Coração é bicho vagabundo. Não confie nele!

“Meu coração vagabundo
Quer guardar o mundo
Em mim”

Assim cantou Caetano Veloso na música “Coração Vagabundo”.

Símbolo do amor e de tudo que é sentimento nobre, o coração é um bicho vagabundo mesmo em todos os sentidos.

Do ponto de vista fisiológico/clínico, o coração pode trair qualquer um a qualquer momento. Seja um gordo sedentário ou um jovem atlético bem cuidado, o coração pode pagar uma peça sem avisar.

Não são poucos os casos, por exemplo, de jogadores de futebol morrem em pleno campo por conta de um ataque cardíaco.

Minha mãe mesmo, aos 42 anos, dormiu e não acordou mais após um ataque fulminante no miocárdio. E olha que Dona Waldeliz era magrinha, não bebia e nem fumava, porém… Nos deixou precocemente.

Mas o coração não é só vagabundo do ponto de vista orgânico.

Ele também é ordinário do ponto de vista afetivo, naquilo mais simboliza: o amor.

Quem vai negar que um dia o seu coração não pulsou (forte) por outro e/ou outra? Quem é capaz de dizer que nunca teve o coração, se não dividido, ao menos propenso a ser dividido?

Na verdade ninguém administra com 100% de segurança o coração, nem o órgão que irriga o sangue pelo nosso corpo, muito menos o órgão metafórico que simboliza o mais nobre dos sentimento que é o amor.

De fato o coração é vagabundo.

Pode nos trair a qualquer momento.

Cuidado com ele…

2 comentários sobre “Coração é bicho vagabundo. Não confie nele!

Deixe uma resposta para Robert Lobato Cancelar resposta