dos holofotes da imprensa e o tempo em que a família Bolsonaro ocupa o mesmo espaço.

(Fonte: Último Segundo – iG)

MIGUELAGEM: Juventude comunista lança Flávio Dino presidente do Brasil, mas barra petistas e outras forças políticas 10

Um militante do PT conta a história sobre o que de fato aconteceu no tal “lançamento” de Flávio Dino presidente.

Dias atrás, parte da imprensa maranhense repercutiu o que seria a manifestação de estudantes lançando o governador Flávio Dino (PCdoB) a presidente do país.

O “apelo” estudantil ocorreu durante a 11ª Bienal da UNE, na quinta-feira, 7, na cidade de Salvador, capital da Bahia.

Pois bem. Nem tudo que parece é, como diz o adágio popular.

Em verdade, Flávio foi “ovacionado” por militante da União da Juventude Socialista (UJS), braço juvenil de quem? Oras, do PCdoB!

Um militante do PT conta a história sobre o que de fato aconteceu no tal “lançamento” Flávio Dino de presidente do Brasil. Ou seja, só miguelagem…

CRISE: “As reservas do Fepa estão acabando”, alerta especialista 2

O governo Dino vem se fazendo de cego, surdo e mudo sobre o quadro quase falimentar do Fepa.

O economista Eden Júnior, que também é técnico da Controladoria Geral da União (CGU), usou sua rede social do Facebook para fazer um alerta (mais um, na verdade) sobre a crise que ronda o Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria (Fepa).

Com base no Relatório Resumido de Execução Orçamentária de dezembro/2018, do Governo do Estado, o especialista afirma que as reservas de investimento do Fepa somaram apenas R$ 33 milhões até o final do ano passado, mas já foram de R$ 1,2 bilhões.

“As reservas de investimento do Fepa somaram apenas R$ 33 milhões ao final de dezembro de 2018. Elas já foram de R$ 1,2 bilhão em 2014 e estavam em mais de R$ 600 milhões no início de 2018. Logo aqueles que no plano nacional são contra a reforma da Previdência terão que reformular a Previdência do Servidor Estadual. O tempo está se esgotando, não há mais espaço para demagogia, sob pena de se comprometer o presente e o futuro de milhares de beneficiários do Fepa. Os números estão no Relatório Resumido de Execução Orçamentária de dezembro/2018″, postou.

Não é de agora que Eden Júnior faz alertas para a grave situação financeira do Fepa. Através de entrevistas e artigos publicado no Blog do Robert Lobato e mesmo no Jornal Pequeno, o economista tem tentado abrir os olhos do governo para o quadro quase falimentar do fundo criado para garantir a aposentadoria do funcionalismo público estadual.

Mas, infelizmente, o governo Dino vem se fazendo de cego, surdo e mudo sobre a questão. Lamentável!

Para conhecer o Relatório Resumido de Execução Orçamentária de dezembro/2018, clique aqui.

VÍDEO: Pedro Lucas Fernandes faz o seu primeiro pronunciamento na Câmara e destaca criação de Fundo de Amparo aos Quilombolas 2

Deputado Pedro Lucas Fernandes (PTB), aproveitou a sessão no plenário da Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira, 6, para passar alguns informes e se apresentar como líder da bancada do PTB na casa.

Durante seu primeiro pronunciamento, destacou projeto de lei de sua autoria que cria o Fundo de Amparo aos Quilombolas. A proposta, que tramita com o número 245/2019, deverá beneficiar, sobre tudo, os quilombolas de Alcântara no Maranhão, onde está localizado o CLA, Centro de Lançamentos de Alcântara. Confira.