ELEIÇÕES 2018: Petistas fazem agenda com Roseana e mostram que nada está resolvido em termos de alianças

O PT está dividido em pelo menos três posições quando o assunto é o processo eleitoral do ano que vem.

Engana-se quem pensa que já está tudo resolvido no PT maranhense em termos de política de alianças para as eleições de 2018.

Embora o partido tenha participação no governo Flávio Dino (PCdoB), de forma fragmentada é verdade, o PT está dividido em pelo menos três posições quando o assunto é o processo eleitoral do ano que vem.

A primeira defende uma inédita aliança com o PCdoB em apoio à releição do governador Flávio Dino. Os defensores dessa tese, claro, são os atuais ocupantes de cargos na estrutura do governo, todos ligados às forças internas que apoiaram candidatura de Flávio em 2014, incluindo o presidente do partido Augusto Lobato que, aliás, é assessor especial do governador para assuntos aleatórios.

Petistas fazem agenda com a ex-governadora Roseana Sarney.

A segunda posição é que defende uma reedição da aliança do PT com o PMDB em apoio a uma eventual candidatura de Roseana Sarney ao governo em 2018.

Ainda que os simpatizantes dessa posição não a defenda publicamente, pelo ainda, é intensa as movimentações e conversas nesse sentido. Ontem mesmo, um grupo de petistas visitaram a ex-governadora e conversaram sobre os possíveis cenários para as eleições de 2018. Estiveram na reunião com a “Branca” o ex-reitor da Ifma, professor Zé Costa; o ex-prefeito de Belágua, Sargento Adalberto, que sempre foi ligado à resistência petista; e o ex-vice-prefeito de Pinheiro, César Soares.

Por fim, há um crescente sentimento em defesa de candidatura própria do PT ao governo e ao Senado Federal.

Setores importantes e representativos do partido já defendem um projeto 100% petista para o Maranhão em 2018, principalmente depois da exoneração do professor Márcio Jardim da Secretaria de Esporte e Lazer para favorecer o PP do deputado federal André Fufuca, o que gerou indignação não somente do ex-secretário, mas de petistas de várias correntes.

Pela tese da candidatura própria, já está em curso conversas com as correntes Construindo um Novo Brasil (CNB), do deputado estadual Zé Inácio; a Mensagem, do deputado federal Zé Carlos; Piracema, do publicitário Eri Castro e própria corrente do ex-secretário Márcio Jardim, Movimento PT.

O fato é que ainda há muita água para passar por debaixo de ponte petista até as convenções partidárias em 2018.

É aguardar e conferir.

Deixe uma resposta