Professora que interpreta a “Rosengana” detona Flávio Dino e Sarney Filho por apoiarem projeto da WTorre

O governador Flávio Dino vinha mantendo resistência em liberar as licenças ambientais para que as obras iniciassem, mas, pelo jeito, e visando “investimentos eleitorais” para 2018, resolveu mudar de ideia e fazer a parceria com a WTorre convencendo, também, o deputado Bira do Pindaré a mudar de posição sobre o assunto, tanto que nunca mais deu um “pio” contra o projeto

Rejane Galeno, a “Rosengana”.

Assim postou a professora Rejane Galeno (sem edição):

“Hoje pela manhã, na Comunidade do Cajueiro, em Sao Luis, um grupo de homens, ligados a empresa W Torre, quebraram um cano, danificando gravemente um poço que abastece quase 50 famílias. A WTorre, é a empresa que, mesmo enrolada na Lava Jato, pretende fazer um porto privado no Cajueiro, com apoio de Sarney Filho e Flávio Dino.”

A declaração da professora foi num grupo da rede social do WhatsApp chamado “#Fora Escola sem Partido”, formando basicamente por militantes de esquerda e dos movimentos sociais. E chegou ao Blog do Robert Lobato através de um “olheiro” e leitor que participa do tal grupo.

Além de professora/arte-educadora do Instituto Federal do Maranhão (IFMA), campus de Pinheiro, na Baixada Maranhense, Rejane Gelano é ativista política e social e ganhou notoriedade no Maranhão ao interpretar a personagem “Rosegana”, que satiriza, com inteligência e humor refinado, a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB).

A crítica da “Rosengana” é contra o recuo inesperado do governador Flávio Dino em impedir que a WTorre construa um porto multimodal de São Luís. Um empreendimento que promete ser um dos maiores terminais de uso privado da região Nordeste e que deverá aumentar substancialmente a capacidade de escoamento do estado do Maranhão

Instalado numa área de cera de 2 milhões de metros quadrados, o porto terá capacidade para movimentar ao ano 24,8 milhões de toneladas quando o terminal estiver pronto.

INVESTIMENTO BILIONÁRIO E RECUO ESTRATÉGICO DO GOVERNO

O projeto da WTorre está estimado em R$ 1,5 bilhão e deve levar três anos para estar em operação.

O empreendimento encontra resistência dos movimentos sociais e de políticos e partidos de esquerda no estado. O deputado estadual Bira do Pindaré (PSB), por exemplo, chegou mobilizar as comunidades, situadas a décadas em torno da área onde será construído o porto da WTorre, para impedir a execução das obras.

O próprio governador Flávio Dino vinha mantendo resistência em liberar as licenças ambientais para que as obras iniciassem, mas, pelo jeito, e visando “investimentos eleitorais” para 2018, resolveu mudar de ideia e fazer a parceria com a WTorre convencendo, também, o deputado Bira do Pindaré a mudar de posição sobre o assunto, tanto que nunca mais deu um “pio” contra o projeto que ele dizia que ia “destruir as comunidades humildes e devastar o meio ambiente”.

Só dá esperto!!

Em tempo: A professora Rejane Galeno é sobrinha da pedagoga Régina Galeno, uma brava e aguerrida comunista do PCdoB.

2 comentários sobre “Professora que interpreta a “Rosengana” detona Flávio Dino e Sarney Filho por apoiarem projeto da WTorre

  1. Mariana disse:

    o deputado Bira tem mais o que fazer tia rosenga, ele tem que aprovar os empréstimos do governo e votar pelos aumentos de impostos e contra o governador….

Deixe uma resposta