PT/MA: Quando o Bob Lobato incomoda “dinopetistas”, malandros e porra-loucas

Poderia revelar mais traços do mau-caratismo dessa turma, mas aprendi com a minha doce vovó Deliz que: “quem tem vergonha não envergonha os outros”.

A rigor o titular do Blog do Robert Lobato não deveria nem comentar tamanhos despautérios, até porque os elementos que os cometeram não são lá, digamos, gente da melhor referência política, ideológica, ética e, em alguns casos, nem para a moral e os bons costumes.

“De quem ou de que você está falando, Bob”, pergunta o leitor curioso ou leitora curiosa. Explico.

Chegou até o nosso humilde, mas sempre firme Blog do Robert Lobato, um print de um ‘conversê’ desqualificado ocorrido num dos vários grupo do PT no WhatsApp.

Ora, se é um “conversê” desqualificado, evidentemente é protagonizado por pessoas desqualificadas, “Sementes mal plantadas/Que já nascem com caras de abortadas/Pessoas de alma bem pequena/Remoendo pequenos problemas/Querendo sempre aquilo que não têm”, como canta o nosso eterno Cazuza na antológica “Blues da Piedade”.

Os “dinopetistas”, malandros e porra-loucas

Não considero – e jamais admitirei considerar -, que petistas como Pétala Monteiro e Paulo Romão tenham quaisquer autoridades para sequer tentarem avaliar a minha militância de anos no PT, inclusive de dirigente que chegou a vice-presidente e tesoureiro estadual do partido, membro do Diretório Municipal/São Luis, além de um dos quadros do chamado “Campo Majoritário” com inúmeras participações em fóruns nacionais do partido.

E quem são esses agressores e detratores do Bob Lobato? Vamos lá, primeiro as “damas”.

Pétala Monteiro é uma doidinha que quando chegou pelo PT não fazia a menor ideia da dinâmica do partido. Era militante do PSDB, mas andava, na época que nos conhecemos, flertando com a esquerda com o “coração vagabundo” – politicamente falando – dividido entre o PT e o PSB.

Como sempre fui um cara articulado e bem relacionado com pessoas de bem, graças a Deus, sugeri que ela pensasse direitinho mas antes a levaria para conversar com dois amigos, um do PT e outro do PSB. E quem foram esses amigo? Simples, simples: o petista Washington Oliveira, então vice-governador do Maranhão, e o na época socialista Roberto Rocha.

Depois de algumas semanas “pensando”, Pétala escolhe o PT. Está no partido até hoje e até hoje, ao que parece, é apaixonada por mim talvez por nunca ter esquecido das nossas “prosas” e otras cositas más, daí que não me esquece e ao invés de agradecer tudo o que de bom lhe proporcionei, prefere unir-se a outros trastes para me atacar.

Mas, enfim, quem quiser conhecer melhor o perfil e a personalidade da “Petys”, como gosta ser chamada, basta visitar suas redes sociais – mas não vale me xingar depois pela decepção. Rsrsrsrs.

Já o famigerado Paulo Romão, nacionalmente conhecido como “Paulinho da Fapema” em virtude do recebimento, “por fora”, de recursos dessa entidade de amparo à pesquisa no Maranhão, quando era um “faz tudo” na Vice-Governadoria, gestão Roseana Sarney/Washington Oliveira, é apenas um tolo e nunca deixará de sê-lo.

Contudo, tenho que reconhecer, “Paulinho da Fapema” melhorou um pouco a sua conturbada personalidade depois que resolveu “sair do armário” e se encontrar com o seu “eu verdadeiro”. Mas, infelizmente, ainda é um tolo, uma “coisinha”.

Esses são os traços de personalidade dos que me agridem por publicar notícias sobre o PT que chegam ao Blog do Robert Lobato por fontes e companheiros petistas qualificados e de bem.

São “dinopetistas”, na verdade “ex-sarnopetistas”, malandros de toda espécie e porra-loucas. E poderia revelar mais sobre o mau-caratismo dessa turma, mas aprendi com a minha doce vovó Deliz que: “quem tem vergonha não envergonha os outros”.

No mais, como diria Zagalo: “Vocês vão ter que me engolir!”.

PS: Peço desculpas aos leitores pela perda de tempo em dar confiança para essa turma de idiotas. Mas, não o fizesse, não seria o velho e bom Robert Lobato.

Deixe uma resposta