1968, O ANO QUE NÃO TERMINOU: Alunos de Odontologia paralisam atividades e fecham prédio da UFMA em São Luís

A UFMA não está fornecendo nem material de limpeza, além do próprio material instrumental individual que custa muito caro, os estudantes precisam comprar esse material de limpeza, luvas para os professores, degermantes de uso hospitalar e afins.

Na tarde da última quinta (03) estudantes do curso de odontologia da Universidade Federal do Maranhão – UFMA Campus São Luís fizeram uma manifestação desde as 15 horas na porta da reitoria solicitando conversar com a reitora Nair Portela.

Os estudantes estão reivindicando diversas melhorias para o curso. Chegou a ser realizada uma reunião no dia 19 de abril em que os pedidos foram apresentados a reitora e ela se comprometeu em atender, uma das principais exigências é o funcionamento do prédio de odontologia que foi inaugurado em 2015 pelo então reitor Natalino Salgado e contou também com a presença de Nair Portela, só que o prédio nunca foi usado pelos alunos e professores, e em pleno 2018 Nair Portela não consegue explicar a não liberação para o funcionamento pleno das instalações.

O prédio possui três pavimentos destinados a salas de aula, salas administrativas, auditório para teleodontologia (videoconferência), 98 consultórios odontológicos, 80 simuladores de paciente de odontologia para pré-clínica, raio X, tomografia, além de mini auditórios.

Enquanto isso estudantes e professores usam o antigo prédio que está em situação precária e totalmente sucateado. As cadeiras odontológicas e aparelhos de raio-x estão quebrados, salas estão cheias de goteiras, e tudo isso impede o atendimento ao público, já que os estudantes precisam praticar seus conhecimentos nos laboratórios!

A UFMA não está fornecendo nem material de limpeza, além do próprio material instrumental individual que custa muito caro, os estudantes precisam comprar esse material de limpeza, luvas para os professores, degermantes de uso hospitalar e afins.

Nem gerador o prédio possui, costuma faltar energia e quando isso acontece durante um procedimento onde o equipamento precisa de energia elétrica o paciente é despachado e solicitado para que retorne em outro momento.

No fim Nair Portela não atendeu os estudantes e estes continuam aguardando um posicionamento da reitora e da instituição.

6 comentários sobre “1968, O ANO QUE NÃO TERMINOU: Alunos de Odontologia paralisam atividades e fecham prédio da UFMA em São Luís

  1. Allisandu Thomaz Turbando disse:

    Só Roberto Rocha pra dá um jeito nessa safadeza, acabar com essa situação e resolver de uma vez por todas, todos os problemas da UFMA!

Deixe uma resposta