MARANHÃO 2018: Falando de coisas boas (Parte I)

Poderia escrever que o Maranhão nos últimos quatro anos foi uma merda do ponto de vista socioeconômico. Estão aí os dados do IBGE que denunciam que a partir de 2016, mais de 312 mil famílias maranhenses voltaram à condição de miseráveis. Ou ainda apontar que o Poder Judiciário maranhense é 5º pior do país em termos de transparência, como bem postou o blog Atual 7, (veja aqui e aqui).

Mas, apesar do governador Flávio Dino (PCdoB) e do presidente do TJ-MA José Joaquim Figueredo, quero lembrar 2018 com coisas boas na esperança de que 2019 seja melhor para os maranhenses. Vamos lá.

Na política, por exemplo, 2018 revelou lideranças novas que chegam ao legislativo estadual e federal reoxigenando a política maranhense independente de gostar ou não de alguns deles.

No Senado Federal estarão lá Weverton Rocha (PDT), que tomará posse legitimado numa votação astronômica maior do que a do próprio governador Flávio Dino; e a nossa brava Eliziane Gama (PPS), que, como um Fênix, ressurgiu das cinzas de 2016.

Independentemente das preferências políticas e ideológicas, ou ter simpatia ou não pelo nosso querido “Maragato” e a nossa estimada irmã, é claro que dois jovens sentando nas cadeiras azuis do Senado Federal deve ser motivo de elogios até porque quebraram paradigmas.

Passando para a Câmara Federal, não tem como desconhecer a chegada do jovem e promissor Pedro Lucas Fernandes (PTB) que estreará como deputado federal com a responsabilidade de honrar o legado do seu pai, o ainda deputado Pedro Fernandes, e mais ainda: consolidar-se como liderança dessa nova geração de políticos maranhenses.

Temos ainda a eleição, também de deputado federal, do ex-petista Bira do Pindaré, hoje hospedado no PSB. Dizem as boas e más línguas que Bira é o nome do coração de Flávio Dino para disputar a prefeitura de São Luis e 2020, ainda que no meio do seu caminho haja uma pedra chamada Felipe Camarão – mas isso é assunto para outra postagem.

Outro jovem político que vai tomar posse no Poder Legislativo federal é Eduardo Braide (PMN), eleito com quase 190 mil votos sendo o mais votado na capital São Luis o que o coloca como um dos nomes favoritos para vencer pleito municipal de 2020.

Ouro jovem que chega à Brasília na condição de deputado federal é Edilazio Júnior (PSD), um dos quadros do grupo Sarney que promete engrossar o coro contra o governo Flávio Dino na Câmara dos Deputados ao lado do deputado reeleito Hildo Rocha (MDB).

Tem ainda o homem forte do governo Flávio Dino, o secretário de Comunicação e Articulação Política, jornalista Márcio Jerry (PCdoB), que também garantiu assento na Câmara Federal.

“Ah, Bob, mas citar Márcio Jerry como coisa boa em 2018 é demais”, pode reclamar um leitor que não vai lá muito com a “lata” do deputado federal comunista eleito.

Bom, de qualquer forma, e seja como foi eleito, Márcio tem uma história na esquerda maranhense que, queira-se ou não, merece ser reconhecida. Sem falar que na condição de deputado federal torna-se um nome forte na corrida pela sucessão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT).

E vou ficando por aqui.

Até a parte II.

Deixe uma resposta