Em nota, petistas voltam exigir vaga na chapa majoritária de Flávio Dino (OU: Unidade no PT ainda está longe)

Foi dada tão somente uma trégua, sabe-se lá até quando, ao “canibalismo” que tem marcado o petismo maranhense já por um bom tempo.

Em uma nota à militância petista, que poderia ter sido “dura, mas sem perder a ternura”, lideranças do PT Maranhão optaram apenas pela ternura, digamos.

Assinada pela presidente Nacional do PT, Gleisi Hoffmann; pelo secretário nacional Institucional, deputado federal José Guimarães (CE); pelos presidentes do Diretório Estadual do Maranhão e da Capital, Augusto Lobato e Honorato Fernandes, respectivamente;  pelos membros do Diretório Nacional, Marcio Jardim e Raimundo Monteiro; e ainda pelos deputados José Inácio e Zé Carlos, estadual e federal, respectivamente, a nota ratifica a posição politica tirada em encontro do partido de que aliança pela reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB) somente se o PT tiver vaga garantida na chapa majoritária liderada pelo comunista.

A nota

Mesmo assinada por alguns membros de diferentes correntes, o documento ainda não expressa um quadro unidade partidária como querem fazer crer os chamados “dinopetistas”. Pelo contrário, ela apenas joga, mais pra frente, debates que deverão ser duros entre as forças internas cada uma defendendo aquilo que acha ser mais importante e estratégico para o PT e para os seus projetos enquanto agrupamentos.

No fundamental, a nota é uma vitória da fração da corrente Construindo um Novo Brasil (CNB), liderada principalmente pelo deputado Zé Inácio, pelo ex-presidente estadual do PT Raimundo Monteiro, pelo dirigente Mundico Teixeira, entre outros. Esse setor da CNB que sempre cobrou com firmeza o estabelecido pelo encontro do partido, isto é, presença do PT na chapa majoritária ou nada de aliança com o PCdoB.

Já a ala da CNB representada pelo vereador Honorato Fernandes, a corrente Mensagem ao Partido, do presidente Augusto Lobato e do deputado federal Zé Carlos, e expoentes  governistas como Chico Gonçalves saem fragilizados porque a nota das lideranças petistas não expressam aquilo que defendem de fato: aliança com Flávio Dino de qualquer jeito, com ou sem espaço na majoritária.

Fator Eliziane Gama

A nota das liderança petistas não tocou num ponto nevrálgico que hoje é consiste no “pomo da discórdia” do PT maranhense: a pré-candidatura da deputada federal Eliziane Gama ao Senado na chapa de Flávio Dino.

Pelo que conseguiu apurar o Blog do Robert Lobato, o fator Eliziane Gama não foi tratado porque há uma avaliação, entre os participantes da reunião com a presidente Gleisi Hoffmann, de que a irmã e o seu PPS não ficam na coligação com o PCdoB até o final das convenções partidárias. Será?

Concluindo

Além da firmeza de setores da CNB, que não se deixaram levar pela covardia e benesses palacianas de “coligação a qualquer custo”, do PT ir “pelo beiço”; a posição vacilante de Flávio Dino em defender a candidatura de Ciro Gomes em detrimento a de Lula; e ainda a manutenção das pré-candidaturas de Márcio Jardim e de Nonato Chocolate ao Senado Federal, contribuíram para que saísse uma nota exaltando que “o Partido dos Trabalhadores no Maranhão, definirá sua tática eleitoral, diretamente vinculada a estratégia nacional de eleição do presidente Lula”.

Ainda não há, hoje,16 de maio de 2018, unidade partidária suficiente que garanta ao PT um projeto político-eleitoral mínimo que faça o partido sair maior do que entrou quando resolveu apoiar o governo Flávio Dino.

Foi dada tão somente uma trégua, sabe-se lá até quando, ao “canibalismo” que tem marcado o petismo maranhense já por um bom tempo.

A seguir a íntegra da nota da lideranças petistas.

Em reunião realizada no dia de 15 de março de 2018, na sede do Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores, em Brasília, com a presença da Presidente Nacional do PT, Gleisi Hoffmann, do Secretário Institucional do PT, Deputado Federal (PT/CE) José Guimarães, dos presidentes do Diretório Estadual e da Capital, Augusto Lobato e Honorato Fernandes, dos membros do Diretório Nacional, Marcio Jardim e Raimundo Monteiro e dos Deputados Estadual e Federal José Inácio e Zé Carlos encaminham de comum acordo as seguintes orientações políticas ao conjunto da militância do Partido dos Trabalhadores no Maranhão:

1. Organização imediata da campanha à presidência, do companheiro Lula no Maranhão. Lula livre, Lula Inocente, Lula Presidente;

2. O Partido dos Trabalhadores no Maranhão, definirá sua tática eleitoral, diretamente vinculada a estratégia nacional de eleição do presidente Lula com objetivo de ampliação de suas bancadas parlamentares em nível estadual e federal;

3. Reafirma a aliança política para garantir a reeleição do governador Flávio Dino;

4. A Direção Nacional e Estadual do PT, de forma conjunta, viabilizará diálogos com o PCdoB e o governador Flávio Dino para construir de comum acordo a participação do PT na chapa majoritária (Senado ou Vice) liderada pelo Governador Flávio Dino.

Senadora Gleisi Hoffmann
Presidenta Nacional do Partido dos Trabalhadores

Deputado Federal José Guimarães PT/CE
Secretário Institucional do PT – DN

Augusto Lobato
Presidente Estadual do PT

Vereador Honorato Fernandes
Presidente do PT – São Luís / MA

Deputado Federal José Carlos

Raimundo Monteiro
Membro do Diretório Nacional do PT / MA

Márcio Jardim
Membro do Diretório Nacional do PT / MA

Deputado Estadual José Inácio

22 comentários sobre “Em nota, petistas voltam exigir vaga na chapa majoritária de Flávio Dino (OU: Unidade no PT ainda está longe)

  1. CINDY MACEDO disse:

    Mônica, sua nigrinha , vc está tão somente
    fazendo o jogo sujo da oligarquia Sarney. Faz de tudo para que o PT volte aos braços desse grupo nefasto que atrasou o maranhão durante 50 anos , isto é, um século.

  2. jeffersson disse:

    Os sites alinhados ao Palacio dos Leões, não divulgam a informação dessa forma, mas que a direção nacional determinou alinhamento a reeleição do “bonito de corpo” incondicionalmente sem exigencias de chapa majoritaria.

  3. e disse:

    Veja … se o PT Nacional chegou ao fundo do poço, somente resta o tempo de TV para fazer baganhas, até mesmo o legado construído por Lula desmanchou-se no ar, como tudo que é solido. Nada mais resta ao PT\MA ha não ser aparar os resto do comunista !!

  4. BRITO disse:

    O Maranhão, mesmo que tardiamente, passa por um processo de transição. E isto é uma condição inexorável para seguirmos em frente. Este processo precisa ser concluído sua primeira etapa e caberá ao povo, daqui a quadro anos, seguir em frente e mudando.

Deixe uma resposta