“Sarnopetistas” autênticos assinam nota de apoio ao governo Flávio Dino

O núcleo duro que integrava o gabinete da vice-governadoria quando Washington Oliveira era o vice-governador assinou nota em apoio ao governo comunista de Flávio Dino.

E arraial petista está em chamas depois que a corrente Construindo um Novo Brasil (CNB), divulgou uma dura nota criticando a nomeação do delegado Lawrence Melo para o primeiro escalão do Governo do Estado na cota do PT (reveja aqui).

Em reação à nota da CNB, o Palácio dos Leões mobilizou setores do PT e forçou que alguns agrupamentos petistas, ligados aos comunistas, fizessem uma outra nota desta feita em apoio ao governo. A missão foi passada para o atual presidente Augusto Lobato que, por sinal, é assessor especial do governador.

O que causou estranheza é que a nota “dinopetista” traz a assinatura de uma tal “CNB/Articulação Maranhão”, uma espécie de dissidência da CNB oficial que deseja manter uma relação autônoma com o governo.

E quem faz parte dessa “CNB/Articulação Maranhão”? Simplesmente o núcleo duro que integrava o gabinete da vice-governadoria quando Washington Oliveira era o vice-governador. Ou seja, são os autênticos “sarnopetistas” que se associaram às forças internas do PT que sempre estiveram com os comunistas. Basta ver que o secretário-adjunto da Juventude, Paulo Romão, era quadro destacado do “sarnopetismo” na era Roseana Sarney/Washington Oliveira e depois se converteu, de última hora, ao dinismo .

A CNB de verdade está defendendo um projeto próprio para o PT em 2018 e conta, inclusive, com o apoio de boa parte do diretório nacional do partido.

No Maranhão, a tese de candidatura própria do PT conta com a simpatia de petistas do porte do deputado estadual Zé Inácio, do ex-reitor do IFMA, professor Zé Costa, e do chamado núcleo sindical que tem, entre outras lideranças, o ex-presidente do PT, Raimundo Monteiro.

Crise grande

Mas a coisa não acaba por aí.

A nota dos “dinopetistas” gerou crise até entre os governistas do PT.

Segundo informações obtidas pelo Blog do Robert Lobato, o secretário de Esportes, Márcio Jardim, teria desautorizado a assinatura da sua tendência, o Movimento PT, da nota de apoio ao governo. Jardim, como se sabe, está demissionário da pasta porque o governador Flávio Dino está barganhando o cargo para o DEM, o que tem causado indignação no secretário baixadeiro. Aliás, Márcio Jardim também contou com a ajuda do governo Roseana Sarney quando pediu, e foi atendido, via o gabinete da vice-governadoria, para ficar liberado da sala de aula.

O fato é que a nota dos “dinopetistas”, ao invés de criar um ambiente positivo no conjunto do partido, teve efeito contrário e colocou mais lenha na fogueira na crise que o PT maranhense enfrenta já há algum tempo.

E, ao que parece, não tem data para acabar…

Deixe uma resposta