ELEIÇÕES 2018: Senador Roberto Rocha volta defender a presença de Lula como candidato

O senador tucano faz parte da corrente de pensamento que avalia que o PSDB pode derrotar o PT nas urnas com ou sem Lula. Daí que entende que deixar o petista fora das eleições pela via judicial pode ter um efeito contrário e, ao invés de enfraquecer o lulopetismo, acaba por fortalecê-lo.

Sempre muito firme e convicto nas suas posições e opiniões políticas, o senador Roberto Rocha (PSDB) voltou a defender a participação de Lula nas eleições de 2018 como candidato a presidente da República.

O tucano usou a rede social do Facebook para reproduzir uma postagem que havia feito ainda em julho de 2017.

“A saída da crise exige legitimidade plena. O ex-presidente Lula, mais que candidato, é símbolo de corrente política. Sua presença na campanha de 2018 é exigência democrática. (republicado, original de julho de 2017)”, postou.

Roberto Rocha faz parte da corrente de pensamento que avalia que o PSDB pode derrotar o PT nas urnas com ou sem Lula. Daí que entende que deixar o petista fora das eleições pela via judicial pode ter um efeito contrário e, ao invés de enfraquecer o lulopetismo, acaba por fortalecê-lo.

Pré-candidato a governador, Roberto Rocha vem articulando uma ampla frente de centro que possa fazer um contraponto qualificado entre o sarneysismo e comunismo, e superar essa dicotomia que tanto interessa ao projeto de reeleição de Flávio Dino (PCdoB).

A tendência é que muitos partidos que atualmente estão na base do governo comunista migrem para o palanque tucano liderado pelo senador Roberto Rocha, uma vez que o governador de São Paulo e pré-candidato a presidente da República, Geraldo Alckmin, terá muita influência nas costuras das alianças nos estados.

A conferir.

6 comentários sobre “ELEIÇÕES 2018: Senador Roberto Rocha volta defender a presença de Lula como candidato

  1. EMANUEL DE JESUS PINHEIRO disse:

    RR, que ja promoveu racha, traiu tudo e todos, coaptou militantes PTralhas pela boca, ( deu cerveja, cachaça,churrasco) – que nome -Augusto Lobato, Monteiro,o titular do Blog, la pelas bandas da Cohama ….. nada mais natural que defender o Cappo tupininquim – se duvidar RR tem tentáculos – no B40, PCM, CV, é amigo de Marcola e Fernadinho Beira Mar – para quem conviveu com Zé Gerardo no Parlamento Maranhense pode se esperar tudo !!!

  2. Jefferson disse:

    Essa é uma questão que transcende suas convicções nobre senador, o importante é haver justiça de fato e não apenas a famosa justiça PPP.
    Todo esse circo armado em torno do Lula é somente favorável ao protagonista do espetáculo.
    Lula condenado viraria um Martin para um pequena parcela da população isso ele deseja. Lula não quer ser presidente,correndo e perdendo a eleição estaria renegado ao ostracismo se eleito não teria mas as condições econômicas e fiscais do primeiro mandato a economia mundial em crescimento e a China crescendo 14 % a.a gerando o “boom das comoditie’ que proporcionaram superativis sucessivos possibilitando o dinamismo da economia brasileira assim o resultado das políticas fiscais exitosas do governo FHC. A época poderia haver um “pé de Alface” na presidência da república que a economia teria o mesmo resultado, mas o brasileiro comum desconhece os mecanismos de indução da economia. Eleito em 2018, com o déficit fiscal atual, a economia mundial estagnada e o rombo da previdência, sem apoio parlamentar e sem as grandes empreteiras seu governo seria uma catástrofe econômico ou um estelionato eleito (vive eleição de Dilma 2014) então todo seu “ativo eleitoral” se derretaria e seria o sepultamento do mito.
    Esse circo todo só serve mesmo para o Lula.

  3. Valdeci disse:

    Este FHC que o nobre Jeffrson fala não é o mesmo que no apagar das luzes do seu governo, junto com o seu ministro Pedro Malan tomou emprestado US$ 30bi do FMI, obrigando ao seu sucessor à pagar a conta e passar régua?

Deixe uma resposta