José Reinaldo sempre foi um estorvo para Flávio Dino e o PCdoB

Mais do que uma decisão de alto risco, ao tirar José Reinado do seu caminho, Flávio Dino revela o quanto está desprovido de qualquer sentimento, inclusive o da gratidão

Enfim, aconteceu o que estava na cara que iria acontecer.

O deputado federal José Reinaldo Tavares rompeu politicamente com o governador Flávio Dino e assegura que é um caminho sem volta.

O ex-governador vinha sendo cozinhado pelo comunista até finalmente a ficha cair e ele ser obrigado a desgarrar-se do seu agora ex-pupilo. Mais um daqueles casos clássicos da criatura se voltar contra o criador.

Em verdade, José Reinaldo sempre representou um estorvo para Flávio Dino e o PCdoB, principalmente na figura do secretário Márcio Jerry (Comunicação e Articulação Política), homem forte do governo e do governador. Só teve algum valor quando serviu para eleger Dino deputado federal e depois ajudá-lo a chegar ao Palácio dos Leões.

Porém, logo após vencer as eleições de 2014 Jerry e Dino, Dino e Jerry, trataram de limar José Reinaldo.

Primeiro ao vetar o nome do ex-governador para o cargo de secretário de Infraestrutura, depois para Secretaria de Saúde. Por fim, resolveram humilhá-lo concedendo uma Secretaria Extraordinária que é mais uma sinecura do que um órgão de governo propriamente dito. Isso sem falar na Casa Civil, cujo titular é o ex-deputado Marcelo Tavares, sobrinho de José Reinaldo, que de fato nunca teve força pra nada dentro governo e é vigiado direto por Márcio Jerry.

Soma-se a isso, o fato de estarmos diante de um governo demasiadamente ideológico e que representa o contrário de tudo o que José Reinaldo acredita do ponto de vista político e de gestão. Basta ver os posicionamentos do ex-governador no Congresso Nacional e em relação ao governo Michel Temer com os de Flávio Dino. São visões e concepções diametralmente opostas!

Ao tentar isolar Zé Reinaldo, os comunistas, leia-se Flávio Dino e Márcio Jerry, optaram por um caminho arriscado que pode custar muito caro ao projeto de reeleição do governador. Até porque o deputado deverá articular a saída de muitas lideranças da base governista para somar fileiras em outro campo político.

E mais do que uma decisão de alto risco, ao tirar José Reinado do seu caminho, Flávio Dino revela o quanto está desprovido de qualquer sentimento, principalmente o da gratidão.

E o próximo da lista é o deputado federal Waldir Maranhão.

Mas isso é assunto para outra postagem…

Deixe uma resposta