Roberto Rocha não tem do que se envergonhar

Roberto Rocha não tem do que se envergonhar, pelo contrário: é um filho amado, irmão querido, um pai de família exemplar, avô coruja declarado, amigo leal e um político com ficha, mãos e vida limpas!

“Eleição se ganha, eleição se perde. O que não se pode perder é o conceito”.

Assim costuma resumir o senador Roberto Rocha (PSDB) o resultado de uma eleição.

O tucano fala com a autoridade de quem já ganhou e perdeu eleições, mas nunca perdeu o conceito porque faz política com paixão, idealismo e um romantismo que o faz pagar caro em certas circunstâncias.

Roberto Rocha tem uma virtude que na política que é quase um sentença de morte: fala o que pensa e joga aberto seja qual for o interlocutor.

Não há no Maranhão quem não reconheça a habilidade política de Roberto Rocha. Quem é do ramo sabe que o senador é do ramo.

Em nenhum momento da sua trajetória política, o filho do saudoso governador Luiz Rocha vendeu a alma ao diabo para ganhar as muitas eleições que disputou. Foi deputado estadual ainda muito jovem, três vezes deputado federal, candidato a governador e a senador, e hoje é um dos representantes do Maranhão na Câmara alta do Congresso Nacional.

No Senado Federal, honra o voto que recebeu dos maranhenses em 2014 a cada sessão que participa. Produziu nesses primeiros quatro anos de mandato o que talvez nenhum outro senador maranhense tenha produzido em toda a história das representações maranhenses naquela casa legislativa. “Fazer o bem sem olhar a quem”, ensina.

Não! Definitivamente, Roberto Rocha não tem do que se envergonhar, pelo contrário: é um filho amado, irmão querido, um pai de família exemplar, avô coruja declarado, amigo leal e um político com ficha, mãos e vida limpas!

Homem de posições firmes, em breve senador e presidente estadual do PSDB deverá tomar mais uma decisão política importantíssima na sua vida que é decidir qual o caminho a seguir em relação ao segundo turno da eleição para presidente do Brasil. E seja qual for a decisão, com certeza será pautada, em primeiro lugar, em bases do que é melhor para o nosso estado. É sempre assim que Roberto Rocha age, colocando o Maranhão como centro das suas decisões.

Podem os adversários e pretensos algozes tripudiar, destilar veneno, bílis e o que mais quiserem, pois nada disso abala o cidadão e político Roberto Rocha, cujo sangue sertanejo corre nas veias!

Siga em frente, Roberto. O povo maranhense ainda precisa muito do seu trabalho no Congresso Nacional e precisará em outras frentes de lutas que certamente virão.

E parabéns por mais um netinho que Deus te presenteou nesta quarta-feira, 10 de outubro de 2018.

Ele chega para te dar mais força para enfrentares as intempéries que a vida tem te imposto e também para fazeres muito mais e melhor pelo Maranhão e pelo povo maranhense.

Vida e luta que seguem!

25 comentários sobre “Roberto Rocha não tem do que se envergonhar

  1. Giselia disse:

    Que Deus abençoe a sua família todos os dias da sua longa e feliz existência👐Parabéns pelo lindo netinho e que venha com muita saúde e traga muitas bênçãos.

  2. Magno Sousa disse:

    Esse texto mais parece uma homenagem que uma reportagem. Na minha opinião, o povo Maranhense mostrou ao senador u seu real tamanho no cenário político. Menor que a margem de erros.

    • Robert Lobato disse:

      Resposta: O texto não tem a pretensão de ser uma reportagem e muito menos uma homenagem, mas tão somente um reconhecimento de quem conhece o cara, coisa difícil para quem sempre teve implicância com o senador como é o teu caso.

  3. Anna disse:

    Certamente ele é um excelente filho é um exemplar pai de família. Essa questão da vida pessoal e familiar diz respeito somente a ele. Mas na questão política o Roberto Rocha perdeu muito. Não sei se mal assessorado, tomando atitudes que o deixou em check, e somente que perdeu foi ele. Flávio Dino mostrou que elegeu três senadores: RR, WR E EG. Se quiser tampar o sol com a peneira tudo bem, respeito sua opiniao, mas o final será esse dessa eleição.

    • Robert Lobato disse:

      Resposta: Você limitou todo o meu post ao aspecto familiar, mas essa parte foi só um pequeno recorte do texto, que praticamente é todo político. Não tenho a menor dúvida de que ele dará a volta por cima. Abraço.

      • Anna disse:

        Bom, não quis dizer que vc limitou ao lado pessoal. Desculpa se vc entendeu assim. Quis dizer que ele tem que atentar para os estudos que dizem sobre o quarto poder. Vide Bolsonaro. Não precisa de tempo de TV. Vai pra rede social. YouTube, facebook, Instagram, live! Talvez a gente tenha dificuldade com essa nova regra, mas certamente será a que manda. Fica a dica!

        • Robert Lobato disse:

          Resposta: Concordo, mas o “fenômeno” Bolsonaro tem que analisado por outros aspectos também que não somente o bom uso das redes sociais.

  4. Louis XVII disse:

    Seria necessário!
    Vergonha na cara não ficou pra todo mundo.
    Se não esse rapaz faria uma campanha com mais seriedade. Eleição não é brincadeira.
    Depois de 04 anos, acabou senado.
    Será se ele levou algun$$ do Falácia Dindino? Ele não se importou com os próximos 04 anos, em que o Maranhão ficará na trevas comunistas, ou seja num governo de esquerda, com as pautas de esquerda (PT, PC do B et catreva).
    Venha a nós Bolsonaro!
    Dai-nos o vosso reino!

  5. júnior disse:

    Com certeza era o candidato com as melhores propostas, mas como articulador deixou a desejar, acredito que no final do mandato de senador tentará uma vaga na câmara federal.

Deixe uma resposta