SAÚDE: O governo Flávio Dino e volta das “procissões de ambulâncias”

O governador ainda acho o máximo sair distribuindo ambulâncias a torto e a direito para as prefeituras sem estruturar o sistema estadual de saúde nos municípios, não sabendo que está apenas estimulando o caos nos hospitais da capital como corajosamente denunciou o médico Alan Roberto Costa Silva.

Paciente deita no chão no Socorrão I, em São Luís — Foto: Douglas Pinto/TV Mirante.

O médico Alan Roberto Costa Silva, que trabalha na emergência do Hospital Djalma Marques, o “Socorrão I”, criticou prefeituras do interior e o governo do estado devido a situação crítica pela qual passa o hospital do Centro de São Luís.

Nesta quinta-feira (13), foram flagrados pacientes lotando os corredores em macas e um homem, com um curativo na cabeça, estava deitado no chão do hospital. A situação é tão grave que o médico informou que quarto pacientes morreram nos corredores esperando por cirurgia, sendo três nessa quarta e um nas primeiras horas de quinta.

As informações estão em matéria publicada no site de noticias G1 Maranhão e atestam o estado de falência em que se encontra o sistema de saúde do estado sob o governo de Flávio Dino (PCdoB).

Na matéria, o médico Alan Roberto Costa Silva culpa o governo comunista pelo estado crítico dos atendimentos tanto no Socorrão I quanto no Socorrão I, afirma que a culpa não do município e fala também em desmonte da saúde.

“O problema dos Socorrões I e II não é São Luís, mas é sim o interior do estado e mais recentemente um verdadeiro desmonte que o governo do estado está fazendo na saúde, e o município é que está sofrendo as consequências. Estamos à beira, realmente, de um colapso” (…)  , disse o médico.

Médico culpa prefeituras e governo por superlotação no Socorrão 1.

A atual situação do sistema de saúde remete aos tempos em que havia no Maranhão as famigeradas “procissões de ambulâncias”, ou seja, com a saúde no interior do estado não funciona e os município não contam com o apoio do governo, os prefeitos encaminham os enfermos para São Luis fazendo que unidades de saúde como os Socorrões fiquem superlotadas.

E o pior é que o governador acha o máximo sair distribuindo ambulâncias a torto e a direito para as prefeituras sem estruturar o sistema estadual de saúde nos municípios, não sabendo que está apenas estimulando o caos nos hospitais da capital como corajosamente denunciou o médico Alan Roberto Costa Silva.

Ambulâncias estacionada no pátio do Palácio dos Leões prontas para as “procissões”.

Deixe uma resposta