ELEIÇÕES 2018: Conheça o perfil e as chances dos pré-candidatos ao Senado Federal

Tal como feito em relação aos pré-candidatos ao Governo do Maranhão, o Blog do Robert Lobato (reveja aqui) traça o perfil e analisa as chances dos nomes colocados para a disputa ao Senado Federal. Vamos lá.

Sarney Filho (PV) – Deputado federal por vários mandatos e ministro de Estado do Meio Ambiente por duas vezes, Sarney Filho há tempos luta para dar voos mais altos na política maranhense mas sempre foi ofuscado pela liderança da irmã, a ex-governadora Roseana (MDB). É consenso entre os observadores da cena política local de que as chances de Zequinha, como também é chamado, virar senador da República estão associadas à candidatura de governadora da “mana”. Ou, se não dela, de um outro nome que possa dar impulso ao seu projeto ao Senado Federal. E uma vez candidato, Sarney Filho terá que mostrar ao eleitores tudo o que conseguiu fazer pelo Maranhão após tantos mandatos de deputado federal e ter passado pelo Ministério do Meio Ambiente onde, aliás, ainda se encontra. De qualquer forma, é um nome forte e que reúnes condições reais de levar uma das duas vagas à Câmara Alta.

Edison Lobão (MDB) – Experiente, articulado, inteligente e muito habilidoso politicamente, costumo dizer que o senador Lobão é o melhor e mais aplicado aluno da “Escolinha do Professor José”. O homem aprendeu muito com o ex-presidente José Sarney de quem é amigo há décadas. Ainda que possa parecer uma alternativa, digamos, fadigada pelo tempo, Lobão reúne forças para tentar mais oito de mandato de senador da República e, caso consiga o feito em 2018, virar presidente da casa. Trata-se de um político respeitado por todas as correntes políticas do estado e com excelente trânsito com lideranças tanto da oposição quanto do campo governista. Por tudo isso, Lobão sempre será um candidato competitivo para qualquer cargo eletivo que disputar. Aliás, pode até puxar o Sarney Filho tal como ocorreu em 2010 quando deu uma força considerável para o seu colega de bancada e de partido, João Alberto.

Eliziane Gama (PPS) – Se realmente conseguir viabilizar politicamente a sua candidatura de senadora, a deputada federal Eliziane Gama pode até surpreender em 2018. Tem bom discurso, muita sensibilidade para as causas sociais, faz um mandato razoável, além de ter uma base que não pode ser desprezada, qual seja a das igrejas evangélicas. O maior desafio posto à pré-candidata é passar confiança política aos aliados, já que ganhou uma fama muito ruim de não passar segurança/confiança, ser gelatinosa, escorregadia como um peixe sabão, o que pode dificultar os acordos necessários para “vitaminar” o projeto “Eliziane Senadora 231”. Porém, caso consiga entrar 2018 com um pouco mais de juízo, pode encontrar abrigo em alguma chapa forte e, quiçá, ter uma performance eleitoral bem melhor do que a de 2016 quando disputou a prefeitura de São Luis como franca favorita a vencer o pleito no primeiro turno, mas ao cabo da eleição acabou amargando um quarto lugar. Só que cada eleição é uma eleição. E tudo vai depender da postura da nossa simpática irmã.

Zé Reinaldo (PSB) – José Reinaldo não é apenas considerado um candidato forte ao Senado Federal como tem o reconhecimento  de que é merecedor de uma das duas vagas em disputa. Ex-governador e atual deputado federal, Zé Reinaldo tem um invejável currículo de homem público, inclusive de ministro de Estado, além de gestor de órgãos importantes no âmbito do Governo Federal. Mesmo com toda a sua experiência administrativa e acúmulo político, o pré-candidato tem encontrado dificuldades de arrancar o apoio de quem achava merecedor de toda gratidão possível: o governador Flávio Dino. O comunista vem cozinhando em banho-maria José Reinaldo sem dar, até aqui, qualquer sinalização clara de que o ex-governador terá o seu apoio. Setores da chamada classe política passaram a defender que José Reinaldo saia candidato ao governo caso Flávio Dino o apunhale na sua pretensão de candidato a senador com o apoio do Palácio dos Leões. O fato é que de aliado leal e “criador” do governador comunista, José Reinaldo pode virar um adversário medonho do senhor Flávio Dino em 2018. A conferir.

Waldir Maranhão (Avante) – Outro pré-candidato a senador pelo grupo governista que pode ser traído por Flávio Dino. Deputado federal, ex-vice-presidente da Câmara, Waldir Maranhão ganhou notoriedade nacional quando decidiu anular a votação do processo de impeachment de Dilma Rousseff quando estava no exercício da presidência da casa. Conta a lenda que Waldir tomou tamanha decisão radical atendendo um pedido do governador Flávio Dino que, na época, lhe deu garantias de que teria o seu apoio para senador. O deputado botou fé no acordo, mas até agora nadica de nada de um gesto de Flávio Dino no sentido de que cumprirá o acordo com Waldir Maranhão. Nos bastidores políticos, há quem diga que o pré-candidato só tem chances de eleição caso esteja filiado no PT. Porém, outros entendem que para Waldir virar senador não é preciso necessariamente estar filiado ao PT, mas tão somente contar com o apoio declarado de Lula. Vale aguardar.

Weverton Rocha (PDT) – Outro deputado federal que tentará mudar do Salão Verde da Câmara para o Salão Azul do Senado. O polêmico e controverso Weverton Rocha é um jovem obstinado e isso ninguém pode negar. É duro nas negociações políticas quando está em jogo os seus interesses e os interesses do seu partido. “Na política você vale pelo mal que pode fazer”, costuma dizer sem qualquer pudor. A assertiva maquiavélica parece tem surtido efeito ao “Maragato”, pois é o único candidato do bloco governista que conseguiu arrancar apoio público do governador Flávio Dino a sua pré-candidatura ao Senado. Weverton sabe que tem alguns desafios a enfrentar que fogem do território da política. A maioria deles está no campo jurídico e da Polícia Federal. Caso consiga pular todas as fogueiras do Judiciário e da PF, Weverton Rocha torna-se de fato um pretendente pra lá de competitivo e pode sim virar senador da República a partir de fevereiro de 2019.

Márcio Jardim (PT) – Graduado em História pela Ufma, o dirigente nacional do PT Márcio Jardim intensificou a sua pré-campanha ao Senado Federal desde que apareceu com 9% da intenção de votos na pesquisa Vox Populi divulgada no mês de novembro. O levantamento independente, contratado pela Jakarta Publicidade, animou o petista que tem pela frente a tarefa de convencer o braço maranhense do PT da viabilidade da sua candidatura à Câmara Alta. Para isso, conta com o seu maior trunfo: a amizade pessoal com o ex-presidente Lula. Ocorre que Lula é pragmático, e se for obrigado a pedir para Márcio seguir um outro rumo na campanha de 2018 para facilitar o projeto nacional do partido no estado, por exemplo, assim será feito. Nesse caso, a tendência é que o ex-secretário de Esporte e Lazer caminhe para uma disputa de deputado estadual.

Nonato Chocolate (PT) – Outro petista que está em pré-campanha aberta de senador é o sociólogo e professor Nonato Chocolate. Membro da Executiva Estadual do PT onde ocupa o cargo de secretário Estadual de Combate ao Racismo, Chocolate, como é mais conhecido, integra também o Diretório Municipal de São Luis e em breve deverá ocupar assento no Diretório Nacional no Coletivo Nacional de Combate ao Racismo. O petista é um dos mais destacados integrantes da corrente Construindo um Novo Brasil (CNB), principal força política interna do PT. Chocolate quer mostrar que pode ser o “Barack Obama” maranhense no Senado Federal, ou seja, um jovem negro, de origem humilde do interior e que conquistou o seu espaço numa sociedade injusta e preconceituosa. O professor está em campo e focado no projeto “Um negro maranhense no senado”.

15 comentários sobre “ELEIÇÕES 2018: Conheça o perfil e as chances dos pré-candidatos ao Senado Federal

  1. Silmar Braga disse:

    Há três que se destacam entre os colocados:

    1º Edson Lobão, Que embora fadigado pelo tempo é o único com chances no grã Sarney;
    2 º Weverton Rocha Que arrancou o apoio público do governador Flávio Dino, isso por conta de sua habilidosa leitura de cenário e uma ajuda do bruxo Marcio Jerry,mais isso é outra historia ;
    3º Zé Reinaldo Homem importante da atual conjuntura politica vivida pelo grupo de Flavio já que governador herdou o grupo politico Jackson Lago tem transito inclusive dentro do PDT e conta com apoio de grandes lideranças da sigla.

      • Silmar Braga disse:

        Nada contra aos companheiros. Sabe amigo Robert as vezes fico a mi perguntar os nossos serviços prestados junto aos movimentos sociais não se refletem em reconhecimento do eleitorado? Outra pergunta que mi vem, é se de fato estamos mesmo prestando relevantes serviços juto as bases? Porque será que não conseguimos ter nomes com peso politico para alça voos nessa magnitude?

  2. eden jr disse:

    Caro Robert, considerando que Márcio Jardim e Eliziane não se viabilizarão ao senado, por questões partidárias e políticas, acredito que os favoritos são, nessa ordem:
    1 – Lobão
    2 – José Reinaldo
    3 – Sarney Filho

  3. mohamad disse:

    O Deputado caspa o sem voto e o senador múmia ninguém merece,kkkkkk.
    O Ilustre kkkkk Deputado Federal Weverton Rocha se tiver o apoio do Grande Homem vai ser um ótimo candidato e com certeza sera eleito.

  4. Alan Couto disse:

    Em 2019 teremos ex-deputados que teriam mandatos garantido se tentado sua releição: Weverton Rocha e Sarney Filho… Eleitos Lobão e José Reinaldo… Serão candidatos a deputado federal: Eliziane (será reeleita pela base evangélica) e Waldir Maranhão (com extrema dificuldade mesmo para deputado). Márcio Jardim (nunca se elegeu nem para vereador) e Chocolate (esse totalmente desconhecido) não serão candidatos. Esse será o cenário.

Deixe uma resposta