“Estamos é piorando e nos afastando de todos os outros estados”, afirma José Reinaldo sobre índices sociais do MA

O deputado federal José Reinaldo Tavares (sem partido) fez duras críticas ao Governo do Maranhão no seu artigo semanal publicado no Jornal Pequeno.

Já no primeiro parágrafo, José Reinaldo Tavares sentencia: “propaganda é bonita, mas nossa realidade é cruel, numa alusão à belezura que o Maranhão é nas peças publicitárias do governo de Flávio Dino (PCdoB), mas na vida real a situação é outra.

Intitulado A questão fundamental 1, o artigo do ex-governador afirma que não adianta colocar a culpa das mazelas do nosso estado em apenas um único grupo político e faz uma avaliação crítica, e ao mesmo autocrítica, já que inclui a sua gestão, dos sucessivos governos maranhenses que, na sua opinião, não deram a devida atenção para as potencialidades do Maranhão, bem como para políticas públicas que realmente elevassem os índices socioeconômicos desta Unidade da Federação.

“E os governantes e grande parte das nossas elites precisam aceitar essa realidade e que não pode querer fazer um jogo político com isso. A saída, para que não se discuta o assunto a sério, é jogar a culpa em um grupo político, ao invés de chamar todos para somar esforços e encontrar a solução. Se continuarmos esse discurso sem sentido de que nós somos o “bem” e os adversários-eles- são o “mal” e continuar a politizar assunto tão sério, só vamos retardar as medidas que teremos que tomar (…) A verdade todos nós, que estivemos no governo e não resolvemos, somos igualmente responsáveis porque não aplicamos políticas que fossem focadas nos centros geradores de nossa pobreza e que fossem ao mesmo tempo, permanentes”, escreveu o parlamentar.

Confira a íntegra do artigo, que é só a primeiro de uma série.

A QUESTÃO FUNDAMENTAL 1

O Maranhão tem tudo para ser um estado desenvolvido, pujante, líder de desenvolvimento na região, uma terra de oportunidades mas não é. A nossa realidade atual está muito longe do que poderíamos ser, do que tanta gente sonhou, e se empenhou. As estatísticas do IBGE estão aí para mostrar que a propaganda é bonita, mas nossa realidade é cruel. Somos o estado brasileiro mais atrasado do país com os piores indicadores sociais, com consequências terríveis para o nosso povo.

E os governantes e grande parte das nossas elites precisam aceitar essa realidade e que não pode querer fazer um jogo político com isso. A saída, para que não se discuta o assunto a sério, é jogar a culpa em um grupo político, ao invés de chamar todos para somar esforços e encontrar a solução. Se continuarmos esse discurso sem sentido de que nós somos o “bem” e os adversários-eles- são o “mal” e continuar a politizar assunto tão sério, só vamos retardar as medidas que teremos que tomar. Isso é apenas um escapismo fácil para tirar a nossa responsabilidade, afinal isso vai nos dar um discurso que funciona durante um certo tempo, mas, no melhor da festa, vem o IBGE com as estatísticas que mostram que, na verdade, estamos é piorando e nos afastando de todos os outros estados, que estão melhores do que nós. Assim temos futuro? Nenhum, pois a desigualdade aumenta, a pobreza aumenta, a educação piora, e na verdade, não pode melhorar por mais que se esforcem os responsáveis porque, para que isso tivesse êxito, seria preciso mexer nas causas primárias formadoras de nossa pobreza e nada foi feito que permitisse mudar as coisas.

Na verdade todos nós, que estivemos no governo e não resolvemos, somos igualmente responsáveis porque não aplicamos políticas que fossem focadas nos centros geradores de nossa pobreza e que fossem ao mesmo tempo, permanentes.

Assim, hoje, além da terrível realidade de termos mais de 50% de nossas famílias sobrevivendo precariamente graças a esse programa imprescindível que é o Bolsa Família, temos mais um dado gritante e vergonhoso que derruba todo a nossa propaganda.

O IBGE publicou o Rendimento Mensal Domiciliar Per Capita, por estado. O que é isso? É a soma dos rendimentos de todos as pessoas que moram na mesma casa, ou seja todo o dinheiro que entra na casa, em salários, pensões, aposentadorias, bolsas de estudo, aluguéis, rendimentos de poupança, e outros, divido pelo total de moradores da residência, incluindo crianças e outras pessoas sem qualquer fonte de renda. E os valores são nominais, sem descontar a inflação do período.

E aí regredimos muito pois quando deixei o governo haviam dois estados piores que nós, pois estávamos melhorando rapidamente. Vejam que o salário mínimo é de 937 reais e no Maranhão a renda de tosas as pessoas da casa, não de uma pessoa, é de 597 reais quase a metade de um salário mínimo. E para evidenciar ainda mais a nossa incúria, as famílias de Alagoas que vem em seguida tem 658 reais, as do Pará 715 reais, e salve, salve, as do Piauí 750 reais, ou seja 153 reais a mais que as do Maranhão. Estamos ficando para trás, rapidamente.

A maior do Brasil é a do DF com 2.548 reais e a do Rio em crise total é de 1.445 reais.
Será que isso não tem solução? Tem sim, e eu e outras pessoas, estamos trabalhando em um projeto já aplicado com absoluto sucesso em outras partes do mundo, que nos remete a um caminho seguro para mudarmos esse estado de coisa.

Esse projeto ficará pronto na terça feira próxima e em breve será apresentado. Essa união nos dá muita esperança.

13 comentários sobre ““Estamos é piorando e nos afastando de todos os outros estados”, afirma José Reinaldo sobre índices sociais do MA

  1. River disse:

    E o PT, hein?
    Em 13 anos aproximou? rsrsrs

    Reflita:
    Os 2 açougueiros Joesley bregões e milionários (em 2017 “fugiram” pra Nova York com uma ou 2 mãozinhas do Sr. JANOT — o petista formado pela UFMG), têm gosto estético barango tipicamente de PETISTA e próprio & adequado ao petismo Kitsch. E próprio da educação difundida pelo petismo.

    Apesar de que ambos são capitalistas bilionários e o PT é esquerdalha [portanto, contra ideologicamente o Capitalismo], os 2 açougueiros Joesley e o PT são próximos e se ajudaram no Projeto Barango, Kitsch, Cafona e Brega do petismo e do Partido dos Trabalhadores.
    Parece um paradoxo, mas não é. Ambos adoram e veneram a estética criada durante a era lula-dilmista:

    a saber:
    o sertanejo-universitário. Tanto o PT quanto os irmãos açougueiros. (Exatamente semelhante a bolsonaritas, em suas atitudes toscas, gostos barangos e comentários toscos).

    A educação no Brasil: nota zero. Desde o petismo, e por 13 longos anos.

  2. ELEITOR disse:

    Robert, a cada dia que passa eu fico querendo entender até onde vai a ganancia pelo poder. Críticas feitas por esse deputado me deixa triste.
    Temos que entender que a gestão de Flavio Dino teve início em 2015, e desde de sempre esse deputado está comendo no prato da atual gestão estadual. Hoje as vésperas da eleição e após rompimento com o governo, esse deputado vem a público fazer críticas. Digo, não defendo Flavio Dino e tão pouco voto ou votarei nele.
    Tal atitude mostra que esse deputado não merece o voto do povo do Maranhão. Se ele continuasse ao lado do governo, estaria calado como fez durante o período que passou na gestão.

      • Fernando Correia disse:

        Ele não precisa ser chamado para ajudar, ele tem que se prontificar a ajudar seu papel como parlamentar e fiscalizar o executivo em qualquer nível e agora depois de 04 anos, recalcado vem fazer criticas ao governo, até duas semanas atrás o governo era bom? e ele não se lembra da gestão dele mesmo que pagou a construção de pontes no meio do nada, que ligava o nada a lugar nenhum eu lembro que ele ganhou um presentinho da Gautama de 04 rodas, preto e importado se eu não me engano esse presente custou 200mil para os maranhenses……Flávio Dino assumiu o estado em plena crise financeira e mesmo hoje 03 anos após assumir o mandato todos os servidores públicos ao que me constam estão com os salários em dia. e tem muito estado ai totalmente quebrado!

  3. A HUMILDADE DO SER HUMANO É UM PASSO FUNDAMENTAL PARA CONCERTAR SEUS ERROS.

    Muito e muito antes do Dep. Zé Reinaldo tomar sua decisão de não continuar mais sendo humilhado por sua cria, ele já informava em algumas de suas entrevistas e artigos que o governo de sua referida cria não conseguiria encontrar caminho de construção do desenvolvimento do Maranhão conforme o prometido na balela fantasiada do colgate famoso dialogo pelo estado (DIALOGO PELO MARANHÃO). Se observarmos as entrevistas e artigos antigos do Dep. Zé Reinaldo, ele não citava por quais fatores o Maranhão não estava encontrando caminho para construção de seu desenvolvimento. Claro que os analistas políticos e economistas sinceros e imparciais aqui do estado, já sabiam sim os motivos das entrevistas e artigos antigos do Dep. Zé Reinaldo que sem dúvida já estava arrependido de ter feito o Flavio Dino um caminho político como assim pensava que seria uma alternativa. Talvez por isso, o papada gorda sabendo que Zé Reinaldo praticamente já estava arrependido de ter lhe feito sua cria pelo desastre de um governo perseguidor e ditador freando o desenvolvimento que antes estava em ritmo acelerado no estado, o que fez o papada gorda, começou logo neutralizar Zé Reinaldo que agora consegue pontuar fatores de um governo que é conhecido por todos como desgoverno. Acredita-se que a humildade do Zé Reinaldo sempre com a visão de municipalista, poderá concertar seus erros, quem sabe.

  4. mohamad disse:

    Depois q tomou o pé na bunda, ele ver tantos defeitos onde não existe, pois essa gestão desse grande homem Flavio Dino estar quase perfeita. Mas a verdade é que ele (o judas 2) tinha intenção de fazer carreira solo.

  5. CACADOR disse:

    Zé Reinaldo passou quanto tempo agarrado do saco de sarney e qual foi a melhora que o Maranhão teve esse tempo todo? Agora vem cantar de galo.

Deixe uma resposta