ELEIÇÕES 2018: E agora, Flávio Dino?

O fato é que aquilo que parecia ser “favas contadas”, qual seja a reeleição do comunista, com a candidatura da “Branca” se torna algo mais, muito complicado para o comunista.

Caiu com efeito de uma bomba de vários megatons, no meio político, o anúncio da candidatura da Roseana Sarney (PMDB) ao governo do Maranhão em 2018.

Efeito mais devastador foi lá pras bandas do Palácio dos Leões que sentiu o baque, basta ver a reação da mídia aluga.

A presença de Roseana Sarney nas eleições do ano que vem, além Roberto Rocha (PSDB), Maura Jorge (Podemos), Ricardo Murad (PRP) e das tradicionais candidaturas da chamada ultraesquerda (PSOL, PCB e PSTU), é a garantia de que teremos dos dois turnos, o que torna o sonho do governador Flávio Dino (PCdoB) pela reeleição em um tremendo pesadelo.

A situação do comunista se complica ainda mais com a perda do PSDB e ainda as possíveis baixas do PPS e PSB da base governistas em virtude do jogo nacional.

A entrada da ex-governadora poderá causar outras baixas significativas no arco de alianças pensado por Flávio Dino.

Partidos como DEM, PTB, PP, PR pode acabar indo para o palanque de Roseana e, por conseguinte, complicar de vez a vida do atual chefe do executivo maranhense.

O fato é que aquilo que parecia ser “favas contadas”, qual seja a reeleição de Flávio Dino, com a candidatura da “Branca” se torna algo mais, muito mais complicado para o comunista.

É aguardar e conferir.

Deixe uma resposta