Deputado Wellington destaca luta e apoio incondicional aos professores da Rede Pública de Ensino do Maranhão 4

“Guerreiros que enfrentam a falta de valorização profissional, a ausência de condições dignas de trabalho e, ainda assim, não desistem de incentivar os alunos a transformarem sonhos em realidade”. Foi assim que o deputado Wellington caracterizou os professores do Maranhão, na manhã deste domingo (15), considerado o dia dos professores.

Ao prestar homenagem à categoria, o deputado Wellington, que também educador, reafirmou o seu compromisso e apoio incondicional com professores do Maranhão.

“Muitos questionam o motivo pelo qual eu ajo em defesa da educação pública de forma tão incisiva. Na Assembleia, já apresentei vários projetos em defesa dos professores. Faço isso porque é inútil qualquer outra ação que não parta da educação. Não se pode ter um Maranhão desenvolvido enquanto a educação não for prioridade e os professores não forem valorizados como devem ser. Meu compromisso está firmado com cada um de vocês e continuarei em defesa de todos, independentemente de qualquer coisa. Vocês são guerreiros que enfrentam a falta de valorização profissional, a ausência de condições dignas de trabalho e, ainda assim, não desistem de incentivar os alunos a transformarem sonhos em realidade. Eu conheço a realidade das escolas públicas e sei que, muitas vezes, o professor acaba ocupando a função até mesmo da família. Não é uma simples profissão. Por isso, desejo um feliz dia dos professores a todos os que transmitem o bem mais precioso que o homem pode ter: o conhecimento”, disse Wellington.

Na Assembleia, Wellington é autor de vários projetos que buscam a valorização dos professores. Pode-se citar como exemplo o Projeto que combate à violência contra professor e, ainda, o que garante a saúde vocal da categoria. Além disso, Wellington é um dos poucos parlamentares que sempre apoiou os professores, seja nas reivindicações formais quanto nos movimentos grevistas. Como o próprio parlamentar costuma dizer, “esse mandato é dos professores do Maranhão”.

Roberto Rocha defende maior presença da indústria cultural no Maranhão

O senador Roberto Rocha (PSDB) defendeu nesta terça-feira, 10, maior participação da produção cinematográfica no Maranhão. Durante a sabatina de indicação de Christian de Castro Oliveira para exercer o cargo de diretor da Agência Nacional de Cinema (Ancine), o parlamentar maranhense, que também foi o relator da indicação aprovada na Comissão de Educação, alertou que dos 142 títulos lançados nas salas de cinema em todo o Brasil, em 2016, apenas dois foram oriundos de produtoras do Maranhão.

“Entre 1995 e 2012, o Estado não teve nenhum longa-metragem produzido no Maranhão e estreados nas salas de cinema. E todo mundo sabe que as regiões Norte e Nordeste são celeiros de talentos artísticos, com cenários e belezas naturais de tirar o fôlego, ou seja, com enorme potencial de crescimento no mercado de áudio visual, mas, no caso do Maranhão, poderia ser muito mais bem explorado”, disse.

Para Christian de Castro, a região do Brasil com maior participação dos filmes brasileiros com relação ao público total foi o Nordeste, com quase 20% dos espectadores e 17% da renda.

“Infelizmente, isso não se traduz no campo da produção, ainda excessivamente concentrada no Sudeste”, observou.

Roberto Rocha lembrou que São Luís poderá se transformar, em breve, em uma zona de exportação também para produtos audiovisuais, o que poderá alavancar de vez esse tipo de mercado.

“Tramita no Senado o projeto de lei de minha autoria, que cria a Zona de Exportação do Maranhão (ZEMA), que vai fomentar incentivos fiscais, não apenas para a instalação de empresas áudio visuais voltadas para o mercado internacional, mas também de empresas de qualquer natureza que visem exportação de seus produtos provenientes do Maranhão. Esse novo modelo econômico vai trazer maior segurança jurídica, estímulos e, consequentemente, a imediata atração de novos investimentos com aumento significativo da oferta de postos de trabalho e renda para o nosso povo”, afirmou o senador.

Vantagens estratégicas do Itaqui

As condições consideradas ideais de São Luís para se transformar em uma zona de exportação animam empresários nacionais e internacionais. O Porto de Itaqui está no centro da Área de Livre Comércio das Américas, próxima ao canal do Panamá, e constitui a rota mais curta para destinos como Europa, Estados Unidos e Ásia.

“É uma região estratégica, que encurta fronteiras e reúne condições ideais”, frisou Roberto Rocha.

Deputado Wellington destaca aprovação da “bonificação” de 20% nas notas do Enem para estudantes maranhenses

O deputado Wellington do Curso (PP) tratou, na tarde de hoje (09), da decisão do Conselho de Ensino e Pesquisa (Consepe), da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) que aprovou, por unanimidade, o projeto de política afirmativa denominado Ingresso Qualificado. O projeto consiste no bônus de até 20% nas notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), para estudantes maranhenses. O projeto já vale para o próximo Enem.

Ao se pronunciar, Wellington destacou a luta da Assembleia Legislativa em defesa dos alunos do estado ouvidos por meio de audiências públicas realizadas em todo o Maranhão.

“Atualmente, a maioria dos estudantes de medicina, por exemplo, da UFMA não são maranhenses. São alunos do Sul, por exemplo. Após a conclusão do curso, os acadêmicos voltarão para seu estado de origem e nós, aqui do Maranhão, ficaremos sem médicos que concluíram o curso de medicina no nosso estado. Como educador, eu sei dos desafios que ainda precisamos superar na educação. Por isso, lutamos pela bonificação, priorizando o estudante maranhense”, disse o professor e Wellington do Curso.

Além de defender esse projeto de bonificação, Wellington já propôs a ampliação do número de vagas no curso de Medicina, na UFMA para Imperatriz e Bacabal, bem como solicitou a disponibilização também do curso de Medicina na UEMA em São Luís e na UEMASul em Imperatriz.

Dica de saúde: Sobre tablets, smartphones e miopia

Especialista em saúde ocular dá dicas sobre a visão das crianças.

O especialista em saúde dos olhos, Dr Stephan Noleto diz que o uso de aparelhos eletrônicos tem impacto baixo sobre a visão das crianças em exposição à luminosidade de smartphones e tablets.

“Não é necessário proibir o uso de tablets e Smartphone; basta que os pais incentivem as crianças fazerem atividades de lazer em locais que sejam abertos, ao ar livre”.

Confira abaixo a opinião do oftalmologista, presidente da Associação Maranhense de Oftalmologia – AMO, Dr Stephan Noleto.