ELEIÇÕES 2018: “Primeiro apoiaria uma candidatura própria do PT. Depois votaria em qualquer candidato, exceção de Flávio Dino”, diz ex-candidato do PT

Júnior Esperança afirma que a eleição do governador comunista não passou de uma “ilusão” e que os “Os Sarneys demonstram robustez e podem voltar ao poder”.

O ex-candidato a prefeito da cidade de São Bernado nas eleições de 2008 e de 2012, está última pelo PT, engenheiro agrônomo Bernardo de Oliveira Lima Junior, o “Júnior Esperança” publicou um texto em que expressa sua decepção com o governador Flávio Dino (PCdoB).

“Passados quase três anos, entretanto, percebe-se que tudo que rondou nosso imaginário não passou de uma ilusão. Os Sarneys demonstram robustez e podem voltar ao poder. O Governador não foi capaz de transformar minimamente a realidade sociopolítica do Estado”, escreveu Júnior Esperança.

O engenheiro é irmão do ex-delegado regional do Ministério de Desenvolvimento Agrário no Maranhão (MDA-MA) e ex-coordenador do programa “Terra Legal” do Governo Federal, Jowbert Alves, que atualmente comanda a Assessoria Política do deputado federal Zé Carlos.

O parlamentar petista é outro que anda nada satisfeito com o tratamento dispensado poe Flávio Dino ao conjunto do PT, no geral, a ele em particular. Aliás, Zé Carlos tem engrossado o coro pela tese de candidatura própria de partido para as eleições de 2018.

Veja a seguir as considerações de Júnior Esperança sobre o governador de Flávio Dino.

As eleições 2014 para governador, no Maranhão, despertaram no imaginário da Classe Política maranhense dois sentimentos que merecem reflexão: primeiro, de que alí seria o fim da força política dos Sarneys; segundo, que o governador eleito imporia um ritmo de trabalho nos mais diversos campos de Políticas Públicas com impacto direto na transformação da realidade maranhense. Também, e mais importante, que o Governador fosse um desses amigos firmes, companheiro, fiel, que não deixaria quem lhe ajudou em campanha fora do projeto de consolidação da vitória nas urnas em 2014, o que naturalmente lhe valeria a reeleição em 2018.

Passados quase três anos, entretanto, percebe-se que tudo que rondou nosso imaginário não passou de uma ilusão. Os Sarneys demonstram robustez e podem voltar ao poder. O Governador não foi capaz de transformar minimamente a realidade sociopolítica do Estado e pior: demonstra ser um desses amigos.

indesejável numa caminhada, ainda mais quando o assunto é política.

Diante do desconforto de presenciar com desprazer esse cenário, hoje me dei conta de perguntar a mim  mesmo! – E se as eleições fossem hoje como votaria Junior Esperança?

Sem conhecer os futuros candidatos não foi difícil responder-me: 1º Apoiaria uma candidatura própria do PT. Depois votaria em qualquer candidato, exceção: FLÁVIO DINO. Falei!

JÚNIOR ESPERANÇA.

4 comentários sobre “ELEIÇÕES 2018: “Primeiro apoiaria uma candidatura própria do PT. Depois votaria em qualquer candidato, exceção de Flávio Dino”, diz ex-candidato do PT

  1. Caro José Carlos, conheço muito bem a pessoa Junior Esperança, com toda certeza o que ele escreve tem para ele algum sentimento, se errado ou certo, só ele (Junior) pode dizer, prefiro acreditar que foi de decepção politica, e valorização do que já fez por Flávio Dino, mas é algo dele, e temos que respeitar. Mas o fato que lhe garanto, é que esta expressão que usas sobre ele jamais foi, ou será, conheço, é de família, bom politico, um profissional serio, e uma pessoa de uma nobreza unica, assim como toda a família humilde que tem, mas “safado” já mais.

Deixe uma resposta