ELEIÇÕES 2018: As mulheres podem salvar o Brasil do “Bozo”

A resposta ao risco Bolsonaro para o país vem desse movimento de milhões de mulheres que já entenderam que o candidato do PSL é incompatível não apenas para a democracia brasileira, mas para o próprio processo civilizatório.

Jair Bolsonaro deve estar sentindo na pele o movimento de milhões de mulheres brasileira contra a sua candidatura fascista mais do que sentiu ao ser esfaqueado por um delinquente em Juiz de Fora (MG), semanas atrás. Aliás, até hoje a ocorrência desse esfaqueamento está rodeada de versões e teorias da conspiração para tudo que é gosto.

Já o levante das mulheres sob o lema “#eleNão Mulheres contra Bozo” é uma “facada” democrática que pode ferir de morte a pretensão do simulacro de Mussolini em subir a rampa do Planalto.

A grande virtude da democracia é justamente permitir que figuras como Bolsonaro possa ser candidato a presidente, ainda que ele conspire abertamente contra o regime democrático ao não respeitar diferenças, incitar o discurso de ódio e da intolerância, até para pessoas de bem, inclusive pessoas religiosas, que se deixam levar inocentemente pelas suas ideias conversadoras e em muitos casos reacionárias.

Não há menor sombra de dúvidas que se o Brasil estivesse com um ambiente de estabilidade econômica, política e institucional minimante seguro e tranquilo jamais existiria o “mito Bozo”. Ele é fruto balbúrdia que se transformou o país desde o impeachment de Dilma. Só que da balbúrdia para a barbárie é um passo!

Contudo, a resposta ao risco Bolsonaro para o país vem desse movimento de milhões de mulheres que já entenderam que o candidato do PSL é incompatível não apenas com a democracia brasileira, mas com o próprio processo civilizatório.

Que o restante do país, inclusive a macharada que pensa, mire e siga o exemplo dessas bravas mulheres.

#eleNão!

6 comentários sobre “ELEIÇÕES 2018: As mulheres podem salvar o Brasil do “Bozo”

  1. Carvalho disse:

    O texto esclarece com riquezas de detalhes as circunstâncias que tornam possível este fenômeno bizarro da democracia brasileira. Também devemos acrescentar que o crescimento da extrema direita sues personagens caricatos, como este pseudo-facistoide brasileiro, só é possível porque as pessoas estão cada vez mais distanciando a sua memória de tragédias como o holocausto, e no caso do Brasil, esquecendo os horrores do regime militar, que este louco tanto exalta. Devemos lembrar ainda, que nosso povo já elegeu, nas mesmas circunstâncias, um “moralista de goela”, Collor de melo, que parecia ser o maior defensor da família brasileira e de valores como ética e moral, deu no que deu. Robert, o certo é que este movimento organizado pelas “nossas” mulheres, é também um movimento dos “homens de verdade”, daqueles que não admitem que a desvalorização e o desrespeito subam a rampa do planalto. Quem acredita que vencerá uma eleição plantando o ódio no coração dos brasileiros receberá uma resposta a altura vinda de quem mais entende de amor: nossas mães e mulheres. Um abraço!

  2. jeffersson disse:

    Bolsonaro é mais um cria do PT, com sua politica do “nós contra eles” dividindo a sociedade em “quilombolas” (nem sei o que é isso) movimentos GBLT ( e outros termos por eles criados) homens brancos (Não sei tambem em que baseiam essa nomenclatura) e outras coisas bizarras que só podiam sair de mentes doentias esquerdopatas. Resultado??? Sociedade fragmentada entre aqueles que cansaram de ser a “maioria silenciosa” que suportou durante muitos anos as “ideologias de genero” da vida. O Bolsonaro representa essa parcela de população e o crescimento dele mostra o receio das familias brasileiras da volta do PT ao poder com suas teorias esdruxulas de sociedade. Infelizmente as pessoas estão tomadas pela colera entre extremos, de um lado uma marionete de um presidiario de Curitiba, de outro um individuo limitado intelectualmente que apela somente para a insanidade…. Que Deus tenha piedade dessa nação

Deixe uma resposta