ELEIÇÕES 2018: O fim de uma farsa contra Roberto Rocha

Nunca antes na história política do Maranhão se viu tantas manobras, ardis, conspirações e tramoias contra um político como estamos vendo agora em relação ao que fazem para impedir que o senador Roberto Rocha (PSDB) tenha o direito de ser candidato ao Governo do Maranhão nas eleições de 2018.

Primeiro foi o tratamento vergonhoso que recebeu pelo PSB, partido no qual Roberto se elegeu senador. O parlamentar nunca teve um dia de sossego na legenda socialista, principalmente após a morte do ex-governador Eduardo Campos, o responsável pela sua filiação aos quadros da legenda socialista. A pressão foi tamanha que o senador foi obrigado a deixar o partido.

Agora tentam fazer o mesmo com a volta de Roberto Rocha ao PSDB.

O pior e mais vergonhoso é que são ações orquestradas de fora para dentro, tanto como foi no caso do PSB como é agora no PSDB. Ou seja, não são necessariamente os partidos que atentam contra os direitos do senador, mas sim “corpos” externos que comandam todas essas conspirações com o único e claro objetivo: impedir a consolidação do projeto “Roberto Rocha governador-45”.

A grande farsa

Quando pensava-se que fossem capazes de tudo, eis que os adversários e inimigos do senador Roberto Rocha partiram para o impensável, que foi fraudar a sua filiação ao PSDB não enviando a documentação de recém-filiado à Justiça Eleitoral, tarefa que deveria ser feita pelo Diretório Municipal do partido, presidido em São Luis por Pinto Itamaraty, que vem ser o primeiro suplente do Roberto.

Ou seja, tentaram criar uma farsa de que Roberto Rocha não estava filiado ao PSDB e, portanto, impedido de presidir o partido no Maranhão.

Ocorre que a Assessoria de Comunicação do senador encaminhou ontem, sexta-feira, 10, documentos que comprovam sua filiação ao PSDB e desmontam a grande farsa!

Entre os documentos estão a ficha de filiação, abonada pelo senador cearense Tasso Jereissati, então presidente do partido, e pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckimin, no dia 4 de outubro, e já protocolada no Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA), e o Ofício 038/2017-CEM PSDB protocolado, em 17 de outubro na 76ª Zona Eleitoral de São Luís, dando ciência da filiação.

No documento, assinado por advogados-delegados da executiva nacional do partido, comunicava a juíza Maria José França Ribeiro, e solicitava ainda, que o nome de Roberto Rocha fosse incluído na relação dos filiados da legenda.

Consta ainda a comunicação oficial nº 039/2017 à comissão provisória, presidida pelo suplente de senador Pinto Itamaraty, para que o senador fosse incluído na relação dos filiados e encaminhado ao juízo da 76º Zona Eleitoral.

Toda a documentação desfazem não apenas mais um factoide criado pelo vice-governador Carlos Brandão e por Pinto Itamaraty, mas, sobretudo, uma farsa, um golpe sujo que jamais podia-se imaginar que tivessem a coragem de engendrar!

E tudo isso para agradar o “poderoso chefão” deles.

Que coisa!

Deixe uma resposta