A RIQUEZA OCULTA

Roberto Rocha, senador da República

Uma escola de samba de São Paulo, a Acadêmicos do Tatuapé, veio buscar no Maranhão a inspiração para produzir o espetáculo que levantou o título na avenida. Alguns dirão: certamente isso se deu pelo fato do carnavalesco da escola, Wagner Santos, ser maranhense. Não, decididamente, não! A escolha de um enredo passa por várias cabeças e depende de muitos fatores. Fosse o carnavalesco de outro estado, teria emplacado sua terra?

Faço esta reflexão com um propósito. Para chamar a atenção para a extraordinária riqueza que está diante dos nossos olhos, e muitas vezes é preciso ser vista de fora pra que nós mesmos enxerguemos. A Tatuapé escolheu o Maranhão porque percebeu que aqui havia todos os elementos que compõem uma narrativa para empolgar a celebração popular. Pra começar, somos a síntese da formação cultural do país, nos três grandes eixos: o africano, o europeu e o indígena. Trazemos em nossa imaginação, costumes, memórias e sonhos, o eco do encontro de crenças e visões de mundo tão variadas que se aclimataram em nosso território. Isso não se deu pacificamente, mas a custa de sangue e dor.

Sobre esse terreno construímos um imaginário de “encantarias”, como diz o enredo da escola, feito de mitos, de arquétipos, de lendas, de fantasias que adubaram fértil terreno para o nascimento de gerações de poetas, de Gonçalves Dias a Ferreira Gullar. Um lugar tocado de poesia e magia que penetra na imaginação desde que “o sonho aportou na ilha da magia”.

Está tudo lá, na letra do samba, numa síntese magnífica. Fala das batalhas pela libertação dos escravos, das feitiçarias, da poesia, da alegria, das matracas, dos tambores e de São José, nosso santo padroeiro. Fala ainda das cantorias, das quebradeiras de coco e não esqueceu do reggae, mais um exemplo de simbiose cultural.

Mas nada disso seria suficiente se não fosse o fato de constituir também uma vibrante e arrebatadora tradição visual que está presente nas miçangas dos bois, nos traçados geométricos das pinturas indígenas, nos vestuários das danças populares, nas fitas coloridas, nas cavalgadas, nas romarias, nos azulejos, nos cocares. Que mais quer uma escola de samba pra empolgar a avenida? Poesia, magia, beleza, mistério, essa a riqueza que o Maranhão forneceu para que a Tatuapé, com enorme competência, conquistasse o bicampeonato.

Nem todo o dinheiro de mídia do Governo conseguiria divulgar o Maranhão com tanta leveza e generosidade. O Maranhão tem muitas outras riquezas ocultas dos maranhenses. Chegará o dia em que serão desveladas para seu povo.

“Esse foi o maior Carnaval de Tuntum”, garante prefeito Tema

O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão-FAMEM fez um balanço dos festejos carnavalescos na cidade que dirige e garantiu: “Esse foi o maior e melhor Carnaval de todos os tempos em Tuntum, sem registro de incidentes, marcado por uma alegria contagiante de toda a população”.

Do Sábado Gordo até a terça-feira de Carnaval, o povo esteve nas ruas e na Praça, pulando e acompanhando as bandas que embalaram a festa do Momo naquela cidade da região Central do Maranhão.

Foi verificada a participação de muitos turistas das mais variadas regiões do Maranhão, por saber que o Carnaval de Tuntum sempre foi marcado pela alegria e pela tranquilidade, por conta de um excelente trabalho das Polícias Civil e Militar, de acordo com o prefeito Tema

“O povo de Tuntum é festeiro, é muito ordeiro e extremamente hospitaleiro e isso garantiu também a tranquilidade e a alegria esfuziante desse Carnaval”, de acordo com o prefeito Tema, que esteve sempre acompanhado da primeira dama Daniela Tema durante todos os festejos.

Tema aproveitou ainda para agradecer o governador Flávio Dino e o secretário de Cultura, Diego Galdino, pelo apoio que deram a todos os municípios para que fosse realizado o que ele considera como o maior Carnaval do Maranhão de todos os tempos.

“O nosso governador entendeu o espírito festivo do povo maranhense e, além de haver investido para uma grandiosa festa, esteve participando ativamente do nosso Carnaval, nos circuitos de rua de São Luis”, salientou o presidente da FAMEM.
Vem com a Gente

No último dia do Carnaval de Tumtum, milhares de foliões saíram da Praça São Francisco de Assis em direção ao Balneário da Tiúba, embalados por vários paredões de som, entre eles o Paredão do Frango (do Alfredo), o do Pedro e o Barjay (do Frank). Foi uma autêntica folia do Bloco Vem com a Gente, que teve a liderança da primeira dama Daniela Tema.

A chegada na Tiúba foi triunfal Daniella, sempre acompanhada do seu esposo Tema estava a frente e foi recebida pelo artista tuntuense Mizael Teixeira o Miza Top.

Ainda foram entregues 1500 abadas e distribuídas mais de 500 bandejas de cerveja.

TATUAPÉ: A vitória foi popular, mas também pessoal para o prefeito Luis Fernando

Se o bicampeonato da Acadêmicos de Tatuapé foi uma vitória popular, do ponto de gestão da cidade de Ribamar foi uma vitória pessoal do prefeito Luis Fernando que apostou todas as fichas nesse projeto como forma de “vender” o município para o Maranhão, Brasil e o mundo

O bicampeonato obtido pela Escola de Samba Acadêmicos do Tatuapé foi uma vitória popular ampla, geral e irrestrita, que começou na cidade de São Paulo e chegou no Maranhão, principalmente na cidade de São José de Ribamar, que fez parte do enredo da escola bicampeã.

A cidade balneária, que já estava na expectativa de um belo desfile da Tatuapé, foi surpreendida com uma vitória mais do que merecida, que, com certeza contou com as bênçãos do nosso santo padroeiro São José de Ribamar.

É possível que uma pequena minoria não tenha gostado do resultado do desfile de carnaval das escolas paulistanas ou mesmo até torcido contra. Faz parte.

Contudo, o importante que a quase a totalidade dos ribamarenses estava na torcida para que tudo acabasse bem. E foi o que aconteceu!

Prefeito Luis Fernando: De alma lavada com a vitória da Acadêmicos do Tatuapé.

E se o bicampeonato da Acadêmicos de Tatuapé foi uma vitória popular por si só, do ponto da gestão da cidade de Ribamar foi uma vitória pessoal do prefeito Luis Fernando (PSDB) que apostou todas as fichas nesse projeto como forma de “vender” o município para o Maranhão, Brasil e o mundo. Bingo!

Alvo de críticas e de desconfianças de todos os lados, e posto sob suspeita por afirmar que o erário municipal não foi obrigado a dar quaisquer contrapartidas para ser homenageada pela Tatuapé, Luis Fernando sai de alma lavada de todo esse processo.

E não bastasse a vitória da Acadêmicos do Tatuapé, a cidade de São José de Ribamar ainda pôde contar com a volta do bom e velho carnaval tradicional, que foi definitivamente reconstruído com nada menos do que sete circuitos oficiais contemplando bairros e povoados do município.

E olha que ainda vem por aí o tradicional Carnaval de Lava-Pratos com uma bela surpresa para os foliões, no próximo final de semana, para fechar a com chave de ouro a festa momesca na bela e agora campeã cidade de São José de Ribamar.

O carnaval do Maranhão não se resume à pessoa do governador Flávio Dino 6

O comportamento do governador maranhense pode ser muito bem resumido num trecho da cantiga “Sampa”, de Caetano Veloso, que diz assim: “É que Narciso acha feio o que não é espelho”

Narcisismo é algo complicado e dependendo do nível pode ser muito perigoso, tanto para para o próprio narcisista quando pessoas próximas a ele.

Ao reclamar de forma que beira o patológico contra o fato de não aparecer na TV Mirante, afiliada da Globo, durante o carnaval, o governador Flávio Dino comete vários equívocos, todos originados na sua personalidade narcisista.

Em primeiro lugar, é estranho alguém se martirizar porque não consegue aparecer na “telinha” de uma emissora que integra um sistema de comunicação que é tratado costumeiramente de forma desrespeitosa pelo governador e o seus auxiliares mais próximos. Aliás, desrespeitos que não se limitam ao sistema em si, mas também a alguns dos seus profissionais de jornalismo.

Em segundo lugar, fica feio para um governador jovem ficar o tempo inteiro atacando o ex-presidente Sarney, um idoso de quase 90 anos, e acusando-o de ser a mente por traz do hipotético boicote da TV Mirante a sua pessoa.

Em terceiro lugar, quem acompanha os telejornais da TV Mirante sabe que houve, sim!, um registro diário do carnaval não apenas de São Luis, mas de diversas cidades do Maranhão em todas as regiões do estado.

Ocorre que para Flávio Dino só vale se durante as reportagens miranteanas o comunista aparecer tocando tambor com uma claque palaciana, sob o comando do diretor do Procon, Duarte “Shoktox” Júnior, gritando “Dino, eu te amo”. Aí não dá, né?

Esse tipo de comportamento do governador maranhense pode ser muito bem resumido num trecho da cantiga “Sampa”, de Caetano Veloso, que diz assim: “É que Narciso acha feio o que não é espelho”.

Mas nada que uma boa terapia não resolva ou animize o transtorno…

São José de Ribamar abençoa e Acadêmicos do Tatuapé é bicampeã do carnaval paulistano

Só deu Maranhão no carnaval da maior cidade do país. Além do bicampeonato da Acadêmicos do Tatuapé, o segundo lugar ficou com Mocidade Alegre, que fez uma homenagem à cantora Alcione, de 70 anos, com um enredo marcado pelo clássico “Não deixa o samba morrer”, gravado pela Marrom em 1975

Confira a reportagem do Estadão.

Acadêmicos do Tatuapé se torna bicampeã do carnaval paulistano em 2018

Acadêmicos do Tatuapé tenta o bicampeonato homenageando o Maranhão. Foto: Felipe Rau/Estadão.

A Acadêmicos do Tatuapé é bicampeã do carnaval paulistano, com nota máxima em todos os quesitos. A Mocidade Alegre ficou com o vice-campeonato. A escola não conseguiu patrocínio e apostou no reaproveitamento de penas, pedras e outros materiais para poupar cerca de R$ 800 mil este ano.

De acordo com Eduardo dos Santos, o presidente da escola, mais de 90% das fantasias são recuperadas depois do carnaval. Para explicar o espírito por trás da ação, em entrevista à colunista do Estado, Sonia Racy, ele citou um samba-enredo da Salgueiro de 1986: “Tem que se tirar da cabeça aquilo que não se tem no bolso!”

A bicampeã levou carros colossais e deixou o sambódromo, na madrugada do sábado, já como forte candidata ao título. Ainda arriscou uma batida reggae, estilo musical que nasceu na Jamaica e é muito ouvido no Maranhão, tema do seu enredo. Já o carnavalesco Wagner Santos, que estreou na Tatuapé com vitória, desenvolveu um tema que conhece bem, já que é maranhense.

As escolas Unidos do Peruche e Independente Tricolor foram rebaixadas para o Grupo de Acesso.

Desfile. Em seu desfile no sábado, 10, a escola da zona leste de São Paulo levou carros colossais e fantasias ricas em detalhes para a avenida. Já ao fim do desfile, já era apontada como forte candidata ao bicampeonato.

A vice-campeã Mocidade Alegre fez uma homenagem à cantora Alcione, de 70 anos, com um enredo marcado pelo clássico “Não deixa o samba morrer”, gravado pela Marrom em 1975. Até a apuração da última categoria de notas, a escola ficou com o mesmo número de pontos das escolas Mocidade Alegre, Mancha verde, e Tom Maior. O resultado foi decidido por critérios de desempate.

No desfile da Mocidade, foi Alcione quem puxou seu próprio samba no começo do desfile ao lado dos intérpretes Tiganá e Ito Melodia, ainda no chão do Anhembi, e depois subiu no último carro da escola para ser homenageada como o enredo “A voz marrom que não deixa o samba morrer”. O investimento em grandes alegorias já apareceu no abre-alas da escola, formado por três carros que ressaltaram as belezas naturais do Estado do Nordeste e a influência dos franceses, que fundaram a capital São Luís no século XVII.

VITÓRIA DO MEARIM: O ótimo trabalho na limpeza pública feito pela Prefeitura 2

Com a cidade mais limpa o povo vitoriense tem uma melhor qualidade de vida e também tem a honra de receber as pessoas que vem passar o conhecido e alegre carnaval de Vitória do Mearim

A Prefeitura de Vitória do Mearim vem fazendo um ótimo trabalho na área da limpeza pública, o que tem mantido a cidade cada dia mais limpa e bonita.

Esse trabalho é mais um compromisso que a prefeita Dídima Coêlho (PMDB) assumiu com a população no sentido de zelar pelo município.

Com a cidade mais limpa o povo vitoriense tem uma melhor qualidade de vida e também tem a honra de receber as pessoas que vem passar o conhecido e alegre carnaval de Vitória do Mearim.

Trata-se, portanto, de uma inciativa de gestão que merece o reconhecimento do povo vitoriense, não somente em relação à ação da prefeita Dídima Coêlho, mas de toda a equipe de funcionários envolvida na limpeza púbica da cidade.

Confira alguma imagens da cidade (crédito do blog Luan & Amigo).

FAMEM consegue vitória e Assembleia cria PEC garantindo carnaval nos municípios 4

Após uma série de encontros e muitas reivindicações, o presidente da Assembleia Legislativa,  Othelino Neto (PC do B), apresentou, na manhã desta quinta-feira (8), ao presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão  (FAMEM), Cleomar Tema e dezenas de prefeitos, cópia da Proposta de Emenda Constitucional (PEC),  que modifica o artigo 51 da Constituição Estadual e revoga a Instrução Normativa do TCE, que  inviabilizaria a realização do Carnaval na maioria das cidades maranhenses.

Pela Instrução do TCE, são consideradas ilegítimas para os fins do artigo 70 da Constituição Federal, qualquer despesa custeada com recursos públicos municipais – inclusive aqueles decorrentes de contrapartida em convênio – com eventos festivos quando o município estiver em atraso com o pagamento da folha salarial (incluindo terceirizados, temporários e comissionados); ou em estado de emergência ou de calamidade pública decretado.

Na esteira da decisão do TCE, a Secretaria de Cultura do Estado baixou a Portaria, nº 067/2018,  determinando que o governo do Maranhão somente efetuará transferências voluntárias de recursos para municípios, cujos gestores, comprovem, através de declaração que deve ser entregue na SECTUR, que estão com os salários dos servidores públicos rigorosamente em dia.

“Foi uma vitória conquistada com muita luta, com muito esforço, mas agora estamos tranqüilos e poderemos realizar o Carnaval em nossos municípios. Essa é uma festa tradicional, é uma das maiores expressões da cultura popular do Brasil, que incrementa o turismo, gera receitas. Só queremos aqui agradecer ao deputado Othelino Neto e a todos os parlamentares que se empenharam  para que chegássemos a esse denominador comum. É uma vitória de todos, dos prefeitos e do Legislativo”, destacou o presidente da FAMEM.

Conforme o presidente da FAMEM, a decisão do TCE foi tomada num momento em que praticamente todos os prefeitos já estavam com suas festividades organizadas, de contratos com bandas e outras despesas. Ele entende que, se prevalecesse tal determinação, muitos prefeitos correriam risco de serem penalizados posteriormente.

A PEC  é de autoria do deputado Júnior Verde (PRB) e acresce ao parágrafo 5º,  do artigo 51, a seguinte redação: “No exercício do poder regulamentar, o Tribunal de Contas não poderá expedir atos normativos que criem restrições ao poder discricionário dos administradores públicos, bem como estabeleçam sanções não previstas em lei”.

Já no parágrafo 6º do mesmo artigo, a PEC estabelece: “ Para expedições de atos normativos de quaisquer espécies, o Tribunal de Contas deverá ouvir, previamente, em audiência pública, os gestores públicos dos ente federados, convocados por todos os meios e instrumentos legítimos de que dispuser, sendo obrigatória a divulgação no sítio oficial da\ rede mundial de computadores (internet) e no diário oficial eletrônico da minuta do ato, com antecedência mínima de 15 dias”.

Já o artigo  2º  da PEC significa um autêntico arremate: “O disposto na presente Emenda à Constituição se aplica a todos os atos normativos já expedidos pelo Tribunal de Contas do Estado, cuja incidência para atos e fatos administrativos referentes ao presente exercício financeiro ficam sujeitos à restrição contida no artigo 51 parágrafo 7º da Constituição Estadual”.

Subscrita por 28 parlamentares, a PEC já está em tramitação e deverá ser aprovada logo após o Carnaval, de acordo com o presidente da AL, Othelino Neto.

“Não estamos entrando em choque com o Tribunal de Contas, órgão com quem a Assembleia tem  plena harmonia, embora  nem sempre tenha que pensar igual”, como é normal numa democracia”, afirmou o presidente do Legislativo Estadual.

De acordo com Othelino Neto, a decisão dos parlamentares vai de encontro aos anseios dos prefeitos e não significa subestimar, a Corte de Contas do Estado. “O Carnaval é uma manifestação de alegria, uma festa presente e muito fortalecida em todas as cidades. Com certeza, pequenos vendedores e outros profissionais, assim como os próprios prefeitos já fizeram investimentos e não seria justo banir tal festividade. As normas moralizadoras do TCE não serão atingidas, uma vez que essa PEC representa apenas alguns  ajustes, por conta do cronograma das prefeituras”, ressaltou Othelino Neto.

Santa Rita: Prefeitura resgata manifestações culturais e valoriza personagens locais no Carnaval 2018

Com o intuito de resgatar a cultura popular de Santa Rita, o prefeito Hilton Gonçalo determinou que a Secretaria municipal de Cultura, promova homenagens especiais aos nomes que marcaram a cidade. E esse ano, o escolhido foi o saudoso Raimundo dos Santos Gouveia, mais conhecido como, Raimundo Prego, responsável por muitas festas e por incorporar ao carnaval da cidade o hábito de usar a fantasia de fofão.

Raimundo Prego usou o seu personagem, o Fofão, e conquistou as crianças da época com sua máscara de gorila, o que se eternizou como protagonista de uma historia que durou décadas, lembrada até hoje por pessoas que vivenciaram aquele momento.

Essa foi uma das propostas de campanha apresentadas por Hilton Gonçalo. Na época, ele prometeu resgatar as manifestação culturais locais.

A ideia de retratar o passado desse artista popular com o tema Fofão de Ouro partiu do secretário municipal de cultural, Didi Muniz, que buscou aprofundar a vida pregressa de Raimundo Prego ouvindo relatos de familiares, em seguida apresentou a proposta ao prefeito Hilton Gonçalo que de imediato recebeu o aval do gestor.

“Mais do que justo homenagear essa pessoa que tanto contribuiu para a cultura do nosso município”, disse Didi Muniz.

Quem foi Raimundo Prego?

Nascido em 16 de outubro de 1922, Raimundo Prego, como era conhecido, tem seu registro de nascimento no povoado Centrinho – na época, pertencente ao município de Rosário-MA. Filho adotivo do casal Apolinário Damásio Gouveia e Joana Santos Gouveia, Raimundo teve que lutar por sua subsistência ainda criança, e aos 12 anos vendia leite para os vizinhos.

Em 1955 conheceu Dona Raimunda e dessa união, nasceram 8 filhos. A família de costume muito simples vivia de forma tranquila e Raimundo Prego, vendo a família crescer, se viu obrigado a mudar para capital São Luís, na busca de novas oportunidades de emprego, e assim sustentar a família.

Já na capital, Raimundo conseguiu emprego na Rede Ferroviária Federal (RSSFA) e durante anos alimentou a fornalha da “Maria Fumaça” que fazia a linha São Luís / Teresina – tão cantada por João do Vale! Foi nesse interim, que Raimundo se tornou boêmio, conheceu os encantos da noite, e nessas noitadas aumentou a prole, chegando a ter mais 26 filhos.

Grande devoto de Nossa Senhora da Conceição, fazia todos os anos o festejo da Santa no mês de dezembro no antigo povoado São Bernardo (hoje Ilha das Pedras) em Santa Rita. Mas a maior alegria de Raimundo era o período carnavalesco, era no carnaval que Raimundo Prego vestia o manto sagrado do fofão e saia pelas ruas e povoados de Santa Rita, traduzindo em sua genial performance, a verdadeira essência do carnaval de rua.

Vestido de fofão, Raimundo Prego enriqueceu a cultura das cidades de São Luís, São José de Ribamar e Santa Rita, em especial Carema. Há quem diga que “aquele fofão era mais amável do que feio… Trazia mais alegria do que medo” palavras de quem ouviu com carinho as histórias de saudoso negão.

Mas no dia 19 de outubro de 1994 a boneca caiu da mão do fofão, a máscara deu lugar ao rosto frio e olhos fechados e o manto sagrado do fofão, ocupou o vazio de uma gaveta fria. Naquele dia, o generoso coração de Raimundo Prego parou e deixou o carnaval em lágrimas. Seu legado foi seguido por seus filhos e até os dias atuais, o sangue cultural de Raimundo corre quente nas veias da família.

Graças a Raimundo Prego e muitos outros, a cultura de Santa Rita hoje é rica, e pode com orgulho trazer para os dias atuais a imagem de um grande ícone, a quem devemos reverenciar no império de momo.

População cobra do Governo do Estado a conclusão de obra na MA-278 2

Populares observam escombros da ponte que desabou, isolando milhares de famílias

A população de de Barão de Grajaú e de São Francisco do Maranhão cobram do governador Flávio Dino (PCdoB) a conclusão das obras de recuperação da MA-278, rodovia estadual que interliga os dois municípios.

Orçada em quase R$ 45 milhões, a obra, herdada pelo comunista com cerca de 90% dos serviços já realizados, se arrasta há mais de quatro anos e em vez do avanço dos trabalhos o que se vê são danos nas estruturas já finalizadas, como o desabamento de uma porte, devido às fortes chuvas dos últimos dias.

Placa com informações sobre a obra, como preço, prazo de conclusão e origem de recursos para sua execução

Segundo o blog do colega Daniel Leite, a obra começou em janeiro de 2014 e deveria ter sido realizada em 24 meses, ou seja, a conclusão deveria ter ocorrido em janeiro de 2016, início do segundo ano de mandato de Flávio Dino no Palácio dos Leões. Mas, mesmo já tendo superado o dobro do prazo de execução, não há qualquer definição sobre quando será finalizada.

Diz ainda o jornalista, que “obra consiste no melhoramento e pavimentação da estrada, em uma extensão de 67,58 quilômetros. Os recursos são oriundos do tesouro estadual e de um empréstimo contraído junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O valor total investido foi R$ 44.964.727,55.”

Ponte que cedeu na MA-278, vista de outro ângulo: zona rural ficou isolada do resto da região

Revoltada, conta o blogueiro, “a população exige do governador comunista o término do serviço. Eles clamam por uma solução para o impasse, alegando que no período chuvoso sofrem ainda mais. Com os sucessivos temporais que têm castigado a região nos últimos dias, a situação ficou crítica. No trecho em obras, nenhum carro que ia da zona rural com destino à zona urbana conseguiu entrar em São Francisco do Maranhão. Outros acessos ficaram obstruídos, pois a rodovia dá acesso a todos os povoados do município”.

Casa inundada por causa da má qualidade da oba na rodovia estadual

Obra mal feita

Populares dizem que a obra é mal feita, pois nem bueiro existe para escoar a água da chuva. Além da queda da ponte, a rodovia foi cortada em outro trecho, agravando ainda mais a situação da rodovia, retrato de um governo falacioso e inapto a cumprir com eficiência sua missão de melhorar a vida do povo.

Vereador Cézar Bombeiro pede a intervenção do Ministério Público para analisar o reajuste das passagens dos coletivos 2

Diante da nota pública do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís, em que explicita claramente que serviços como: Terminais de Integração, Bilhetagem Econômica, além de acessórios previstos no contrato de remuneração tarifária, como ar condicionado nos veículos e GPS devem ser embutidos no valor das passagens. A licitação pública dos transportes coletivos, segundo a entidade de classe, estabeleceu que a Tarifa de Remuneração seria composta pela passagem dos usuários (Tarifa Pública) e ser complementada pelo município com subsidio pelas concessionárias. Os empresários destacam, que a decisão de colocar todo o custo operacional do Sistema de Transporte Coletivo para os usuários sem qualquer subsídio é da Prefeitura de São Luís, e não das empresas concessionárias de São Luís, que segundo o sindicato das empresas, busca apenas o equilíbrio econômico, daí a necessária elevação dos valores das passagens, independente do reajuste do mês passado.

Cézar Bombeiro, que foi primeiro vereador a se manifestar contrário ao reajuste das tarifas dos transportes coletivos, diz que sem discussão prévia com a Câmara Municipal, Ministério Público Estadual e entidades da sociedade civil organizada, não se pode fazer reajustes de forma unilateral. Decidiu hoje encaminhar solicitação ao Procurador Geral de Justiça com pedido de intervenção do Ministério Público no âmbito do aumento das passagens dos transportes coletivos de São Luís, fazendo importantes esclarecimentos ao procurador Luís Gonzaga Martins Coelho.

O vereador Cézar Bombeiro, justifica a sua solicitação, levando-se em conta que desde que houve a licitação dos transportes coletivos de São Luís, infelizmente nada melhorou para os usuários, muito pelo contrário, as dificuldades de outrora passaram a ser acentuadas pelas precariedades com os vícios de empresas nos mesmos setores e tripudiando dos usuários. Com os chamados corredores fracionados de transporte coletivo, as viagens se tornaram mais demoradas e os terminais estão se transformando em verdadeiros infernos para milhares de passageiros. Em pleno inverno os passageiros não contam com abrigos decentes para aguardar os coletivos e as panes mecânicas de ônibus são constantes e todos os dias, trabalhadores, estudantes e muitos passageiros ficam pelo meio do caminho. Cézar Bombeiro, no seu entendimento, a concorrência pública dos transportes coletivos precisa ser revista para a garantia de direitos e não apenas os unilaterais que tendem aos dominantes, afirmou o vereador.

(Fonte: Quarto Poder)