ELEIÇÕES 2018: Após ser exonerado por Flávio Dino, petista Márcio Jardim vai a 9% para senador, segundo Vox Populi

O mais importante entre os fatores que podem alavancar ainda mais um pré-candidatura com o perfil do Márcio Jardim é a sua relação política e pessoal com o ex-presidente Lula

Parece que o fato do governador Flávio Dino (PCdoB) ter resolvido exonerar o petista Márcio Jardim da Secretaria de Esperte e Lazer (Sedel), para barganhar com o PP do deputado federal André Fufuca, fortaleceu eleitoralmente o ex-secretário. Pelo menos é o que mostra a pesquisa Vox Populi, divulgada ontem, 4.

Márcio Jardim aparece com surpreendentes 9% das intenções de voto para o Senado Federal, isso sem o dirigente nacional do PT ter dito com todas as letras que é mesmo candidato a senador.

Esse índice alcançado não pode e não deve ser minimizado de forma alguma. Explico o porquê.

Em primeiro lugar, Márcio Jardim é militante destacado do PT do tipo que vai para o front do campo de batalha. Aliás, ele tem “Batalha” até no nome (Rsrsr).

Em segundo lugar, estamos falando de um dirigente com excelente trânsito nas correntes internas do PT, das mais à esquerdas as mais moderadas.

Em terceiro lugar, a vantagem competitiva de ser do PT aumenta a chances de crescimento de Márcio na medida que no Maranhão, segundo a mesma pesquisa Vox Populi, o partido tem a maior simpatia dos eleitores no estado chegando a 17%. O PMDB vem em segundo com 2%, seguido do PCdoB com apenas 1% da simpatia dos maranhenses. Partidos de outros pré-candidatos como o PDT, PPS, DEM sequer são citados.

Em quarto lugar, Márcio Jardim tem feito um contraponto público aos “golpistas” que ajudaram derrubar a presidente Dilma do poder.

O ex-comandante da Sedel não tem poupado críticas contundentes a aliados do governo Flávio Dino que tiveram papel central no impeachment. Igualmente tem batido no oportunismo de Ciro Gomes, pré-candidato a presidente da República pelo PDT, que no Maranhão tem o deputado federal Weverton Rocha como nome para o Senado Federal, inclusive “oficializado” pelo governador Flávio Dino.

Por fim, e talvez o mais importante entre os fatores que podem alavancar ainda mais uma pré-candidatura com o perfil do Márcio Jardim, é a sua relação política e pessoal com o ex-presidente Lula.

Meses atrás, o petista maranhense rodou o Nordeste brasileiro ao lado do Lula na caravana que líder do PT tem feito pelo país. Essa proximidade junto a Lula, que no Nordeste, e principalmente no Maranhão, é imbatível e consegue transferir votos, faz de qualquer pré-candidato majoritário um potencial “eleito”.

Dificuldades

Mas, nem todo são flores no caminho de Márcio Jardim mesmo com os 9% de intenção de votos para senador revelados pela Vox Populi.

Paradoxalmente, o PT maranhense é o principal problema para que Márcio viabilize a sua candidatura. Aliás, é o principal problema para qualquer pré-candidato majoritário petista.

Isso porque o PT no Maranhão tem dificuldades de acertar os ponteiros internos, e na hora que é para decidir coletivamente um projeto, o partido torna-se uma verdadeira Torre de Babel e ninguém se entende.

No caso específico de Márcio Jardim, ainda tem o fato de ser ligado às forças do “dinopetismo”, cuja subserviência aos mandos do PCdoB/Palácio dos Leões inviabiliza qualquer projeto do PT ou mesmo um espaço na chapa majoritária liderada por Flávio Dino, isso porque o comunista tem que abrigar outras forças, inclusive “golpistas”, no seu projeto de reeleição.

O fato é que Márcio Jardim colhe os bons frutos, entre outras coisas, por conta da sua exoneração da Sedel e a pesquisa Vox Populi mostra isso.

Agora é se movimentar intensamente no PT nacional e local, e tentar mostrar por “M mais J” que ele tem viabilidade de firmar-se como candidato a senador do PT e do Lula.

Entendeu, né?

Deixe uma resposta