Raiva não é bom ou ruim: apenas é

Não culpe os outros pela sua raiva

Patricia Gebrim, Vya Estelar

Como seres humanos, acolhemos em nós todos os sentimentos que fazem parte de nossa experiência neste planeta. A raiva é um deles.

Muitas vezes somos por ela tomados, agindo de forma que nos faz sentirmos dor ou arrependimento. O fato é que, lançada a pedra, não há como voltar atrás.

O que dizer desse sentimento que brota das profundezas da terra, eclode em nós e nos transforma numa espécie de vulcão?

Há quem a julgue, ache que raiva é coisa do mal, mas saibam, a raiva, como qualquer expressão na natureza humana, não é algo bom ou ruim. Apenas é. Como uma tempestade. Uma onda que chega à praia cheia de poder.
Um raio que cai do céu carregado de eletricidade.

Não julgamos a natureza por esses fenômenos e tampouco deveríamos julgar nossa própria natureza humana.

É preciso, no entanto, compreender que a raiva nos pertence. É preciso abraçá-la na inteireza do nosso ser. Parar de sair por aí buscando culpados. Sua raiva é assunto seu. Todo seu.

Mesmo que o outro tenha agido de forma inadequada, cabe a VOCÊ equilibrar o que sente.

Ouça… Você pode sentir “qualquer” coisa. Não há mal algum nisso. Mas despejar sobre o outro o que lhe pertence, é outra coisa. Isso sim causa imenso desequilíbrio. Causa dor em si mesmo e no outro. Embora pareça trazer, ao menos momentaneamente, um imenso alívio, uma descarga nociva de raiva nos fere a alma e entristece o mundo. Dói em nossas profundezas, naquele lugar onde não há separação entre nós e os outros. Deixa-nos na boca um amargo gosto de fel.

É também verdade que a raiva tem, algumas vezes, uma função positiva. De proteção. Quando sentimos raiva frente a uma injustiça, quando sentimos raiva frente a um ato que contrarie o amor… a vida.

Nesse caso não é nada inteligente desperdiçá-la numa erupção de vulcão. Entenda, a raiva vem carregada de imenso poder. Aprenda a canalizá-la e utilizá-la conscientemente, promovendo transformação, ações que resultem em evolução. Permita que o amor que o habita o ensine a lidar com a raiva, tornando-a um poderoso instrumento. Use essa energia com sabedoria, isso lhe trará imenso poder.

Respire fundo e prepare-se.

Faça o seu melhor na próxima vez em que a raiva emergir em você.

Aprenda.

Quanto maior a raiva, mais você precisa ancorar o amor em você.

Deixe uma resposta