Estranhas coincidências editoriais entre a mídia de Sarney e a de Dino

Coincidências que vão além da política e das questões eleitorais.

Quem acompanha a cobertura da imprensa política maranhense já deve ter percebido algumas, digamos, coincidências editoriais entre a mídia ligada ao grupo do ex-presidente Sarney (MDB) e a ligada ao grupo do governador Flávio Dino (PCdoB), inclusive, claro, na blogosfera.

Entre tais coincidências pode-se destacar uma principal: colocar o senador Roberto Rocha (PSDB) como alvo de ataques diretos, indiretos e críticas infundadas.

Pré-candidato a governador, Roberto tem defendido publicamente uma eleição com vários candidatos, incluindo Roseana Sarney (MDB) e Eduardo Braide (PMN), à sucessão de Flávio Dino como forma de tirar o Maranhão da dicotomia maléfica para o estado entre “sarneysistas” e “antissarneysistas”, cenário que só interessaria, em tese, aos comunistas, mas que curiosamente passou a ser defendido também até por editoriais do jornal O Estado do Maranhão, de propriedade do clã Sarney.

Contra o senador Roberto Rocha utilizam, tanta a imprensa sarneysista quanto a dinista, o discurso de que o tucano não será candidato porque não tem grupo político, não agrega partidos, não tem dinheiro/estrutura de campanha e por aí vai.

O engraçado é que em 2014 essa narrativa sequer era cogitada, e Roberto acabou sendo o principal engenheiro da aliança política e eleitoral que resultou na sua vitória ao Senado Federal e de Flávio ao Governo do Maranhão.

O fato é que parece haver uma espécie de aliança tácita entre setores da imprensa dos “dois lados da ponte” para tentar enfraquecer ou quiçá desconstruir a imagem do pré-candidato Roberto Rocha.

São coincidências, diga-se de passagem, que vão além da política e das questões eleitorais.

Mas, isso é assunto para outra postagem…

24 comentários sobre “Estranhas coincidências editoriais entre a mídia de Sarney e a de Dino

  1. Antonio disse:

    Na verdade é q até os maiores idiotas já olharam q a candidatura de Roberto Rocha e barca furada , Robert ta para ficar doido porque seu candidato não tem futuro nem de um lado e nem do outro, Roberto Rocha hoje na política local e um zero a esquerda, e da quelas esquerdas bem distante da direita assim com os pés de Manuel Garrincha , Maura Jorge ninguém nem escuta mais falar, Eduardo braide não vai concorrer e ficar sem mandato , e Roberto Rocha e um caso perdido q vai lutar para daqui a 4 anos se eleger no máximo deputado estadual ou prefeito de Balsas , no máximo .

  2. Advogado Pierpaolo Bottini disse:

    A estranha estratégia de Roberto Rocha…
    Isolado, sem grupo político e sem partidos interessados em alianças com o PSDB, senador tucano aposta suas fichas na imposição dos diretórios nacionais para ter a coligação que espera na disputa pelo governo. (tá muito enganado).

    • Robert Lobato disse:

      Resposta: Roberto só precisa de um partido grande (já tem), uma boa coligação (terá), um bom programa de governo (tá sendo formulado) e disposição para andar pelo MA que já lhe deu vários mandatos, inclusive o deputado federal mais votado da história (e essa disposição ele tem de sobra).

  3. Advogado Pierpaolo Bottini disse:

    De férias do debate político desde dezembro – mesmo diante da frenética articulação dos adversários – o senador Roberto Rocha (PSDB) adota uma estranha estratégia para se viabilizar nas eleições de outubro.

    Mas, segundo seus aliados mais próximos, ele tem uma estratégia já montada.

    O tucano aposta suas fichas no cenário nacional para fazer valer a imposição dos diretórios centrais nos partidos locais, garantindo uma coligação no estado.

    É por esta via que espera ter em seu palanque o PSB e o PPS, por exemplo.

    Do ponto de vista do tempo na propaganda eleitoral, Rocha pode até se dar bem, caso o cenário se desenhe do jeito que ele espera – garantindo a eleição do filho para a Câmara Federal, por exemplo.

    Mas será um fracasso do ponto de vista eleitoral porque, mesmo garantindo o tempo partidário, o senador dificilmente terá as lideranças e a militância dessas legendas em sua campanha.

    Tanto o PSB quanto o PPS maranhenses estão entranhados, de corpo e alma, no governo Flávio Dino; e nenhuma de suas lideranças cogita – ainda que remotamente – coligar-se a outro partido que não o PCdoB.

    Se estiver mesmo contando apenas com essas legendas, Rocha manterá seu isolamento político característico.

    E dificilmente deixará a casa do dígito único nas pesquisas eleitorais…

  4. JOSE RIBAMAR MENDES disse:

    Não tenho a menor dúvida de que o senador a quem já afirmei e agora mesmo está mais do que comprovado que foi a mais grata surpresa que o nosso estado alcançou no último pleito para o Senador. Estou mais do que convicto de que, se o Maranhão realmente alcançou alguma maturidade política, o nosso ilustre senador será o fiel da balança entre sarneistas e dinistas. Braide é o que e pode chanar de uma “falsa posição” criada para confundir eleitores imaturos, pois, se forem pelo menos medianamente inteligentes, os nossos eleitores sem cabresto compreenderão a importância que seria termos uma sigla partidária competitva para fazer frente ao atraso(comunismo) está apodrecido no mundo e pemedebismo no nosso estado esta mais do que desgastado.

    • Robert Lobato disse:

      Resposta: Não por acaso que o senador tem incomodado meio mundo de gente, amigo. E vai continuar incomodando, e quem não tiver coração forte pode se preparar para o infarto.

  5. costa disse:

    Roberto rocha nunca teve densidade pra ser mais do que um dep federal ,isso todo mundo sabe e se ele hoje e um senador ele tem que agradecer e muito a flavio dino , essa de candidato a governador e uma estrategia sim , mas para eleger seu filho , nao para dep federal mas sim para estadual e olhe la..i

  6. Carvalho disse:

    Robert, talvez o senador RR tenha se tornado muito vulnerável a ponto de ter suas aspirações políticas facilmente detonadas, isso, em parte, pode ser culpa de sua própria postura: férias de isolamento em um ano de um pleito político selvagem do jeito que este sera? Acho uma decisão no mínimo “preguiçosa”, “descompromissada”. Neste período, o mesmo poderia está fortalecendo sua própria “mídia”, tentando aglutinar forças pra sua campanha. Mas não De repente, ele acorda na véspera do carnaval com a sensação que dormiu demais e perdeu o bloco. Esse ano ele terá, acho que o mesmo esqueceu disso, que caminhar praticamente com suas próprias pernas, sem um fiador político de peso junta ao eleitorado. o problema é que essas pernas podem ser curtas demais ou preguiçosas demais. Um abraço

    • Robert Lobato disse:

      Resposta: Concordo em parte com as tuas crítica, mas o tempo agora é de articulações mesmo, tanto no plano local quanto nacional. E isso o senador tem feito bem.

  7. Giu disse:

    Engenheiro da eleição de 2014?!?!?
    Só se foi em outro Estado pois aqui no MA, foi levado nas costas do Governador e não tem como negar q abandonou (ou traiu) os últimos dois grupos políticos q se aliou, Edivaldo em 2012 e o do Flavio em 2014.

Deixe uma resposta