BENEFÍCIOS FISCAIS: Quem pariu Mateus que o embale

Com o advento da “Lei Mateus”, a relação do Palácio dos Leões com o Grupo Mateus virou quase uma relação de compadrio entre o empresário Ilson Mateus e o governador Flávio Dino

No curso da polêmica envolvendo a crise que abate a rede de supermercados Maciel, entre outros, supostamente causada pela politica de incentivos fiscais do Governo do Maranhão a grandes atacadistas, o empresário Ilson Mateus, líder do Grupo Mateus, decidiu convidar a imprensa para falar sobre o assunto.

O empresário marcou para amanhã, quinta-feira, 17, às 15h, uma entrevista coletiva.

Segundo a assessoria do grupo, Mateus tratará sobre o credenciamento tributário, balanço de investimentos de 2018, projeto de expansão e, logicamente, falará ou será obrigado a falar da Lei de Incentivos que teria beneficiado o seu grupo, também chamada de “Lei Mateus”

Incentivo – A lei em questão atende atacadistas com capital social de no mínimo R$ 100 milhões e que gerem 500 ou mais empregos diretos. Essas empresas pagavam em média 18% de ICMS, mas passam a pagar 2%.

O problema é que, além de beneficiar diretamente os grades atacadistas, particularmente o Grupo Mateus que hoje é quase um monopólio, na prática quebra os pequenos e médios empreendimentos do setor, e é exatamente o que está ocorrendo no Maranhão onde os empresários mais fracos estariam sendo tragados pela volúpia fiscal concedida sob medida para o Grupo Mateus, que, aliás, enfrenta várias denúncias de sonegação fiscal.

De “mafioso” a patrocinador de eventos governamentais

Chama atenção ainda o fato de que até antes da “Lei Mateus”, a mídia provida pelo Palácio dos Leões tratava o empresário Ilson Mateus como “mafioso” numa alusão ao caso que ficou conhecido como “Máfia da Sefaz”, que gerou um rombo de mais de 150 milhões ao erário estadual.

Entretanto, porém, contudo, com o advento da “Lei Mateus” a relação do Palácio dos Leões com o Grupo Mateus virou quase uma relação de compadrio entre o empresário Ilson Mateus e o governador Flávio Dino, a ponto de não apenas o comunistas fazer-se presente em todas as inaugurações de novas lojas do grupo, como o grupo virar o grande se não o maior patrocinador de eventos governamentais tipo réveillon, São João etc.

Agora é aguardar e conferir o que o empresário Ilson Mateus tem a dizer e explicar sobre todo esse imbróglio na tal coletiva de amanhã.

Em relação ao governo Flávio Dino, cabe o dito popular: “Quem pariu Mateus que o embale”.

Deixe uma resposta