No auge dos seus cabelos brancos, Gastão Vieira vai ter que optar entre ser chamado de “velho” ou de “velhaco”

Fico a pensar se Flávio Dino acredita ou confia em Gastão Vieira. Aliás, vou mais longe, fico a imaginar se o governador comunista no seu íntimo não pensa mais ou menos assim: “Esse Gastão Vieira é um canalha, mas um canalha necessário para os meus interesses políticos e eleitorais. Gastão é meu canalha favorito!”.

Sempre tive o ex-deputado federal Gastão Vieira na cota de boa gente, gente proba, bom caráter e demais qualidades que fazem de um homem público alguém digno de respeito.

Se eu tiver o privilégio de chegar a ter todos os fios de cabelos brancos e pelo menos completar a idade de Gastão Vieira, quero estar com a consciência tranquila que aproveitei a idade provecta para corrigir eventuais erros que cometi na juventude.

É que quando somos jovens temos a obrigação de cometer erros. Faz parte dessa fase da nossa vida. Com o tempo é que vamos criando maturidade de rever conceitos, comportamentos e paradigmas. Com a idade nos tornamos referência para os mais jovens. É força e privilégio de quem chega aos cabelos brancos.

O nosso querido Gastão Vieira resolveu nadar contra a maré da vida. Deve ter tido uma vida comportada na juventude, errado pouco e agora opta por errar de forma mais escrota possível aos bem vividos 72 anos de idade!

Nada contra o ex-deputado estadual, ex-deputado federal, ex-secretário de Governo, ex-ministro de Estado, ex-presidente do FNE deixar pra trás todos aqueles que são responsáveis pelo que o Gastão Vieira foi e é, e agora se debandar para o outro lado da margem do rio. Nada contra. Como diria aquele ex-BBB Kleber Bambam: “faz parte”.

Agora, tudo contra a forma como Gastão Vieira está construindo a sua nova trajetória de vida e seu opção política: escarrando no prato que passou mais da metade da vida comendo e se lambuzando.

Fico a pensar se Flávio Dino acredita ou confia em Gastão Vieira. Aliás, vou mais longe, fico a imaginar se o governador comunista no seu íntimo não pensa algo mais ou menos assim: “Esse Gastão Vieira é um canalha, mas um canalha necessário para os meus interesses políticos e eleitorais. Gastão é meu canalha favorito!”.

Só para fazer uma comparação: se José Reinaldo Tavares resolvesse definitivamente fazer as pazes com o ex-presidente José Sarney, voltar para o seu grupo político de origem e morrer com a consciência tranquila de que não levará para o túmulo o signo da ingratidão, o ex-governador estaria corrigindo, concordando-se ou não com ele, um erro cometido num passado recente.

Já o Gastão Vieira a quem é devedor aos Sarney até a medula faz exatamente o contrário. E pior: parece fazer com júbilo.

Torço sinceramente para que o governador Flávio Dino veja em Gastão Vieira um novo aliado, leal, fiel e disposto à lutar pela causa do seu governo e quiçá até pela causa comunista.

Para encerrar: Certa vez, o então presidente da República Fernando Collor de Melo chamou o saudoso Ulisses Guimarães de “velho”, achando que tal predicado ofenderia o pai da “Constituição Cidadã”.

Sereno, Ulisses respondeu: “Sou velho, mas não sou velhaco”.

Penso que Gastão Vieira, em breve, enfrentará o drama na sua vida de optar entre ser chamado de “velho” ou de “velhaco”.

A história dirá.

16 comentários sobre “No auge dos seus cabelos brancos, Gastão Vieira vai ter que optar entre ser chamado de “velho” ou de “velhaco”

  1. Gastão Vieira está fazendo o que tu também devias fazer: “SE TU NÃO PODES COM O TEU INIMIGO, TE UNE A ELE”. Sarney é barco furado e consequentemente alagado, que o diga Arnaldo Melo que não quis nem ser vice de Roseana. Os próprios aliados não estão confiando na candidatura da “princesa da oligarquia”. Tanto Arnaldo quanto Gastão já sentiram nas urnas a força de Flávio Dino.
    Cai fora enquanto há tempo, rapaz. Vai pedir arrego, homi!

  2. Eden Jr. disse:

    Caro Robert, um de teus melhores artigos. Muito bom mesmo. Concordo com 90% dele. Inclusive já havia feito essa reflexão com um amigo. Comentei qual o motivo que levou Gastão, um dos melhores quadros do Sarneysismo, a romper com seus aliados de uma vida? Zé Reinaldo, quando se afastou de Sarney, pelo menos teve motivos fortes para isso, suficientes ou não. “Interferência demasiada dos Sarneys em seu governo”. “Briga de Alexandra com Roseana”. Mas e Gastão, qual motivo real que teve para romper com seus tutores? Só vejo um. E é ridículo: birra por ter perdido a eleição de Senador para Roberto Rocha. O que achas? Abraço.

  3. Ribamar Silva disse:

    Gastão deve estar perguntando para alguém próximo a Flávio Dino: o que ele falou de mim. Antigamente, com essas mesmas palavras, ele perguntava: o que Jorginho lalou de mim. Moral da história: Gastão será sempre subserviente.

  4. Professor Paulo disse:

    Caro Bob,

    No interior existe uma expressão que diz “fique velhaco”, mas no sentido de ficar experto.

    Parece que o Gastão “ficou velhaco”, não no sentido de se tornar um senhor bacana, e sim, um senhor sacana.

    Parabéns pelo texto racional e providencial. Como diria um bom amigo: essa foi no figado!

  5. mohamad disse:

    Sempre tive o ex-deputado federal Gastão Vieira na cota de boa gente, gente proba, bom caráter e demais qualidades que fazem de um homem público alguém digno de respeito, kkkkkkkkkkkkkkkkk a minha opinião só vale até quando vc estiver andando comigo na minha estrada, no mesmo sentido com o mesmo objetivo, se não; já sabes velhaco kkkkkkkkkkkkkkkk. Quantas contardições do blogueiro baba ovo de judas kkkkkkkkkkkkkkkk.

  6. júnior disse:

    Esse velho, velhaco, sempre viveu de cargos públicos “arranjados” por Sarney, não teve carisma nem votos para ganhar de RR e coloca culpa em Sarney, além de que como sempre esteve ao lado do poder, sentiu saudade e voltou.

  7. Reynaldo Aragão Pinto Filho disse:

    Amigos , para bons entendedores lembro. Deus criou o mundo redondo e não quadrado.Mas,devemos reconhecer a capacidade intelectual do sr.Gastão é bem melhor do que muitos por aí.

Deixe uma resposta