SÃO JOSÉ DE RIBAMAR: Luis Fernando visita obras da prefeitura em bairro da região da Sede e Parque Jair 2

Em São José de Ribamar, o prefeito Luis Fernando Silva realiza constantes visitas à obras, sobretudo na área da infraestrutura, executadas no município, com o objetivo de acompanhar de perto o andamento e a qualidade dos serviços realizados.

Na manhã desta segunda-feira (13), o prefeito visitou obras em andamento nos bairros Roseana Sarney e Parque Jair. Ele esteve acompanhado do vice-prefeito Eudes Sampaio, secretários municipais, além dos vereadores José Lázaro, Moisés Gama, Osvaldo Brandão, Cristiano Pinheiro e Marlene Monroe

Para Luis Fernando, é importante que se acompanhe de perto todos os serviços para que as demandas da população sejam atendidas.

“Eu faço questão de acompanhar diariamente o trabalho para ter certeza que tudo está caminhando bem e que a população irá receber de volta a sua rua, avenida e bairro reconstruídos”, garantiu o gestor.

Fico feliz, externou o gestor, “em ver São José de Ribamar se transformando no que ela merece: uma cidade boa de se viver, caminhar pelas ruas e aproveitar os espaços de lazer. Tem muita coisa para ser feita ainda, encontramos muitos problemas, mas com empenho e apoio da população vamos conseguir vencer todos os desafios” afirmou Luis Fernando.

A vistoria seguiu por toda a extensão da Vila Roseana Sarney. No local, o prefeito acompanhou o andamento do serviço de recuperação em revestimento primário da Rua Projetada, serão mais de 1200 metros, incluindo também as vias transversais, facilitando assim a vida dos moradores.

A Avenida Carlos Augusto, via principal do bairro Parque Jair está sendo toda reconstruída, uma antiga reivindicação dos moradores que está sendo atendida pela gestão. Além da Carlos Augusto, outras vias do entorno estão recebendo melhorias e operação “tapa-buracos”.

Dia dos Pais: por que falta de tempo para os filhos não tem nada a ver com disponibilidade

Vida profissional não é empecilho para se ter envolvimento emocional com os filhos; há como achar um ponto de equilíbrio.
Por Eduardo Shinyashiki, via Vya Estelar
O Dia dos Pais é uma data em que a reflexão sobre o relacionamento familiar é muito bem-vinda. Afinal de contas, os pais influenciam diretamente em muitos fatores da vida dos filhos, como a forma de enxergar o mundo e de reagir aos estímulos externos, por exemplo.

Para o saudável desenvolvimento afetivo das crianças, é fundamental que os pais estejam envolvidos em suas vidas, muito mais com disponibilidade emotiva do que de tempo. E, ao contrário do que muitos pensam, a vida profissional não é empecilho para isso. A receita para esse equilíbrio é simples: ter claras as próprias prioridades, pessoais e profissionais, dosar bem as energias e o tempo dedicados a essas prioridades.

Em síntese, o papel paterno representa a relação dos filhos com o mundo externo, ou seja, a abertura para a sociedade, o impulso para se tornarem adultos. Indica também o ingresso da criança ao contexto social, em contraposição ao universo íntimo representado pela relação entre mãe e filho. Ao mostrar, de maneira clara e serena, que existem regras e limites, o pai ajuda os filhos a crescerem emotivamente preparados para enfrentar com segurança o mundo externo.

São vários os pontos na atuação do pai que determinam a criação de uma base firme para a vida futura de seus filhos. E numa era em que muitos vivem conectados a smartphones e notebooks, sem limites e dosagem do tempo – que poderia ser dedicado a momentos de qualidade e olho no olho -, podemos falar sobre a importância da conexão entre pais e filhos.

Estudos afirmam que quanto mais os filhos se sentem em conexão com o pai, mais confiam na vida, em si mesmo e nos outros.
Quando a relação de confiança e proximidade é estabelecida quando criança, ela dura por toda a vida. E isso só acontece quando se constroem laços baseados no respeito à diversidade e à individualidade, e não na busca incansável de uma simples reprodução de comportamentos.

Cada um tem a sua própria jornada e, assim, melhor que guiar alguém, é caminhar ao lado. Transmita aos seus filhos valores sólidos, que fazem parte do seu dia a dia, e um legado será construído de forma tão forte que nada poderá corrompê-lo.

Permita que hoje e a cada dia da sua vida, sejam construídos momentos memoráveis com seus filhos, que podem ser um olhar, um sorriso, um abraço e, talvez, o mais importante: viver com eles aquilo que você sempre sonhou em viver com os seus pais, mas que por algum motivo não foi possível. Viva a intensidade desses momentos e o poder do agora na sua vida. Eternize este presente.
Feliz Dia dos Pais!

Fonte: Eduardo Shinyashiki é mestre em Neuropsicologia e Liderança Educadora, especialista em desenvolvimento das competências de liderança organizacional e pessoal

SANTA HELENA: Prefeitura Promove com sucesso Feira da Agricultura Familiar

Cores, cheiros e sabores! É nesse sentido e com sucesso de público e garantia de bons negócios que a Feira da Agricultura Familiar de Santa Helena acontece!
Idealizado e promovido pela gestão do prefeito Zezildo Almeida, o encontro entre trabalhadores rurais e consumidores é realizado em praça pública, onde são expostos produtos hortifrutigranjeiros vindos da Zona Rural do Município.

A vantagem de quem visita está feira é que no local se encontra frutas, verduras, legumes e uma infinidade de alimentos com qualidade, livre de agrotóxicos e com preços acessíveis ao consumidor.

O trabalhador rural tem recebido todo o apoio necessário por parte da Prefeitura de Santa Helena, seja com orientação de técnicos, seja com equipamentos e implementos agrícolas. Tudo isso sem contar com com vias de acesso do campo para a sede do município, pois estradas vicinais foram recuperadas e com isso, o escoamento da produção agrícola é facilitado. Isso provoca como benefício direto, a redução de custo dos produtos para o consumidor final e ganho para que comercializa a produção.
Desta forma, a cadeia alimentar funciona beneficiando a população helenense nas duas pontas. O trabalhador rural planta e colhe seus produtos com a certeza de lucro com a venda na feira livre e o cidadão adquire as mercadorias pagando preço justo, tendo também a vantagem de saber que está levando para casa alimentos em quantidade e qualidade satisfatórias.

A prefeitura também disponibiliza fardamento e bancas padronizadas para os feirantes, assim como toda logística. A questão da limpeza no local e o transporte de mercadorias fazem parte desse programa econômico e social de Santa Helena.

“Eu, enquanto gestor do município de Santa Helena sei das necessidades da população no que diz respeito ao abastecimento, por isso não poupei esforços para proporcionar estrutura e incentivo ao produtor rural, através de projetos da Agricultura Familiar, com parcerias com o governo estadual. Dessa forma, criamos uma equipe de trabalho para promover essa feira que beneficia tanto o produtor rural quanto a população de Santa Helena e seus visitantes. Garantia de geração de postos de trabalho e renda para nossa cidade”, destacou o prefeito Zezildo Almeida.

Vale dizer que o prefeito Zezildo Almeida tem recebido o apoio institucional do Governo do Estado, através de projetos e emendas do deputado estadual Othelino Neto (PCdoB), presidente da Assembleia Legislativa. Também somando forças e dando substancial apoio para a administração municipal de Santa Helena está o deputado federal Victor Mendes. A propósito, para fomentar mais ainda a Agricultura Familiar, nos próximos dias, Zezildo Almeida deverá estar recebendo mais Patrulhas Mecanizadas para servir a produção rural helenense.

Trabalho autônomo, liberal ou remoto. Qual devo escolher?

Ser um trabalhador autônomo, liberal ou remoto possui suas vantagens e desvantagens, mas saber suas características é essencial para que você consiga as melhores oportunidades

Sebastián Siseles, Administradores.com

Trabalhar por conta própria, fazer o seu próprio horário, ser o seu próprio chefe. Realidade de muitas pessoas que não possuem qualquer vínculo empregatício e trabalham por conta própria. Segundo uma pesquisa do IBGE, realizada em 2017, o Brasil conta com 11.115 milhões de pessoas que trabalham, mas não possuem carteira assinada e 23.198 milhões que atuam por conta própria, o que representa um total de 34,31 milhões de trabalhadores nesses formatos.

Um dos motivos desse aumento foi que muitas pessoas enxergaram uma maneira de vencer a crise econômica e encontrar novas possibilidades de garantir um rendimento financeiro no final do mês. Além disso, existem pessoas que adotam esse tipo de trabalho pensando no ganho de qualidade de vida.

Ser um trabalhador autônomo, liberal ou remoto possui suas vantagens e desvantagens, mas saber suas características é essencial para que você consiga as melhores oportunidades e tire todo o proveito do serviço que você está oferecendo.

Profissional autônomo

O profissional autônomo é aquela pessoa que trabalha por conta própria, que tenha ou não uma formação ou qualificação profissional. Trabalhadores autônomos têm uma independência maior e conseguem executar diversos tipos de tarefas. Entre eles estão pintores, encanadores, pedreiros e outros.

Profissional liberal

Já o profissional liberal é a pessoa que conta com formação universitária ou técnica e tem liberdade para executar a sua atividade de maneira independente, podendo ser empregado ou trabalhar por conta própria. Podemos colocar como exemplos médicos, advogados, arquitetos e dentistas.

Trabalho Remoto

Trabalho remoto é, como o próprio nome diz, qualquer atividade que pode ser realizada à distância, facilitada pelo uso de tecnologia e de comunicação. Por esse motivo é também chamado de teletrabalho. Existem diferentes concepções deste termo e outros similares como: trabalho à distância, como dito acima, e home office. É um formato que tem recebido cada vez mais adeptos e que está sendo adotada por diversas empresas.

Ao optar pelo home office é necessário ter um ambiente dentro de sua casa totalmente dedicado para suas atividades, isso traz mais concentração e faz com que se mantenha o foco na tarefa que está sendo executada. Também é preciso ficar atento com a carga horária, já que muitas empresas estendem suas atividades além dos horários tradicionais.

Dependendo do fluxo de trabalho do profissional autônomo ou liberal é possível ganhar mais dinheiro do que quem é contratado por empresas no formato tradicional. O caminho pode ser bastante recompensador, mas também é preciso tomar alguns cuidados como ter disciplina com horário, foco e organização para que você consiga entregar o seu trabalho com qualidade e dentro do prazo. Além disso, o trabalhador deve se programar para os meses com menos oportunidades, e, sempre manter uma reserva de recursos para os casos de imprevisto ou de acidente de trabalho. Essas são algumas formas de se evitar dificuldades financeira.

Com as características de cada tipo de trabalho apontado, escolher a que melhor se encaixa será mais fácil para começar a trilhar o seu próprio sucesso. Boa sorte!

Sebastián Siseles — Diretor Internacional do Freelancer.com, responsável pela expansão global do site. Formado em Direito pela Universidad de Buenos Aires, e em Marketing, com MBA pela University of Pittsburgh. Especialista em finanças corporativas e práticas gerais de negócios, o executivo também fundou várias empresas de comunicação e Internet.

SANTA HELENA: Prefeitura realiza “Julho Amarelo” para prevenir os riscos de hepatites virais

A Prefeitura de Santa Helena em parceria com a secretaria de Saúde do município realizam rotineiramente ações da saúde que envolvem os profissionais da área com a população que busca os mais diversos tipos de atendimentos.
Julho Amarelho como é batizado por ser o mês de conscientização das hepatites virais, trás consigo vários serviços que estão sendo oferecidos aos helenenses.
Durante todo o dia de hoje (18) está sendo realizado na Praça da Bandeira os atendimentos de Aferição da PA, Teste de Glicemia, Testes rápidos, Palestras, Orientações de saúde bucal, consultas médicas, vacinação, atendimento Nasf e muito mais.
A dedicação que as equipes de Saúde e que o Prefeito Zezildo Almeida tem com a população de Santa Helena é um feito que por alguns anos a cidade não viu.
Dedicação, trabalho e muitas pessoas sendo atendidas, quem comparece nas ações para se prevenir, sai satisfeito e claro com a saúde em dia, o que é mais importante.
Para o Prefeito Zezildo, essas ações estabelecem na cidade um elo de confiança entre poder público e população, pois os dois unidos conseguem mudar a vida de muita gente.
Prefeitura de Santa Helena- União, Trabalho e Compromisso.

Fepa: a má notícia 8

A reforma é certa, só resta saber quando virá e quem a fará. Por essas ironias do destino, a má notícia – de que o Fepa precisa ser reformulado – pode ser dada, em breve, pelos mesmos que no plano estadual silenciam sobre a situação do fundo e no cenário federal atacam a Reforma da Previdência.

Por Eden Jr.*

Nas últimas semanas têm repercutido com intensidade na imprensa local notícias sobre a Previdência do servidor público do Estado. Matérias dão conta de atrasos nos pagamentos de aposentadorias e de uma antecipação de resgate, via decisão judicial, de aplicações do fundo de previdência, que totalizam R$ 400 milhões, as quais somente estariam totalmente disponíveis para saque em 2024. Tais notícias geraram questionamentos acerca da saúde financeira do sistema estadual de aposentadoria.

O pagamento das aposentadorias, reformas e pensões dos servidores do Estado do Maranhão concedidas a partir de 1996 é garantido pelo Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria (Fepa), criado pela Lei Complementar n° 35/1997. As receitas que o Fepa dispõe para honrar seus compromissos são: contribuições dos servidores e do Estado, renda de suas aplicações financeiras e de aluguéis de seus imóveis, recursos provenientes de prestações dos financiamentos imobiliários, entre outras. Indispensável frisar, que o Fepa tem um invejável acervo de imóveis (Centro Social Recreativo do antigo Ipem, Sítio Santa Eulália, Hospital Carlos Macieira etc.) que pode ser usado para garantir a sua solvência. Portanto, o Fepa é tido como um “Regime Capitalizado”, já que conta com receitas e patrimônio próprios para arcar com suas obrigações.

A outra parte de aposentadorias e pensões outorgadas até 1995 é custeada por recursos do Tesouro Estadual, é o “Regime Orçamentário”. Neste, não há contribuições ou reservas para bancar esses benefícios, e os aposentados e pensionistas são financiados por recursos consignados anualmente no orçamento do Estado, como se servidores da ativa fossem. Tanto é, que para efeitos da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), o valor destinado ao pagamento desses direitos integra o limite de gasto com pessoal a que cada ente está submetido (no caso dos estados, o limite para as despesas com pessoal é 60% da Receita Corrente Líquida/RCL). Assim, tem-se um duplo regime de aposentadoria dos servidores do Maranhão: o “Regime Orçamentário”, para os benefícios autorizados até dezembro de 1995 (financiados por recursos do Tesouro Estadual), e o “Regime Capitalizado”, para os benefícios gerados a partir de 1996 (que são garantidos pelas diversas receitas do Fepa).

A despeito de que no decorrer do tempo o número de segurados do “Regime Orçamentário” vá diminuindo, em razão de óbitos, pois não há novos ingressos (eram 9.689 filiados em janeiro 2013, contra 8.981 em março deste ano), e, consequentemente, esses gastos vão sendo reduzidos, em 2017 foram R$ 570 milhões e em 2090 serão apenas R$ 60 mil (conforme demonstrativo da LRF), não resta dúvida de que esse é um rombo da Previdência estadual como um todo, pois no passado não se adotaram medidas tempestivas para saná-lo. Esses R$ 570 milhões, que saíram do Tesouro em 2017 para pagar aposentadorias que não têm cobertura financeira, é uma quantia nada desprezível, maior do que os orçamentos somados da Defensoria e do Ministério Público, e que poderia estar sendo direcionada para áreas carentes como: saúde, educação ou segurança.

Quanto ao Fepa – “Regime Capitalizado” –, hoje administrado pelo Instituto de Previdência dos Servidores do Estado do Maranhão (Iprev), teve em 2017, de acordo com Relatório de Gestão Fiscal do Estado (RGF), receitas de R$ 1,020 bilhão e despesas de R$ 1,540 bilhão, resultando num déficit de R$ 520 milhões – maior do que todo o orçamento de 2017 da Uema, R$ 440 milhões. Pelas projeções contidas no RGF, o Fepa terá um rombo de R$ 454 milhões este ano, número que irá piorando, ano a ano, até 2090, quando atingirá R$ 2,683 bilhões. O último Relatório de Acompanhamento de Investimentos do Fepa, disponível no site do Iprev e referente a 31 de maio deste ano, aponta que as aplicações do fundo somavam R$ 560 milhões. É possível que hoje, após o saque de R$ 400 milhões promovido pelo Governo do Estado no final de junho, mediante autorização judicial, o Fepa tenha cerca de R$ 160 milhões em investimentos financeiros (se o valor sacado foi usado para custear a folha de aposentados, conforme dito pelo Governo à Justiça) ou pouco mais de R$ 560 milhões (se os R$ 400 milhões retirados foram direcionados para outras aplicações, como alegou o Iprev).

Mesmo se considerando que o saldo dos investimentos bancários do Fepa é de R$ 560 milhões, esse não garantiria nem mesmo o pagamento de aposentadorias e pensões por mais de cinco meses (média mensal de R$ 125 milhões em 2018). Claro que o Fepa, como dito, ainda dispõe de notável conjunto de imóveis a seu dispor, para fazer face a suas obrigações, como também de outros recursos, como aluguéis e rendas de financiamentos imobiliários. Contudo, esses haveres, ainda que de grande monta, não garantiriam indefinidamente os sucessivos déficits projetados para o Fepa.

Com um rombo agregado de mais de R$ 1 bilhão em 2017 (“Regime Orçamentário” + “Regime Capitalizado”/Fepa) e perspectivas negativas, o sistema de aposentadorias e pensões dos servidores públicos do Maranhão, em pouco tempo, passará por reforma, queiram ou não Governo, deputados ou servidores. E as alterações necessariamente incluirão: aumento da idade de aposentadoria e de contribuições, além de restrição de benefícios. Não se descarta, até mesmo, a migração para um modelo real de capitalização, em que cada funcionário faria depósitos em contas individuais, que seriam aplicados para gerar rendimentos, a fim de pagar as aposentadorias no futuro, como já ocorre com os novos servidores federais e do Estado de São Paulo.

O Fepa – assim como o INSS ou o fundo de aposentadoria do funcionalismo federal – estruturalmente é um sistema inviável, em razão de drásticas mudanças sociais como: elevação da perspectiva de vida, diminuição da taxa de natalidade, transformações no mercado de trabalho, redução no ingresso de novos servidores, entre outras. É uma dinâmica inclemente, que fez o Fepa sair de superávits em 2014 (R$ 316 milhões) e em 2015 (R$ 6 milhões), para déficits em 2016 (R$ 262 milhões) e em 2017 (R$ 520 milhões), e os investimentos financeiros – provavelmente usados para suavizar os rombos – minguarem a cada ano: 2014 (R$ 1,190 bilhão), 2015 (R$ 1,155 bilhão), 2016 (R$ 1 bilhão) e 2017 (R$ 665 milhões).

A reforma é certa, só resta saber quando virá e quem a fará. Por essas ironias do destino, a má notícia – de que o Fepa precisa ser reformulado – pode ser dada, em breve, pelos mesmos que no plano estadual silenciam sobre a situação do fundo e no cenário federal atacam a Reforma da Previdência.

*Doutorando em Administração, Mestre em Economia e Economista (edenjr@edenjr.com.br)

SÃO JOSÉ DE RIBAMAR: Luis Fernando de bem com o povo ribamarense 3

Apesar da raquítica oposição em São José de Ribamar alardear que o prefeito Luis Fernando (PSDB) anda mal das pernas, em termos de aprovação popular, não é isso que se percebe na realidade.

Durante visita aos mais de sete circuitos do São João ribamarense, foi possível ver o prefeito sendo abraçado por populares, frequentadores dos arraiais e comerciantes. Mas além disso, outro fato fortalece ainda mais essa tese.

Preocupado com sua reeleição, o governador Flávio Dino faz questão de convidar o prefeito ribamarense para seus eventos. Na semana passada, por exemplo, não se contentou em apenas ter o prefeito presente em sua solenidade no Palácio Henrique de La Roque: elegeu Luis Fernando para falar em nome dos prefeitos, mesmo com o presidente da Famem presente no evento.

Segundo apurou o Blog do Robert Lobato, Flávio Dino tem uma pesquisa sobre a avaliação dos prefeitos da Ilha. E ao contrário do que diz a minguada oposição liderada pelo desastroso ex-prefeito de São José de Ribamar, a avaliação dele é a melhor possível chegando acima dos 80%.

Flávio Dino: Aplausos para Luis Fernando.

E isso faz todos sentido quando se avalia as andanças de Luis Fernando nos arraiais, sua presença efetiva nas audiências públicas sobre a atualização do Plano Diretor, bem como as visitas constantes aos bairros do município, mesmo com os problemas deixados pela administração o passada, o que por si só já gera demandas homéricas para o atual gestor.

Enfim, Luis Fernando aproveitou os festejos juninos para testar a sua popularidade.

E passou no teste.

O resto é choro das viúvas de um passado que não mais voltará mais às terras ribamarenses.

SANTA LUZIA: Obras por todo canto!

Apesar de enfrentar uma oposição local poderosa e golpista, a prefeita de Santa Luzia, França do Macaquinho (PP), tem demonstrado força e principalmente trabalho e competência para afastar maus agouros daqueles que nunca fizeram nada pela cidade e agora tentam de todo jeito não deixar a gestora municipal fazer.

“A Prefeitura de Santa Luzia segue trabalhando por sua gente!!”; “São obras por todo canto!!!”; “Cuidar das pessoas é marca dessa gestão!!” e “É a Prefeitura de Santa Luzia fazendo sua OBRIGAÇÃO!”, são alguns dos lemas que norteiam a administração da prefeita França do Macaquinho. Aliás, lemas não: Princípios!

Confira o vídeo a seguir e veja o que está sendo feito em prol da cidadania do município de Santa Luzia:

BNDES lança programa para desenvolvimento de startups

O banco destinará R$ 10 milhões para apoiar a criação e aceleração do desenvolvimento de startups neste e no próximo ano

Kelly Oliveira, Agência Brasil

Empresas inovadoras vão poder contar com apoio do projeto BNDES Garagem, programa de desenvolvimento de startups. O programa piloto, lançado nesta quinta-feira (5) pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), destinará R$ 10 milhões para apoiar a criação e aceleração do desenvolvimento de startups neste e no próximo ano.

Para iniciar o projeto, o BNDES lança na próxima sexta-feira (6) o edital de chamada pública para convidar empresas que dão apoio às startups, chamadas de aceleradoras. Será selecionada uma aceleradora para o projeto piloto. Para participar do certame, as empresas interessadas devem encaminhar propostas ao BNDES até o dia 31 deste mês.

Depois dessa fase, a aceleradora selecionará, em novembro, 60 startups inovadoras. Em setembro do ano que vem, mais 60 startups serão selecionadas. Na seleção, a prioridade será para aquelas que apresentarem soluções relacionadas ao planejamento estratégico do BNDES: educação, saúde, segurança, soluções financeiras, economia criativa, meio ambiente e internet das coisas (é a tecnologia de conectividade e troca de informações entre máquinas e equipamentos), aplicada a cidades inteligentes, ao meio rural e à indústria.

O objetivo do banco é reunir em um único espaço programas de criação de startups e de aceleração de negócios inovadores, local de coworking (compartilhamento de espaço e de recursos), laboratórios de inovação, universidades e escolas de negócios, gestores de fundos de investimentos, grandes empresas de tecnologia, entre outros.

Segundo o presidente do BNDES, Dyogo Oliveira, a participação das startups será gratuita, com oferta de serviços de apoio, como registro, contabilidade, marketing e a estrutura física de trabalho. O banco também não exigirá participação no capital social da startup.

“O objetivo para o BNDES é desenvolver o negócio. Vamos criar espaço para colocar os produtos [do banco] também. Serão grandes clientes do BNDES no futuro. É uma estratégia de relacionamento comercial”, explicou Dyogo Oliveira. Ele ressaltou que não será obrigatória a adesão das startups a produtos do banco. Além disso, os fundos de investimento ligados ao BNDES poderão ter participação nas novas empresas apoiadas pelo projeto, acrescentou.